Postagem em destaque

Ucrânia: Lula se recusa a entregar munição para tanques.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!... O governo brasileiro se opôs ao pedido da Alemanha de entrega de mun...

quarta-feira, 12 de novembro de 2014

Burkina Faso: NEGOCIAÇÕES EM BURKINA Rumo a última curva.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

A cada dia que passa há um monte de novidades em Burkina Faso. Os olhos e os ouvidos são colados sob negociações muito difíceis para a transferência de poder para os civis. Depois das propostas das forças vivas nesta segunda-feira e contra-proposta das forças armadas na terça-feira, ontem quarta-feira foi dedicada à síntese destas duas propostas. Em seguida, eles manifestaram alguma bulimia, os soldados voltaram a melhores sentimentos. A sociedade civil e os partidos políticos admitiram que não vão encobrir o processo de transição dos demais órgãos, o exército, por sua vez, concordou em rever suas reivindicações para baixo.


Embora se faça esperar pela última revisão dos militares para declarar vitória, ela ainda deve ser enfatizada já que existe uma razão para ter esperança. Os delegados dos vários partidos foram capazes de chegar a um acordo sobre os pontos essenciais, o que é algo encorajador. Especialmente na noite anterior à contra- proposta, o exército era visto como um fator que pode emperrar as negociações da máquina.
Finalmente, como se estivessem particularmente atentos ao conselho que foi formado por eles, os soldados são mais consensuais. Primeiro, eles concordam que o Conselho Nacional de Transição - deverá desempenhar o papel da Assembleia Nacional - e que eles exigiram que a gestão, seja gerida por um civil.
Em termos de sua composição, entre os números 90 e 60, respectivamente, propuseram que as forças, portanto, o consenso seja a favor de 75. No que diz respeito à representação de diferentes partidos, os subsídios do Exército à sociedade civil e os partidos políticos que anteriormente constituíam oposição a Blaise Compaoré, se reserva a maior parte do "bolo". Cada um desses dois grupos de atores será representado por 25 membros. O exército está na segunda posição, com 15 representantes. Como desejado pela sociedade civil e ex-partidos políticos da oposição, a ex-maioria presidencial está nas traseiras, com apenas 10 representantes.
Por sua vez, os atores políticos e sociais já perceberam a necessidade de renuncia da Comissão Nacional de Reconciliação e reformas (CRNR) e do Conselho Nacional de Defesa e Segurança (NSDC).
Dado que a hierarquia militar não é susceptível de alterar fundamentalmente esta estrutura, o próprio partido não parece deixar para o fim as negociações laboriosas. O mesmo documento poderá ser validado na noite de quinta-feira. Imediatamente, a máquina está a caminho. Isso poderia começar com a restauração da Constituição pelo tenente-coronel Isaac Zida. Então deverão nomear rapidamente o presidente ou o presidente da Transição. Em seguida, a transferência de poder deve ser organizada no tranco. Qual dedicar formalmente o início da transição.
Se nenhum outro obstáculo vir a pôr em causa a dinâmica que se manifesta, devemos estar de fora até o final da próxima semana. Inshallah!
Sanso Boubacar Barry para GCI
© 2014 GuineeConakry.info

GUINÉ-SENEGAL: Os guineenses se opõe à participação de Alpha Condé na cimeira da Francofonia.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

As relações entre a Guiné e Senegal estão longe de serem animadoras. Ao contrário, para esta história absolutamente efêmera de Ebola, elas ficam mais difíceis com o passar do tempo. Apesar de uma desaceleração na expansão da epidemia de Ebola em nosso país, e até mesmo os esforços recentes das autoridades senegalesas em abrirem suas fronteiras aéreas, posteriormente, é claro, sob as exigências da CEDEAO.


