Postagem em destaque

BAMAKO E IYAD ENGAJADOS NA MESMA LUTA CONTRA EIGS NO MALI: Cuidado com o efeito bumerangue!

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!... Há poucos dias, foi em Menaka que foi visto ao lado de notáveis ​​tu...

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

NOTÍCIAS Senegal: TC rejeita recurso da oposição.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

O presidente do Senegal pode tentar a recandidatura nas eleições agendadas para 26 de fevereiro.
A decisão foi tomada pelo Tribunal Constitucional que rejeitou o recurso apresentado pelo artista Youssou N’Dour e dois outros candidatos.
Os opositores argumentam que o chefe de Estado no poder desde 2000 já cumpriu dois mandatos legais de cinco anos e não pode, por isso, concorrer a um terceiro.
Uma posição contestada pelos partidários do presidente que se apoiam nas reformas constitucionais de 2001 e 2008.
Abdoulaye Wade de 85 anos viu, esta segunda-feira, confirmada a decisão do Tribunal Constitucional que na sexta-feira tinha já validadas 13 das 17 candidaturas às presidenciais.

Vídeo: manifestações.

Fonte: euronews

Curtas notícias de África e do resto do mundo.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

MICHELLE OBAMA

50 mil dólares em lingerie? "É mentira", diz Casa Branca.

50 mil dólares em lingerie? "É mentira", diz Casa Branca
Fotografia © reuters
As vendas de uma marca de lingerie terão subido 12% à conta de uma tarde de compras da primeira dama dos Estados Unidos, escreve a imprensa americana e inglesa. Mas a Casa Branca já reagiu.
Michelle Obama terá gasto 50 mil dólares numa tarde de compras da loja da Agent Provocateur, em Nova Iorque, escrevem jornais como "The Telegraph" ou "The Sun". A loja de Madison Avenue terá inclusivamente fechado para receber a mulher do presidente Barack Obama, que estaria acompanhada da rainha do Qatar, Sheikha Mozah.
A primeira dama dos Estados Unidos foi uma cliente tão boa que as vendas da marca terão subido 12%.
A Casa Branca emitiu já desmentiu a informação. "Esta história é 100% falsa", diz diretora de comunicação de Michelle Obama ao Mail Online.

Chávez volta a ameaçar banca privada de nacionalização.

Hugo Chávez com o ministro da Defesa da Venezuela
Hugo Chávez com o ministro da Defesa da VenezuelaFotografia © Reuters
O Presidente venezuelano, Hugo Chávez, voltou a ameaçar nacionalizar a banca privada que se nega a financiar os projetos agrícolas que o seu governo promove, insistindo que os principais bancos falharam no cumprimento da legislação sobre a matéria.
"Ou financiam a produção agrícola ou tomaremos medidas, mas já. Não têm alternativa. Os (bancos) privados que não quiserem cumprir a Constituição eu não tenho problema em nacionalizá-los. Temos que fazer cumprir a Constituição e as leis desta República", disse.
Hugo
A advertência teve lugar, domingo, durante o programa dominical "Aló Presidente", depois de o Chefe de Estado ser informado, pelo vice-presidente da República, Elías Jahua, de que os 36.000 milhões de bolívares fortes (6.490 milhões de euros) que a banca deveria ter destinado a empréstimos para as atividades agrícolas e produção de gado, foram outorgados a grandes produtores em detrimento dos mais pequenos.
"Chame os presidentes dos bancos Provincial, Banesco e Mercantil, à la vice-presidência da República e fale com eles, mas que não nos digam +cobas+ (mentiras), porque procuram as mil e uma desculpas", disse Hugo
Por outro lado instou a Juan Carlos Escotet, presidente de Banesco, a dizer "se não pode" cumprir com a legislação vigente em matéria de empréstimos agrícolas para de uma vez nacionalizar o banco.

CIMEIRA DA UNIÃO AFRICANA

Dirigentes não conseguem eleger presidente.

por LusaHoje
Foto de família dos chefes de Estado e Governo da União Africana com Ban ki-Moon, secretário-geral da ONU.
Foto de família dos chefes de Estado e Governo da União Africana com Ban ki-Moon, secretário-geral da ONU.Fotografia © REUTERS/Noor Khamis
Os dirigentes africanos, reunidos hoje em Addis Abeba, não conseguiram eleger um novo presidente para a comissão da União Africana (UA), o órgão executivo da organização, e adiaram a eleição para junho, informou fonte oficial.
"Nenhum dos dois candidatos venceu" a eleição, depois de quatro voltas de escrutínio entre a ministra do Interior sul-africana, Nkosazana Dlamini-Zuma, e o presidente cessante da Comissão, o gabonês Jean Ping, disse à imprensa o presidente da Zâmbia, Michael Zata, após a reunião.
"A próxima eleição realizar-se-á em junho", acrescentou Zata, referindo-se à próxima cimeira da UA.
Até à eleição, a presidência da Comissão será exercida interinamente pelo atual vice-presidente, o queniano Erastus Mwencha, disseram fontes da organização citadas pela agência France Presse.
O fracasso da eleição de um novo presidente foi confirmado a jornalistas pelo presidente do Togo, Faure Gnassingbé.
Jean Ping obteve mais votos que a rival, ex-ministra dos Negócios Estrangeiros e ex-mulher do presidente Jacob Zuma nas três primeiras voltas - 28-25, 27-26 e 29-24 -, segundo as mesmas fonte.

