Postagem em destaque

Ucrânia: Lula se recusa a entregar munição para tanques.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!... O governo brasileiro se opôs ao pedido da Alemanha de entrega de mun...

terça-feira, 14 de junho de 2011

Angola: governo lança programa de assistência social aos mais pobres.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

A Bolsa Família é um programa de assistência social por via do qual vão ser transferidos dinheiros do Estado às famílias mais pobres do país.
Angola:governo lança programa de assistência social aos mais pobres.

As áreas rurais no interior são as mais afectadas e por conseguinte, as de maior atenção da parte do Executivo. O semanário “Novo Jornal” que tratou esta matéria com exclusividade, cita um documento remetido ao Secretariado do Bureau Político do MPLA, designado de “Memorando sobre o programa social de transferência directa de recursos financeiros
para a população em situação de pobreza extrema”.
Não está dito quando terá início.
Tudo que se ficou a saber através da referida fonte, o programa movimentará mensalmente 40 milhões de dólares.
A implementação da iniciativa vai ser precedida de um cadastro, a ser efectuado por brigadistas, com apoio dos serviços da Administração local.
O programa não foi publicitado e é neste momento do desconhecimento de muitos dos angolanos.
Trinta e sete por cento da população angolana vive com menos de dois dólares americanos por dia.
Os valores a transferir chegarão até aos 120 dólares americanos por cada agregado familiar.

Fonte:  VoaNews


Conheça o Bitcoin, dinheiro virtual usado até em site de venda de drogas.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

Nascido após crise de 2008, moeda utiliza conceitos de redes P2P.
Objetivo é criar uma moeda 'sem fronteiras', e sem banco central.

