Postagem em destaque

BAMAKO E IYAD ENGAJADOS NA MESMA LUTA CONTRA EIGS NO MALI: Cuidado com o efeito bumerangue!

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!... Há poucos dias, foi em Menaka que foi visto ao lado de notáveis ​​tu...

terça-feira, 8 de setembro de 2015

Angola: Encontro de Solidariedade para com os 15 Presos Políticos.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...


Familiares de alguns presos políticos num encontro com a eurodeputada Ana Gomes, que lhes prestou solidariedade.

#Makaangola.org
Rádio Despertar e o defensor dos direitos humanos Rafael Marques organizam, a 12 de Setembro de 2015, na Sala de Conferências da Sovsmo, em Viana, o Encontro de Solidariedade para com os Presos Políticos e as Vítimas da Intolerância Política.
O Encontro, que irá ter a duração de três horas, terá início às 10 horas da manhã, com transmissão em directo pela Rádio Despertar e através das redes sociais. A sala situa-se no mesmo recinto da emissora que co-organiza o evento, e tem capacidade para mais de 500 pessoas.
Estão convidados todos os sectores da sociedade civil, activistas, entidades religiosas, partidos políticos, artistas e todos os cidadãos comprometidos com a causa da liberdade, dos direitos humanos, da justiça e do bem-estar espiritual do povo angolano.
O encontro tem por objectivo a criação de uma corrente de solidariedade aberta para com os 15 presos políticos, acusados arbitrariamente de preparação de golpe de Estado contra o presidente José Eduardo dos Santos.
Essa corrente de solidariedade será extensiva ao activista José Mavungo, em Cabinda, que foi julgado a sós por tentativa de rebelião armada. A sua sentença será proferida a 16 de Setembro, em Cabinda.
Além disso, o encontro servirá para manifestar o repúdio diante do massacre de Monte Sumi, a 16 de Abril passado, bem como para expressar solidariedade para com as famílias enlutadas.
O programa do Encontro visa sobretudo criar uma oportunidade para que os familiares dos detidos partilhem os seus testemunhos com a sociedade solidária, em directo, de modo a que alcancem o maior número possível de pessoas.
Estão detidos há 80 dias, no processo dos 15, Afonso Matias “Mbanza Hamza”, Albano Bingobingo, Arante Kivuvu, Benedito Jeremias, Domingos da Cruz, Fernando Tomás “Nicola Radical”, Hitler Jessia Chiconda “Itler Samussuku”, Inocêncio Brito “Drux”, José Hata “Cheik Hata”, Luaty Beirão, Nelson Dibango, Nito Alves, Nuno Álvaro Dala, Osvaldo Caholo e Sedrick de Carvalho. O capitão Zenóbio Zumba, detido a posteriori por suposta amizade com Osvaldo Caholo, é o prisioneiro político número 16.












Brasil: A Raça posta à venda - os abutres têm fome.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...


