Postagem em destaque

CONCESSÃO DO PRÊMIO HOUPHOUET BOIGNY PELA BUSCA DA PAZ EM RCI: Os marfinenses poderão finalmente se olhar no espelho?

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!... Realiza-se esta quarta-feira, 8 de fevereiro de 2023, em Yamoussoukr...

sexta-feira, 27 de julho de 2012

Costa do Marfim: Os pró-Gbagbo decepcionados com François Hollande.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

Os partidários do ex-presidente da Costa do Marfim esperam que a nova regra francesa ignore Alassane Ouattara.

François Hollande e Alassane Ouattara sobre os passos do Eliseu, Paris, 26 de julho de 2012, REUTERS / Charles Platiau.



Partidários do ex-presidente Laurent Gbagbo estão muito amargos. Eles haviam fixado grandes esperanças na eleição de François Hollande.


Hoje, eles estão desapontados e por uma boa razão: ele estendeu o tapete vermelho para Alassane Ouattara no Elysee.


E na chegada, o novo chefe do Estado marfinense chegou a um acordo para cancelar dívida da Costa do Marfim sobre a soma de 3,76 bilhão de euros. O que poderia ser melhor?


Os pró-Gbagbo acusam o chefe de Estado francês de ter recebido aquela que pode ainda vir a defender os interesses do povo da Costa do Marfim.


O Clan Gbagbo é ingênuo


Desiludidos, eles esquecem que, acima de tudo, ADO (Ouattara) e Holanda têm em comum o fato de terem sido democraticamente eleitos para liderar os seus países.


Além disso, ambos estão fortemente empenhados em ser o presidente de todos os seus concidadãos, e não de seus apoiadores exclusivos.


As lamentações do clã Gbagbo na Hexagon mostra que tem uma visão curta das coisas. Isso poderia até traduzir-se como medo de voltar e ser parado por um dia pela justiça da Costa do Marfim por imprudências cometidas durante o qual ele estava bebendo e comendo por uma minoria com pressa de ficar rico.


Pode-se entender que nem todo mundo está feliz com a vinda do presidente marfinense em Paris.


Partidários do ex-presidente Laurent Gbagbo, que dançaram e cantaram na eleição de François Hollande, tinha realmente pensado que Nicolas Sarkozy derrotado, as portas se fechariam, uma por uma, antes para o seu amigo Alassane Ouattara e sua família.


Mas, no Ocidente, o adversário político não é um inimigo. Gbagbo clã paga por ser tão ingênuo. Seu cálculo estava errado, mesmo quando há dois meses, Guillaume Soro, presidente da Assembleia Nacional, já havia sido recebido pelo seu homólogo francês.


Alain Toussaint, o ex-assessor do presidente e defensor marfinense de Laurent Gbagbo, ele tem até esquecido que durante a sua longa presidência, o seu líder não deixou de chegar a um acordo com o direito francês e seus contratantes.


Na época, o dinheiro da burguesia francesa não cheirava mal. Os partidários de Gbagbo zelosos procuram obscurecer o fato de que a dívida é para ser paga, e que a FPI (Frente Popular Marfinense do partido de Gbagbo) deixou como legado para o povo da Costa do Marfim e ADO.


fonte: slateafrique



Total de visualizações de página