Postagem em destaque

A tensão está aumentando perigosamente entre a RDC e Ruanda.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!... O governo da República Democrática do Congo (RDC) declarou que o tir...

segunda-feira, 20 de setembro de 2021

SENEGAL: Atitude da Jongué: Quando Marième Faye Sall(esposa) garante a retaguarda do Presidente Macky.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...


Durante a visita do casal presidencial ao Califa Geral dos Mourides, a primeira-dama, Marième Faye Sall, em nenhum momento deixou de prestar atenção ao lugar do marido. Ela foi filmada cuidando do marido.

Como prelúdio ao Grande Magal de Touba, muitas foram as autoridades que responderam. Assim, depois das saudações, a Primeira Dama ao lado do marido, não perdeu tempo em servir ao Presidente da República uma solução hidroalcoólica e um lenço para desinfetar e limpar as mãos.

Após este gesto de saúde, o presidente Macky Sall deu o lenço para atirar para Marième Faye. Só que ali perto estava Pape Samba Diop que se ofereceu, provavelmente para jogar o lenço no lixo. “Mas você tinha que ver a reação da primeira-dama. Ela olhou para ele enquanto colocava o lenço usado em uma bolsa que ela colocou em sua bolsa, "Les Echos" relata.

Como o que, por trás de cada grande homem, há sempre uma grande dama para cuidar de sua retaguarda, especialmente neste campo político onde surpresas desagradáveis ​​podem vir de qualquer lugar.

fonte: seneweb.com

O choque do estudante de Medicina que encontrou o corpo do amigo na aula de anatomia.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

A associação de anatomistas da Nigéria está agora fazendo um lobby por uma mudança na lei que garanta que os necrotérios obtenham registros históricos completos dos corpos doados às escolas, além do consentimento da família.


O estudante de medicina Enya Egbe, de 26 anos. saiu da aula de anatomia chorando depois de ficar perturbado pelo cadáver que teve de analisar.


Enya Egbe (na foto) ainda está lidando com a perda do seu amigo após encontrar o corpo dele na aula de anatomia
Foto: Arquivo Pessoal / BBC News Brasil

Não foi a reação de um jovem inexperiente. Ele se lembra vividamente daquela tarde, sete anos atrás, na Universidade de Calabar, na Nigéria, quando estava com outros alunos em torno de três mesas com um corpo em cada uma delas.

Minutos depois de se aproximar, ele gritou e correu. O cadáver que ele estava prestes a dissecar era de Divine, seu amigo. "Costumávamos ir a clubes juntos", ele me contou. "Tinha dois buracos de bala no lado direito doEla lembrou que, numa manhã, viu uma van da polícia carregada com corpos ensanguentados chegando à escola de Medicina, que tinha um necrotério anexo.

Egbe enviou uma mensagem para a família de Divine que, ao que parece, tinha ido a diferentes delegacias depois que ele e três amigos foram presos por agentes de segurança no caminho de volta de uma noitada. A família finalmente conseguiu recuperar o corpo dele.

Em depoimento por escrito apresentado ao painel judicial no Estado de Enugu, o comerciante Cheta Nnamani, de 36 anos, disse que ajudou agentes de segurança a se livrarem dos corpos de pessoas que eles torturaram ou executaram.

Ele disse que, certa noite, ele foi convidado a carregar três cadáveres em uma van - tarefa conhecida na linguagem da cadeia como "serviço de ambulância". A polícia, então, o algemou dentro do veículo e dirigiu até o Hospital Universitário da Universidade da Nigéria (UNTH), onde Nnamani descarregou os corpos. Eles foram levados por um atendente do necrotério. peito dele."

fonte: terra.com.br

Oyifo Ana foi um dos muitos alunos que correram atrás de Egbe e o encontraram chorando do lado de fora. "A maioria dos cadáveres que usamos na escola tinham marcas de balas. Eu me senti muito mal quando percebi que algumas daquelas pessoas poderiam não ser criminosos de verdade", disse Ana.


SENEGAL: Infraestruturas de saúde - descobrindo o ambicioso programa de Macky Sall.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...


