Postagem em destaque

Ucrânia: Lula se recusa a entregar munição para tanques.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!... O governo brasileiro se opôs ao pedido da Alemanha de entrega de mun...

quinta-feira, 24 de abril de 2014

25 DE ABRIL DE 1974 - UMA DATA HISTÓRICA RELEMBRADA EM PORTUGAL POR TODOS OS PORTUGUESES. COINCIDÊNCIA OU NÃO, AMANHÃ TAMBÉM É 25 ABRIL, SÓ QUE DE 2014, QUANDO TEREMOS O FUNERAL DO EX-PRESIDENTE KUMBA YALÁ. O 25 DE ABRIL DE 2014 SERÁ TAMBÉM UMA DATA HISTÓRICA PARA TODO O POVO GUINEENSE INDEPENDENTEMENTE DO PARTIDO, DA CRENÇA, DA ETNIA QUE MANIFESTA? A VOZ DO POVO É A VOZ DA RAZÃO!

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

Sex. 25 abril 2014

25 de abril de 2014


25 Abril 2014

Vai fazer 40 anos que Abril abriu as portas à Liberdade e é bom recordar que muitos de nós, hoje aposentados/reformados, acompanhámos essa época de forma entusiástica porque acreditámos que as três siglas ou “3 D’s”, do Programa do Movimento das Forças Armadas, iriam ser uma realidade depois de 48 anos de infâmia. Eram eles:

  • “D” de Democratizar.
  • “D” de Desenvolver.
  • “D” de Descolonizar.

Éramos mais jovens e acreditámos e, em linhas gerais, movimentámo-nos, desde a primeira hora, para que liberdade sindical e de associação fizessem parte do léxico da empresa já que aquelas eram proibidas, “a bem da nação”, na INCM, para que o ordenado mínimo nacional fosse, também, implantado na empresa, desenvolveu-se o apoio médico através de um novo regulamento dos Serviços Sociais, organizámo-nos para impedir a sabotagem de alguns, poucos, apoiantes do fascismo e dos seus sequazes, dinamizámos os colóquios dados por partidos políticos, apoiámos o ressurgimento de um único Grupo Desportivo e Cultural recebemos, de braços abertos, alguns colegas expulsos e presos pela PIDE, soubemos sempre adaptar-nos às novas tecnologias, quer na gráfica, quer na metalúrgica, Tal como Chico Buarque compôs, podemos afirmar que “foi bonito, pá!”.

Ninguém pode negar que os legados mais importantes ou aqueles em que se considera que mais se avançou têm a ver com o Estado social: habitação, educação, assistência médica. São associados à democratização e ao que o 25 de Abril trouxe especificamente de positivo para o factor trabalho. Mas é neste ponto, o social, que os pensionistas e reformados da INCM estão, 40 anos após o 25 de Abril, preocupados e indignados, tendo em conta o sistemático ataque que tem vindo a ser feito contra as suas pensões/reformas, o que aliado à subida dos impostos e ao projecto de alteração do nosso sistema de saúde, está a remeter-nos para uma subalternidade social que, em alguns casos, já envergonha muitos de nós.
Estamos hoje presentes, em Lisboa e no Porto, neste ato solene da Comemoração do 40.º Aniversário do 25 de Abril na INCM, saudando todos os presentes, quer os que laboram na empresa, quer, em particular, os nossos associados. Às individualidades presentes, afirmamos que seguimos, com atenção e expectativa, o futuro da nossa pátria e, como a poetisa Sophia de Mello Breyner escreveu, “é imperioso, necessário e urgente” uma mudança de rumo. Cumpra-se a Constituição da República Portuguesa que no seu artigo 1.º afirma “Portugal é uma República soberana, baseada na dignidade da pessoa humana e na vontade popular e empenhada na construção de uma sociedade livre, justa e solidária”.

VIVA O 25 DE ABRIL!
 # http://reformados_da_incm.blogs.sapo.pt

Angola: Presidente em Paris para visita oficial na próxima terça-feira.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...


