Postagem em destaque

Ucrânia: Lula se recusa a entregar munição para tanques.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!... O governo brasileiro se opôs ao pedido da Alemanha de entrega de mun...

segunda-feira, 11 de julho de 2016

MOÇAMBIQUE: Confrontos podem levar a cidade da Beira "a rebentar pelas costuras".

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

O edil da Beira esteve na Alemanha a apresentar as suas experiências bem sucedidas com casos de catástrofes naturais. Isso aconteceu no 7º Fórum Global de Resiliência Urbana e Adaptação aos Eventos Climáticos Extremos.
Daviz Simango, edil da cidade da Beira, província de Sofala, Moçambique
Edis de quatro municípios moçambicanos (Beira, Nampula, Pemba e Quelimane) estiveram aqui em Bona esta semana (06-08.06) a apresentar as suas experiências não apenas com casos de desastres naturais, como também de boas práticas de investimento com vista ao desenvolvimento das referidas cidades no encontro promovido pelo ICLEI (International Council for Local Environmental Initiatives). O Fórum tem por objetivo envolver Governos locais em prol da Sustentabilidade.

Eles participaram ainda de um evento organizado pelo município de Bona intitulado "Elevando Objetivos de Desenvolvimento Sustentável através de Ações Locais".

A DW África entrevistou primeiro Daviz Simango, edil da Beira, a segunda maior cidade de Moçambique, e também líder do segundo maior partido da oposição:
DW África: O que o trouxe a Bona?
Daviz Simango (DS): Viemos cá partilhar experiências com vários parceiros, municípios, governantes e algumas organizações alemãs e internacionais. De um modo geral, nós da Beira trouxemos uma apresentação que diz respeito aos trabalhos desenvolvidos. A cidade da Beira está a desenvolver uma atividade financiada pela KFW (banco do Governo alemão para o desenvolvimento), num valor de aproximadamente onze milhões de euros. E esse projeto consiste na abertura da vala do rio Chiveve e a ideia que temos é, primeiro, assegurar que o rio Chiveve funcione em razão da sua existência. O rio foi bloqueado, deixou de escoar as águas, passou a ser o centro de depósito de lixo, os mangais foram cortados, as populações foram construindo ao longo do rio e isso trazia consequências graves, criava condições propícias para a eclosão da cólera, mosquitos e com isso a malária nas nossas populações. Por cortarem os mangais o rio ficava desprotegido, promovendo a erosão, e por outro lado, estar fechado não proporcionava o escoamento das águas. Então, criamos a capacidade de armazenamento, quanto mais chove mais capacidade temos de reter as águas. Por outro lado, temos a capacidade de transferir a água do rio para o mar e a água do mar para o rio. E se tudo correr bem, agora em setembro fica concluído e vai ser espetacular, porque vai reduzir os riscos de infeção através das águas contaminadas, vai reduzir os índices de contaminação da cólera e vai acabar com o fecalismo a céu aberto.
DW África: Relativamente a questão do saneamento e do equilíbrio ambiental na cidade da Beira que resultados já existem deste projeto financiado pela KFW?
Daviz Simango no bairro do Goto, Cidade da Beira
