Postagem em destaque

Elon Musk pode lançar seu próprio smartphone.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!... Elon Musk, o homem mais rico do mundo ainda tem um apetite voraz. Ap...

domingo, 25 de setembro de 2022

Mali chama França de junta no fórum da ONU.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...
A Assembleia Geral das Nações Unidas foi obviamente uma oportunidade para o Mali dizer à França suas quatro verdades. Neste sábado, 24 de setembro de 2022, o coronel Abdoulaye Maïga, primeiro-ministro interino do Mali, aproveitou a oportunidade para falar no pódio da ONU para atacar as autoridades francesas. Ao abordar a questão da retirada dos soldados franceses da força Barkhane do Mali, o funcionário maliano disse que o seu país foi "apunhalado pelas costas pelas autoridades francesas", acrescentando que: "As autoridades francesas, profundamente anti-francesas por tendo negado os valores morais universais e traído a pesada herança humanista dos filósofos iluministas, foram transformados em uma junta a serviço do obscurantismo”. Ele falou sobre a transferência de poder para as autoridades do país Durante o seu discurso, Abdoulaye Maïga também acusou a França de "prática neocolonial, condescendente, paternalista e vingativa", enquanto saudava "as relações de cooperação exemplares e frutíferas entre o Mali e a Rússia". De referir que durante o seu discurso, o primeiro-ministro em exercício do Mali falou também sobre a transferência de poder para as autoridades do país. Segundo ele, eleições livres e transparentes, bem como o retorno do país à ordem constitucional, ocorrerão em 2024. Segundo ele, as autoridades malianas estão trabalhando para que isso aconteça. “Desde agosto de 2020, Mali está em um processo de transição, que terminará em 26 de março de 2024, com a transferência de poder para as autoridades eleitas […] As autoridades de transição se comprometeram, em dois cronogramas acordados com a CEDEAO [Comunidade Econômica dos Estados da África Ocidental], para levar a cabo reformas políticas e institucionais, antes da organização de eleições, cujo objectivo último é reconstruir o Estado maliano", a- declarou. Ele enfatizou que uma lei eleitoral havia sido promulgada e uma estrutura independente para sua organização havia sido criada. “Uma comissão composta por personalidades eminentes de todos os componentes da sociedade maliana [foi] encarregada de redigir a nova constituição”, acrescentou Abdoulaye Maïga. fonte: https://lanouvelletribune.info/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário é sempre bem vindo desde que contribua para melhorar este trabalho que é de todos nós.

Um abraço!

Samuel

Total de visualizações de página