Altieres Rohr Especial para o G1*
 

O “bit” no nome Bitcoin não tem apenas relação com o fato de a moeda ser “virtual” – afinal, em uma época com tantos cartões de crédito e mais números em contas bancárias do que papel, a “virtualidade” do dinheiro não poderia ser um privilégio do Bitcoin. O “bit” vem do “BitTorrent”, uma rede ponto a ponto (P2P), sem um ponto central, em que essencialmente cada internauta participante tem o mesmo valor e é anônimo. O Bitcoin não tem uma central de gerenciamento, diferente das moedas como o real, que é gerenciada pelo Banco Central. Para garantir a segurança, o Bitcoin utiliza um complexo esquema matemático de criptografia.
Se você tem alguma dúvida sobre segurança da informação (antivírus, invasões, cibercrime, roubo de dados, etc), vá até o fim da reportagem e utilize a seção de comentários. A coluna responde perguntas deixadas por leitores todas as quartas-feiras.
Logotipo do Bitcoin, a moeda virtual que funciona via conexões ponto a ponto entre internautas (Foto: Divulgação) 
Logotipo do Bitcoin, a moeda virtual que
funciona via conexões ponto a ponto
entre internautas (Foto: Divulgação)
O G1 conversou com Amir Taaki e Donald Norman da Bitcoin Consultancy, uma organização destinada a promover o uso de Bitcoin fora dos círculos de especialistas em tecnologia. Eles contam que moedas do Bitcoin, abreviadas como “BTC”, já podem ser compradas e trocadas em algumas organizações de câmbio. Para isso, há sites que avaliam o mercado das Bitcoins – que está atualmente instável devido ao inconstante fluxo de participantes.
O ideal é que pessoas ofereçam serviços e produtos legítimos e aceitem Bitcoins como pagamento, para depois trocar pela moeda padrão do seu país ou comprar outros serviços e produtos com o Bitcoin, criando essencialmente uma economia de Bitcoins.
A rede do Bitcoin possui um banco de dados que se expande em blocos, gerados, em média, a cada dez minutos. Esse bloco de dados contêm todas as transações realizadas, ou seja, embora os participantes da rede do Bitcoin sejam anônimos, todas as trocas de moedas ficam abertas. É uma medida de segurança necessária para que as moedas do Bitcoin não sejam gastas duas vezes. Os blocos podem ser vistos no site Block Explorer, onde pode ser visto o “caminho” das moedas BTC, que fica registrado nesse banco de dados.
Cada bloco gerado depende de uma complexa fórmula matemática criptográfica realizada com base no bloco anterior. Com isso, os blocos formam uma corrente e ninguém pode corromper o banco de dados, já que é possível verificar se um bloco é legítimo ou não com base nos demais, até chegar ao primeiro bloco (chamado de “bloco da gênesis”). Com isso, uma pessoa não pode gerar transações ou moedas falsas.
O banco de dados do Bitcoin pode ser obtido lendo a cadeia de blocos até o primeiro bloco (pretos). Blocos alternativos devem ser ignorados, garantindo a segurança da rede (Foto: Reprodução/Bitcoin) 
O banco de dados do Bitcoin pode
ser obtido lendo a cadeia de blocos
até o primeiro bloco (pretos). Blocos
alternativos devem ser ignorados,
garantindo a segurança da rede
(Foto: Reprodução/Bitcoin)
Os participantes da rede do Bitcoin que fazem essas complexas contas matemáticas para verificar as negociações são recompensados com novas moedas BTC, de certa forma sendo “pagos” por um “trabalho”. Por volta de 2030, porém, a criação de novas moedas será praticamente nula e pode ser preciso pagar alguma “taxa” por cada negociação feita no Bitcoin, para dar incentivo a esses membros da rede que deixarão seus computadores ligados o tempo todo para resolver essas fórmulas – isso se não houver outros incentivos para manter rede funcionando sem taxas.
Ou seja, embora as partes envolvidas em uma troca de Bitcoins possam ser anônimas, a negociação em si e seu valor precisam ser registradas.
O Bitcoin tem sido divulgado como uma maneira de “gerar” dinheiro em P2P, mas isso, segundo os especialistas, não é o principal. Isso porque “gerar dinheiro”, que necessita da verificação das negociações feitas em BTC, está se tornando uma atividade tão intensa que computadores domésticos comuns já não são rápidos o suficiente. “Tem gente colocando as placas dentro de gelo [para poder fazê-las rodar mais rápido]”, informa Taaki. Mesmo assim, a quantia gerada é pequena e só tende a cair.
“Algumas pessoas estão calculando o valor do Bitcoin pelo custo da eletricidade de geração de uma moeda”, diz Norman, “mas isso não é apropriado, porque quem não verificar as negociações [usando pouca energia] não será recompensado”.

Fonte: www.ejornais.com.br

Nas Praças Bolívar, pela saúde de Chávez.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

Juana Carrasco Martín, especial para o "Granma"

O povo venezuelano manifestou nas ruas sua solidariedade e seus bons desejos para o presidente Chávez.  

CARACAS.— Com a letra grande, garatujada, e pouco segura de quem está aprendendo a ler e a escrever, a criança deixa sua mensagem de carinho, e não são poucas as crianças que com canetas hidrográficas na mão pintam seu coração e ternura, junto ao conselho da avó, o rogo da jovem, a admiração do galego e a solidariedade da cubana. Perante os murais fazem fila a juventude dos bairros, os militantes do PSUV, as donas do conselho comunitário, os trabalhadores da prefeitura, o pedestre ocasional, os que chegaram desde cada paróquia para dizer a seu comandante que se cuide, que descanse, que o apoiam, que precisam dele... e pedem a Deus que o proteja e lhe dê saúde, enquanto no palco se sucedem oradores e cantores, porque é domingo e é festa dum povo orgulhoso e agradecido de ter esse presidente.
Assumem-no como uma missão, dão conselhos, oferecem apoio de muito, muito amor. Expressam-se deputados e líderes do partido, artistas de destaque, o povo trabalhador e humilde, a juventude comprometida. Chegaram por dezenas, centenas a esta Praça que tudo viu e continua sendo pedestal para o testemunha luminoso que traça o caminho bolivariano, montado em seu cavalo de bronze, rodeado de pombas, fontes e árvores frondosas.
"Ainda bem que foi em Cuba. Temos certeza de que está bem cuidado", comenta espontaneamente o senhor Andrés, e a rapper agradece a Deus, pede-lhe pelo mundo, pelas crianças famintas de outros lares, pela saúde do líder da Revolução, pela paz, solicita bênçãos e inclui Cuba e seu povo nessa lista inesgotável do humano; aquela senhora sob o toldo levanta seu cartaz como um escudo: Missão recupere-se! Presidente, Venezuela o espera...; o outro não fica atrás: Descanse comandante, Venezuela precisa de você.
E assim vão escrevendo nos murais que logo vão ficando sem espaço para expressar o amor: Quero meu comandante recuperado, descanse... Para frente comandante, a esperança da humanidade está na Revolução Bolivariana, um galego... Este bravo povo "lhe ordena" que descanse, comandante, ainda falta muito... O petróleo é nosso e Chávez também, descanse, melhore, cuide-se... Eu o amo, Silenia, oito anos... Presidente Chávez precisamos de você para continuar esta Revolução... Obrigado Fidel, Marcos Machado...

