Postagem em destaque

Elon Musk pode lançar seu próprio smartphone.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!... Elon Musk, o homem mais rico do mundo ainda tem um apetite voraz. Ap...

quarta-feira, 16 de março de 2022

Últimas notícias: Alarmes soam por toda a Ucrânia.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...


Sirenes de alerta para ataques aéreos são ouvidas de Kiev a Odessa e Lviv. Imagens divulgadas nas redes sociais mostram colunas de fumaça se erguendo sobre a capital. Acompanhe as últimas notícias da guerra.



07:53 – Cidade para onde fugiram habitantes de Mariupol é bombardeada

A cidade de Zaporínjia, no sul da Ucrânia, que tem servido como refúgio seguro para milhares de pessoas que fogem da cidade portuária sitiada de Mariupol, foi atacada pelas forças russas nesta quarta-feira, informaram autoridades ucranianas.

"Objetos civis foram bombardeados pela primeira vez em Zaporínjia", escreveu o governador regional, Alexander Starukh, no Telegram. "Os foguetes caíram na área da estação ferroviária Zaporozhye-2". Segundo ele, não houve vítimas.

Zaporínjia está situada a cerca de 230 quilômetros a noroeste de Mariupol, cidade que está isolada do resto do país, contornada por tropas russas, e que enfrenta uma catástrofe humanitária em meio a uma drástica escassez de água, alimentos e energia.

A Rússia nega atacar civis.

07:20 – Lavrov vê esperança de acordo

O ministro do Exterior russo, Serguei Lavrov, vê chances de um acordo nas negociações entre Moscou e Kiev. As conversas não são fáceis, disse, "mas há certa experança de que se chegue a um acordo", disse à emissora do jornal russo RBK.

Segundo Lavrov, já há formulações concretas, o que indicaria que se está perto de um acordo. De acordo com o ministro, está em discussão que a Ucrânia declare sua neutralidade, o que está sendo "seriamente discutido, naturalmente em conjunto com garantias de segurança".

Representantes de ambos os países devem dar continuidade a negociações nesta quarta-feira, por videoconferência. (ARD)

05:37 – Quase 175 mil refugiados da Ucrânia registrados na Alemanha

O número de refugiados da Ucrânia que chegam à Alemanha continua aumentando. De acordo com o Ministério do Interior alemão, 174.597 refugiados foram registrados até agora.

No entanto, o número real pode ser maior, porque não há controles regulares na fronteira entre a Polônia e a Alemanha, e as pessoas com passaporte ucraniano podem circular livremente pela União Europeia por 90 dias.

Um registro é necessário somente se a pessoa desejar solicitar benefícios do Estado. (ARD)

04:29 – Autoridades reportam 500 mortes em Kharkiv desde o começo da guerra

De acordo com a administração local, ao menos 500 moradores foram mortos na cidade de Kharkiv, no leste da Ucrânia, desde o começo da invasão russa. A informação não pôde ser verificada de forma independente pela DW. A Rússia nega mirar civis em suas operações militares. (ots)

Negociações entre Ucrânia e Rússia seguem nesta quarta-feira

Um dos negociadores-chefe da Ucrânia, Mykhailo Podoliak, disse que as negociações com a Rússia continuarão nesta quarta-feira, mas afirmou que existem "contradições fundamentais" entre os dois lados. Ele descreveu as conversas como difíceis.

As conversações por videoconferência ocorrem após três rodadas de negociações pessoalmente em Belarus, que fracassaram em produzir resultados concretos.   

Moscou insiste em obter garantias de que a Ucrânia não vá aderir à Otan, além de um acordo de neutralidade. Por sua vez, Kiev exige o fim imediato da guerra e a retirada das tropas russas.

Horas antes, o assessor da presidência ucraniana, Ihor Zhovkva, afirmou que as negociações se tornaram "mais construtivas". (AP)

04:00 – 90% dos ucranianos em risco de pobreza

De acordo com o especialista em desenvolvimento da ONU Achim Steiner, nove em cada dez ucranianos estão em risco de pobreza no caso de uma guerra duradoura. 

Na pior das hipóteses, a economia do país entraria em colapso e acabaria com duas décadas de crescimento, disse Steiner, administrador do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). (ARD)

03:35 – Ucrânia relata morte de mais um general russo

A Ucrânia disse que o major-general russo Oleg Mityaev foi morto nesta terça-feira em combates na cidade de Mariupol, no sudeste do país. A informação foi divulgada pelo assessor do Ministério do Interior ucraniano, Anton Gerashchenko.

Mityaev era comandante da 150ª divisão de fuzileiros motorizados e havia servido na Síria, disse Gerashchenko.

Não houve confirmação da Rússia sobre a morte. Segundo a Ucrânia, trata-se do quarto general russo morto desde o começo da guerra. (DW)

03:32 – FMI alerta que guerra na Ucrânia é grande golpe na economia global

O FMI alertou em um relatório publicado em seu site que a crise na Ucrânia causará um crescimento mais lento e uma inflação mais rápida em todo o mundo.

Preços mais altos de commodities como alimentos e energia vão impulsionar ainda mais a inflação, disse o FMI. A Ucrânia e a Rússia são grandes exportadores de trigo, e a guerra pode colocar pressão sobre a oferta global do grão. O preço do trigo atingiu um recorde nos últimos dias, disse o FMI.

Os países dependentes das importações de petróleo, do qual a Rússia também é um grande exportador, podem ter déficits maiores e mais pressão inflacionária, de acordo com o FMI. Alguns países exportadores de petróleo do Oriente Médio e da África, porém, podem se beneficiar de preços mais altos.

"As consequências da guerra da Rússia na Ucrânia já abalaram não apenas essas nações, mas também a região e o mundo", disse o FMI. (DW) 




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é sempre bem vindo desde que contribua para melhorar este trabalho que é de todos nós.

Um abraço!

Samuel

Total de visualizações de página