Flávio Leandro - É cineasta, professor de Produção de Cinema e Vídeo e de Produção Teatral
Meus amigos e minhas Amigas,
Tão nefasto e nocivo quanto o racismo e a exclusão sócio-economico-educativo-cultural imposta à negritude brasileira, é o conluio politiqueiro, entreguista e mercantilista dos que se autointitulam líderes dessa mesma negritude.
Nas páginas sociais, no youtube, sites e blogs, feitos urubus famintos, lá estão negros e negras, que se auto intitulam líderes de movimentos negros, apoiando com veemência os governos dos quais estão chafurdados e encabrestados. Falam e exaltam os avanços e conquistas de espaços e de saberes da raça. Só que a raça não toma conhecimento, não vê e nem recebe essas tais conquistas eavanços. Só essas e esses tais líderes.
Não bastasse colocarem a Causa Negra e a Causa Quilombola nos balcões de negócios encabeçados pelo lixo chamado SEPPIR – e seus similares estaduais e municipais – agora, para esconderem suas inutilidades, oportunismos e hipocrisias, criaram uma tal de direita calculista branca a qual lançam a culpabilidade do racismo e todas as mazelas lançadas contra a negritude. Para essa turminha, boa para a negritude é a esquerda. Essa mesma esquerda, há dezesseis anos no poder; tempo em que aumentou em 46% o genocídio de jovens negros praticado por forças do Estado. E não houve nenhum avanço as legítimas conquistas dos Quilombolas pelas suas terras.
Nas matérias exibidas nos noticiários televisivos anunciando o cancelamento de 40% dos inscritos no FIES (Pátria educadora?) a maioria dos jovens que aparecem na tela chorando e lamento a exclusão do programa é NEGRA. Não seria o caso de se investigar que critério o governo usa para excluir os jovens beneficiados pelo programa? Seria pela cor da pele? Ou vamos deixar para lá porque a esquerda sabe o que faz?
Em Alcântara (MA), de grande população negra, o prefeito esquerdista do PT fechou mais de 30 escolas, deixando fora das salas de aulas centenas de crianças e jovens negros. Cadê o lixo SEPPIR e suas centenas de similares estaduais e municipais? Cadê os movimentos negros? Aonde estão os líderes negros? E os Conselhos Estaduais e Municipais dos Negros o que fazem ou farão para reverter esse crime? Ou vamos deixar assim porque a esquerda sabe o que faz?
E ainda me acusam de ser porta voz dos brancos. Os caras são pajens e serviçais de politiqueiros brancos e eu é que eu sou o por ta voz? 
Aqui no Rio, tem um líder negro, presidente de uma desses milhares de siglas inúteis, que me acusa de ser cúmplice dos brancos, mas ele próprio age como papel higiênico reciclado de uma deputada branca. Ela manda, ele obedece. Ocupa as redes sociais para enaltecer e agradecer a esquerda pelas conquistas e avanços da negritude.
Ainda, aqui no Rio, há um outro líder, da mesma estirpe, tal qual incompetente de carteirinha, puxa saco de políticos, do PT e do lixo chamado SEPPIR, que grava mensagens postadas no youtube enaltecendo o governo do PT e as suas conquistas de saberes para a negritude. Zombam da própria raça e dos infortúnios lançados contra ela.
Acontece que esses líderes não conhecem os bairros da periferia de Duque de Caxias, São João de Meriti, Belford Roxo e Nova Iguaçu, de grande maioria populacional negra, que dependiam do seu sustento e da sua família, do polo de óleo e gás da Refinaria Duque de Caxias, a REDUC, em Campos Elísios. Com a roubalheira na Petrobrás, patrocinada pelos partidos de esquerda, desseslíderes, 90% dos trabalhadores negros e nordestinos perderam seus empregos. É quase uma situação de calamidade pública o número de pais e mães de família e jovens negros desempregados na Baixada Fluminense.
E não para por ai...
Outro grande empreendimento petrolífero, as obras do COMPERJ, em Itaboraí, região metropolitana do Grande Rio, encontram-se na mesma situação e, talvez, pior. Cidadãos e cidadãs, de grande maioria negra, pais e mães de família e jovens negros estão com as luzes de suas casas cortadas; estão com ordem de despejos por não ter condição de pagar o aluguel; obrigados a tirar os filhos das escolas particulares por falta de pagamento, sem conseguir vagas nas escolas públicas; estão sem poder dar o sustento digno aos seus filhos; não tem dinheiro para pagar o alto custo das passagens para irem à busca de outra opção de trabalho em outra cidade ou região.
E os movimentos negros exaltando a esquerda boazinha para os negrosque tem propiciado as conquistas e avanços da negritude! Isso é piada ou deboche? São líderes negros ou puxa sacos dos governos das quais são pajens, capitães do mato e papel higiênico reciclado?
Tão cruel quanto o racismo imposta à raça negra é a complacência desses e dessas líderes com o sistema, que está lançando os seus iguais num hediondo holocausto social. São verdadeiros capitães do mato da modernidade e feitores da nova ordem social, que contribuem para marginalização da sua própria raça. 