DS: Os resultados são visiveis, com os mangais plantados significa que criamos um ambiente propício ao ecossistema, evita-se também que haja contaminação do ar, porque quando o rio passa a ser um depósito de lixo e de fecalismo a céu aberto cria a contaminação do ar. E por outro lado, como o projeto já vai arrancar em termos de conclusão, vai permitir também que as comunidades tenham recursos financeiros, porque todas essas infrastruturas que vão ser erguidas, em benefício das populações, trazem dividendos, trazem oportunidades de emprego para os jovens e cria naturalmente o turismo na nossa cidade.
DW África: Em abril passado parte da cidade da Beira ficou parcialmente submersa devido a invasão das águas do mar, um fenómeno não muito comum. Pode falar-nos sobre as medidas que o seu município tomou para resolver as consequências disso e também evitar danos decorrentes dessa invasão?
DS: De facto, a cidade da Beira foi sufocada por ondas gigantes que ultrapassaram todas as barreiras de proteção costeira e destruiu, naturalmente, grande parte da nossa costa. O que o município fez foi mobilizar-se com recursos próprios, não pedimos nenhum apoio internacional, nem nacional. Decidimos reduzir algumas necessidades da autarquia para dar prioridade a essa proteção costeira. Neste momento toda a zona danificada já está reposta e agora estamos a cuidar da zona do palácio dos casamentos, que também é uma zona vulnerável, e que sofreu um pouco, mas que não ficou destruída e estamos a repôr os esporões. Por outro lado, com o apoio da KFW, do GIZ (Cooperação Técnica Alemã) e outras entidades alemãs vamos fazer doze esporões na praia nova, isso no próximo ano, mas já é um projeto em carteira no sentido de melhorar a proteção costeira.
Mercado informal no bairro Maquinino, cidade da Beira
DW África: Que consequências a cidade da Beira vive por causa dos confrontos militares entre o exército nacional e homens da RENAMO no centro do país?
DS: A cidade da Beira é o primeiro centro urbano seguro e próximo dessas zonas todas de confrontos. A Beira tem uma grande imigração, há muita gente a vir, muita gente a querer desenvolver e ter a sua vida segura na cidade da Beira. E os resultados disso: as infrastruturas não estão preparadas, as pessoas não têm habitação própria, acabam construindo de uma forma informal, acabam por criar situações desagradáveis a uma cidade. E por outro lado cria um problema de desemprego, toda essa gente que vêm não têm emprego, o que acaba criando a proliferação do comércio informal, porque as pessoas precisam de sobreviver. Então, essas pessoas todas merecem a proteção necessária e é preciso compreender que a Beira vive o pior momento de todos os anos. É que pessoas fugindo da guerra, abandonando os seus haveres procuram refugiar-se ou na Beira ou no Malawi, no caso de Tete. Por outro lado, é preciso compreender que em Moçambique há muita gente a morrer, não por morte natural, mas por assassinatos. As pessoas estão a ser fuziladas, mortas e isso chega a ser um genocídio, porque estão a morrer pessoas. E a questão que se coloca é: quem vai travar isso? Quem vai trazer de volta as crianças que estão a morrer? Porque as nossas zonas de produção agrícola se transformam em centros de valas, de túmulos em vez de serem centros de desenvolvimento para produzirem alimentos.
#dw.de

