Postagem em destaque

Ucrânia: Lula se recusa a entregar munição para tanques.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!... O governo brasileiro se opôs ao pedido da Alemanha de entrega de mun...

sexta-feira, 28 de setembro de 2012

Guiné-Bissau: ONU não reconhece Nhamadjo e dá palavra a Raimundo Pereira.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

 

O governo da Guiné Bissau saído do golpe de estado de 12 de Abril sofreu uma derrota diplomática quando a ONU recusou Sexta-feira dar a palavra a Serifo Nhamadjo na Assembleia Geral da organização.

Com efeito a lista oficial da ONU de oradores à sessão da Assembleia geral indico que Raimundo Pereira ira falar Sexta-feira à tarde a este órgão da ONU às 15 horas locais, deitando por terra  as aspirações do governo saído do golpe de ser  reconhecido internacionalmente.

A Comunidade de Países de Língua Portuguesa, CPLP parece ter assim triunfado nas suas iniciativas diplomáticas para impedir Nhmadjo de falar a esta reunião a que assistem centenas de chefes de estado e governo.

A decisão de quem fala perante a assembleia geral pertence em última analise ao Comité de Credenciais da assembleia que é formado por nove países entre os quais Angola e Estados unidos. Os outros países membros são a China, Peru, Rússia, Seychelles, Suécia, Tailândia e Trinidad.

Quinta-feira á noite o embaixador da Guiné Bissau na ONU João Soares da Gama foi citado pela agência Lusa como tendo dito que recursos tinham sido efectuados  mas o secretário executivo da CPLOP Murade Murargy  disse que os recursos não tinham “qualquer base legal”.

A visita de Nhamadjo estava assim Sexta-feira de manhã  a caminho de um total  falhanço diplomático.

Já ontem o director da agencia da ONU sobre Drogas e Crime, Yuri Fedotov,  tinha dito que a sua organização não matem qualquer contacto com o que chamou de “junta militar” acrescentando que o transito de drogas na guine Bissau esta claramente a aumentar desde o golpe de estado.

Mesmo antes de Nhamadjo partir para Nova Yorque os Estados Unidos tinham tornado claro que a emissão de visto para a visita do presidente da Guiné Bissau a Nova Iorque, para participar na Assembleia Geral da ONU, é uma formalidade e que a posição americana face ao governo de Bissau não mudou.

Ontem a vice presidente da Gambia  disse que os acontecimentos na Guine Bissau e no Mali são uma ameaça à paz e estabilidade na região e disse que a comunidade internacional tinha que aactuar mediata e rapidamente para resolver a situação na Guiné Bissau.

“Não podemos permitir que terroristas, traficantes de drogas e gangues organizados de criminosos estabeleçam santuários nas nossas zonas disse Isatou Njie Saidy.
Algo d  positivo para as autoridades de Bissau é o facto de que segundo o secretário executivo da CPLP, a Comunidade de desenvolvimento da africa ocidental CEDAO continuar a considerar que a actual situação é “irreversível” o que  implica a falta de um acordo com a CPLP

O secretário executivo da CPLP, Murade Murargy admitiu agora possibilidade da organização enviar uma missão para a Guine Bissau para avaliar a situação no terreno.

Estavam previstos par a Sexta-feira mais contactos entre a CPLP e a CEDAO com a presença de representantes da União Africana, União Europeia e Nações Unidas.

fonte: VOA

O produtor do filme da Inocência dos muçulmanos detido em Los Angeles.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

Liberté

© Reuters Bret Hartman
Liberdade de expressão de Nakoula Basseley Nakoula, o produtor da DILM tido como anti-Islam foi preso nos Estados Unidos.
Foto: Nakoula Basseley Nakoula escoltado pela polícia neste sábado, 15 de setembro.


Nakoula Basseley Nakoulam, o presumível  produtor do film Islãmofobia, a Inocência dos Muçulmanos, foi preso ontem, quinta - feira, 27 setembro, em Los Angeles. O 'diretor' foi previamente interrogado pela polícia em 15 de setembro. Uma vez que ele estava escondido e não tinha sido visto. A polícia havia ajudado sua família para se juntar a ele dois dias depois.

Nakoula Basseley Nakoula, 55 anos, havia sido condenado em 2010 a 21 meses de prisão por fraude bancária. Em fevereiro de 2009, o tribunal acusou-o de usar ilegalmente cúmplices com as identidades de clientes em diversos ramos do Wells Fargo Bank, em Califórnia, e que tinham se recuperado, com centenas de milhares de dólares.

O regime de prova que tenha sido imposto em seu lançamento em 2011 afirmou, nomeadamente, que proíbe o uso de pseudônimos na Internet ou uso sem o consentimento de seu oficial da condicional. Advogado Robert Dugdale afirmou que o Sr. Nakoula tinha violado as condições de sua liberdade condicional oito vezes. Por exemplo, ele fez declarações falsas a seu oficial da condicional e usado três nomes diferentes. Para o filme, ele é o produtor, ele usou o pseudônimo de "Sam Bacile '.

Juiz Suzanne Segal decidiu que o Sr. Nakoula, escondendo-se desde o início da onda de violência causada pelo filme, deve ser preso sem possibilidade de fiança, porque ele é um risco de fuga e é um perigo para a comunidade. "O tribunal não tem confiança no acusado", disse ela. Própria segurança do produtor foi apresentada depois de sua cabeça posto a preço por um ministro paquistanês.

Sua aparição no tribunal breve no centro de Los Angeles foi rigidamente controlada pela polícia. A audiência foi fechada ao público, mas foi possível acompanhar o processo através de vídeo-conferência em um prédio vizinho ... Seguindo o artigo sobre LeMonde.fr

fonte: abidjan.net





Total de visualizações de página