Postagem em destaque

BAMAKO E IYAD ENGAJADOS NA MESMA LUTA CONTRA EIGS NO MALI: Cuidado com o efeito bumerangue!

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!... Há poucos dias, foi em Menaka que foi visto ao lado de notáveis ​​tu...

terça-feira, 12 de julho de 2016

África do Sul: Bolseiros angolanos vivem uma autêntica ‘odisseia’.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...



Três Estudantes bolseiros angolanos vivem uma autêntica ‘odisseia’ em terras de Mandela. Dizem-se abandonados pela embaixada angolana e sobrevivem graças a solidariedade de um colega gabonês.
 
Os estudantes em causa são bolseiros despachados à África do Sul pelo Instituto Nacional de Gestão de Bolsas de Estudo de Angola (INAGBE) e foram expulsos a 4 de Julho do Midrand Graduate Institute (MGI), terminado o ‘período de graça’ concedido pela instituição depois de atrasos verificados no pagamento das propinas e alojamentos.
 
Trata-se dos bolseiros Francisco dos Santos, estudante do 3º ano do curso de Ciências da Computação, Ludmila Pereira, 3º ano do curso de Administração de Empresas, e Januário António, do 2º ano do curso de Ciências da Computação, que desde a semana passada tiveram de recorrer à representação diplomática de Angola naquele país.
 
A Embaixada, que alega não ter alternativas para acudir os compatriotas, extraordinariamente, garantiu-lhes alojamento, até Sexta-feira, 08, numa guest house nos arredores de Joanesburgo.Findo o prazo, mais uma vez os 3 estudantes angolanos foram mandados à sua sorte com a embaixada a recusar-se a assumir novas despesas.

#angonoticias.com


Senegal: O jovem Guineense em imagem (escoltado pela polícia) foi Diplomata.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...



A investigação sobre Boy Djinné caminha a grandes passos. A libertação foi informada nesta terça-feira a aquele que se denomina de Baye Modou Fall cuja identidade, ele detém um autentico passaporte da Guiné-Bissau. Com este documento, segundo o jornal, ele planejava visitar os Estados Unidos.
A respeito de sua esposa e uma de suas irmãs presa, as coisas também se processaram igualmente. esposa. Diabou Thiam a esposa de Baye Modou Fall, havia confiado o passaporte de seu pai, a um gambiano de nome Abou Thiam, para o seu marido. Esse para se dispor do dinheiro necessário para prosseguir a sua caminha através da conta aberta no Ecobank por sua irmã, que lhe entregou um cartão de banco para realizar suas operações nos países onde permanecer e durante o seu vôo.
Ontem, o jovem Djinné e seus supostos cúmplices foram apresentados ao Ministério Público. O chefe da Dic, o Comissário Ibrahima Diop enfrenaram a imprensa para fazer um balanço da investigação e disseram que aqueles que evadiram da prisão de Rebeuss e Diourbel continuam autuados  por 5 crimes: conspiração , falsificação e uso de falsificação, lavagem de dinheiro, várias fugas, furto qualificado e cumplicidade com os seus chefes.

#seneweb.com

Moçambicanos sentem impactos da crise no bolso e na mesa.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