Presidente José Eduardo dos Santos

O Presidente da República, José Eduardo dos Santos, desloca-se a França na próxima terça-feira, 29, para uma visita oficial de 24 horas, durante a qual manterá um encontro de trabalho com o homólogo francês, François Hollande, disse hoje ao Novo Jornal fonte diplomática.
A visita, a terceira do Chefe de Estado angolano a Paris, é vista como um passo importante no sentido da normalização das relações entre os dois países.
José Eduardo dos Santos tem previsto um encontro e um almoço com Hollande, no Palácio do Eliseu, estando ainda agendada uma reunião de trabalho com meia centena de empresários franceses de diferentes sectores de actividade, os quais manifestaram vontade de investir em Angola e participar no processo em curso de diversificação da economia local.
A comitiva de José Eduardo dos Santos integra vários membros do Governo.
As relações político-diplomáticas e de cooperação entre os dois países iniciaram-se em Janeiro de 1977, ano em que Paris reconheceu oficialmente a independência da República Popular de Angola.
A França é o actual sexto maior fornecedor de Angola, a seguir aos EUA, Portugal, China, Brasil e África do Sul.
Os franceses ocupam ainda o terceiro lugar entre os países que mais investem em Angola. A petrolífera francesa Total é a maior produtora local, com 600 mil barris/dia, número que deverá crescer nos próximos anos em função de investimentos recentes na exploração off-shore (em águas profundas).
Além dos petróleos, os franceses têm investido também em áreas como, a industria agro-alimentar, banca e construção civil.
Os dois países desenvolveram ainda outras áreas de cooperação, designadamente na educação. A França destina 35 bolsas de estudo por ano a alunos angolanos para licenciaturas, mestrados e doutoramentos, em particular na área das engenharias.
# David Filipe / Novo Jornal


Lupita Nyong' O eleita a mais bela do mundo.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...




A actriz Lupita Nyong'O, que ganhou o Óscar para Melhor Actriz secundária, pelo papel em "12 Anos Escravo", foi eleita a mulher mais bela do mundo pela revista norte-americana "People".
A actriz queniana de 31 anos, nascida no México, confessou-se surpreendida com a escolha da revista e disse que a distinção é "um grande, grande elogio".
Lupita contou que a primeira vez que sentiu bonita foi aos 16 anos, quando ainda vivia no México e era das poucas pessoas negras na cidade onde morava. "Uma amiga veio ter comigo acompanhada de um amigo que era fotógrafo. Ele ficou encantado comigo e perguntou se me podia tirar uma fotografia. Foi a primeira vez que que alguém mostrou interesse em captar a minha imagem e senti-me extremamente bela", recordou a actriz.
Todos os anos a revista "People" escolhe, normalmente entre as estrelas de Hollywood, a mulher e o homem mais bonitos do mundo.
Em 2013, foi Gwyneth Paltrow quem conquistou o título na categoria feminina.

# http://agora.co.ao/

África do Sul: Instituições da África do Sul apodrecem no mundo pós-apartheid.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...


Presidente Sul-Africano Jacob Zuma. ARQUIVO | GROUP Nation

 Nas entranhas do maior hospital da África, os médicos realizam uma cirurgia de emergência à luz de um telefone celular, enquanto, por uma ala vizinha, os pacientes gravemente doentes são mantidos como sardinha, três em uma cama.

Vinte anos depois que os sul-africanos com júbilo varreram apartheid de lado, Chris Hani Baragwanath no Hospital de Joanesburgo, como em muitas de instituições do país no período pós-apartheid, não são capazes de viver de acordo com o sonho.

Longe de alto perfil, escândalos políticos do país, uma crise institucional mais perniciosa está devastando a " Nação de Arco-Íris ".

Pequenos municípios e grandes ministérios estão sendo corroídos pela corrupção, má gestão e da enormidade de servir todos os 51 milhões cidadãos do país, e não apenas uma elite branca.

Os problemas são " sistêmicos " e exigem uma " revisão" completa de acordo com Phophi Ramathuba de associação médicos do país, mas eles não se limitam ao sector da saúde e só.

Na província rural de Limpopo, 5.000 crianças não receberam livros de texto há mais de seis meses porque o governo está entupido com o contrato de entrega.

Em todo o país, o governo baixou o preço da passagem do ensino médio para 30 por cento para garantir que as taxas de matrícula não entrem em colapso sob o peso de professores de baixa qualidade, protegidos por sindicatos aliados do governo.

Em uma propriedade de luxo de habitação em Pretória, policiais mal treinados ou vagabundos imprudentes através de uma cena de suspeita de crime de homicídio, eles colocam seu próprio caso em perigo, enquanto que algumas investigações sobre o politicamente correto são descartados.

