Postagem em destaque

BAMAKO E IYAD ENGAJADOS NA MESMA LUTA CONTRA EIGS NO MALI: Cuidado com o efeito bumerangue!

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!... Há poucos dias, foi em Menaka que foi visto ao lado de notáveis ​​tu...

quinta-feira, 16 de outubro de 2014

Guiné-Conacri: Ebola - Atenção à psicose global!

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...



Durante todo o tempo que a doença está estritamente limitada dentro do continente Africano, os principais líderes mundiais haviam lutado para manter a calma e lucidez. Alguns até tinham permitido críticas a países africanos, por medo de serem infectados por sua vez, e tinham barrado os países de regiões afetadas.

O controles na chegada por aqui, verificando o controle da partida ali, sinais de pânico após a epidemia de Ebola está crescendo. Confrontados com os primeiros casos em suas próprias terras, o Ocidente, de repente, percebe a sua vulnerabilidade à epidemia, fortalecem, um após o outro, medidas para a sua própria proteção. Que tende a aumentar um pouco mais a psicose global.

Bem, agora que eles mesmos são afetados, a eles não se aplicam as mesmas receitas. Então, por enquanto, nenhum país ocidental havia banido do seu território os guineenses, Serra-leonenses e Liberianos, o que fizeram pode não estar longe do presente. As últimas medidas recomendadas, tanto por parte dos Estados Unidos a partir de Bruxelas, irá, naturalmente, conduzir a uma restrição de circulação de pessoas nos principais países afetados para o ocidente.

Em termos de Europa, ela decidiu reforçar as medidas de controlo nos aeroportos de partida. O objetivo é limitar ao mínimo, o risco de chegada em solo europeu, um caso suspeito ou confirmado. Em alguns países, incluindo a França, em breve poderá estabelecer os controles na chegada. Sem mencionar a introdução de uma folha complementar a passageiros provenientes da Guiné, Serra Leoa e Libéria que querem vir para a Europa. A bordo do avião, eles são convidados a dar todas as informações possíveis de maneira a ajudar a localizá-los, se necessário.

Nos Estados Unidos, as medidas de controle mais rígidas eram apenas no aeroporto de JFK, que estão em vigor desde ontem e alargadas a outros quatro grandes aeroportos principais do Tio Sam. A isto se soma a mobilização excepcional de Barack Obama, que, após a segunda contaminação de um americano, foi forçado a mudar sua agenda para pegar o ritmo de Ebola! Isso significa que o mundo tornou-se plenamente consciente da magnitude do problema, a propósito, todas estas medidas tendem a reforçar a psicose que já tomou conta das populações de alguns países do hemisfério norte.

O único sinal positivo é a mobilização internacional que não é susceptível de cair com esta nova situação. Pelo contrário, depois de uma reunião especial que o Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas realizou ontem sobre a doença Ebola, o organismo internacional reiterou o seu apelo para o aumento da contribuição de países desenvolvidos.

Sanso Boubacar Barry para GCI©2014 GuineeConakry.info

Resultados parciais indicam vitória esmagadora da FRELIMO e de Nyusi em Moçambique.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

Segundo projeções e resultados parciais, a FRELIMO fica com a maioria absoluta de assentos parlamentares. Filipe Nyusi seria eleito o próximo Presidente já na primeira volta. RENAMO aumenta votação, MDM estagna.