Esses líderes negros são plantonistas do descaso e da inércia. Afloram-se raivosamente contra uma artista que publica foto das babás de seus filhos sem uniformes, mas se calam perante seus patrões, governantes responsáveis pelo genocídio dos jovens negros. No dia seguinte da morte dos doze da Cabula, os principais autointitulados líderes negros da Bahia aparecerem numa foto sorridentes ao lado do governador e do secretário de segurança, que apoiaram a ação genocida da polícia.
Aqui, no Rio, o manifesto chulo e pífio da Comissão da Igualdade Racial da OAB sobre as crianças e adolescentes negros, retirados à força do ônibus pela PM, quando se dirigiam ao lazer da praia, omitiu propositadamente o nome governador Pezão, do Secretário de Segurança e do comandante da Polícia Militar. Essas três autoridades foram à imprensa declarar apoio irrestrito às ações racistas e sem sentido da PM. Para que então essa tal Comissão existe? Existe como sucursal do PT na OAB, e para blindar os genocidas da raça negra, seus patrões e senhores. É de se admirar que uma instituição tão honrosa e de um passado de lutas pelo estado de direito, como a OAB, empreste sua honrosa sigla a uma inutilidade desse calibre!
Dos inúmeros e-mails que recebo semanalmente, de todo o país, há um grande número de mensagens de negras e de negros, tão indignados quanto eu. Todos revoltados contra esses vendilhões da raça chafurdados nos partidos políticos, que se apresentam como salvadores e defensores da raça, que na verdade transformaram a Causa Negra e Causa Quilombola num hediondo balcão de negócios. Só eles é que tem razão e não admitem pensamentos aos seus.
Nos e-mails recebidos, alguns atores e atrizes negros reclamam bastante da perda de espaço nas novelas por causa da ingerência dos movimentos negros. Qualquer cena com negros, os urubus se juntam a massa falida chamada SEPPIR para atacar os novelistas e as emissoras de TVs. Resultado: para evitar problemas com os vendilhões da raça, personagens negros estão sumindo das dramaturgias. Eis o trecho de um dos e-mails que recebi de uma jovem atriz carioca:
"A série O Sexo e as Negas em nada agrediu ou constrangeu a mulher negra, mas os caras dos movimentos negros, sem nos consultar, partiram para a guerra contra o Falabella e a Globo. Resultado: a novela do Emanuel Carneiro, A Regra do Jogo, teve vários personagens negros transformados em personagens brancos. Tudo para que o autor e a Globo não tivessem que enfrentar a fúria desses caras, que você chama de vendilhões da raça. Na novela há uma comunidade chamada Morro da Macaca. A jornalista Fabíola Riport, do site R7, publicou que o autor achou por bem colocar uma branca, a Suzana Vieira, vivendo uma personagem que seria de uma negra. Um outro personagem, que seria um Rapper negro, está sendo vivido por um ator branco.  Eu pergunto: que benefício a gente que é atriz ganhou com o movimento negro metendo o nariz onde não foi chamado?Quem vai agora dar emprego para os atores e as atrizes negras? Estou puta da vida com esses caras do movimento negro. Que raiva!!!"
O desabafo dessa jovem atriz não é solitário. Existem dezenas de outros e-mails recebidos, com pessoas tão indignadas quanto.
Muitos desses e-mails, também alertam-me para tomar cuidado contra essa turminha. São todos perigosos. Ameaçaram de morte até mesmo o ícone da raça, o ex-ministro Joaquim Barbosa. Os caras são capazes de tudo para não perderam a boquinha conquistada à custa do sofrimento, das dores e das mazelas imposta aos seus irmãos de raça.
Agora mesmo um bonde lotado de líderes negros voou do Rio para Brasília, com passagem pagas ninguém sabe por quem, para exigir do governo federal que não acabe ou diminua o cabide de emprego do lixo chamado SEPPIR. Para isso os caras são bons: fazem de tudo pela manutenção das diversas boquinhas que os sustentam e os mantém na atividade de venda da raça negra.
Por causa da minha posição contrária à nefasta prática de negociata da raça, pelo próprio cidadão e cidadã da raça, venho sofrendo boicotes em eventos negros e similares. Contra mim, o racismo interno há tempo já suplantou o racismo branco. Fora as ameaças, xingamentos e calúnias. Todas devidamente registradas e cadastradas nos órgãos competentes.
Não estou querendo aparecer ou chamar atenção. É o meu desejo somente de vir a minha raça deixar de ser explorada e vilipendiada pelos seus próprios iguais. Bem sei que é uma utopia, mas sonho em vir a negritude politizada, sim, e participando de decisões políticas. Afiliada aos partidos políticos, mas sem estar encabrestada por eles ou a eles. Participar de atividades políticas é o direito de todos, mas usar essa atividade para negociar o infortúnio da raça negra é hediondo, nefasto e indigno.
Ao invés de apoiarem um governo falido, que está massacrando a negritude com sua política de recessão, porque os movimentos negros não convida esse mesmo governo para reativar as obras das refinarias que estão paradas. Elas são necessárias e fundamentais não somente à raça negra, mas a todo o nosso Brasil.
Usar as páginas sociais, e-mails, blogs e sites para defender os acusados da roubalheira da Petrobras, elogiar esse governo e compactuar contra as mazelas e infortúnios impostos à negritude é uma grande traição à Raça Negra. Raça Negra que já por demais explorada.
Foi ou não é?
Abraços a todos (as).
Flávio Leandro
#afropress.com