"O setor de policiamento todo é uma instituição falida. Tornou-se como uma milícia - Como do Haiti de Tonton Macoute ", disse o analista político Moeletsi Mbeki, irmão do ex-presidente Thabo, referindo-se à força paramilitar brutal criada por Papa ex-dictator François 'Papa Doc' Duvalier.

- " As coisas pioraram "-

E uma instalação que já foi um dos melhores hospitais da África é agora atormentado por equipamentos quebrados, falta de medicamentos básicos e apesar de ter 3.200 deles, há falta de leitos.

No advento da democracia em 27 de abril de 1994 o Hospital Baragwanath tinha uma reputação de estrela, recebendo pacientes de referência de muitos lugares além das fronteiras da África do Sul.

Seus médicos já tinham separado com sucesso gêmeos siameses, enquanto um hospital vizinho na Cidade do Cabo foi o primeiro lugar no mundo a realizar com sucesso um transplante de coração.

Com o sufrágio universal veio o dever de cuidar de dezenas de milhões de pacientes negros que em grande parte haviam sido negados o acesso a cuidados de qualidade em sua maior parte no século passado sob as leis do apartheid racista.

"As coisas ficaram piores, muito ruim, é realmente assustador ", disse um médico sênior negro no hospital que pediu para não ser identificado.

Ele se lembra de um incidente, há duas semanas, quando três pacientes muito doentes foram obrigados a dividir a cama em uma ala de internamento que recebe mais de 100 pacientes por dia.

" O do meio morreu e de repente essas duas pessoas foram imprensadas com o cadáver ", lembrou ele, indignado.

Em outro caso recente, uma mulher foi forçada a dividir a cama com um paciente do sexo masculino.

Estado dos " hospitais foram muito melhores no período sob o apartheid ", disse ele, descartando as sugestões de que a expansão da cobertura médica para pacientes negros é a raiz dos problemas do sistema.

"Houve aplicação de menos dinheiro que está indo para a corrupção. "

- Corrupção cria raízes -

Quando o ANC assumiu o poder há 20 anos, o partido, por sua própria admissão, não tinha capacidade para dirigir um governo.

" Fomos trazidos do mato, ou de territórios fora do país, ou de prisões para virmos e assumir o controle ", o falecido Nelson Mandela retratou isso depois de se tornar o primeiro presidente democrático eleito no país.

"Fomos de repente atirados para essa imensa responsabilidade de gerir um país altamente desenvolvido. "

Sem compreender os desafios, os eleitores colocaram o ANC no poder batendo margens eleitorais.

Mas 20 anos depois os sul-africanos parecem ser menos compreensivos, com culpas redondamente empilhadas no partido do governo e as suas políticas.

A liderança do partido tem " permitido a corrupção e criação de raízes, produziu um sistema de burocracia e da educação ineficientes, e gastou milhões em projetos de vaidade ", disse o analista Max du Preez, em um livro recente 'A Rumour of Spring '.

Enquanto Mandela procurou manter todos, mas os funcionários públicos brancos mais politicamente deformados são necessários para governar o país, muitos ainda à esquerda.

Má prestação de serviços

Eles foram substituídos por acólitos do partido que muitas vezes são utilizados no sector público para o auto-enriquecimento, saqueando os cofres por meio de manipulação, enquanto as pessoas foram negligenciadas por má prestação de serviços.

" O serviço público é incapaz de cumprir as suas obrigações por causa de uma falta de capacidade entre os funcionários públicos ", disse o vice-chanceler da Universidade Wits, Adam Habib.

Esta é uma consequência da ação afirmativa ou " política de implantação de quadro de modo equivocada " do governo.

"A corrupção corre solta e não é tratada com firmeza por causa de lealdades partidárias ou ineficiências no sistema ", disse ele em um livro recém-publicado "Revolução Suspensa da África do Sul".

Apesar do quadro sombrio, é improvável que se transforme em estado falido o país, pois algumas instituições ainda funcionam bem.

"Nossas melhores instituições é o protetor do público, o tribunal constitucional - na verdade, os tribunais, em geral, são muito independentes e essas instituições estão fazendo o que deveriam estar fazendo", disse Mbeki.

" SARS ( a Sul-Africano Revenue Service) é eficiente na coleta de impostos, mas ela está sendo usada por Zuma e companhia para perseguir seus adversários.

"A África do Sul não deve ir para uma pirueta em que os outros países africanos entraram, isso porque temos um setor privado muito forte e competente ", disse Mbeki.

"Isso é o que mantém o país brilhando."

# -AFP -Media


Total de visualizações de página