Segundo projeções do Observatório Eleitoral dos resultados das eleições gerais moçambiçanas, divulgadas nesta quinta-feira (16.10) pelo Centro de Integridade Pública (CIP), a Frente de Libertação de Moçambique (FRELIMO) poderá ficar com a maioria absoluta dos assentos parlamentares.
Filipe Nyusi, candidato do partido no poder, teria obtido maioria absoluta já na primeira volta e seria o próximo Presidente do país.
A Resistência Nacional Moçambicana (RENAMO) e seu candidato, Afonso Dhlakama, teriam aumentado o número de votos e conseguido inverter a tendência histórica de declínio que o partido viveu depois do auge das eleições de 1999.
Já o Movimento Democrático de Moçambique (MDM) e seu candidato, Daviz Simango, não teriam conseguido repetir a boa votação das eleições autárquicas, permanecendo estagnados - considerando que nas eleições passadas o MDM concorreu em apenas uma parte das províncias.
O seguintes números são projeções que foram compiladas às 18h30 desta quinta-feira (hora local de Moçambique) pelo Observatório Eleitoral. Registaram amostras dos resultados de 67% das 2.107 assembleias de voto selecionadas, o que da, segundo o CIP, uma margem estatística de erro de menos de 3%.
Eleições Presidenciais
60,5% Filipe Nyusi - FRELIMO [2009: Armando Guebuza 75,5%]
32,0% Afonso Dhlakama - RENAMO [2009: 16,5%]
7,5% Daviz Simango - MDM [2009: 8,6%]
Eleições Legislativas
58,0% com 142 assentos FRELIMO [2009: 74,7% com 191 mandatos]
29,5% com 75 assentos RENAMO [2009: 17,7% com 51 mandatos]
10,4% com 30 assentos MDM [2009: 4,0% com 8 mandatos]
Taxa de participação
51,5% [2009: 45%]
Resultados parciais do STAE confirmam tendência nas eleições presidenciais
O STAE - Secretariado Técnico da Administração Eleitoral - publicou resultados parciais que confirmam a tendência das projeções. Com 25% dos votos contados, os números, citados pelo CIP, foram os seguintes:
63% Filipe Nyusi - FRELIMO [2009: Armando Guebuza 75,5%]
29,4% Afonso Dhlakama - RENAMO [2009: 16,5%]
7,6% Daviz Simango - MDM [2009: 8,6%]
Segunda as projeções do CIP, o quarto Presidente de Moçambique - depois de Samora Machel,
Joaquim Chissano e Armando Guebuza - será Filipe Nyusi
Fica aqui o registro dos números da projeção que foi compilada às 11h45 desta quinta-feira (hora local de Moçambique) pelo CIP.
Eleições Presidenciais
60% Filipe Nyusi - FRELIMO [2009: Armando Guebuza 75,5%]
32% Afonso Dhlakama - RENAMO [2009: 16,5%]
8% Daviz Simango - MDM [2009: 8,6%]
Eleições Legislativas
57% com 142 assentos FRELIMO [2009: 74,7% com 191 mandatos]
20% com 75 assentos RENAMO [2009: 17,7% com 51 mandatos]
12% com 30 assentos MDM [2009: 4,0% com 8 mandatos]
Taxa de participação
acima de 50% [2009: 45%]
# dw.de

Costa do Marfim: a mãe do ex-presidente Laurent Gbagbo morreu (é oficial)

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...


La

Abidjan - A mãe do ex-presidente marfinense Laurent Gbagbo morreu na noite desta quarta-feira, três dias após seu retorno de exílio, informaram nesta quarta-feira de fonte oficial, disse à AFP.

"A mãe de Gbagbo morreu. Seu último desejo era morrer na sua aldeia", disse à AFP o ministro Hamed Bakayoko.

"Foi sugerido à família uma ambulância, mas esta manhã a família decidiu transportá-la em um veículo regular, houve uma parada em Yamoussoukro (centro), e ela morreu às 7:45", ele explicou .

Vários executivos da Frente Popular Marfinense (FPI), o partido do ex-presidente Laurent Gbagbo, disseram à AFP que ainda não estão cientes da morte.

Com idade acima de 90 anos, Marguerite Gado, mãe do Sr. Gbagbo voltou domingo por estrada desde a vizinha Gana, onde ela estava no exílio desde a crise pós-eleitoral de 2010-2011.

"Ela queria voltar para Costa do Marfim há mais tempo", disse o ministro do Interior da Costa do Marfim.

O regime do presidente Alassane Ouattara "ofereceu suas condolências à família" fez-se saber.

Ouattara, cuja vitória nas eleições presidenciais de 2010 foi rejeitada por Laurent Gbagbo, a Costa do Marfim mergulhou-se numa grave crise que deixou mais de 3.000 mortos ", fez reformas na sua casa, na aldeia, há mais de dois anos."

Laurent Gbagbo está preso em Haia à espera de julgamento pelo Tribunal Penal Internacional (TPI), que o acusa de "crimes contra a humanidade".

Milhares de marfinenses fugiram para Gana durante a crise pós-eleitoral.

O regresso dos refugiados é um desafio para a reconciliação nacional, a prioridade do governo, quase quatro anos após o fim da crise causada pela recusa de Gbagbo de reconhecer a vitória de seu rival nas eleições de novembro de 2010 .

EAK-jf / SBA / gg

# abidjan.net

Total de visualizações de página