Postagem em destaque

BAMAKO E IYAD ENGAJADOS NA MESMA LUTA CONTRA EIGS NO MALI: Cuidado com o efeito bumerangue!

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!... Há poucos dias, foi em Menaka que foi visto ao lado de notáveis ​​tu...

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Questionada a direção futura da União Africana (UA).

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

Abraham Fisseha, AfricaNews repórter em Addis Abeba, Etiópia

A África tem nos últimos 12 meses experimentado convulsões políticas de natureza massiva e da ação e inação da União Africana e suas diversas organizações que levantaram o questionamento e o futuro deste órgão criado com a maioria das nobres intenções.
Rawlings
"Da Tunísia até o Egito, Líbia e até mesmo na Costa do Marfim existem movimentos políticos de natureza diferente que desafiam o estabelecimento da instituição e de pôr em perigo a Unidade Africana, paz e desenvolvimento", diz ex-presidente de Gana Jerry John Rawlings, em um discurso ao Parlamento Pan-Africano que abre sua sexta reunião ordinária, em Adis Abeba.

Rawlings afirmou ainda que, embora a maioria de nós ficou encantado com a vontade do povo a tomar seu destino nas suas mãos, fomos surpreendidos com o fracasso do continente para evitar excessos em países como Líbia e Costa do Marfim.

De acordo com o ex-presidente do Gana, o fracasso coletivo da União Africana e suas diversas instituições tem de ser corrigido com um senso de urgência e unidade com o sangue e o trabalho daqueles que sacrificaram as suas vidas para buscar a mudança e isso não pode ir para o lixo.

O ex-presidente do Gana, Jerry. J. Rawlings falou sobre o Egito, e disse: "Onde a dor e a agonia que o povo do Egito sofreu na praça Tahrir e outras cidades, está se repetindo há alguns meses abaixo da linha".

"É óbvio que a máquina muito opressiva da revolução buscava deslocar-se tenta re-emergir e sob pretexto de segurança nacional. Egípcios comuns enfrentam novamente de assalto e brutalidades, e lembra do que aconteceu em janeiro e fevereiro anos atrás em cidades como Tahrir e outras em todo o país.''Ele ressaltou.

Jerry.J. Rawling pediu aos parlamentares pan Africanos que refletissem em como quanto tempo a organização continental e africana estará silenciosa.

Ex-Presidente do Gana Rawlings falando sobre Imigrantes Africanos e seu sofrimento, disse, citando reportagem da CNN em documentário, o rapto cruel e remoção de órgãos humanos / Peças de imigrantes ilegais tentando passar através do Egito para Israel por seres humanos contrabandistas beduínos, traficando supostamente para  remover os órgãos e tirar a vida dos imigrantes.

Ele enfaticamente disse aos parlamentares, não podemos permitir que este nível de depravação possa continuar no nosso continente, sem buscar respostas e pedindo através de investigação para chegar ao fundo da questão.

"Estas são as questões que o Parlamento Pan-Africano deve com força questionar totalmente se tornar a organização mais relevante para as pessoas do continente e justificar a sua busca para se tornar um órgão legislativo." Ele ainda ressaltou.

Rwaling falando sobre o TPI, e ele disse: "É simplesmente humilhante que no século XXI nosso continente encontra alguns de seus líderes perseguidos por Haia como um cordeiro ao matadouro, enquanto nós temos a capacidade de julgar nossos próprios. Temos que deixar Haia para aqueles que não podem controlar seu destino.''

O ex-presidente Rawlings, criticou a decisão de enviar Gbagbo a TPI, dizendo: "Se a Costa do Marfim está realmente buscando a paz e a reconciliação, um processo acordado por Ouattara e facções de Gbagbo, por que então enviar um ex-líder que, apesar de seus defeitos pagou dívidas  do seu país.''

Rawling apela a todos os africanos, para deixarem de ser observadores em questões de seu continente, frisou ''chegou o momento de pararmos de ser observadores, mas sim participantes ativos na mudança do continente; estamos em perigo de permitir uma nova forma de colonialismo engolir o nosso continente e escravizar-nos como fantoches da comunidade internacional. Vamos combinar nossos esforços na tomada de posição forte contra tal ameaça iminente.''

fonte: Africa News

Total de visualizações de página