Macky Sall inaugurou, neste sábado, um dos mais modernos hospitais da África Ocidental.

A cidade religiosa tornou-se, com todas as suas infraestruturas de saúde, um centro médico.

O hospital Cheikh Ahmadoul Khadim tem 18 departamentos e não tem nada que invejar os hospitais de Dacar em termos de equipamentos.

Com capacidade para 300 leitos, esta joia está classificada na categoria 3 por especialistas.

Com um custo de 36 bilhões de francos CFA, em um terreno de 10 ha, o hospital abriga o segundo maior centro de radiologia e imagens médicas do Senegal.

Além do bloco administrativo e de um anfiteatro, foram construídas moradias para profissionais de saúde, em particular para médicos especialistas.

O hospital possui 13 geradores para o atendimento de pacientes com insuficiência renal crônica.

Também possui equipamentos para tratar queimaduras graves. E isso não é tudo.

Segundo Le Soleil, o chefe de Estado anunciou um vasto programa de modernização, reconstrução e reabilitação de hospitais.

Não sem deixar de indicar o início da construção dos hospitais em Tivaouane, Mbour e Saint-Louis em breve.

Macky Sall assegurou, ao mesmo tempo, a reabilitação iminente dos antigos hospitais regionais de Diourbel, Fatick, Ziguinchor, Kolda, Louga, Thiès, Tambacounda.

Anunciou também um vasto programa de reconstrução do hospital Aristide Le Dantec, o de Youssou Mbergane em Rufisque e o hospital Roy Bodouin em Guédiawaye.

800 profissionais de saúde recrutados

Além da extensão do cartão de saúde, o governo procede, quase todos os anos, a recrutamentos massivos de médicos, paramédicos, agentes, back-up, entre outros.

Fortalecer os recursos humanos no setor saúde é uma realidade As ambições do programa de recrutamento de 1.500 agentes serão amplamente superadas.

O chefe de estado acrescentou 800 trabalhadores da saúde ao programa inicial de 1.500 trabalhadores. Esses 800 agentes serão recrutados nos novos hospitais.

São 300 médicos, 30 farmacêuticos, 15 cirurgiões-dentistas, 80 parteiras, 80 enfermeiras estaduais, 90 auxiliares de enfermagem, 15 auxiliares de enfermagem, 10 especialistas em saúde comunitária, 10 técnicos superiores, 10 técnicos de manutenção., 10 técnicos superiores em biologia, 20 técnicos em biologia.

O governo gastou 100 bilhões de francos CFA para a construção de quatro novos hospitais.

fonte: seneweb.com

SENEGAL: Macky em Nova York - a oposição em pé de guerra.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...


O presidente da República, Macky Sall, é esperado, hoje, segunda-feira, em Nova York (Estados Unidos).

Segundo Les Échos, que deu a notícia, o chefe de Estado participa da Assembleia Geral das Nações Unidas.

Mas sua viagem ao país do Tio Sam pode não ser fácil. Porque, a diáspora convocou uma grande manifestação.

A oposição senegalesa, que o aguarda com firmeza, promete-lhe um inferno na frente da sede das Nações Unidas.

Para lidar com qualquer eventualidade, a "Câmara do Senegal" está sob estreita vigilância, a polícia de Nova York é chamada como reforço.

fonte: seneweb.com

Por que a África tem sido menos afetada pela Covid-19

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

A embaixadora Irene Gala, que já representou o Brasil na República do Congo, conta os motivos 

Estudantes no primeiro dia de aula do ano, em Lagos, na Nigeria. 18/01/2021 Olukayode Jaiyeola/NurPhoto/Getty Images 

Logo que a pandemia começou, a expectativa era de que a Covid-19 fosse fazer um estrago na África. Mas isso não aconteceu. O continente tem mais de 1 bilhão de habitantes e, segundo o acompanhamento da Reuters, o continente está relatando atualmente um milhão de novas infecções a cada 96 dias e registrou cerca de 5 milhões desde o início da pandemia. Foram 129 mil mortes. O Brasil com 210 milhões já tem mais de 450 mil mortos. 