Novos estudos sobre empreendedorismo e criação de emprego em África.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

 Novos estudos sobre empreendedorismo e criação de emprego em África. 22887.jpeg
Amplo estudo para apoiar o lançamento inaugural da Djembe Insights, a nova funcionalidade de pesquisa em consultoria e Resultados de inquéritos feitos a mais de 4 mil angolanos, ganeses, moçambicanos e nigerianos serão revelados numa série de encontros de alto nível em cada mercado.

Luanda, 7 de Agosto de 2015: Djembe Communications, a mais recente agência de consultoria em comunicações no mundo pan-africano, anunciou hoje que vai apresentar um relatório sobre "Empreendedorismo em África", em conjunto com Forbes Insights. Os resultados da pesquisa, que envolveu mais de 4 mil africanos com idades entre os 16 e os 40 anos oriundos de Angola, Gana, Moçambique e Nigéria, serão apresentados durante uma série de encontros a terem lugar em cada mercado. O estudo inaugural, a ser revelado no dia 22 de Setembro, também assinala o lançamento da nova plataforma de pesquisa da Djembe, a Djembe Insights.

A Djembe Insights foi criada para apoiar a constante procura da jovem agência em providenciar estratégias de consultoria de alta qualidade com perspectivas rigorosas de mercado a todos os seus clientes por todo o continente.
"Temos o prazer de anunciar o lançamento do nosso trunfo de pesquisa, a Djembe Insights, uma nova funcionalidade para publicação de relatórios de pesquisa anuais de alta qualidade em temas-chave e tendências com impacto em África. Enquanto líderes de consultoria em comunicação, acreditamos que uma plataforma de pesquisa nos irá permitir entregar soluções orientadas para perspectivas que vão de encontro às necessidades dos nossos clientes e as partes interessadas (stakeholders) em toda a África Subsaariana", disse Mitchell Prather, Director Geral da Djembe Communications.

O Relatório "Criação de emprego na África Subsaariana: Empreendedores. Governos. Inovação" terá apurado o modo como os jovens de países-chave da África Subsaariana vêm o estado do empreendedorismo na região; o seu papel na criação urgente de emprego sustentável; onde sentem haver mais oportunidades; e como podem procurar incentivos para a criação de emprego orientado para o empreendedorismo, tal como hoje é exigido pelas economias de inovação.

"A Forbes tem o prazer de se associar à Djembe Communications para uma pesquisa que ilustra os motivos pelos quais os empreendedores são os principais condutores do crescimento económico e das mudanças sociais em África", refere Bruce Rogers, Chief Insights Officer da Forbes Media, e Director da Forbes Insights Practice."

"Um dos temas mais prementes da atualidade em África é a criação de emprego para a população jovem em crescente expansão. É crucial impulsionar as competências empreendedoras dos jovens africanos e ajudar as Pequenas e Médias Empresas (PMEs) nos sectores-chave a criar emprego sustentável. A nossa pesquisa, em conjunto com Forbes Insights, tem como meta colocar à disposição dos stakeholders africanos, incluindo governos e líderes empresariais, perspectivas valiosas em relação ao papel fundamental que os empreendedores têm no avanço da economia regional", acrescentou Prather.