Uma falha óbvia de diplomacia que eventualmente gangrena perigosamente todas as faixas da cooperação bilateral, antes de iniciar os seculares laços entre os indivíduos, as famílias e as outras aldeias nos dois países.
Uma crise que é uma reminiscência do conflito ideológico da década de 1970 opondo Presidentes Ahmed Sekou Toure e Leopold Sedar Senghor. Só que desta vez, de vez em quando, obviamente, por razões económicas, as pessoas parecem ter um papel activo nesta batalha fratricida.
Recorda-se, sem dúvida, a infâmia sofrida por nossos compatriotas presos em um vôo da Air France para Dakar, enquanto esperavam para a reparação de uma parte da pista do aeroporto em Conakry atingido por um raio. Além da relutância das autoridades senegalesas para recebê-los em seu solo, nossos compatriotas infelizes, e que nunca tinham contraído Ebola em suas localidades, foram vaiados.
Enquanto isso, os embarques de frutas, incluindo Forécariah na Baixa da Guiné e batatas apodrecem nas fronteiras terrestres, para o desgosto dos transportadores e comerciantes que não sabem a quais das autoridades devem recorrer.
Por todas estas razões e muitas outras, debates acalorados estão sendo empenhados para uma possível participação do Chefe de Estado, Alpha Condé, na 15ª Cimeira da Francofonia em Dakar, marcada para 28 de Novembro. Na maioria das vezes pela mídia que se interpõe, alguns compatriotas entre eles os fãs do partido no poder, vão até avisar o presidente guineense de que ele poderia ser tentado a fazer uma viagem ao país da Teranga. Obviamente, alguns moderados consideram preferível, no entanto, que o Presidente Alpha Condé tome parte neste importante fórum para expor os problemas enfrentados pelo povo da Guiné e dizer esses '' quatro '' a Macky Sall, olhando em seus olhos.

Kerfalla KOUROUMA para GuineeConakry.info
© 2014 GuineeConakry.info




Nova morte com Ebola atinge o Mali e a Libéria elogia queda nos casos de contaminação. - notícia a uma hora atrás.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...


Um profissional de saúde usando um equipamento de protecção individual no centro de tratamento de Hastings fora de Freetown. PHOTO / AFP

Uma segunda pessoa no Mali morreu de Ebola, assim como o país mais atingido, a Libéria, comemora uma queda dramática nas infecções e o último paciente contaminado nos Estados Unidos foi declarado curado.

A morte de uma enfermeira que tinha tratado um paciente de Ebola da vizinha Guiné veio como um golpe para às autoridades do Mali, quando estavam começando a levantar as restrições de quarentena em mais de 100 pessoas expostas a primeira vítima do vírus no país.

A enfermeira tinha tratado um paciente guineense em uma clínica na capital Bamako, que sofria de insuficiência renal e morreu mais tarde, fontes médicas disseram na terça-feira. As Autoridades acreditam agora que ele tinha Ebola.

O caso levantou temores de mais contaminação no Mali como a infecção não estava relacionado com outra única fatalidade com Ebola do país, que foi com uma menina de dois anos de idade.

Na Libéria, houve melhoria segundo notícia publicada por assistente de ministro da Saúde, Tolbert Nyenswah, que disse que novos casos caíram num pique diário de mais de 500 para cerca de 50, confirmando anúncios preliminares de especialistas em todo o mundo de uma desaceleração evidente na epidemia.

"Os números de casos estão a reduzir", disse à AFP, embora ele acrescentou que novos casos ainda estavam surgindo em todo o país.

O maior surto de Ebola registrado já matou cerca de 5.000 pessoas, com a Libéria sendo a nação mais atingida e o contágio ainda grassa na vizinha Serra Leoa e Guiné.

O vírus mata cerca de 70 por cento de suas vítimas, muitas vezes fechando seus órgãos e causando hemorragia incontrolável.

Na terça-feira, Marrocos foi obrigado a cancelar os jogos de futebol da Taça de África das Nações e jogou fora a competição depois de insistir que ele queria adiar o torneio devido a temores sobre o vírus.

Nova York paciente "curado"

Em Nova York, o último paciente qom Ebola nos Estados Unidos, recebeu alta do hospital, nesta terça-feira depois de ter sido declarado curado.

Craig Spencer, de 33 anos de idade saiu da urgências médica depois que contraiu o vírus durante o tratamento de pessoas infectadas na África Ocidental, apareceu em uma conferência de imprensa com o prefeito Bill de Blasio para anunciar que ele havia recebido alta do hospital.

" Primeiro e único caso de Ebola na cidade de Nova York foi tratada com sucesso. Dr. Spencer está livre de Ebola e a cidade de Nova York está livre de  Ebola ", e Blasio foi proclamada no hospital, a gritos e aplausos.

