Postagem em destaque

CONCESSÃO DO PRÊMIO HOUPHOUET BOIGNY PELA BUSCA DA PAZ EM RCI: Os marfinenses poderão finalmente se olhar no espelho?

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!... Realiza-se esta quarta-feira, 8 de fevereiro de 2023, em Yamoussoukr...

sexta-feira, 13 de novembro de 2015

Jovens negros são expulsos de loja da Apple na Austrália.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

Jovens estudantes são vítimas de racismo em uma loja da Apple em Melbourne, na Austrália
Jovens estudantes são vítimas de racismo em uma loja da Apple em Melbourne, na Austrália(Reprodução/Facebook) 

Um vídeo que mostra seis estudantes negros sendo expulsos de uma loja da Apple provocou comoção na Austrália nesta semana. As imagens mostram um funcionário pedindo aos adolescentes, todos usando uniformes escolares, para que saia
m do local por temer que eles "roubem algo". O incidente aconteceu em uma loja da Apple em Melbourne, no sudeste da Austrália, na última terça. A cena foi registrada por um dos estudantes, que publicou o vídeo no Facebook. 
"Estes caras estão preocupados com a presença de vocês na nossa loja. Eles estão preocupados que vocês possam roubar alguma coisa", diz o funcionário, ao lado de um segurança. "Por que nós roubaríamos?", replica um dos alunos. "Fim da discussão", responde o funcionário. "Vou pedir para vocês saírem da nossa loja."

Um que mostra seis estudantes negros sendo expulsos de uma loja da Apple provocou comoção na Austrália nesta semana. As imagens mostram um funcionário pedindo aos adolescentes, todos usando uniformes escolares, para que saiam do local por temer que eles "roubem algo". O incidente aconteceu em uma loja da Apple em Melbourne, no sudeste da Austrália, na última terça. A cena foi registrada por um dos estudantes, que publicou o vídeo no Facebook. "Estes caras estão preocupados com a presença de vocês na nossa loja. Eles estão preocupados que vocês possam roubar alguma coisa", diz o funcionário, ao lado de um segurança. "Por que nós roubaríamos?", replica um dos alunos. "Fim da discussão", responde o funcionário. "Vou pedir para vocês saírem da nossa loja."
LEIA TAMBÉM:
Francis Ose, o aluno que publicou o vídeo no Facebook, classificou o episódio como "simplesmente racista". Em entrevista a uma emissora de TV local, um dos jovens expulsos da loja disse ter ficado "chocado" com a situação. "Não acreditei no que ouvi. Éramos um grupo de adolescentes negros - e adolescentes fazem coisas estúpidas -mas mesmo assim você não pode estereotipar pessoas negras."Desculpas - A empresa informou estar averiguando os fatos. "Inclusão e diversidade estão entre os principais valores da Apple", diz o comunicado da gigante da tecnologia. "Acreditamos na igualdade para todos, independentemente de raça, idade, gênero, identidade de gênero, etnia, religião ou orientação sexual. Isso se aplica a toda a empresa, em todo o mundo, sem exceções. Vamos fazer o possível para garantir que nossos consumidores sejam tratados da maneira que deveriam." 

Os jovens foram convidados a voltar à loja com o diretor da escola, e os funcionários pediram desculpas pelo ocorrido. "A gerente da loja disse que somos bem-vindos lá", disse um dos alunos. "Parece que temos justiça agora." Outro aluno do grupo, Mohamed Semra, publicou mais tarde na rede social que eles estavam satisfeitos com a resposta da Apple. "Eles pediram desculpas e nós estamos numa boa, não precisamos levar isso adiante".

#jeuneafrique.com

Gabão: Justiça francesa autoriza o lançamento da certidão de nascimento completa de Ali Bongo - Presidente do Gabão.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...



Tomado por uma herdeira de Omar Bongo Ondimba, o Tribunal de Grande Instância (TGI) de Nantes autorizou  nesta quinta-feira a comunicação do ato de nascimento completo do presidente gabonês Ali Bongo Ondimba.

É uma decisão que poderia provocarr algum barulho em Libreville. O Alto do Tribunal de Nantes autorizou, a 11 de novembro, a comunicação da cópia integral da certidão de nascimento do Presidente do Gabão, Ali Bongo Ondimba, de acordo com o Sr. Eric Moutet, advogado de Onaida Maisha Bongo Ondimba, filha do falecido Presidente Omar Bongo Ondimba.

Reconhecendo o carácter "diplomaticamente complexo" a sentença judicial - o nascimento do presidente gabonês está no centro de uma controvérsia no Gabão - Sr. Eric Moutet disse que é uma decisão "enorme" e "juridicamente inatacável ".

Leia também: No segredo das grandes famílias do Gabão
Onaida Maisha Bongo Ondimba, de 25 anos, foi apreendida refere o TGI de Nantes após a acusação havia negado a cópia integral da certidão de nascimento do actual Chefe de Estado do Gabão, Ali Bongo Ondimba, sozinho entre o 54 herdeiros de Omar Bongo declarou não ter produzido este documento, arquivado no Serviço Central do Estado Civil (SCEC) do Ministério dos Negócios Estrangeiros, em Nantes, segundo o seu advogado.

O SCEC é o serviço competente para publicar as certidões de nascimento de pessoas nascidas na África Equatorial Francesa (AEF) até 1960, data da adesão destas ex-colónias à independência. E Ali Bongo Ondimba nasceu oficialmente em 09 de fevereiro de 1959 em Brazzaville, capital da AEF, que inclui na sua totalidade ou em parte o Gabão, Congo, Chade e a República Centro Africano.

Onaida Maisha Bongo Ondimba um direito de acesso ao acto de nascimento ABO

Em 22 de outubro, o representante do Ministério Público pediu a rejeição do pedido, "legalmente admissível, mas improcedente".

Mas, em seu pedido, do qual a AFP obteve uma cópia, o magistrado do TGI considera que "o demandante, cuja ascendência de filiação com Omar Bongo está provada, tem o direito de acesso a esse documento."

"A informação obtida pode habilitá-lo a remover qualquer dúvida de contestar a parte do seu irmão na sucessão," é o que ele preserva na ordem.

Para o Sr. Eric Moutet, esta "decisão, hiper motivada, é intelectualmente muito corajosa por parte do magistrado, em um contexto onde ele puderia chutar." particularmente, uma vez que é uma questão sensível: Constituição gabonesa afirma que é preciso nascer para concorrer à presidência do Gabão.

Já no final de outubro de 2014, a publicação de um jornalista francês do livro de Pierre Péan, Novos Assuntos africanos, nos quais ele afirma que o Presidente gabonês falsificou sua certidão de nascimento e seria de fato uma criança nigeriana adotada durante a guerra de Biafra, no final dos anos 1960, ter-se-ia reavivado a controvérsia sobre as origens de Ali Bongo Ondimba.

#jeuneafrique.com

Total de visualizações de página