Postagem em destaque

CONCESSÃO DO PRÊMIO HOUPHOUET BOIGNY PELA BUSCA DA PAZ EM RCI: Os marfinenses poderão finalmente se olhar no espelho?

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!... Realiza-se esta quarta-feira, 8 de fevereiro de 2023, em Yamoussoukr...

sábado, 5 de maio de 2012

Guiné-Bissau: PAIGC acusa CEDEAO de golpe contra democracia.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

PAIGC rejeita busca parlamentar de solução para o golpe, exigindo retorno à legalidade existente antes do mesmo.



O PAIGC disse que a decisão da CEDEAO é um grande golpe contra a democracia na Guiné-Bissau e afirma que não vai participar em soluções extraconstitucionais.

O líder da bancada parlamentar do PAIGC, Rui Dian de Sousa, disse a propósito:

“Isso é um duro golpe à democracia e um aniquilamento ao PAIGC e às figuras democraticamente eleitas do PAIGC. Porque não podemos dar-nos ao luxo de fazer eleições e depois dizer que esta tudo mal, vamos para uma solução via Assembleia Nacional Popular para satisfazer uma meia dúzia de gatos-pingados, passe a expressão. Portanto, nós continuamos a denunciar essas decisões e achamos que a nossa bancada, se a solução for via Assembleia Nacional Popular, a nossa bancada não fara parte dessa solução.”

Enquanto isto o antigo presidente da Assembleia Nacional Popular, Francisco Benante, perspectivou um eventual debate no parlamento sobre o tal figurino imposto pela CEDEAO:

"Se o problema passar pela Assembleia, não haverá um debate confuso, haverá sempre um debate esclarecido", disse.

Entretanto, continua reunida em Bissau uma delegação da CEDEAO com o Comando Militar, mais cinco candidatos as eleições presidenciais passadas que contestaram os resultados eleitores, assim como o PAIGC, partidos da oposição movimento da sociedade civil e bispo de Bissau em mais uma tentativa para encontrar uma solução para a saída da crise.
O ministro brasileiro das Relações Exteriores António Patriota concedeu recentemente uma entrevista à nossa colega Carol Castiel onde abordou o interesse do seu país em ajudar a crise por que passa a Guiné Bissau.
fonte: VOA


Total de visualizações de página