Postagem em destaque

BAMAKO E IYAD ENGAJADOS NA MESMA LUTA CONTRA EIGS NO MALI: Cuidado com o efeito bumerangue!

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!... Há poucos dias, foi em Menaka que foi visto ao lado de notáveis ​​tu...

quinta-feira, 4 de junho de 2015

Senegal: Me Madicke Niang - "Cada minuto que Karim Wade permanecer na prisão é um desafio para o Estado Senagalês na ONU"

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

content_image

Me Madicke Niang, um dos advogados de Karim Wade


Me Madické Niang acredita que o parecer do Grupo de Trabalho da ONU sobre Detenção Arbitrária, se impõe ao Senegal. Ele pede as nossas autoridades para que tomem a implementação das recomendações.

"A lei foi dita. Eu pergunto a este governo, a todos que estão envolvidos, para voltarem à razão. Voltar à razão é considerar que este aviso se impõe ao Senegal porque foi dado por um desmembramento da ONU, que foi mandatada para fazer esse trabalho em nome das Nações Unidas ", disse o ex-ministro dos Negócios Estrangeiros.

Devemos lembrar que este grupo de trabalho estimou, no seu parecer, que Karim Wade foi arbitrariamente detido e pediu ao Governo do Senegal para remediar o dano sofrido através de uma compensação total. Então, para mim Madické Niang, "cada minuto que Karim Wade permanecerá na prisão, será um desafio sério que as autoridades senegalesas parecem colocar perante a instituição tão importante, tão notável como a ONU."

"Estou triste de ouvir dizer que esta decisão não compete", ele confidenciou. Para ele, não há diferença entre o TPI e o Grupo de Trabalho sobre Detenção Arbitrária. "Que diferença há entre uma CPI e este grupo de trabalho. É a emanação do Conselho de Direitos Humanos da ONU. Alguns até dizem que é um grupo de engenheiros, um grupo de vendedores de amendoim. Em que país estamos ", ele insistiu, com à imprensa na quinta-feira.

Por Youssouf SANE

#seneweb.com

Ruanda: oposição pretende bloquear o Presidente Kagame ao terceiro mandato.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...


Presidente do Rwandan Paul Kagame. FOTO | ARQUIVO

O Partido Verde de Ruanda, pequeno, mas principal partido de oposição do país, disse nesta quinta-feira que estava desafiando os movimentos que querem mudar a Constituição para permitir que o homem forte, o presidente Paul Kagame se candidate para um terceiro mandato consecutivo nas eleições em 2017.

"Nós apresentamos ontem uma ação judicial para o Supremo Tribunal, exigindo também ao parlamento o bloqueio de quaisquer planos futuros para reformar a Constituição, especialmente o artigo 101 sobre o levantamento do limite de mandato presidencial", disse o presidente do partido, Frank Habineza à AFP.

A Constituição ruandesa, adoptada em 2003, limita o número de mandatos presidenciais para dois, e, portanto, impede que Kagame - eleito pela primeira vez em 2003 e novamente em 2010 - fique e se candidate a um terceiro mandato.

Mas as autoridades disseram na semana passada ao parlamento que ao longo dos próximos dois meses debaterão uma mudança na constituição em resposta ao que assessores de Kagame descreveram como uma "demanda popular".

De acordo com o presidente do Parlamento Donatilla Mukabalisa, petições assinadas por um total de dois milhões de pessoas - ou seja, aproximadamente 17 por cento da população - exigiram que Kagame seja autorizado a permanecer no cargo.

Sr. Habineza disse que o desafio centrado em torno de crença do Partido Verde e que a Constituição não pode ser revista " só para reduzir ou prolongar a duração do mandato do presidente."

Segurança pós-genocídio

Reagindo no Twitter, o Presidente Kagame disse: "Eles estão exercendo seu direito ... O Partido Verde, coisa boa!"

Kagame, de 57 anos, tem estado no topo da política de Ruanda desde 1994, quando uma ofensiva por sua força rebelde étnica, o tutsi, a Frente Patriótica Ruandesa (FPR), pôs fim a um genocídio por extremistas hutus que deixaram cerca de 800.000 membros da sua comunidade mortos.