A embaixadora Irene Gala, que já foi representante do Brasil na República do Congo, contou ao Radar Econômico que, mesmo levando em conta que deve haver subnotificação, vários são os motivos que explicam esta baixa transmissão e número de mortes. A média de idade das pessoas é de 19 anos. A população é mais rural, menos urbana. Não tem metrô. Ônibus não é tradição. Não tem shoppings. Os pontos de aglomerações são mercados a céu aberto.  

A economia é pouco globalizada e, portanto, com menos fluxo de estrangeiros. Além disso, os países passaram por surtos dramáticos de vírus como HIV e ebola e com isso criaram uma rede de segurança sanitária muito forte. 

A África fechou todas as fronteiras e aeroportos assim que a pandemia começou. Os aeroportos já eram preparados para medir febre, fazer distanciamento, quando no Brasil mal se sabia o que fazer. 

“A coesão social é muito grande. Se for dito às pessoas que elas precisam usar máscaras e fazer distanciamento social, elas vão fazer isso porque confiam nas mensagens”.  As duas exceções, segundo  Irene, foram justamente países com dois presidentes negacionistas: o Burundi e a Tanzânia. E os dois presidentes morreram de Covid. 

Apesar dos números controlados, a vacina é considerada fundamental pois nunca se sabe como as novas cepas podem atingir o continente. A África é a região menos vacinada do mundo, com apenas 2% da população imunizada.

fonte.: veja.com.br

Oito mortos em tiroteio numa universidade da Rússia.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

Atirador, que seria um estudante desta universidade, na cidade de Perm, foi morto pelas forças de segurança depois dos disparos.



Um estudante abriu fogo numa universidade na cidade russa de Perm matando pelo menos oito pessoas e ferindo 19. De acordo com as autoridades policiais e com uma porta-voz da universidade, o atirador foi detido logo depois do incidente, esta segunda-feira de manhã.

A polícia de investigação da Rússia diz ter identificado o autor do ataque na Universidade Estadual de Perm, a 1300 quilómetros de Moscovo, como estudante da universidade. O atirador foi morto, afirmou à Reuters a porta-voz, Natalia Pechishcheva. “Ele foi liquidado”, disse.

O suspeito tinha entrado no campus da universidade “com uma arma ofensiva” a abriu fogo, diz ainda universidade no seu canal de Telegram.

Alguns estudantes e professores trancaram-se em salas de aula durante o ataque. Numa mensagem partilhada nas redes sociais, a universidade pediu aos alunos que estivessem no edifício alvo do ataque para permanecerem nas salas. “Estavam umas 60 pessoas na sala de aula. Fechámos a porta e barricámo-la com cadeiras”, descreveu um estudante, Semyon Karyakin, à agência Reuters.

Um vídeo gravado no local e transmitido por media russos mostra alunos a saltarem do primeiro andar de um edifício para escaparem aos disparos. Um dos professores, Ivan Pechishchev, disse à emissora britânica BBC que viu alunos a correr em fuga e várias pessoas a saltar do segundo andar quando se preparava para ir dar uma aula. “Saltaram aos gritos”, afirmou. “Um dos alunos disse-me que era um tiroteio. Ouvi os sons dos disparos. Toda a gente começou a correr em várias direcções”, disse.

publico.pt

ALEMANHA: Scholz confirma preferência do público no último debate antes das eleições alemãs.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

Sondagem realizada após debate aponta que social-democrata Olaf Scholz teve melhor desempenho. Candidato do partido de Merkel, Armin Laschet, aposta na última semana de campanha para reverter tendência de derrota.


Scholz, Baerbock e Laschet no último debate televisivo

Na Alemanha, a uma semana da eleições para o Bundestag [o Parlamento alemão], que vai decidir o sucessor da chanceler Angela Merkel, o candidato do Partido Social-Democrata (SPD, na sigla em alemão), Olaf Scholz, foi considerado o vencedor do terceiro e último debate televisivo antes da votação este domingo (19.09).

Segundo uma sondagem realizada logo após o debate, 42% dos telespectadores consideraram que Scholz foi o que teve melhor desempenho, seguindo-se o candidato da União Democrata-Cristã (CDU, na sigla em alemão), Armin Laschet, com 27%, e finalmente Annalena Baerbock, candidata do Partido Verde, com 25%.