Spencer disse que ele estava "saudável e não infectado".

"Em seu relato disse que a detecção precoce foi o motivo da recuperação de Ebola, fala sobre a eficácia dos protocolos que estão em vigor para o pessoal de saúde que retornam da África Ocidental", disse ele.

Os EUA trataram de nove vítimas do vírus, que se espalha através do contato com fluidos corporais infectados.

Um total de 289 pessoas em Nova York continuam a ser monitorizadas quanto a possíveis sintomas do Ebola, incluindo a noiva da equipe de Spencer, que ajudou a tratar o médico.

"Ainda disparada "em Serra Leoa

A Casa Branca tem estado na vanguarda da resposta internacional ao surto, prometeu centenas de milhões de dólares e anunciou planos para unidades de tratamento de Ebola em toda a Libéria.

O primeiro centro construído pelos EUA abriu na segunda-feira em Tubmanburg, cerca de 70 quilômetros (45 milhas) a noroeste da capital Monrovia.

Um dia antes do anúncio do novo caso do Mali, a Organização Mundial da Saúde (OMS) disse que tinha liberado do isolamento os 25 das mais de 100 pessoas que se pensa ter entrado em contato com a primeira vítima do país.

Criança de dois anos, Fanta Conte morreu depois de voltar de uma viagem à Guiné. A infecção provocou pânico em como a criança tinha viajado de ônibus e táxi com sua avó, irmã e tio, fazendo paradas freqüentes em uma viagem de mais de 1.200 quilômetros (750 milhas).

Eles também passaram duas horas na capital Bamako, visitando parentes em uma casa de 25 pessoas.

Em Serra Leoa, a porta-voz da OMS Winnie Romeril disse que o surto havia se estabilizado em algumas áreas, mas continua "ainda disparado" a oeste do país.

Enquanto que em Kenema, a cidade oriental no epicentro da epidemia, não registrou novos casos por três semanas, a capital Freetown e a cidade vizinha de Hastings ainda estão lutando contra uma grave epidemia, disse Romeril à AFP.

Ela disse que o número de mortos em todo o país oficialmente é de 1133 foi uma subestimação grosseira e o real número de casos é provavelmente cinco vezes do número oficial.

" Não é um encobrimento por parte das autoridades, (é) apenas que as pessoas não relatam seus casos. Este é um problema sério - elas querem manter os corpos e organizar enterros tradicionais", disse ela.

A Gâmbia, que permanece livre de Ebola, anunciou, nesta terça-feira que reabriu as suas fronteiras terrestres para os viajantes de Serra Leoa e as outras nações  atingidas por Ebola.

-AFP-

Libéria e Mali anunciam novos avanços na luta contra o Ebola.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

O surto de Ebola que teve início neste ano, o maior da história, já matou 5.000 pessoas, sendo a Libéria um dos países mais afetados, junto a Serra Leoa e Guiné.



Monróvia - A Libéria, um dos países mais afetados pela epidemia de Ebola, anunciou nesta terça-feira a queda no número de novas infecções, no mesmo dia em que 25 pessoas no Mali deixaram a quarentena após terem contato com um paciente.

Por outro lado, a Copa Africana de Nações (CAN) não será celebrada no Marrocos em 2015 e a seleção deste país não jogará esta edição, devido à "negativa do Marrocos de organizar a competição" nas datas previstas (17 de janeiro a 8 de fevereiro), por causa do medo do Ebola, anunciou a Confederação Africana de Futebol (CAF).

Os novos casos na Libéria caíram de uma média de 500 por dia para 50, informou o vice-ministro da Saúde liberiano, Tolbert Nyenswah, números que confirmam a diminuição do número de casos em todo o mundo.

"Já não se trata do número de casos de Ebola que tínhamos há dois meses, está reduzindo", garantiu à AFP Nyenswah na segunda-feira.

O surto de Ebola que teve início neste ano, o maior da história, já matou 5.000 pessoas, sendo a Libéria um dos países mais afetados, junto a Serra Leoa e Guiné.

Por sua vez, a Organização Mundial da Saúde (OMS) anunciou na segunda-feira ter suspendido a quarentena de 25 pessoas de um total de 100 que teriam estado em contato com o único caso confirmado da doença no Mali.