Ele serviu como ministro da Defesa e vice-presidente, e em seguida, assumiu a presidência por ganhar com 95 por cento dos votos. Ele foi re-eleito com um mandato semelhante e retumbante.

Funcionários ruandeses têm negado veementemente que Kagame está buscando um terceiro mandato, insistindo que o presidente - saudado por seus partidários como um garante da segurança pós-genocídio e estabilidade, bem como um campeão do desenvolvimento econômico - e que goza de apoio popular para ele ficar.

O anúncio vem em meio a uma controvérsia muito ampla em África sobre os esforços de líderes para mudar as constituições para permanecerem no cargo.

No ano passado o ex-presidente do Burkina Faso Blaise Compaoré foi expulso da presidência depois de tentar prolongar a sua permanência no poder, enquanto que o vizinho a sul de Ruanda, o Burundi, foi confrontado por semanas de agitação civil e experimentou uma tentativa de golpe contra o presidente Pierre Nkurunziza que quer fazer o mesmo.

#africareview.com

Mortos em explosão de posto em Gana chegam a 150, diz o presidente.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

Carros em chamas após explosão de posto de gasolina em Acra, na noite de quarta-feira (3) (Foto: Reprodução/Twitter/Walter E. Adamah)
Carros em chamas após explosão de posto de gasolina em Acra, na noite de quarta-feira (3) (Foto: Reprodução/Twitter/Walter E. Adamah)
O presidente de Gana, John Dramani Mahama, diz que o número de mortos após a explosão de um posto de gasolina em Acra, provocada pelas enchentes que atingem o país, chegou a 150.
Bombeiros fazem rescaldo nas ruínas de posto de gasolina que explodiu em Acra, capital de Gana, na quinta-feira (4) (Foto: AP Photo/Christian Thompson)Bombeiros fazem rescaldo nas ruínas de posto de gasolina que explodiu em Acra, capital de Gana, na quinta-feira (4) (Foto: AP Photo/Christian Thompson)









Oficiais disseram que a explosão aconteceu após a corrente provocada pelas enchentes espalhar o combustível que estava no posto, fazendo com que ele chegasse a um incêndio nas proximidades.

A explosão aconteceu quando dezenas de pessoas se abrigavam no local, tentando se proteger de uma forte chuva.

As mortes devem intensificar as críticas às falhas do governo em melhorar a infraestrutura do país. Embora os temporais desta semana tenham sido especialmente fortes, chuvas pesadas em junho não são incomuns, e o sistema de drenagem em Acra não é adequado.
Veículos incendiados são vistos em posto de gasolina que explodiu na noite de quarta (3) em Acra, capital de Gana (Foto: AP Photo/Christian Thompson)Veículos incendiados são vistos em posto de gasolina que explodiu na noite de quarta (3) em Acra, capital de Gana (Foto: AP Photo/Christian Thompson)
Seguranças vistoriam local de explosão de um posto de gasolina em Acra, capital de Gana, na quinta (4) (Foto: AP Photo/Christian Thompson)Seguranças vistoriam local de explosão de um posto de gasolina em Acra, capital de Gana, na quinta (4) (Foto: AP Photo/Christian Thompson)
  •  
Carros empilhados após serem arrastados por enchente em Acra, perto do local onde um posto de gasolina explodiu na noite de quarta (3) (Foto: AP Photo/Christian Thompson)Carros empilhados após serem arrastados por enchente em Acra, perto do local onde um posto de gasolina explodiu na noite de quarta (3) (Foto: AP Photo/Christian Thompson)

#g1.globo.com

Senegal: Pape Samba Mboup : “ Fada tem razão, mas... ”

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

content_image

"Fada tem razão, há problemas. Ele está certo, o partido (PDS) deve ser estruturado. Ele está certo, há muito tempo que nós não fazemos renovações. Alguns responsáveis já morreram, outros deixaram. Em algumas federações ou seções, os militantes são órfãos, eles não têm líderes. Ele está certo, mas eu acho que não é o momento ", diz o ex-chefe de gabinete do ex-presidente Abdoulaye Wade em entrevista ao" L'Observateur ". "Eu reconheço que Fada é um militante do PDS. Ele conhece bem o partido, ele tem as competências para dirigi-lo. Mas onde eu não estou de acordo (com ele) é que para mim isso não está na agenda. Ele tem o direito, não importa quem, que o diga: "Eu gostaria de substituir Abdoulaye Wade à cabeça do partido". Qualquer um pode dizer isso, mas ainda não é momento. Atualmente, temos outras prioridades ", disse Pape Samba Mboup.