Durante uma hora e meia, os três principais candidatos discutiram temas como salário mínimo, clima, coronavírus e vacinação. Numa altura em que um em cada quatro eleitores ainda não decidiu em quem votar, os três candidatos sublinharam os seus compromissos para conquistar a preferência dos alemães que vão ás urnas no próximo domingo (26.09).

Deutschland | Bundestagswahl | TV-Triell der Kanzlerkandidaten | Scholz

Audiência considerou que Scholz teve o melhor desempenho

Salário mínimo

Scholz apontou a subida do salário mínimo, atualmente de 9,60 euros por hora, a modernização do país e a luta contra as alterações climáticas como as três prioridades do seu programa eleitoral. O candidato do SPD salientou eu defendo um salário mínimo de 12 euros, que seria introduzido imediatamente.

"Defendo que recebamos uma pensão estável e que tomemos todas as decisões necessárias no primeiro ano do novo Governo para assegurar que transformaremos as energias renováveis de modo a termos uma indústria moderna, com bons empregos e que funcione de forma neutra para o clima", afirma.

Baerbock a concordar com Scholz e a destacar as dificuldades das mães solteiras. O conservador Laschet posicionou-se do outro lado da trincheira, afirmando que o tema deveria ser decidido entre patrões e sindicatos.

Deutschland | Bundestagswahl | TV-Triell der Kanzlerkandidaten | Baerbock

Baerbock não descartou qualquer aliança com "partidos democráticos"

Alterações climáticas

A discussão seguiu com as alterações climáticas, que muitos analistas veem como a potencial questão decisiva nesta eleição após as devastadoras inundações na Alemanha. Para a candidata dos Verdes, o próximo Governo Federal da Alemanha deverá ser "um Governo climático", depois de a pandemia da Covid-19 ter demonstrado que a Alemanha precisa de uma melhor preparação para lidar com os desafios do futuro.

"Defendo uma verdadeira mudança, sem meias medidas em relação à proteção do meio ambiente, uma política que finalmente coloque as crianças e as famílias no centro, e uma política externa orientada pelos direitos humanos no coração da Europa", disse Baerbock.

Já o candidato do partido de Merkel considerou que o crescimento económico deve ser a prioridade do próximo Executivo, sem aumento de impostos. A questão central é, de acordo com o conservador, "como conseguir atingir os desafios ambientais, mantendo simultaneamente empregos".

Deutschland | Bundestagswahl | TV-Triell der Kanzlerkandidaten | Laschet

Laschet afasta "negociação com extremos"

Possíveis coalizões

O SPD continua à frente das sondagens para as legislativas alemãs, mas, mesmo conseguindo uma vitória, é certo que não vai poder governar sozinho. As possíveis coligações foram discutidas no final do debate, com Laschet a afastar qualquer negociação com os extremos e a alertar para uma coligação entre SPD, Die Linke [A Esquerda] e o Partido Verde.

"Para nós, é claro que não entraremos numa coligação com A Esquerda, e não entraremos numa coligação nem falaremos com a Aternativa para a Alemanha (AfD, na sigla em alemão). E a verdadeira decisão que está em causa agora é: haverá uma aliança vermelho-vermelho-verde - muitas posições que ouvimos hoje são congruentes com A Esquerda - ou haverá um governo liderado pelos cidadãos. Essa é a decisão e é por isso que estou a lutar para que a CDU seja o partido mais forte".

Do lado do SPD, Scholz sublinhou que não rejeita uma coligação com A Esquerda, sublinhando que um cenário favorável seria uma união do seu partido com Os Verdes. Annalena Baerbock mostrou-se disponível para negociar com todos os partidos democráticos, acrescentando que vê a CDU na oposição durante os próximos quatro anos.

Os dois candidatos aproveitaram este último encontro na televisão para destacar as suas semelhanças programáticas, surgindo frequentemente alinhados, acenando para um acordo e pegando nos pontos um do outro.

fonte: DW África 

Total de visualizações de página