Os relatórios serão divulgados numa série de encontros em:
·         Luanda, Angola, 22 de Setembro de 2015, no Hotel Epic Sana
·         Acra, Gana, 6 de Outubro de 2015, no Mövenpick Ambassador Hotel Accra
·         Maputo, Moçambique, 20 de Outubro de 2015, no Polana Serena Hotel
·         Lagos, Nigéria, 3 de Novembro de 2015, no Hotel Intercontinental.

Os encontros irão contar com um painel de líderes distintos de governos, empresas e ramos industriais em cada mercado. Para mais informações, visite: www.djembeinsights.com
Sobre a Djembe Communications
O nome tem origem num batuque oriundo da África Ocidental. A Djembe Communications é uma agência de consultoria independente, pioneira no ramo em toda a África, cuja missão é tornar-se a parceira de eleição para a comunicação na África Subsaariana, combinando um know-how global com as competências do mercado local e soluções adaptadas e, assim, entregar os melhores serviços de consultoria aos seus clientes.

A Djembe combina uma rede internacional organicamente desenvolvida com o mercado local e está presente em Angola, Moçambique, Nigéria, Suíça, Reino Unido, EAU e EUA. A contínua expansão da Consultora apoia-se no sucesso extraordinário que alcançou em apenas um ano e meio, providenciando as indústrias líderes de competências reconhecidas. Na primeira metade de 2015, a Djembe recebeu o prémio de Excelência na PRSA Silver Anvil Award, graças ao Programa de Gestão de Reputação da Consultora para o Fundo Soberano de Angola (FSDEA) no valor de USD 5 biliões. A Djembe também foi finalista no Holmes Report EMEA como Nova Empresa do Ano, SABRE Awards EMEA Gold e IPRA Golden World Awards, fazendo de 2015 um ano de expansão para a consultora jovem pan-africana.

Sobre a Djembe Insights
A Djembe Insights é a mais recente plataforma de pesquisa on-line. Enquanto líderes de consultoria em comunicações, acreditamos que uma funcionalidade dedicada à pesquisa nos irá permitir entregar aos nossos clientes e stakeholders de toda a África Subsaariana soluções orientadas para o impacto com base em perspectivas rigorosas do mercado.O extenso foco do nosso trabalho é apoiar as necessidades de comunicação dos nossos clientes nos sectores-chave de crescimento em África, pois compreendemos a importância de se tomar as rédeas dos desenvolvimentos essenciais em todo o continente. Ao trabalhar em parceria com as melhores autoridades de pesquisa mundiais, a Djembe Insights imitirá relatórios de pesquisa anuais de alta qualidade nas tendências mais prementes e nos desenvolvimentos com maior impacto no crescimento socioeconómico em África.

Sobre a Forbes Insights       
A Forbes Insights é o departamento de pesquisa estratégica e troca de ideias-chave da Forbes Media, editora da revista Forbes e Forbes.com. O conjunto da sua presença nos media chega, mensalmente, a quase 75 milhões de responsáveis por decisões de negócios em todo o mundo. A Forbes Insights beneficia da sua própria base de dados de executivos seniores na comunidade Forbes, realizando pesquisas sobre uma série de tópicos de interesse para executivos de topo, profissionais de marketing seniores, proprietários de pequenas empresas e para todos os que ambicionam posições de liderança, providenciando também uma perspectiva aprofundada sobre temas e tendências em volta da criação e gestão de riqueza.

#pravda.ru

Chikoti avisa para perigo de instabilidade política na Guiné-Bissau.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...



George Chikoti

O Governo angolano aconselha os decisores políticos da Guiné Bissau a resolverem a crise política instalada no país, tendo em conta o resultado das últimas eleições legislativas.
A opinião é do ministro das Relações Exteriores de Angola Gorge Chikoti que, de passagem por São Tomé e Príncipe, advertiu para o perido de instabilidade política regressar ao país caso os resultados das últimas eleições não seja respeitado.
"O ideal era que a Guiné-Bissau pudesse manter a sua legalidade constitucional", afirmou Chikoti, adiantando não ter certeza "que possa haver estabilidade na Guiné-Bissau, se não se tiver em conta o que foram os resultados das eleições".
O chefe da diplomacia angolana manifestou a vontade de a CPLP se reunir para tratar a questão, o que, segundo ele, infelizmente não aconteceu no tempo oportuno.
#VOA