«PORTUGAL É CAMPEÃO EUROPEU-2016» (1 - 0) PORTUGAL VENCE, ESMAGA, CANTOU O FADO, VENCE A HISTÓRIA E CUMPRE O SONHO LUSO.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...



No Stade de France, um golo de Éder, no prolongamento, deu o primeiro título europeu ao futebol português. Cristiano Ronaldo saiu na primeira parte lesionado, mas mesmo no banco de suplentes foi um autêntico líder. Está vingada a final de 2004, que nos escapou em Lisboa. Portugal é CAMPEÃO DA EUROPA!


109' - GOLOOOOOOOOOOOOOOOOOOO!!! Éder marca para Portugal. O avançado rematou de fora da área e bateu Lloris.
108' - Que azar!!!! Raphael Guerreiro, em zona frontal, atira, de livre, à barra da baliza de Lloris. Esteve à vista o golo português.
107' - Koscielny vê cartão amarelo após cortar com a mão lance em zona frontal à baliza francesa.
106' - Recomeça a partida. Saiu a jogar a formação portuguesa.
105' - Fim do primeiro tempo do prolongamento. As duas equipas vão agora trocar de campo e voltar ao jogo. Faltam 15 minutos para evitar a lotaria das grandes penalidades. 
104' - Que perigo! Éder, após canto na direita, remata de cabeça para defesa muito apertada de Lloris. Esteve à vista o golo luso. 
101' - As duas equipas vão dando alguns sinais de desgaste físico, sendo notória alguma falta de discernimento. 
99' - Os portugueses parecem agora melhor no encontro, conseguindo anular de forma fácil os lances produzidos pelo adversário. 
96' - Depois de nos minutos iniciais a formação lusa ter maior domínio na posse de bola, os franceses voltaram a comandar as incidências do encontro.
94' - Que perigo. Pepe, após livre ligeiramente descaído para a baliza, em fora de jogo, dispara ao lado da baliza de Lloris. 
93' - As duas equipas parecem agora mais calmas depois de nos minutos finais do tempo regulamentar terem corrido que nem 'loucas'. 
91' - Recomeça a partida no Stade de France. 
90+3' - Final do encontro. Portugal e França chegam empatados ao final dos 90 minutos e o jogo vai agora para grandes penalidades. A segundos do apito final, Gignac atirou a bola ao poste e podia ter matado o jogo. 
90+2' - Que Perigo. A um minuto do final, Gignac trabalha bem a bola dentro da área e atira ao poste. Esteve prestes a matar o jogo o avançado francês. 
90' - Clattenburg dá três minutos de compensação.
89' - Gignac, entrado para o lugar de Giroud, chega atrasado a um cruzamento perigoso na direita. 
87' - Nas bancadas entoa-se agora a Portuguesa. Que momento bonito no Stade de France.
86' - Com o jogo a entrar nos minutos finais, as duas equipas estão já bastante partidas e fisicamente mais debilitadas.
84' - Bomba de Sissoko. Patrício responde com defesa monstruosa. O guardião português respondeu da melhor forma a um remate do médio francês. Que exibição do guardião luso. 
81' - Nani, de fora da área, atira muito forte, mas longe da baliza adversária. 
80' - Que perigo!!! Esteve à vista o golo português. Nani cruza na direita, num lance que ia traindo Lloris, e depois Quaresma, à meia volta, atira para defea fácil do guardião gaulês. Que perigo. 
78' - Sai Renato Sanches. Entra Éder. Fernando Santos esgota as substituições.
76' - O jogo está agora mais partido e com mais espaço para o contra-golpe português. Em dois momentos, a formação orientada por Fernando Santos causou calafrios à baliza adversária. 
75' - Giroud voltou a visar a baliza adversária e foi novamente Rui Patrício a salvar a formação lusa. No seguimento da jogada, contra-ataque conduzido por João Mário, mas que esbarrou na falta de uma referência ofensiva. 
73' - Falta qualquer coisa à formação de Fernando Santos para conseguir algo mais do que o nulo. A formação das quinas está muito recuada no terreno e vai tentando responder com jogadas rápidas de contra-ataque, mas levando poucas unidades para a grande área adversária. Moutinho ainda está a entrar no jogo e mal se viu ainda em campo.
71' - Os portugueses estão a passar por momentos difíceis. Os franceses vão estando cada vez mais próximos do golo e sem dar grandes hipóteses à 'armada' lusa. 
