Postagem em destaque

Elon Musk pode lançar seu próprio smartphone.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!... Elon Musk, o homem mais rico do mundo ainda tem um apetite voraz. Ap...

terça-feira, 8 de novembro de 2022

A HISTÓRIA DO AGRIPREENDIMENTO DE LAGOS: ENTRE FATOS E FICÇÃO-Nike Sodipo.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...
O Governo do Estado de Lagos está irrevogavelmente comprometido em impulsionar políticas, programas e projetos inclusivos para a juventude na agricultura. A filosofia por trás disso é servir ao duplo propósito de garantir a segurança alimentar, ao mesmo tempo em que combate o duplo desafio do desemprego e das mudanças climáticas. A agricultura é a espinha dorsal de muitas economias, com uma média de 25% ou mais do PIB em vários países em desenvolvimento e representando uma excelente oportunidade para empregar os jovens. Considerando o envelhecimento da população de produtores de alimentos no país, com idade média de mais de 60 anos, cabe ao governo impulsionar estratégias inclusivas que envolvam o grupo-alvo na produção agrícola de alimentos. Lagos não fica para trás nesta viagem. Assim, iniciou programas direcionados à participação dos jovens no setor através do seu Ministério da Agricultura para mitigar alguns dos desafios identificados como impedindo os jovens de se envolverem plenamente na agricultura – principalmente a falta de financiamento, terra, mercados e formação. Alguns dos programas iniciados pelo governo do estado neste sentido são o Lagos Agripreneurship Program (L.A.P), o programa Rice for Job e o treinamento e capacitação da Cage and Pen Culture (no âmbito do Programa de Desenvolvimento da Aquicultura Marinha), bem como o Programa Lagos Agric Scholars. (L.A.S.P) e capacitação e capacitação de Apicultura (apicultura) entre outros. Como dito anteriormente, o objetivo é criar empregos e riqueza, bem como garantir a segurança alimentar da população. Estes programas registaram níveis significativos de sucesso na consecução dos objetivos específicos. A administração do Sr. Babajide Olusola Sanwo-Olu conceituou o estabelecimento do Lagos Agripreneurship Program (L.A.P.) no ano de 2020 como um programa de intervenção social destinado a expor os jovens à agricultura através de formação utilizando técnicas e práticas agrícolas modernas para a criação de emprego e riqueza. O programa visa treinar 15.000 jovens em quatro cadeias de valor, nomeadamente aves, aquicultura, hortícolas e suinicultura nos próximos 5 anos. O programa L.A.P tem como modelo o programa Arava International Centre for Agriculture Training (AICAT) de Israel, com o princípio fundamental de aprender fazendo. A combinação vencedora de treinamento prático em uma fazenda avançada e moderna, estudos teóricos e vida em comunidade proporciona aos participantes uma experiência única e rica O Programa é um programa de treinamento de quatro meses que envolve treinamento intensivo de demonstração in loco de um mês no Instituto Estadual de Treinamento Agrícola do Estado de Lagos em Araga – Epe (onde os participantes são treinados, acomodados, alimentados, fornecidos com materiais de treinamento e kits de segurança gratuitamente pelo governo do Estado) e estágio de três meses com algumas empresas/fazendas agropecuárias selecionadas. Desde o início deste programa em 2020, um número total de 2.200 participantes foram treinados. Os participantes passam pelo processo de pré-qualificação, que envolve a obtenção de fichas de inscrição, triagem, teste de aptidão/entrevista oral antes de serem admitidos no programa. O programa é implementado em três fases nomeadamente formação, estágio/orientação e ligação a fontes de financiamento, com o fluxo do processo conforme abaixo: A fase de treinamento envolve prática e teoria na proporção de 70:30 respectivamente e acontece de segunda a sábado com duração de um mês em Araga, Epe. A sessão prática decorre das 6h30 às 8h00 (sessão da manhã) e das 16h30 às 18h00 (sessão da noite). As aulas teóricas acontecem diariamente das 10h00 às 14h00. Ao final da fase de treinamento, são realizados exames em todas as cadeias de valor para determinar o nível de compreensão dos participantes. Para incentivar o trabalho árduo, o Ministério introduziu um sistema de recompensa em 2021 para os dez melhores