Guiné-Conacry: JUSTIÇA - Os militantes de Dadis Camará foram absolvidos.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

Na sequência de duas tentativas fracassadas de retornar A Guiné-cONACRY para o ex-chefe da junta militar guineense, Moussa Dadis Camará que é líder do Partido das Forças Patrióticas para o Desenvolvimento e Democracia (FPDD) no exílio a mais de cinco anos na capital burkinabé, são objectos de várias detenções de seus militantes insatisfeitos pelos agentes de aplicação da lei no Aeroporto Internacional de Conakry.



Foi depois de uma laboriosa batalha da jornada jurídica, na segunda-feira 7 de setembro de 2015 entre a parte civil e da defesa, que o tribunal Dixinn emitiu o veredicto absolvendo os quatorze réus de  FPDD de Dadis Camará, incluindo quatro mulheres acusadas ​​de reunião ilegal. Elas também foram liberadas por delito não constituído.
O promotor de justiça Mohamed Samura, disse que os réus foram interpelados por serviços de manutenção da ordem, depois um protesto para revindicar o retorno de seu líder político Dadis Camará a Guiné, na segunda - feira, 31 de agosto. '' Seu movimento devia deixar a rotunda Enco5 até a Embaixada dos Estados Unidos, '' disse ele.
Sendo chamados um por um para barra da justiça, os réus todos se declaram inocentes. Da mesma forma, um dos acusados ​​na barra de nome de Maoumou Martin, Contador de profissão, disse que estava indo para obter o seu extrato bancário em Kipé, quando a polícia o interpelou em Bambéto.
 Após a audiência, o juiz Noel Kolomou, na sua decisão, a que se refere a todos os acusados, para efeitos de procedimento penal por ofensa não constatado. Um veredicto seguido de uma explosão de alegria se ecoou pela sala.

Aqui está a lista completa dos réus absolvidos:
    Martin Maoumou,
    Mamy Délamou,
    Pola Lamah,
    Pascal Bamba,
    Gabou Doré,
    Henri Loua,
    Frank Haba,
    Seny Lamah,
    Karamo Haba,
    Robert Thea
    Nathalie Kolié,
    Michel Martin Camara,
    Mavolo Lamah.

#guineeconakry.info


Presidente português pede à Guiné-Bissau que coloque o povo em primeiro lugar.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...


Presidente Cavaco Silva

O presidente de Portugal, Cavaco Silva, pediu hoje (8) aos líderes da Guiné-Bissau que coloquem “em primeiro lugar as preocupações do povo”. Ele afirmou que a comunidade internacional continuará a trabalhar em busca de uma solução para a crise política no país.
Ao final de uma audiência concedida ao presidente do Senegal, Macky Sall, no Palácio de Belém, Cavaco Silva disse que Portugal é solidário com o povo guineense e lembrou que a destituição do governo era “a última coisa desejável”.

Em agosto, o presidente da Guiné-Bissau, José Mário Vaz, demitiu o primeiro-ministro eleito, Domingos Simões Pereira, nome que voltou a ser apresentado pelo Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde, que venceu as eleições. O nome, no entanto, foi rejeitado por Vaz, que nomeou para o cargo Baciro Djá, empossado nessa segunda-feira.
“Essa crise política era a última coisa que Portugal desejaria para a Guiné-Bissau neste momento, depois da esperança criada com as eleições do ano passado e depois da conferência de Bruxelas, que disponibilizou apoio financeiro significativo para o desenvolvimento do país”, disse Cavaco Silva.

O presidente lembrou que Portugal e o Senegal continuarão a buscar a normalização na Guiné. O presidente senegalês destacou a necessidade de diálogo entre os líderes políticos, visando a retomar a estabilidade. “Esperamos, com o apoio da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, da União Europeia e das Nações Unidas, poder ajudar as autoridades guineenses e a classe política a sair da crise”, afirmou Macky Sall.

Edição: Graça Adjuto
#http://agenciabrasil.ebc.com.br/



Total de visualizações de página