Fonte: dn.pt

Curtas notícias de África e do resto do mundo.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

MICHELLE OBAMA

50 mil dólares em lingerie? "É mentira", diz Casa Branca.

50 mil dólares em lingerie? "É mentira", diz Casa Branca
Fotografia © reuters

As vendas de uma marca de lingerie terão subido 12% à conta de uma tarde de compras da primeira dama dos Estados Unidos, escreve a imprensa americana e inglesa. Mas a Casa Branca já reagiu.

Michelle Obama terá gasto 50 mil dólares numa tarde de compras da loja da Agent Provocateur, em Nova Iorque, escrevem jornais como "The Telegraph" ou "The Sun". A loja de Madison Avenue terá inclusivamente fechado para receber a mulher do presidente Barack Obama, que estaria acompanhada da rainha do Qatar, Sheikha Mozah.
A primeira dama dos Estados Unidos foi uma cliente tão boa que as vendas da marca terão subido 12%.
A Casa Branca emitiu já desmentiu a informação. "Esta história é 100% falsa", diz diretora de comunicação de Michelle Obama ao Mail Online.

Chávez volta a ameaçar banca privada de nacionalização.

Hugo Chávez com o ministro da Defesa da Venezuela
Hugo Chávez com o ministro da Defesa da VenezuelaFotografia © Reuters

O Presidente venezuelano, Hugo Chávez, voltou a ameaçar nacionalizar a banca privada que se nega a financiar os projetos agrícolas que o seu governo promove, insistindo que os principais bancos falharam no cumprimento da legislação sobre a matéria.

"Ou financiam a produção agrícola ou tomaremos medidas, mas já. Não têm alternativa. Os (bancos) privados que não quiserem cumprir a Constituição eu não tenho problema em nacionalizá-los. Temos que fazer cumprir a Constituição e as leis desta República", disse.
Hugo
A advertência teve lugar, domingo, durante o programa dominical "Aló Presidente", depois de o Chefe de Estado ser informado, pelo vice-presidente da República, Elías Jahua, de que os 36.000 milhões de bolívares fortes (6.490 milhões de euros) que a banca deveria ter destinado a empréstimos para as atividades agrícolas e produção de gado, foram outorgados a grandes produtores em detrimento dos mais pequenos.
"Chame os presidentes dos bancos Provincial, Banesco e Mercantil, à la vice-presidência da República e fale com eles, mas que não nos digam +cobas+ (mentiras), porque procuram as mil e uma desculpas", disse Hugo
Por outro lado instou a Juan Carlos Escotet, presidente de Banesco, a dizer "se não pode" cumprir com a legislação vigente em matéria de empréstimos agrícolas para de uma vez nacionalizar o banco.

CIMEIRA DA UNIÃO AFRICANA

Dirigentes não conseguem eleger presidente.

por LusaHoje
Foto de família dos chefes de Estado e Governo da União Africana com Ban ki-Moon, secretário-geral da ONU.
Foto de família dos chefes de Estado e Governo da União Africana com Ban ki-Moon, secretário-geral da ONU.Fotografia © REUTERS/Noor Khamis

Os dirigentes africanos, reunidos hoje em Addis Abeba, não conseguiram eleger um novo presidente para a comissão da União Africana (UA), o órgão executivo da organização, e adiaram a eleição para junho, informou fonte oficial.

"Nenhum dos dois candidatos venceu" a eleição, depois de quatro voltas de escrutínio entre a ministra do Interior sul-africana, Nkosazana Dlamini-Zuma, e o presidente cessante da Comissão, o gabonês Jean Ping, disse à imprensa o presidente da Zâmbia, Michael Zata, após a reunião.
"A próxima eleição realizar-se-á em junho", acrescentou Zata, referindo-se à próxima cimeira da UA.
Até à eleição, a presidência da Comissão será exercida interinamente pelo atual vice-presidente, o queniano Erastus Mwencha, disseram fontes da organização citadas pela agência France Presse.
O fracasso da eleição de um novo presidente foi confirmado a jornalistas pelo presidente do Togo, Faure Gnassingbé.
Jean Ping obteve mais votos que a rival, ex-ministra dos Negócios Estrangeiros e ex-mulher do presidente Jacob Zuma nas três primeiras voltas - 28-25, 27-26 e 29-24 -, segundo as mesmas fonte.

Fonte: dn.pt

Total de visualizações de página