"Atualmente, estamos travando uma luta pela libertação de todos os nossos prisioneiros. Especialmente que agora temos uma outra luta que é a libertação de Karim Wade, que foi decidido pelo Grupo de Contacto das Nações Unidas para os Direitos Humanos. Temos prioridades. Além disso, há o Abdoulaye Wade, no momento, o único que pode alcançar a unanimidade em torno dele. Acho que por agora, se alguma vez Abdoulaye Wade tiver que deixar o partido para outro, muitas pessoas deixariam o PDS ", assim pensa o Pape Samba Mboup. "Vamos esperar até que Wade retorne ao poder antes de deixar o partido", ele recomendou.

#Seneweb Notícias

CUBA: Planejar melhor a água que temos hoje.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

Autor:  | yosel@granma.cu

Autoridades do país se reúnem para debater acerca do impacto da seca que afeta o país.

Photo: Katia Alarcón

"É importante gerir com maior eficiência os recursos que temos para dar melhor utilização à água disponível, perante a seca prolongada que afeta o país hoje."

Assim expressou o general-de-divisão Ramón Pardo Guerra, chefe do Estado Maior Nacional da Defesa Civil de Cuba, durante a reunião de trabalho realizada na sede da instituição, em 2 de junho, para analisar o impacto da seca no país, bem como as medidas que devem ser tomadas para reduzir seu risco.
O próprio Pardo Guerra descreveu a situação hidrológica como séria, e com risco para a saúde, no caso de não consumir o precioso líquido conforme a qualidade sanitária necessária. Ele também pediu às autoridades presentes, os ministérios da Ciência, Tecnologia e Meio Ambiente, Agricultura, Economia e Planejamento e aos Institutos Nacionais dos Recursos Hidráulicos (INRH) e Meteorologia, para fazerem um trabalho conjunto para minimizar os danos causados pelo fenômeno climatológico.
Também destacou que, no período entre novembro de 2014 e abril 2015, 11 províncias foram afetadas pela falta de chuva (Pinar del Rio, Mayabeque, Cienfuegos, Villa Clara, Sancti Spiritus, Camaguey, Las Tunas, Granma, Holguín, Santiago de Cuba e Guantánamo). No caso das províncias do Oriente e Pinar del Rio, no final de abril, mostravam um déficit acumulado de chuva de 29%.
Entre as medidas de forma geral indicadas pelos organismos presentes na reunião para atenuar os danos pela escassez do importante recurso natural, destaca-se intensificar o programa de informação à população através dos meios de comunicação sobre a necessidade de poupar; fornecer a solução definitiva para as fontes de abastecimento que se esgotam sistematicamente e reforçar as ações de acompanhamento e controle, com o objetivo de resolver as ilegalidades na infraestrutura.
#granma.cu

Ex-oficial da Fifa admite que houve subornos na Copa Sul Africana.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...


Charles "Chuck" Blazer (sentado) a ser aproveitado no ombro por seu amigo Sepp Blatter. FOTO | AFP

O ex-alto funcionário da Fifa Chuck Blazer, admitiu que ele e outros no Comitê Executivo concordaram em aceitar subornos em conjunto com a escolha da África do Sul como sede da Copa do Mundo em 2010.

O norte-americano disse que também ajudou a organizar subornos ao longo do evento de 1998, que foi organizada pela França.

As declarações aconteceram em um inquérito recém-lançado em uma audiência na qual ele se declara culpado de 10 acusações dos EUA.

Os EUA lançaram um processo criminal amplo que tomou conta da Fifa e levou o presidente Sepp Blatter a demitir-se.

