Postagem em destaque

BAMAKO E IYAD ENGAJADOS NA MESMA LUTA CONTRA EIGS NO MALI: Cuidado com o efeito bumerangue!

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!... Há poucos dias, foi em Menaka que foi visto ao lado de notáveis ​​tu...

terça-feira, 28 de outubro de 2014

Ronaldo recebe Bota de Ouro a 6 de Novembro.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...


                               
Cristiano Ronaldo receberá a sua terceira Bota de Ouro no dia 6 de novembro, que o consagrou, juntamente com Luis Suarez, como artilheiro europeu da época passada.
Ronaldo vai, finalmente, receber a Bota de Ouro conquistada na época 2013/2014, ganha juntamente com o uruguaio Luis Suarez (ex-Liverpool), ambos com 31 golos, numa cerimónia agendada para Madrid.
Recorde-se que Suarez, agora jogador do Barcelona, recebeu o seu troféu no dia 15 deste mês de outubro, naquela cidade catalã.
E quando está prestes a receber a sua terceira Bota de Ouro, Ronaldo já se encontra na disputa de um novo troféu, destinado ao melhor marcador dos diferentes campeonatos do continente europeu, ocupando nesta altura a segunda posição, a um ponto do russo Kabaev (33 golos), do Sillamae Kalev, da Estónia. Ronaldo concorre ainda ao prémio de melhor golo da Liga espanhola na época 2013/14, juntamente com Leo Messi (Barcelona) e Giovani dos Santos (Villarreal).
O capitão da selecção portuguesa está também nomeado para o prémio de melhor avançado daliga espanhola na última época.
# noticias.sapo.mz

Senegal: Moustapha Cissé Lo - "Macky Sall não pode fazer nada, ele deve assinar o APE ( Acordo de Parceria Económica ) pela força"

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...



O vice-presidente da Assembleia Nacional, Moustapha Cisse Lo trouxe a réplica para aqueles que denunciam os Acordos de Parceria Económica (APE). É anormal o que as pessoas estão dizendo "Y está ultrapassado" apenas apela a sua rejeição. Hoje, devemos aplaudir Macky Sall e sobretudo, explicar às pessoas que ele é obrigado a assinar o APE. Macky Sall nada pode fazer, ele deve assinar pela força. Ele encontrá-lo-a aqui ", disse nesta segunda-feira, Moustapha Cissé Lô. Além disso, o político é membro da Aliança para a República (APR). Para ele, hoje, a única questão que as pessoas devem se perguntar é saber 'quais são as medidas tomadas pelo Estado do Senegal sobre tarifas externas que entrarão em vigor no próximo ano. "

"Os APEs é como os acordos de Lomé e aqueles de Cotonou. São as parcerias. Nós não podemos falar depois de mais de 12 anos, injetar uma grande quantidade de dinheiro, querendo a livre circulação de pessoas e bens e não querer admitir os APEs. chegamos a um estágio em que não podemos voltar atrás. Sabemos que a Costa do Marfim assinou há muito tempo ", disse ele.

# seneweb.com

Queda enorme de corpos de vítimas de Ebola em toda capital da Libéria: Informa a Cruz Vermelha.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...


Um médico trabalha para a erradicação de Ebola na África ocidental. FOTO | ARQUIVO

A Cruz Vermelha disse nesta terça-feira que o total de vítimas de Ebola coletados ao longo da semana por suas equipes de eliminação do corpo ao redor da capital da Libéria está caindo drasticamente, indicando uma queda acentuada na propagação da epidemia.

O anúncio está em desacordo com uma avaliação feita pela Organização Mundial de Saúde (OMS), que disse que a transmissão na semana passada "permanece intensa" nas capitais da Libéria e a vizinha Guiné e a Serra Leoa.

Fayah Tamba, chefe da Cruz Vermelha na Libéria, disse que seus trabalhadores recolheram 117 corpos na semana passada no concelho de Montserrado, que inclui Monrovia - uma queda de quase dois terços da alta de 315 de 15-21 de setembro.