A vítima, uma menina de dois anos da Guiné que viajava com sua avó, foi diagnosticada com Ebola em Kayes, no oeste do Mali, onde morreu em 24 de outubro.

Durante sua viagem por ônibus e táxi com sua avó, irmão e tio, ela entrou em contato com um total de 108 pessoas, que foram identificadas pelas autoridades do Mali com o apoio da OMS.

"Dessas 108 pessoas, 25 foram mantidas em observação por 21 dias e receberam alta (...) Até agora nenhuma apresentou sintomas de Ebola ou dado positivo nos testes", explicou a OMS.

De acordo com Abdoulaye Nene Coulibaly, um médico da equipe de emergência de Kayes, todos os que permanecem isolados nesta cidade poderiam receber alta nesta terça-feira caso não apresentem sintomas. "A avó da menina está bem e os outros também", disse à AFP.

A OMS acredita ser improvável a propagação do vírus no Mali e explicou que a menina tinha "sintomas de sangramento, mas sem diarreia durante a viagem".

Médico de Nova York recebe alta

Nos Estados Unidos, as autoridades de saúde anunciaram a cura de Craig Spencer, um médico de 33 anos que contraiu Ebola quando tratava de pacientes infectados na Guiné. Ele receberá alta do hospital em Nova York onde está internado em breve.

"Depois de um rigoroso tratamento e acompanhamento, Dr. Craig Spencer, admitido e diagnosticado com o vírus Ebola no HHC Bellevue Hospital foi declarado curado", diz um comunicado oficial.

O governo dos Estados Unidos, onde houve nove casos, lidera os esforços internacionais para combater o surto e financiou programas de combate ao Ebola na Libéria.

O primeiro centro especializado construído pelos Estados Unidos foi inaugurado na segunda-feira em Tubmanburg, uma cidade a cerca de 70 km de Monróvia, capital da Libéria.

"A busca de casos, o contato e o monitoramento e as pesquisas têm ajudado muito na luta" contra o vírus, declarou Gorbee Logan, responsável pelo serviço de saúde nesta área.

A organização Médicos Sem Fronteiras (MSF) também publicou nesta terça-feira um curso online para ajudar as pessoas que lutam com a doença para desacelerar sua expansão.

A Gâmbia anunciou a suspensão da restrição de acesso ao seu território, decidida em setembro, para os cidadãos dos países mais afetados.

A doença causada pelo vírus Ebola, também conhecida como febre hemorrágica do vírus Ebola, é uma doença com uma taxa de mortalidade que pode chegar a 90%.

O contágio se dá por meio do contato direto com sangue, fluidos corporais e secreções da pessoa infectada.

#correiobraziliense.com.br

ONU alerta para grave crise alimentar na Libéria, Serra Leoa e Guiné-Conacri.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

ONU alerta para grave crise alimentar em países afetados pelo ébola (foto AP)

A relatora principal da Organização das Nações Unidas para o Direito à Alimentação, Hilal Elver revelou hoje que os países com uma epidemia de ébola - Libéria, Serra Leoa e Guiné-Conacri - estão «à beira de uma grave crise alimentar».

Nestes países existem mais de um milhão de pessoas que precisam de ajuda em víveres para amenizar a falta de produtos básicos, alertou Hilal Elver, em Genebra.

A agricultura é a principal atividade económica na África Ocidental, onde dois terços da população dependem dela.

Mais notícias>>


Cristiano Ronaldo desmente tratamento insultuoso a Messi



Cristiano Ronaldo veio a público desmentir qualquer tratamento insultuoso referente a Lionel Messi, conforme foi esta terça-feira revelado num livro publicado pelo jornalista espanhol Guillem Balagué.

«No balneário do Real Madrid os jogadores referem-se a Messi como o pequeno cão de Cristiano Ronaldo», poderá ler-se no referido livro.

Cristiano Ronaldo, porém, recorreu às redes sociais para se defender, garantindo que vai tratar de processar o responsável por essas palavras.

«Existem notícias a circular de que, alegadamente, haveria proferido insultos a respeito de Lionel Messi. Isso é completamente falso e já contactei o meu advogado para processar o responsável pelas mesmas. Tenho o maior respeito por todos os meus adversários e Messi obviamente não é exceção», escreveu o internacional português.

# abola.pt

Total de visualizações de página