Em Maputo, há muitos cidadãos a sofrer devido à crise financeira resultante da dívida. Alguns não conseguem pagar as propinas dos filhos, outros não têm dinheiro para a renda. Há até mesmo quem durma sem se alimentar.
Mais Vorbereitung für den Verkauf auf dem Markt
No maior mercado grossista de Moçambique, a norte da capital, por volta das oito horas da manhã, ainda com temperaturas baixas, homens, mulheres e crianças cruzam a Estrada Nacional para começar mais um dia de trabalho.
Vitória André, que vende refeições numa barraca, conta que desde o final do ano passado já só atende, em média, 10 clientes por dia. Há menos de um ano, eram 50. "Está a ser difícil, mas não há como. É só tentar a sorte", diz. "O pão agora já subiu e para tê-lo é muito difícil. Se tiveres três filhos, tens de ter dinheiro para três pães".
No mesmo mercado, encontramos Luísa Augusto a vender frangos. Com lábios ressequidos por causa do frio, lamenta que a sua qualidade de vida tenha baixado em menos de um ano.
"Desde o princípio deste ano, as coisas estão muito diferentes", afirma, lembrando que antes conseguia comprar um saco de arroz de 25 quilos, uma barra de peixe, seis quilos de açúcar e cinco litros de óleo. "Mas agora não. Nem para comprar pão. Já não compro. Só cozinhamos arroz e tomamos um chá com salada. Ao jantar é mesma coisa".
Crise financeira foi desencadeada por dívidas ocultas
"A vida está péssima"
Júlia Jossefa, de 65 anos, vive no bairro da Costa do Sol, no litoral de Maputo, e também vive da venda de galinhas. Mas como o negócio está parado, o seu filho teve de deixar a faculdade.
"Agora estamos a lutar, a ver se ele consegue um emprego para podermos sobreviver," diz. "A vida subiu. Aquilo que comprava por 500 [meticais], agora está a mil [meticais]. Não consigo arranjar nem um saquinho de arroz para casa. Tenho que comprar em latinhas e às vezes até dormimos sem comer. A vida está péssima", lamenta Júlia Jossefa.
Joaquim Francisco, funcionário público, ainda consegue comer. Mas diz que a dívida pública e as políticas orçamentais estão a afetar o seu bolso. "Há dois ou três anos, conseguia ter uma agenda para suprir as minhas necessidades todas, comparativamente a esses últimos três anos. Agora estamos a viver de forma muito diferente", conta.
Fazer contas à vida
Benjamim Matsimbe, trabalhador por conta própria, tem uma oficina no bairro pobre da Maxaquene, a quatro quilómetros do centro da capital. Com quatro filhos, agora refaz as contas das despesas mensais atuais.
"Realmente as coisas estão difíceis", conta. "Todos meses tenho metas a cumprir, mas tenho que manter o arroz, porque não tem dívida para o estômago".
O economista Roberto Tibana apela ao Governo para fazer um reajustamento fiscal, porque os próximos dias poderão ser ainda mais difíceis."Se não for feito um ajustamento, haverá mais défice", alerta, sublinhando que, nesse caso, "a situação económica vai piorar".
Markt Maquinino
#dw.de

GUINÉ-BISSAU: PORTUGUESES RESIDENTES AGRADECEM AOS GUINEENSES PELO APOIO A SELEÇÃO LUSA

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

Embaixada de Portugal em Bissau
 
Bissau, 11 Jul 16 (ANG) – Os cidadãos portugueses residentes na Guiné-Bissau mostraram-se satisfeitos com o apoio recebido dos guineenses, durante a caminhada que culminou na conquista do campeonato europeu de futebol frente a seleção anfitriã, a França. 

Numa auscultação feita hoje pela Agência de Notícias da Guiné (ANG), a chefe da Informação Pública do Gabinete Integrado da ONU para a Consolidação da Paz na Guiné-Bissau (UNIOGBIS), Júlia Galvão Alinho, disse que enquanto cidadã portuguesa sente-se bastante feliz por terem vencido o Euro. 

Acrescentou, por outro lado, que vencer o Euro, é um sonho esperado há anos pelos portugueses, mas finalmente o selecionador nacional Fernando Santos e a sua equipa, trouxeram essa alegria ao Povo português. 

Júlia Galvão aproveitou a ocasião para agradecer ao povo guineense pelo apoio prestado à seleção portuguesa durante os jogos do Euro, dizendo ainda que a vitória é partilhada pelos dois povos, porque o próprio golo conseguido surgiu dos pés do Luso-Guineense, Éder. 

Por sua vez, Miguel Guimarães, comerciante português acreditado no país considerou que Portugal mereceu o que conquistou. 

“Apesar da nossa Seleção ter começado mal, nunca desanimou perante os seus adversários durante o Euro. Os nossos atletas são heróis, fizeram-nos hoje campeão da Europa, por isso merecem total apoio do povo português assim como guineense”, disse Miguel Guimarães. 

