Postagem em destaque

BAMAKO E IYAD ENGAJADOS NA MESMA LUTA CONTRA EIGS NO MALI: Cuidado com o efeito bumerangue!

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!... Há poucos dias, foi em Menaka que foi visto ao lado de notáveis ​​tu...

sexta-feira, 28 de março de 2014

OTAN, Obama...

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

OTAN, Obama.... 20067.jpeg



O presidente Barack Obama na quarta-feira pediu a OTAN para reforçar a sua presença militar nos países da Europa Oriental, em meio à crescente tensão entre Washington e Moscou, com a adesão da Criméia à Rússia.

Após uma reunião com líderes da União Europeia (UE), em Bruxelas (Bélgica), o presidente americano disse que a OTAN deveria ter "presença regular" nos Estados-Membros mais próxima da Rússia.
"Os países da OTAN nunca estarão sozinhos. Hoje as aeronaves da OTAN patrulham os céus dos países bálticos e fortalecemos a nossa presença na Polônia. Estamos preparados para fazer mais", disse Obama.
Além disso, o presidente dos EUA pediu aos seus parceiros europeus para aumentar seus gastos militares, dizendo que "se temos uma defesa comum, isso significa que todos devem fazer a sua parte".
No mesmo sentido, Obama reuniu no mesmo dia com o secretário-geral da OTAN, Anders Fogh Rasmussen, que por sua vez compartilhou da opinião do líder americano.
O chefe da OTAN afirmou que sua participação nas "medidas adicionais para fortalecer" a defesa coletiva da Aliança e até deu a garantia de que haverá "planos de defesa atualizados desenvolvidos e reforçados exercícios e implantações apropriados"
Tudo isso acontece enquanto os serviços de inteligência norte-americano e europeu sustentam que mais de 30 mil soldados russos esta estacionados nas fronteiras da Rússia e leste da Ucrânia, informações repetidamente negadas por Moscou.
As relações entre a Rússia e os EUA chegaram a seus momentos mais tensos desde a Guerra Fria depois que cada uma das partes tomou posição diferente na crise ucraniana.
Traduzido pela redação do Irã News, com informações do Hispan TV
# pravda.ru



ONU: Putin não intervirá no sul e no leste da Ucrânia.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

Ban-ki moon e Vladimir Putin discutiram a crise na Ucrânia durante encontro realizado no Kremlin, em 20 de março  Foto: Reuters

Ban-ki moon e Vladimir Putin discutiram a crise na Ucrânia durante encontro realizado no Kremlin, em 20 de março 
Foto: Reuters

Segundo Ban Ki-moon, o presidente russo "expressou preocupação com alguns elementos extremistas radicais" presentes nas fronteiras da Ucrânia.


O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, afirmou nesta sexta-feira que o presidente russo, Vladimir Putin, lhe assegurou durante a reunião que tiveram em Moscou que não tem nenhuma intenção de intervir militarmente no sul e no leste da Ucrânia.
"O presidente Putin me disse que não tinha intenção de fazer nenhum movimento militar", declarou Ban aos jornalistas após informar o Conselho de Segurança dos resultados de sua recente viagem à Rússia e à Ucrânia.
O diplomata coreano acrescentou, em todo caso, que o chefe do Kremlin "expressou sua preocupação com alguns elementos extremistas radicais" presentes nessas regiões e ao longo das fronteiras.
Ban, que se reuniu com as autoridades russas e ucranianas a fim de diminuir a tensão entre as partes, pediu nesta sexta-feira mais uma vez o diálogo para conseguir uma solução "pacífica" e pediu que atos de provocação sejam evitados.
"Neste momento de tensões elevadas, inclusive as pequenas faíscas podem acender grandes chamas com consequências não desejadas", comentou.
Por sua parte, o embaixador russo na ONU, Vitaly Churkin, confirmou após a reunião a portas fechadas do Conselho de Segurança que seu governo não tem intenção de invadir a Ucrânia apesar dos temores de alguns países.
Nesse sentido, Churkin criticou que haja membros do Conselho que tentem "agitar a atmosfera de crise internacional" baseando-se em uma "suposta presença de tropas" na fronteira.
Churkin defendeu ainda que a prioridade na Ucrânia deve ser "desarmar os grupos armados, frear os radicais e avançar em um processo constitucional".
O debate no Conselho de Segurança aconteceu nesta sexta-feira depois que a Assembleia Geral da ONU aprovou na quinta-feira uma resolução em apoio da integridade territorial da Ucrânia e para ressaltar que o referendo de anexação da Crimeia à Rússia "não é válido".