desempenhos em cada cadeia de valor e distribuiu insumos agrícolas como capital inicial durante o Programa Anual de Ativação de Empresas de Cadeias de Valor Agrícola do Ministério. Para incentivar ainda mais as economias de escala, aprendizagem cruzada e apoio a programas de extensão, os beneficiários do LAP legados com insumos são aconselhados a iniciar seu empreendimento nos Centros de Produção de Alimentos em Epe & Badagry, onde o Governo do Estado forneceu instalações de produção e infraestrutura para apoiar suas atividades agrícolas sem nenhum custo por um ano. No ano de 2021, 300 participantes dos Lotes 1 a 7, bem como participantes do extinto programa Agric YES, receberam insumos de produção na cadeia de valor da aquicultura (240) e cadeia de valor da avicultura (60) pelo ministério em cumprimento do apoio do Estado prometido ao top performers. Outros na mesma categoria nos lotes 8 a 14 receberiam suportcorporativo durante o Programa de Ativação Empresarial de 2022, que ainda não ocorreu. O programa L.A.P tem como modelo o programa Arava International Centre for Agriculture Training (AICAT) de Israel, com o princípio fundamental de aprender fazendo. A combinação vencedora de treinamento prático em uma fazenda avançada e moderna, estudos teóricos e vida em comunidade proporciona aos participantes uma experiência única e rica O Programa é um programa de treinamento de quatro meses que envolve treinamento intensivo de demonstração in loco de um mês no Instituto Estadual de Treinamento Agrícola do Estado de Lagos em Araga – Epe (onde os participantes são treinados, acomodados, alimentados, fornecidos com materiais de treinamento e kits de segurança gratuitamente pelo governo do Estado) e estágio de três meses com algumas empresas/fazendas agropecuárias selecionadas. Desde o início deste programa em 2020, um número total de 2.200 participantes foram treinados. Os participantes passam pelo processo de pré-qualificação, que envolve a obtenção de fichas de inscrição, triagem, teste de aptidão/entrevista oral antes de serem admitidos no programa. O programa é implementado em três fases nomeadamente formação, estágio/orientação e ligação a fontes de financiamento, com o fluxo do processo conforme abaixo: A fase de treinamento envolve prática e teoria na proporção de 70:30 respectivamente e acontece de segunda a sábado com duração de um mês em Araga, Epe. A sessão prática decorre das 6h30 às 8h00 (sessão da manhã) e das 16h30 às 18h00 (sessão da noite). As aulas teóricas acontecem diariamente das 10h00 às 14h00. O programa L.A.P tem como modelo o programa Arava International Centre for Agriculture Training (AICAT) de Israel, com o princípio fundamental de aprender fazendo. A combinação vencedora de treinamento prático em uma fazenda avançada e moderna, estudos teóricos e vida em comunidade proporciona aos participantes uma experiência única e rica O Programa é um programa de treinamento de quatro meses que envolve treinamento intensivo de demonstração in loco de um mês no Instituto Estadual de Treinamento Agrícola do Estado de Lagos em Araga – Epe (onde os participantes são treinados, acomodados, alimentados, fornecidos com materiais de treinamento e kits de segurança gratuitamente pelo governo do Estado) e estágio de três meses com algumas empresas/fazendas agropecuárias selecionadas. Desde o início deste programa em 2020, um número total de 2.200 participantes foram treinados. Os participantes passam pelo processo de pré-qualificação, que envolve a obtenção de fichas de inscrição, triagem, teste de aptidão/entrevista oral antes de serem admitidos no programa. O programa é implementado em três fases nomeadamente formação, estágio/orientação e ligação a fontes de financiamento, com o fluxo do processo conforme abaixo: A fase de treinamento envolve prática e teoria na proporção de 70:30 respectivamente e acontece de segunda a sábado com duração de um mês em Araga, Epe. A sessão prática decorre das 6h30 às 8h00 (sessão da manhã) e das 16h30 às 18h00 (sessão da noite). As aulas teóricas acontecem diariamente das 10h00 às 14h00. Ao final da fase de treinamento, são realizados exames em todas as cadeias de valor para determinar o nível de compreensão dos participantes. Para incentivar o trabalho árduo, o Ministério introduziu um sistema de