"Tenho certeza de que você não precisa ser um cientista para dizer que os casos estão caindo", disse à estação de rádio privada Sky FM.

"O que isso significa para nós? É muito importante, para todos nós, que, embora seja verdade que esses números estão reduzindo, queremos usar este tempo para chamar atenção de cada um de nós para estar mais engajado porque Ebola ainda está na Libéria.

"Nós não devemos ser complacentes antecipadamente e começar a comemorar, porque nós ainda temos esse inimigo em nossos corredores."

Sr. Tamba forneceu números de semana-a-semana para as coleções que se elevam rapidamente, de 60 em 03 de agosto -, mas as semanas após o pico de setembro mostram um declínio consistente.

Suas conclusões foram confrontadas com as atualização da OMS sobre a crise em 22 de outubro, que informou que o número de casos "continuam a fazer parte da estatística, especialmente a partir da capital liberiana Monróvia".

Libéria foi o país mais atingida pelo surto, com 4.665 casos registrados e 2.705 mortes, segundo a OMS, baseando-se em números no entanto, que fazem parte agora dos 10 dias fora do prazo de validade.

A Libéria confirmou seus dois primeiros casos de Ebola no final de março, mas o surto foi largamente confinando à área norte da fronteira com a Guiné durante os primeiros meses da crise, até que uma explosão de casos erradicou em torno de Monróvia.

O município de Montserrado, que representa mais de um quarto da população da Libéria de cerca de quatro milhões, agora vê a grande maioria dos novos casos e mortes.

# africareview.com

Boko Haram usa jovens sequestradas na frente de batalha.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

Há relatos de mulheres que foram forçadas a degolar outras pessoas a mando do grupo radical.


Uma mulher mostra a foto da filha, sequestrada em maio de 2014 pelo Boko Haram em Maiduguri. Foto: Joe Penney / Reuters

O grupo islamita nigeriano Boko Haram está utilizando as mulheres e adolescentes sequestradas na primeira linha de combate, denuncia a organização Human Rights Watch (HRW).
A organização de defesa dos direitos humanos compilou os depoimentos de dezenas de ex-reféns, que revelaram sequelas físicas e psicológicas.
Em um relatório da ONG, uma jovem de 19 anos sequestrada durante três meses pelo Boko Haram afirma que foi obrigada a participar nos ataques dos islamistas. "Me pediram que levasse as munições e deitasse na grama, enquanto eles lutavam. Vinham pegar o material durante o dia, duranto os combates", contou a jovem a HRW.
A ex-refém também revelou que recebeu a ordem de degolar um dos integrantes de uma milícia privada, capturado pelo Boko Haram, com uma faca. "Eu tremia de terror e não consegui fazer. Então a mulher do líder do acampamento pegou a faca e o matou", disse.
Durante o ano, vários atentados suicidas foram cometidos por mulheres, algumas muito jovens, mas não foi possível determinar se eram reféns do grupo insurgente ou voluntárias.
As ex-reféns, que passaram entre dois dias e três meses sob controle dos sequestradores, afirmaram que foram levadas para oito acampamentos diferentes, na selva de Sambisa, no estado de Borno (norte) e nas montanhas de Gwoza, entre a Nigéria e Camarões.
Segundo a HRW, que para elaborar o relatório entrevistou 30 mulheres entre abril de 2013 e abril de 2014, mais de 500 foram sequestradas desde que o Boko Haram iniciou a insurreição na região norte do país em 2009.ulgado um dia depois do anúncio de que 30 adolescentes, meninos e meninas, alguns de apenas 11 anos, foram sequestrados no fim de semana em Borno. Uma semana antes, 60 meninas e jovens foram sequestradas em Wagga e Gwarta, duas cidades do leste do estado.
Os sequestros dificultam ainda mais o acordo de cessar-fogo que o governo disse ter concluído com o Boko Haram em meados de outubro, com o qual deveriam ser libertadas 219 adolescentes levadas pelos islamitas em abril na localidade de Chibok.
Uma das ex-reféns de Chibok contou que foi obrigada a cozinhar e a limpar para outras mulheres, que recebiam tratamento preferencial "por sua beleza".
Outros depoimentos mencionam estupros e violência física. Uma vítima afirma que foi ameaçada de morte, com uma corda no pescoço, até que aceitou a conversão ao islamismo.
Uma adolescente de 15 anos conta que quando reclamou que era muito jovem para casar, um dos comandantes respondeu que sua filha de cinco anos havia casado um ano antes.
# AFP

