Postagem em destaque

Ucrânia: Lula se recusa a entregar munição para tanques.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!... O governo brasileiro se opôs ao pedido da Alemanha de entrega de mun...

quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

Ativistas detidos em Cuba. EUA estão "profundamente preocupados".

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

Yoani Sanchez e o marido, Reinaldo Escobar, numa foto de arquivo


Yoani Sanchez e o marido, Reinaldo Escobar, numa foto de arquivoFotografia © REUTERS/Desmond Boylan
Duas semanas após sinais de abertura do Presidente Barack Obama ao regime de Raul Castro, autoridades cubanas detiveram pelo menos dez dissidentes que se queriam manifestar.

Os Estados Unidos manifestaram hoje estar "profundamente preocupados" com a detenção, esta terça-feira, de ativistas em Cuba, apenas duas semanas depois do histórico anúncio para a normalização das relações com Havana.
"Estamos profundamente preocupados com as mais recentes informações de detenções por parte das autoridades cubanas de pacíficos membros da sociedade civil e ativistas", indicou o Departamento de Estado norte-americano em comunicado.
As autoridades terão detido ou mantido em casa vários dissidentes, na terça-feira, incluindo a artista Tania Bruguera,que convocou uma atividade pública para os cubanos expressarem pacificamente as suas ideias sobre o futuro na Praça da Revolução.
Elizardo Sanchez, porta-voz dos dissidentes, afirmou que foi confirmado que dez pessoas foram detidas ou mantidas sob prisão domiciliária, mas que esse número poderá ser mais elevado.
"Condenamos veementemente o contínuo assédio e repetido recurso à detenção arbitrária, às vezes com violência, para silenciar os críticos, interromper a reunião pacífica e a liberdade de expressão e intimidar os cidadãos por parte do governo cubano", referiu a diplomacia norte-americana, citada pelas agências internacionais.
A iniciativa de Tania Bruguera, que não contava com autorização oficial, não se chegou a realizar face à ausência da própria artista, cujo telefone está fora de serviço há várias horas, e que também poderá ter sido detida, segundo a Efe.
A ideia era instalar um microfone na célebre praça, para que qualquer pessoa pudesse falar durante um minuto, sem, contudo, "apelar para a violência, a discriminação, atentados à integridade das pessoas, ações ilegais ou ações violentas que perturbem a ordem pública".
"A 'obra' será um ato artístico que permita aos cubanos darem voz às questões que os preocupam", explicou na véspera Tania Bruguera, de 46 anos, que vive entre Cuba, França e Estados Unidos e que chegou na passada sexta-feira a Havana.
Deborah Bruguera, irmã de Tania, lançou um "apelo urgente" à comunidade nacional e internacional para que exijam ao Governo de Cuba que informe do paradeiro e da situação atual da artista, numa declaração que lhe é atribuída pela plataforma "Eu também exijo" na rede social Facebook, escreve a agência noticiosa espanhola.
Segundo esse comunicado, Deborah Bruguera recebeu a confirmação, de "fontes fiáveis" de que "Tania foi detida na sua residência às 10:00 (hora local) de dia 30 de dezembro".
No mesmo dia em que se ia realizar a atividade foram detidos o editor do jornal digital independente 14ymedio, Reinaldo Escobar, marido da 'bloguer' Yoani Sánchez, bem como membros da redação desse diário, como Víctor Ariel González, Claudio Fuentes, e o ativista Eliécer Ávila, segundo disse Luz Escobar, filha de Reinaldo à agência noticiosa espanhola Efe.
A Praça da Revolução é um dos lugares mais emblemáticos de Havana.
Alberga as sedes do Governo e do Comité Central do Partido Comunista e o ministério das Forças Armadas e é o palco tradicional das manifestações organizadas pelas autoridades. Qualquer outro tipo de concentração é totalmente proibido.

#dn.pt

Total de visualizações de página