Postagem em destaque

CONCESSÃO DO PRÊMIO HOUPHOUET BOIGNY PELA BUSCA DA PAZ EM RCI: Os marfinenses poderão finalmente se olhar no espelho?

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!... Realiza-se esta quarta-feira, 8 de fevereiro de 2023, em Yamoussoukr...

segunda-feira, 22 de setembro de 2014

Chefes de Estado africanos abordam investimento no continente.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...


Comissão Económica para África. Foto: ECA


ACESSE O LINK E OIÇA. CLICA AQUI.


# RÁDIO ONU

EUA ainda procuram julgar Indjai.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

(jornalnoticias.co.mz)
António N´Djai (jornalnoticias.co.mz)

A JUSTIÇA dos Estados Unidos da América ainda procura julgar por tráfico de droga e armas o general António Indjai, exonerado semana passada do cargo de chefe de Estado-Maior General das Forças Armadas (CEMGFA) da Guiné-Bissau, segundo fonte judicial.
“O caso de António Indjai ainda está pendente no nosso tribunal”, disse, no final da semana, à agência Lusa uma assessora de imprensa da Procuradoria do Distrito Sul de Nova Iorque, confirmando que o mandado de captura norte-americano se mantém.
A mesma representante disse que “o tribunal não comenta qualquer outro aspecto do caso”, inclusive a hipótese de extradição, agora que o general não ocupa um cargo oficial.
António Indjai foi acusado, pela justiça dos EUA a 18 de Abril de 2013, de participação numa operação internacional de tráfico de drogas e armas.
A acusação surgiu depois de um antigo líder da Marinha guineense, Bubo Na Tchuto, ter sido detido dias antes, a 4 de Abril, em águas internacionais, perto de Cabo Verde, por uma equipa da agência de combate ao tráfico de droga norte-americana, juntamente com outros quatro guineenses.
Na Tchuto e dois dos seus ajudantes já confessaram os seus crimes. Um dos ajudantes, Papis Djeme, foi condenado este mês a seis anos e meio de prisão.
Quanto ao segundo adjunto, Tchamy Yala, a sentença será lida a 17 de Novembro próximo.
Depois da confissão de Na Tchuto, acontecem agora as negociações entre a acusação e defesa. O guineense arriscava uma pena de prisão perpétua.
“Desde o início que este caso tem mostrado que as forças da lei dos EUA vão fazer justiça com todos os traficantes que tragam drogas ilegais para o país, mesmo quando os seus actos criminosos acontecem noutros continentes”, disse o procurador do Estado de Nova Iorque, Preet Bharara, no início do mês, quando leu a sentença de Papis Djeme.
# jornalnoticias.co.mz

Polícia investigará racismo contra o jogador Balotelli no Twitter.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

Balotelli wears the 2014 Italy Home Kit 02 (cropped).jpg
A polícia britânica disse estar investigando ofensas racistas contra o atacante do Liverpool Mario Balotelli no Twitter.

As ofensas ocorreram após o jogador italiano ter escrito a mensagem "Man Utd... LOL" - que pode ser traduzida como "Manchester United... rindo muito alto" - após o time do norte da Inglaterra sofrer uma surpreendente goleada de 5 x 3 do Leicester no domingo.
A frase do jogador italiano, que já defendeu o Manchester United, foi retuitada mais de 150 mil vezes e recebeu diversas respostas racistas de usuários. Várias contas foram desativadas desde então.

A polícia disse que tentará identificar os usuários que enviaram as mensagens.
O grupo antidiscriminação Kick It Out, que fez a denúncia à polícia, disse que outros usuários alertaram para as ofensas contra o atacante. Segundo um porta-voz do grupo, metade de todas as queixas apresentadas na temporada 2013-14 envolvia abusos realizados em mídias sociais.

"Os casos vêm aumentado e pedimos aos usuários das redes sociais que nos ajudem a levar esse tipo de abuso à atenção das autoridades", disse.
Não é a primeira vez que Balotelli sofre ofensas racistas. Em maio, torcedores italianos xingaram o jogador durante um treino da seleção italiana antes da Copa do Mundo. O jogador já havia sofrido assédio semelhante em suas passagens pela Inter de Milão e pelo AC Milan.
No ano passado, ele ameaçou deixar os gramados se voltasse a sofrer assédio de torcedores.