Colaborador cubano morre na Guiné Conacri vítima da malária.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

                                      Treinamento - Ebola

O Ministério de Saúde Pública de Cuba informou da morte, na Guiné Conacri, de um dos colaboradores que fazia parte da brigada que viajou a esse país para combater o Ébola, em consequência da malária com complicações cerebrais.
 Uma nota oficial divulgada na madrugada de 27 de outubro identificou o falecido como Jorge Juan Guerra Rodríguez, 60 anos e licenciado em Economia, natural da província cubana de Sancti Spíritus, no centro-sul do país.
 O colaborador tinha viajado como parte da avançada da brigada para enfrentar a epidemia do Ébola na Guiné Conacri, e chegou a esse país no dia 6 de outubro, diz a declaração.
 A nota acrescenta que no dia 22 tudo começou com um quadro diarréico, o qual foi relacionado com um transtorno alimentar, indicando-lhe tratamento sintomático, por parte dos médicos da brigada cubana.
 No dia 23, ao continuar com os sintomas, foi atendido no hospital de Donka, onde recebeu tratamento de forma ambulatória com antibióticos, hidratação e dieta, apresentando melhora clínica, acrescenta a informação.
 Na manhã do dia 24, expressa a nota, foi levado à clínica Pasteur, onde lhe foram realizados vários exames de laboratório. Ao não apresentar novos sintomas e ter desaparecido a diarreia, resolveu-se continuar com o mesmo tratamento, à espera dos resultados do laboratório.
 "Nesse mesmo dia, às 20h00, hora local, começou a manifestar sinais e sintomas de agravamento, que fizeram pensar na probabilidade de ter contraído malária, pelo qual lhe foi iniciado um tratamento antimalária e transferido para a clínica Pasteur, onde ingressou e se corroborou o diagnóstico, continuando-se com o tratamento".
 "Uma equipe de especialistas cubanos estabeleceu comunicação com os médicos internos de nossa brigada, que se encontravam atendendo ao paciente junto ao pessoal médico da instituição, os quais coincidiram com o diagnóstico e realizaram recomendações ao tratamento", precisa.
 A nota esclarece que devido às suas funções de econômico na brigada, ele nunca esteve em contato com Centros de Tratamento do Ébola nem com doentes, não obstante, realizaram-se dois testes para diagnóstico de Ébola, que resultaram negativos.
 A nota dá a conhecer que na madrugada do dia 26, piorou seu estado de saúde, evoluindo até falecer devido a uma falência múltipla de órgãos.
 A comunicação expressa, ainda, o agradecimento aos ministros de Saúde e Cooperação da Guiné Conacri, aos representantes das Nações Unidas e da Organização Mundial da Saúde, os quais tomaram conta do atendimento e acompanhamento de nosso colaborador, mantendo-se ao seu lado, junto à embaixadora de Cuba e a direção da brigada, até o falecimento.
 Jorge Juan Guerra Rodríguez, trabalhou durante mais de 30 anos na Direção Provincial de Saúde de Sancti Spíritus, cumpriu missão internacionalista em Mali e de maneira voluntária deu a sua disposição para integrar o grupo de colaboradores que partiu rumo à África Ocidental.
 Aos familiares de nosso companheiro, transmitimos as mais sentidas condolências, conclui a declaração do Ministério de Saúde de Cuba.

# granma.cu

Total de visualizações de página