recompensa em 2021 para os dez melhores desempenhos em cada cadeia de valor e distribuiu insumos agrícolas como capital inicial durante o Programa Anual de Ativação de Empresas de Cadeias de Valor Agrícola do Ministério. Para incentivar ainda mais as economias de escala, aprendizagem cruzada e apoio a programas de extensão, os beneficiários do LAP legados com insumos são aconselhados a iniciar seu empreendimento nos Centros de Produção de Alimentos em Epe & Badagry, onde o Governo do Estado forneceu instalações de produção e infraestrutura para apoiar suas atividades agrícolas sem nenhum custo por um ano. No ano de 2021, 300 participantes dos Lotes 1 a 7, bem como participantes do extinto programa Agric YES, receberam insumos de produção na cadeia de valor da aquicultura (240) e cadeia de valor da avicultura (60) pelo ministério em cumprimento do apoio do Estado prometido ao top performers. Outros na mesma categoria nos lotes 8 a 14 receberiam suporte corporativo durante o Programa de Ativação Empresarial de 2022, que ainda não ocorreu. A segunda fase, que é a fase de estágio e orientação do L.A.P, é projetada para expor os participantes treinados à economia real da agricultura e aprimorar seus conhecimentos em tecnologias modernas para aumentar os rendimentos e a lucratividade. Os participantes estão ligados a fazendas comerciais privadas e outras empresas do agronegócio que estão muito próximas de seus locais de residência para adquirir experiência prática. Esta fase tem a duração de três meses e é implementada em colaboração com um consultor do setor privado (SME Accelerator), que se encarrega da divulgação, monitorização e avaliação dos participantes. Para os lotes 8 e 9, o Ministério da Agricultura colaborou com o Ministério da Criação de Riqueza e Emprego para treinar e vincular seus candidatos do Programa de Estágio de Pós-Graduação (GIPP) com empresas agro-aliadas para a fase de estágio L.A.P. Ao final do estágio de três meses, o Ministério da Agricultura emite certificados aos participantes que concluíram com sucesso esta fase. Isso é necessário para a vinculação a instituições financeiras A terceira fase é para os participantes que concluíram com sucesso as fases 1 e 2 do Lagos Agripreneurship Program (LAP) e é implementada em conjunto com o NIRSAL Microfinance bank (CBN). Espera-se que os participantes se registrem no Instituto de Desenvolvimento Empresarial (EDI) aprovado pela CBN com a soma de N10.000 (dez mil nairas apenas) para participar de um treinamento de 3 dias em finanças/desenvolvimento de negócios como parte dos requisitos para solicitação de empréstimo financeiro. Em sua tentativa de reduzir a carga sobre os participantes e incentivar o acompanhamento do programa, o Governo do Estado de Lagos paga as taxas de inscrição obrigatórias (N10.000) para o treinamento EDI – a taxa para todos os 2.200 participantes que passaram pelo L.A.P foi foi pago. Espera-se que os participantes apenas carreguem o certificado L.A.P emitido após a fase de estágio e façam um pagamento obrigatório de N5.000 para o desenvolvimento do plano de negócios, que deve ser pago pelos participantes individuais com seus cartões ATM, conforme recomendado pelo CBN para auxiliar na captura de biodados. O objetivo de longo prazo do Ministério da Agricultura do Estado de Lagos é desenvolver o instituto de treinamento agrícola Araga em Epe para se tornar um centro regional líder de pesquisa e desenvolvimento científico. Prevemos um futuro em que o centro entrará em parceria com o setor privado, parceiros de desenvolvimento e nações. O objetivo, como sempre, é avançar nos métodos sustentáveis de cultivo e pecuária, fornecendo conhecimento crítico à comunidade agrícola regional, elevando a qualidade do produto e abrindo novos mercados. Isso aumentaria a qualidade do treinamento dado aos participantes e abriria fronteiras para programas de intercâmbio de estudantes, em cumprimento ao objetivo de exposição a tecnologias inovadoras que seriam vitais para a segurança alimentar na Nigéria. Sodipo é Diretor Adjunto, Relações Públicas, Ministério da Agricultura, Alausa, Ikeja

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é sempre bem vindo desde que contribua para melhorar este trabalho que é de todos nós.

Um abraço!

Samuel

Total de visualizações de página