Os promotores dos EUA indicaram na semana passada 14 pessoas sob a acusação de suborno, extorsão e lavagem de dinheiro. Quatro outros já haviam sido acusados, incluindo o Sr. Blazer.

O Departamento de Justiça dos EUA alega que aceitaram subornos e propinas estimados em mais de US $ 150 milhões (£97 milhões de euros) durante um período de 24 anos.

Sete dos 14 eram altos funcionários da Fifa que foram presos em Zurique, na Suíça, enquanto aguardavam o Congresso da FIFA. Dois eram vice-presidentes.

Os detalhes não selados de confissões de culpa do Sr. Blazer vieram dos promotores na transcrição da audiência em 2013 no Tribunal Distrital a Leste de Nova Iorque. As admissões são parte de um acordo com os promotores de condenação.

Sr. Blazer foi o segundo mais alto funcionário da Fifa no Norte e na América Central e Caribe (Concacaf) de 1990 a 2011 e também atuou no comitê executivo da Fifa, entre 1997 e 2013.

Dossiê dos EUA

Na transcrição, os promotores referem-se a Fifa "e sua composição ou componente de organização" como uma empresa RICA - uma organização corrompida e Influenciada.

Sr. Blazer diz: "A partir ou ao longo de 2004, e continuando até 2011, eu e outros no comitê executivo da Fifa concordamos em aceitar subornos em conjunto com a escolha da África do Sul como o país-sede para a Copa do Mundo de 2010".

Entretanto, África do Sul numa quarta-feira, negou a pagar o suborno de US $ 10 milhões para garantir a realização do evento de 2010.

Sr. Blazer também diz: "Eu e os outros concordamos em aceitar subornos e propinas em conjunto com a transmissão e outros direitos para as Copas 1996, 1998, 2000, 2002 e 2003 em ouro (o campeonato regional de equipas nacionais)."

Outras admissões entre as 10 acusações no dossiê de 40 páginas incluem a evasão fiscal dos EUA.

Os agentes federais que investigam a evasão fiscal haviam detido o Sr. Blazer e ele concordou em cooperar nas investigações dos EUA.

Ele disse ter concordado em gravar declarações de seus colegas usando um microfone escondido em um chaveiro.

O 70º aniversariante é considerado estar gravemente doente, sofrendo de câncer de cólon.

Além do caso dos EUA, as autoridades suíças iniciaram uma investigação criminal sobre a forma como as Copas do Mundo de 2018 e 2022 foram alocadas.

Discurso televisionado

O Qatar disse que não há nenhuma maneira que vai cancelar o direito de sediar a Copa do Mundo de 2022, apesar da investigação sobre corrupção.

O Ministro dos Negócios Estrangeiros, Khaled al-Attiyah admitiu o que ele chamou de "uma campanha difamosa e " como preconceito anti-árabe e disse que Qatar está confiante e que poderia provar que não houve irregularidades na sua selecção.

Num outro depoimento, o ex-vice-presidente da Fifa Jack Warner fez um discurso televisionado em Trinidad, na quarta-feira, em que ele disse que poderiam estar vinculados os funcionários da Fifa na eleição de 2010 em Trinidad e Tobago.

"Eu não vou mais manter segredos com aqueles que procuram activamente destruir o país", disse ele.

Sr. Warner foi indiciado por os EUA com um corrupto, uma acusação que ele nega veementemente.

Entretanto, na quarta-feira, Blatter recebeu uma ovação de pé de 10 minutos por cerca de 400 funcionários, ao voltar para a sede da Fifa em Zurique um dia depois de anunciar que estava a renunciar.

Alegadamente à beira de soltar às lágrimas, ele pediu a sua "fantástica equipe" para "ficar forte".

Ele enfatizou que o trabalho de reforma na Fifa agora é necessário empreender.

Em seu discurso de renúncia na terça-feira, ele disse que, embora ele foi reeleito presidente pelo Congresso na sexta-feira passada, mas que ele apareceu com mandato que "não parece ter apoio de todos no mundo do futebol".

#africareview.com

Total de visualizações de página