Assim aconteceu em muitas praças do país, que se encheram do povo, desde Vargas até Cojedes, passando por Miranda, Zulia, Anzóategui e Yaracuy, concentrado com espontaneidade como muralha e sustento coletivo, e que com otimismo renovado e bons desejos tinha uma consigna: Para frente Comandante.

Fonte: Jornal Granma
 

Hugo Chávez conversa durante 30 minutos com a Telesul.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

 O mandatário recupera-se satisfatoriamente  Recebeu a visita de Fidel e de Raúl. Esteve em pé durante mais de uma hora.

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, informou, em 13 de junho, a seu povo, que a cirurgia à que foi submetido em Cuba foi bem-sucedida e se encontra em bom estado de saúde.
"Estou muito bem atendido aqui, o próprio Fidel disse-me que devia descansar. Fidel e Raúl estão à par de cada detalhe", assegurou o mandatário em um contato telefônico com a Telesul.
"Felizmente, Cuba tem um dos sistemas de saúde mais avançados, não só deste continente mas sim do mundo, portanto, adoeci em um bom lugar", indicou.
"Ontem, tive um dia difícil, o primeiro dia após a operação, inclusive tentei andar e tive que voltar ao leito devido ao enjoo. Hoje, em troca, estive mais de uma hora fora do leito", referiu.
Ao oferecer detalhes de sua convalescença disse que "foi uma sorte que nesse abscesso pélvico não ocorresse uma infecção. Afortunadamente, fizeram-se biópsias e não há nenhum sinal maligno".
Precisou que seu retorno dependerá da evolução, "é uma lesão sensível e não se deve ter pressa. Eu estou com minhas plenas faculdades, caso percebesse uma diminuição das minhas faculdades para continuar no governo eu próprio tomaria a decisão de pedir a substituição".
O chefe de Estado expressou seu carinho e agradecimento ao povo venezuelano pelas manifestações de apoio, e ao mesmo tempo fez um apelo a economizar energia elétrica e a estar alerta ante a ocorrência de sabotagens, "porque há setores apátridas, da extrema direita, que se podem prestar a qualquer coisa". Ainda, destacou as demonstrações de afeto do povo cubano.
Finalmente, deu instruções ao chanceler Nicolás Maduro, quem se encontrava sendo entrevistado pela jornalista Patricia Villegas no set da Telesul, no sentido de acelerar todos os programas sociais em andamento na Venezuela: "que nada se detenha, ao contrário, vamos acelerar". Anunciou que tinha conversado, em várias ocasiões, durante o dia 12 de junho, com o vice-presidente Elías Jaua e adiantou à opinião pública que acaba de promulgar a lei de endividamento oficial, que sairá na Gazeta de 13 de junho. "Tudo deve acelerar, todas as missões, de habitação, agrícolas, a produção nacional, a saúde, o ensino e a proteção das famílias".
"Para aqueles que dizem que devo sair da Presidência, terão que trabalhar duro para o conseguir", afirmou.

Fonte: Jornal Granma 

Total de visualizações de página