Postagem em destaque

Ela mata o marido e esconde o corpo dele no freezer.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!... Uma mulher foi presa no Brasil pelo assassinato de seu marido. O cor...

sábado, 9 de maio de 2020

75 anos do fim da 2ª Guerra Mundial celebrados sob confinamento.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...


Emmanuel Macron, Presidente francês, e Édouard Philippe, Primeiro-ministro francês, celebraram os 75 anos da capitulação do regime nazi, que ditou o fim da 2ª Guerra Mundial.

Emmanuel Macron, Presidente francês, e Édouard Philippe, Primeiro-ministro francês, celebraram os 75 anos da capitulação do regime nazi, que ditou o fim da 2ª Guerra Mundial. © REUTERS - CHARLES PLATIAU
O fim da 2ª Guerra Mundial ocorreu há 75 anos, a 8 de Maio de 1945, no entanto os festejos foram em formato reduzido devido à pandemia de Covid-19. A França não escapou a essas cerimónias diferentes do costume.
Emmanuel Macron, o Presidente francês, celebrou os 75 anos da capitulação do regime nazi germânico junto ao Arco do Triunfo, em Paris, numa cerimónia em dimensão reduzida no Túmulo do soldado desconhecido.
Emmanuel Macron estava acompanhado pelos ex-presidentes Nicolas Sarkozy e François Hollande, bem como personalidades do mundo político, entre elas o Primeiro-ministro Édouard Philippe, e a Presidente da Câmara de Paris, Anne Hidalgo.
Para evitar o uso de máscaras, todas as pessoas presentes respeitaram o distanciamento social, medida imprescindível em tempo de confinamento.
De notar que Emmanuel Macron depositou uma coroa de flores na estátua dogénéral de Gaulle, líder da resistência francesa durante a Segunda Guerra Mundial, isto antes de se dirigir para o Arco do triunfo.
Na Alemanha, a data de 8 de Maio, revelou algumas polémicas este ano. As autoridades da capital, Berlim, decretaram feriado municipal. Heiko Maas, ministro dos Negócios Estrangeiros germânico, admitiu ter dúvidas de que esta data acabe por ser um feriado nacional permanente.
partido de extrema-direita Alternativa para a Alemanha (AfD) condenou as celebrações. Alexander Gauland, líder do partido, afirmou que este dia é o dia “da derrota absoluta” da Alemanha.
Quanto à chanceler alemã, Angela Merkel, depositou uma coroa de flores em memória das vítimas do Holocausto.
fonte: RFI

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é sempre bem vindo desde que contribua para melhorar este trabalho que é de todos nós.

Um abraço!

Samuel

Total de visualizações de página