67' - Coman, do meio da rua, remata ao lado da baliza de Rui Patrício. Entretanto, Adrien já deixou o relvado para dar lugar a João Moutinho.
65' - Que PERIGO!! Griezmann atira muito perto do poste português. Centro na esquerda, por Coman, com o avançado gaulês a disparar, de cabeça, ligeiramente por cima da baliza à guarda de Patrício.
65' - Os franceses estão agora instalados no meio-campo português.
63' - Fernando Santos prepara-se para mexer. João Moutinho é o homem que vai entrar, sendo previsível a saída de Adrien Silva.
59' - Portugal privilegia a posse de bola apesar de uma maior pressão francesa.
58' - Griezmann volta a testar a atenção de Patrício. Jogada rápida pelo lado direito do ataque francês, com o avançado do Atlético Madrid a visar de novo a baliza adversária.
56' - Umtiti afasta cruzamento muito perigoso de João Mário. Médio luso fez boa investida pelo lado esquerdo do ataque luso. Na sequência do canto não resultou qualquer lance de perigo para a baliza de Lloris. 
54' - Os franceses voltam a protagonizar nova ofensiva sobre a baliza portuguesa. Depois de uma boa construção, mas sem conseguir penetrar na área portuguesa, Pogba, de longe, remata por cima da baliza de Patrício. 
51' - Nas bancadas, os adeptos franceses vão puxando pela sua formação. 
49' - Portugal com uma boa iniciativa ofensiva. Primeiro pelo lado direito, com Quaresma e Cédric, e depois pelo lado esquerdo, com Raphael Guerreiro. Os lusos estão a dar mostras de querer mudar a imagem deixada no primeiro tempo.
47' - Mark Clattenburg deixa passar, sem cartão, uma falta dura de Sissoko sobre Pepe. 
46' - Os franceses voltam a começar a partida com uma forte pressão sobre a equipa portuguesa.
46' - Recomeça o Portugal - França no Stade de France. Sai a jogar a seleção da casa. 
45+2' - Intervalo no Stade de France. Seleção já não pode contar com Cristiano Ronaldo para o segundo tempo. O português sofreu uma lesão no joelho e teve de sair ao minuto 25. Os franceses estão melhor no encontro, mas, nos últimos minutos do primeiro tempo, a formação orientada por Fernando Santos tem dado boa resposta.
45+1' - Que perigo. Cruzamento de João Mário na esquerda com a bola a cruzar a área sem sofrer qualquer desvio. Falta presença na área adversária. Os lusos parecem agora melhor.
45' - Mark Clattenburg dá dois minutos de compensação no primeiro tempo.
44' - Os franceses tentam o golo antes do intervalo. Defensiva lusa tem conseguido resolver. 
41' - Portugal teve agora alguns momentos de maior presença junto da área adversária, mas sem perigo para Lloris. 
40' - A seleção portuguesa estabilizou um pouco o jogo mas os franceses vão resolvendo as iniciativas lusas com relativa facilidade.
37' - Portugal sacode a pressão com boa jogada de ataque. Depois de um lançamento rápido, Nani levou a bola até à área adversário, com esta a sobrar para Adrien, que demorou a definir a jogada. Porém, a bola sobrou para Raphael Guerreiro que deu um pontapé na monotonia portuguesa. Porém, a bola foi ao lado. Na sequência do lance, a bola foi para canto, a que Fonte não conseguiu dar a melhor definição.
33' - Rui Patrício volta a evitar golo francês. Sissoko, dentro da área, remata para defesa complicada do guardião luso. 
33' - Portugal está a ter muitas dificuldades para armar o seu jogo. Com a saída de Cristiano Ronaldo, a equipa está a acusar a ausência de referências.
30' - Os franceses continuam a mandar no jogo, com mais iniciativa e a criar mais perigo. Os portugueses vão resolvendo e tentando explorar o erro do adversário. Voltou a estar mais mexido o encontro.
27' - Portugal está a tentar pegar no jogo depois do momento adverso que terminou com a saída de Cristiano Ronaldo. Os franceses parecem agora mais 'calmos', com um jogo mais pausado, fazendo uso da posse de bola. 
25' - Sai Cristiano Ronaldo e entra Ricardo Quaresma. 
24' - Cristiano Ronaldo, deitado no relvado, chora copiosamente. O capitão português bem tentou mas não conseguiu continuar em campo e sai ovacionado de pé pelos adeptos presentes no estádio.