Casos frequentes
Casos de racismo têm sido comuns no futebol internacional. Em um dos casos de maior repercussão, o brasileiro Daniel Alves, lateral do Barcelona, se posicionava para bater um escanteio quando um torcedor do Villarreal atirou uma banana ao campo.
Alves comeu a fruta e continuou a jogada. O caso ganhou repercussão internacional e levou à criação da campanha #somostodosmacacos na internet, que reuniu apoio milhares de pessoas em todo o mundo.

No Brasil, o caso mais recente envolveu o goleiro Aranha, do Santos, que foi xingado de "macaco" por torcedores do Grêmio. O time foi punido e excluído da Copa do Brasil.

# BBC Brasil

Missão de emergência contra ebola chega à África nesta segunda-feira.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

Anúncio da ONU foi feito após Assembleia Geral adotar resolução que aprova o estabelecimento da missão.


O secretário-geral da ONU (Organização das Nações Unidas), Ban Ki-moon, criou a Missão da ONU para a Resposta de Emergência ao Ebola, e confirmou que as primeiras equipes chegam a Gana amanhã (hoje) (22).
Da capital, Acra, a missão segue para Guiné, Libéria e Serra Leoa, os países mais afetados pelo surto. Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), mais de 5 mil pessoas foram infectadas e o número de mortos passa de 2,6 mil.
O anúncio de Ban Ki-moon foi feito após a Assembleia Geral adotar uma resolução aprovando o estabelecimento da missão de emergência. Segundo o secretário-geral, as equipes vão fornecer ajuda operacional a fim de garantir ação rápida para colocar um fim ao surto. A missão tem como objetivo ainda tratar pacientes, garantir serviços essenciais, manter a estabilidade e prevenir que o vírus se espalhe para países ainda não afetados.
Ban Ki-moon nomeará um representante especial como chefe da Missão, que vai trabalhar em conjunto com a OMS, países que integram as Nações Unidas, organizações regionais, sociedade civil e setor privado.
operamundi.uol.com.br

Guiné-Bissau em destaque.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...
Timor-Leste paga um mês de salário aos funcionários públicos.



Governo de Timor-Leste entregou, esta quinta-feira, ao executivo da Guiné-Bissau 2,9 mil milhões de francos CFA (algo como 4,4 milhões de euros) para o pagamento de um mês desalários em atraso a todos os funcionários públicos.

O montante, em cheque, foi entregue, em mão, pelo chefe da agência de cooperação de Timor-Leste na Guiné-Bissau, Alberto Carlos, ao primeiro-ministro Domingos Simões Pereira.

«A ajuda financeira às novas autoridades guineenses foi decidida pelo Conselho de Ministros de Timor-leste, na reunião de 12 de agosto», pode ler-se no comunicado, frisando tratar-se de um apoio «no quadro da normalização da vida política e institucional na Guiné-Bissau».



Presidente do parlamento senegalês visita Bissau em dezembro

Moustapha Niasse (foto D.R.)

Moustapha Niasse, presidente do parlamento senegalês, vai visitar a Guiné-Bissau em dezembro, na sequência do convite que lhe foi endereçado pelo homólogo Cipriano Cassama.

Recentemente, Cipriano Cassama e Moustapha Niasse analisaram, em Dakar, as possibilidades de cooperação entre os dois parlamentos devendo a visita a Bissau servir para aprofundar as conversações com vista a definição de áreas concretas de futuras parcerias.


EUA elogiam exoneração de António Indjai do cargo de chefe das Forças Armadas.

Bandeira dos Estados Unidos da América (fotografia de arquivo) (foto AP)

embaixada norte-americana no Senegal emitiu um comunicado em que elogiou o Governo da Guiné Bissau pelos «progressos consideráveis» que tem levado a cabo, bem como pela exoneração de António Indjai do cargo de chefe de Estado-maior General das Forças Armadas.

«Soubemos pela comunicação social que o presidente José Mário Vaz dispensou formalmente o general Indjai da sua posição de chefe militar», pode ler-se na nota de imprensa, citada pelaPortuguese News Network (PNN).

De acordo com o mesmo comunicado, «o novo governo eleito da Guiné-Bissau está a passar por um processo de restabelecimento de um Estado de direito, num país que há apenas dois anos sofreu um golpe militar».

Neste sentido, os Estados Unidos pretendem «continuar a trabalhar e a apoiar» o novo executivo guineense para ajudar à construção de um «Estado de direito democrático».

# abola.pt

Total de visualizações de página