# Agencia EFE

PM de Cabo Verde pede "tratamento especial" da África Ocidental para o país insular.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...


Primeiro Ministro José Maria Neves

Cidade da Praia - O primeiro-ministro cabo-verdiano, José Maria Neves, afirmou nesta sexta-feira esperar que a cimeira oeste-africana, que inicia neste dia, na Costa do Marfim, possa contribuir "fortemente", com um "tratamento especial", para ajudar a debelar as vulnerabilidades subjacentes à insularidade do país.


Em declarações à Rádio de Cabo Verde (RCV), que acompanha em Yamoussoukro os trabalhos da 44.ª sessão ordinária da Conferência de Chefes de Estado e de Governo da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO), José Maria Neves disse que, na sua intervenção, dará conta das especificidades do arquipélago e da forte aposta de Cabo Verde na integração regional. 

"Espero um apoio mais forte de todas as instituições da CEDEAO para que Cabo Verde possa ter condições de integração plena nesse espaço", disse o primeiro-ministro cabo- verdiano, que hoje completa 54 anos e que está à frente dos sucessivos governos do país desde 2001.
 "Estando nós longe, tendo nós muitas vulnerabilidades, sobretudo económicas e ambientais, teremos de contar com um forte contributo das instituições da CEDEAO para que Cabo Verde possa fazer face à sua vulnerabilidade e aos custos da periferia e da insularidade. A melhor prenda que poderia dar-nos é garantir-nos um forte apoio para que Cabo Verde tenha sucesso e possa fazer face aos desafios", afirmou.
Segundo José Maria Neves, na intervenção que fará na cimeira, cujos trabalhos se prolongam até sábado, vai precisamente falar sobre as "especificidades" de Cabo Verde, que tem uma "forte intenção" de se inserir competitivamente no espaço da CEDEAO, onde já conta com o apoio do Senegal e da Costa do Marfim.
"Sendo o único país arquipélago da região, precisa de um tratamento especial no quadro da CEDEAO, um apoio mais forte, para garantir a plena integração no espaço regional, designadamente as ligações aéreas e marítimas e também a infra-estruturação. Os grandes projectos de infraestruturação são para o continente e Cabo Verde fica um pouco de fora desses pacotes e investimentos nas infraestruturas", sublinhou.
  A cimeira começa hoje (sexta-feira) com a análise do relatório da Comissão da CEDEAO, em que o enfoque está nas negociações do Acordo de Parceria Económica (APE) com a União Europeia (UE), já concluídas, mas que aguardam aprovação a nível político.
O APE visa reforçar as economias da África Ocidental, alargando a gama de bens produzidos e exportados e reforçar as trocas comerciais inter-regionais entre o Benim, Burquina Faso, Cabo Verde, Costa do Marfim, Gâmbia, Ghana, Guiné-Conakry, Guiné-Bissau, Libéria, Mali, Níger, Nigéria, Senegal, Serra-Leoa, Togo e Mauritânia (que abandonou a CEDEAO há quase uma década).
  Em Yamoussoukro, serão analisadas as primeiras conclusões para acelerar a assinatura do APE, bem como as situações político-militar no Mali e eleitoral na Guiné-Bissau, cujas eleições gerais - presidenciais e legislativas - estão marcadas para 13 de Abril, bem como a eleição do novo presidente rotativo da organização sub-regional.
# portalangop

Mali: um pesquisa francesa visa a um "apadrinhamento" em curso ligando à África.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