23' - Adrien remata à baliza, mas a bola não incomoda a baliza de Lloris.
23' - Cristiano Ronaldo inicia contra-ataque mas faz sinal para o banco de suplentes. 
22' - Sissoko volta a rematar de longe à baliza portuguesa. O médio francês rematou de longe e a bola foi para canto. 
20' - Os portugueses estão agora a tentar controlar mais a partida, com boas trocas de bola, mas está difícil para Portugal que ainda não tem Cristiano Ronaldo de volta ao relvado. O capitão português vai fazer um esforço para continuar em campo. 
18' - Cristiano Ronaldo abandona o relvado em lágrimas. O capitão português vai tentar regressar ao relvado, mas está nitidamente em dificuldades.
17 - Cristiano deita-se no chão e chora. Está a passar por dificuldades o capitão português e não parece capaz de continuar em campo. Há minutos falava com João Mário, dando a entender que não estava em condições.
12' - Franceses estão melhor na partida, com mais iniciativa de jogo e mais tempo de posse de bola. Os portugueses correm atrás da bola. Cristiano Ronaldo parece ter ficado mal tratado do lance com Payet.
10' - Na sequência do canto concedido pelos portugueses, Giroud remata, de cabeça, à figura de Rui Patrício. 
10' - Que perigo, Portugal! Rui Patrício impede golo de Griezmann. Pepe escorrega e perde a bola e é o guardião português a impedir o tento do avançado gaulês.
9' - Ronaldo está queixoso do joelho esquerdo depois de um lance disputado com Payet.
7' - Griezmann volta a incomodar baliza de Patrício. O avançado francês aproveita alguns lances mal aliviados pela defesa portuguesa e volta a visar a baliza portuguesa. O remate, novamente, não incomodou o guardião português.
5' - Sissoko, depois de alguma indefinição na defesa portuguesa, atira de primeira, à entrada da área, mas muito por cima da baliza à guarda de Rui Patrício. 
4' - Que perigo.  Nani, lançado, com passe longo, por Cédric, faz o primeiro remate do encontro.
4' - Os minutos iniciais, como se tem notado, estão a ser algo atabalhoados, com as duas equipas a terem alguma dificuldade em pensar o jogo.
2' - Portugal começou a partida algo nervoso. Os franceses estão muito pressionantes e não dão muito espaço à equipa lusa.
1' - Início da partida. Sai Portugal a jogar. Vamos lusos, vamos!
0' - Capitães de equipa vão decidir quem vai sair a jogar. 
0' - Vai agora ouvir-se o hino francês, a Marselhesa.
0' - Ouve-se a Portuguesa no Stade de France. Cristiano Ronaldo canta o hino português de olhos fechados.
0' - As equipas já estão no relvado e está mesmo a começar o encontro entre Portugal e França.
0' - No relvado, figurantes dão início à festa do futebol com um grande espetáculo de música e dança. 
0' - Xavi Hernández, jogador espanhol, transporta o troféu pelo qual vão lutar Portugal e França. 
0' - Segundo está a ser reportado pela comunicação social internacional, o episódio passado com as traças terá sido causado pelo facto de as luzes do estádio terem ficado ligadas desde ontem. 
0' - Portugal já recolheu ao balneário onde os jogadores irão agora ouvir as últimas instruções de Fernando Santos. 
0' - A minutos do início da partida, as emoções vão-se sentindo com mais força. Está quase a começar o jogo que pode fazer história para Portugal. 
0' - As equipas já fazem exercícios de aquecimento sobre o relvado do Stade de France. 
0' - Humberto Coelho, vice-presidente da Federação, antes do encontro, afirmou que o percurso de Portugal só podia terminar na final do Stade de France, dizendo ainda que acredita na vitória lusa. "Estamos confiantes e queremos ganhar a final", atirou.
0' - Nas bancadas já se vai fazendo a festa entre os adeptos. 
0' - O 'onze' gaulês: Lloris; Sagna, Koscielny, Umtiti e Evra; Pogba e Matuidi; Sissoko, Griezmann e Payet; Giroud.
0' - O 'onze' de Portugal: Rui Patrício; Cédric, Fonte, Pepe e Raphael Guerreiro; William Carvalho, Renato Sanches, Adrien e João Mário; Cristiano Ronaldo e Nani.
Conosaba/noticiasaominuto

Total de visualizações de página