A Representante Adjunto do Secretário-geral da ONU na Guiné-Bissau, Maria de Valle Ribeiro, felicitou a Seleção portuguesa pelo trabalho e a determinação demonstrada pela equipa durante o Euro, e dedicou a vitória portuguesa a todos os conterrâneos espelhados no mundo fora. 
 
ANG/LLA/JAM/SG/Conosaba

GUINÉ-BISSAU: MOVIMENTO DAS MULHERES PARA PAZ E ESTABILIDADE ENTREGA MANIFESTO AOS ÓRGÃOS DA SOBERANIA.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...


O Movimento das mulheres para Paz e estabilidade denominado “Nó Bambu Guiné” procedeu esta segunda-feira a entrega de manifestos de indignação e desesperança a presidência da republica, assembleia Nacional Popular e ao Governo.

O acto da entrega foi presenciado pelo representante da UA, da UNIOGBIS, do embaixador de Senegal entre outros.

A margem da apresentação do manifesto, a coordenadora do movimento Nelvina Barreto disse que pretendem com esta iniciativa chamar a atenção dos políticos pela actual situação vigente, tendo sublinhado que “ vão fazer o seguimento dos manifestos junto destes órgãos de soberania afectados”.

No manifesto, as mulheres reconheceram que não se pode permitir que uma lógica de confrontos pessoais e de grupos se sobrepõe a imperiosa necessidade de concentrar energias positivas na construção de um estado de direito que promova a igualdade social.

Ainda, no manifesto, dizem que os indicadores de Desenvolvimento Humano são dos piores do planeta e com uma taxa de mortalidade materna das mais elevadas na sub-região e no mundo porque em cada cem mil mulheres que dão luz, 790 morrem ou após o parto; 200 em cada mil crianças morrem antes de completar os 5 anos.

Acrescentaram ainda que nenhumas das metas de desenvolvimento do milénio foram atingidas na Guiné-Bissau.

Por: Nautaran Marcos Có/radiosolmansi/Conosaba

ATENDIMENTOS AOS PEREGRINOS DA GUINÉ-BISSAU A CIDADE SANTA DE MECA JÁ ESTÁ EM CURSO.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

A comissão nacional de peregrinação aos lugares sagrados de Meca pediu aos candidatos a peregrinação 2016 que processam os seus pagamentos até o final deste mês.

Recomendação deixada, esta segunda-feira, pelo Aladje Siradju Bari, coordenador da comissão na província Leste em nome da comissão, durante uma conferência de imprensa, na sede do comissariado em Bissau.

“Acabamos o Ramadão a dias, agora estamos a preparar para irmos cumprir o quinto pilar do Islão na cidade santa de Meca, já esta aberto o atendimento aos candidatos e o número de conta do ano passado é o mesmo a ser usada deste ano, é só depositar e entregar o talão junto com os outros documentos necessários para esta viagem” disse Aladje Siradju Bari.

Aladje Siradju Bari explica que o ultimo dia de atendimento dos candidatos na sede do comissariado será no dia de “Arafat” e no dia de “Adju”, que é o dia que não deve ser perdido por um peregrino, o que corresponde o final deste mês, e assim os passaportes poderá ser levados até Dakar para receber vistos no prazo previsto.

Este responsável afirma ainda que o valor do pagamento foi fixado tendo em conta o preço da sub-região, “mas devido a situação do país os peregrinos da Guiné-Bissau vão pagar 2 milhões e quinhentos cfa, incluindo todos os reembolsos e as despesas da estadia durante os dias da peregrinação na Meca”, explicou.

Refere-se que em 2015 os fiéis muçulmanos da Guiné-Bissau não conseguiram ir a peregrinação à cidade santa de Meca, devido, a crise política que o país vivia na altura.

O alto comissariado para peregrinação aos lugares sagrados do Islão é uma célula governamental de apoio às organizações islâmicos no cumprimento deste ritual religioso que se realiza em Meca e Medina, na Arábia Saudita.

Por: Anésia Tavares Gomes/radiosolmansi/Conosaba

Total de visualizações de página