Michel Tomi (g) et Ibrahim Boubacar Keïta (d).
Michel Tomi (à esquerda) e Ibrahim Boubacar Keïta (à direita). © Montagem Jeune Afrique/AFP


O quotidiano francês " Le Monde ", datado de sexta-feira, relatou uma investigação instaurada pela justiça francesa contra Michel Tomi, homem de negócio da Córsega à frente de um império industrial em África. O processo diz respeito à comunidade diplomática e pode envolver vários chefes de Estado do continente, entre os quais, Ibrahim Boubacar Keita e Ali Bongo Ondimba.
De acordo com o Le Monde datado de sexta-feira, 28 de março, os juízes Serge Tournaire e Hervé Robert investigaram há vários meses o empresário corso Michel Tomi, de 66 anos. No final, as ramificações de seu império industrial : em África e com alguns chefes de Estado, notadamente, alguns muito próximos a ele.
De acordo com o diário, a justiça francesa que abriu uma investigação criminal por " lavagem de dinheiro agravada por quadrilhas organizadas ", " abuso de bens sociais " e " falsificação de escritura privada " Tomi é suspeito de lavagem na França de parte do dinheiro ganho na África. E estão envolvidos em seu sistema, alguns líderes locais agora no poder.
Le Monde relata em particular várias cenas envolvendo o Chefe de Estado do Mali, Ibrahim Boubacar Keita ( IBK ). A primeira foi em abril de 2012. O futuro presidente sai de seguida de um luxuoso restaurante parisiense " La Maison de la Truffle " com Michel Tomi antes de o trancar em seu braço, tudo sob o olhar do esconderijo da polícia que começa a investigar a relação entre os dois homens. Nos meses seguintes, o "padrinho" do Córsega " forneceria roupas de marcas " e pagou para o IBK " seus dias no hotel parisiense La Réserve ", de tudo em providência " à sua disposição os aviões para sua campanha presidencial ".

As despesas de viagem e alojamento pagos

A partir de setembro de 2013, Michel Tomi também havia participado discretamente na cerimónia de empossamento de Ibrahim Boubacar Keita, em Bamako. As ligações entre os dois homens não param por aí . Poucos meses depois, em dezembro de 2013, à margem da Cimeira África-França, em Paris, o presidente do Mali, teria feito uma " viagem particular para Marselha ", onde ele foi "levado na mão por homens Sr. Tomi ". E Le Monde continua: " mais recentemente, de 8 a 10 de fevereiro o Sr. Tomi hospedou o seu amigo, com todas as despesas pagas, em um suite do palácio parisiense o Royal Monceau. Ele também abastece-o com veículos de alta qualidade. ".
A Indústria corso teria de outra forma solicitado a Squarcini Bernard, ex-chefe da Direcção Central de Inteligência Interna ( DCRI, os serviços de segurança interna francesa), agora um consultor de segurança do setor privado para organizar a proteção do IBK. Por fim, segundo o Le Monde, o Chefe de Estado do Mali também compartilha na sala do clube em Bamako, o jogo de fortuna, de propriedade de Michel Tomi.

Ali e Sylvia Bongo Ondimba em férias em um iate
De acordo com investigadores franceses, a ligação de Michel Tomi não se limita só ao Mali. O homem de negócio da Córsega também estaria estabelecido no Gabão ", onde seu grupo é alocado e emprega 40.000 pessoas ", relata o Le Monde. Ele tem igualmente em sua posse o PMU local.
As escutas telefônicas datadas de 2007 destacaram que " suas relações com a família do então presidente do Gabão, Omar Bongo e sobretudo seu filho, Ali, o então ministro da Defesa ", prosseguiram, diz o diário francês. Se é graças ao sulfuroso homem de negócio que Ali Bongo Ondimba e sua esposa Sylvia passaram umas férias em um iate em Corfu (Grécia) em julho de 2013, o que se sabe, é que a influência da família Tomi " tem recuado na medida em que, esse que é o Diretor do Gabinete de Ali Bongo, Maixent Accrombessi, cresce " sombra de Le Monde.

# jeuneafrique

Total de visualizações de página