Postagem em destaque

BAMAKO E IYAD ENGAJADOS NA MESMA LUTA CONTRA EIGS NO MALI: Cuidado com o efeito bumerangue!

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!... Há poucos dias, foi em Menaka que foi visto ao lado de notáveis ​​tu...

quarta-feira, 11 de julho de 2012

O depoimento da modelo Senegalesa: Nogi, "Antes de se tornar uma modelo, eu estava sem documentos e eu dormia na rua".

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

Senegalês supermodelo com sede em Milão, é um Nogi atípica. Em um modo geral suave, que aborda o mundo dos bastidores da moda.



Nogi, para a promoção da Semana de Moda Negra em Praga. Todos os direitos reservados.


Paris, em um dia em junho, onde os elementos parecem ter desencadeado. A combinação de vento frio com uma garoa leve descontínua transforma a tarde de primavera em uma cena de Hitchcock assustador.
A espera no local de encontro parece interminável. De repente, o céu clareou com o aparecimento de uma figura alongada, balançando graciosamente no processo.
"Eu sou Nogi," é ela, dobrando sua altura de 1,83m para "bater" o vento. Nós vamos sentar dentro? "
Nomeação foi feita no Comércio do Café do distrito do décimo quinto andar do prédio da capital francesa, onde o jovem senegalês chegou a participar de desfiles e tirar fotos.
"Acabei de terminar uma sessão de fotos para Valège (marca de lingerie, nota do editor)," ela quase pede desculpas, para justificar o atraso.
Apesar de seus 23 anos, a jovem tem um rosto de um adolescente, sobre o qual reina os olhos sutilmente salientes, sublimada por seu cabelo raspado de perto, uma loira artificial. Seus lábios são visivelmente mais cheios. Tatuagens no pescoço vêm se perder em sua pele escura, o resultado do cruzamento sub-regional da África Ocidental (Senegal, seus antepassados ​​eram mauritanos).
As armadilhas da modelo perfeita é completado com as pernas cruzadas e descruzadas intermináveis ​​na mesma taxa que o olho que lança em seu telefone recorrente e trai um desconforto que seu sorriso não consegue esconder.

"Procure um emprego de verdade ou um outro telhado"

Que progresso. Desde a sua infância em Pikine, um subúrbio de Dakar, ela lembra que as suas formas eram frequentemente ridicularizadas como nem sempre em conformidade com os cânones da beleza senegalês drianké (a mulher arredondado).
O tempo de travessia do Atlântico, ele se sente para se vingar de este passado doloroso ser "um ícone de beleza, a ponto de viver."
Sua carreira tem sido, porém, não isenta de riscos.
Chegada na moda "como prova" de 17 anos de idade, ela começou a marchar em Dakar. Essa paixão lhe permitirá trabalhar para estilista Oumou Sy em Dakar durante o Fashion Week.
Após vários sucessos e uma reputação crescente, ela escolheu ir para a Europa e, especialmente, para Milão, "uma das capitais da moda."
"Portugal foi a minha porta de entrada para a Europa em Abril de 2010", lembra ela.
A noite de sua chegada, ela tomou a direção de Turim (Itália) para participar de convite de um tio que estava em casa, hora de procurar uma agência de modelos, necessária para trabalhar em moda na Europa.
Infelizmente as relações se deterioraram rapidamente, com sua família por causa de "um mal-entendido e uma má reputação na moda entre muitos senegaleses". Ela ordena que ele "vá procurar um emprego de verdade ou de um outro telhado."
Assim, ela se viu na rua. E este é o início das provas.
"O meu visto de um mês já tinha expirado. Eu não poderia trabalhar porque agências de modelos para o verão estavam perto de reabrir em Outubro e eu não tinha dinheiro para pagar minha participação "
Deixada à própria sorte e ao destino de si mesma, ela vai dormir na Estação Central de Milão, por três noites. Bonjour Tristesse fala não só para ela o nome de uma ficção romântica, mas uma realidade verdadeira. Um período difícil, mas que se reconciliou com a esperança através de encontros casuais.
"Primeiro, que um colega que me acolheu em casa, não correspondido, ela considera útil esclarecer. Então, com um italiano chamado Maurizio permitiu-me mais tarde para pegar o seu pé no comércio. Ele conhecia o chefe da agência Urban. Depois de algumas tentativas, comecei a trabalhar para eles. "

O mundo da moda é uma selva
Um trabalho que lhe permitiu descobrir que por trás das cenas totalmente diferentes do que ela já tinha conhecido em Dakar.
"Durante os testes, muitas vezes você tem a fila por horas. Acontece que eu participava de cinco desfiles por dia. "
É uma profissão onde a aparência é fundamental, as exigências a este nível são numerosas.
"Eu sou naturalmente magra, mas algumas meninas são obrigadas a planejar a dieta e muito esporte para atingir o peso desejado", diz a jovem.
Nesta selva, onde os modelos aparecem melhor e desaparecem como estrelas cadentes, sua sorte foi logo ao amanhecer.
"Em setembro de 2011, minha agência me enviou para o elenco da nova fragrância Cavali que estava fora no início de 2012." Um sucesso.
Ela foi premiada com o contrato e é impulsionado para a frente do palco. Desde então, ela está trabalhando.
"Recentemente, em maio, eu andei por Jean Paul Gaultier, ela diz com orgulho. Mas para a Benetton, eu tirei fotos para o catálogo da Costume National (uma marca italiana), Daviden, a Semana da Moda de Paris e Praga, via Milão e desfiles de moda de Londres, de Paris e de alguns tiros no Adama Atenas ", ela enumera para complementar o seu quadro de honra.
Difícil o acesso ao mundo da moda "parece uma vela enganosamente suave."
Racismo? Seus olhos se iluminam ao mesmo tempo.
"É um assunto tabu, mas existe. Durante um elenco, que me fez perceber que para o produto, o cliente não queria representar o preto. Não há ambigüidade, eu fiz entender em dinheiro a todos os outros colegas. Foi humilhante. "
Há uma outra forma de rejeição.
"As meninas, olhar e a mudança de encontros de acordo com a cor da pele", lamenta Nogi.
A presença do racismo é uma realidade no coração de uma competição feroz entre os modelos?
"Se no passado recente, as meninas negras estavam em alta demanda, este é´caso a menos  agora. São suplantadas por modelos dos países da Europa Oriental. Os Métis são a etíope ou os poucos que estão fazendo muito bem. "
O rosto da moda e da tradição
É também um ambiente onde tentações abundam. Álcool, drogas, sexo, reputação ruins ...
"Foi difícil de aceitar para a tradicional família senegalesa, minha família."
Ela também reconhece que a carreira de modelo a priori não são, necessariamente, infundados.
"Você pode cair rapidamente em alguma forma de prostituição. Por exemplo, os novos ricos da Rússia oferecem uma fortuna para sair, o tempo para uma noite ou um fim de semana, com modelos ... afinal de contas é uma questão de maturidade e educação ".
Educação, ela diz manter seu pai, que mora no Japão, embora não tenha visto desde 2005 e uma mãe "mais bonita" que ela.
Agora, Nogi vive uma boa vida.
"Eu trabalho com duas agências, eles cuidam de tudo (incluindo a sua regularização), até o meu apartamento em Milão. E também dos meus hotéis quando viajo. "
Agências são responsáveis ​​por encontrar contratos, mas eles podem ter entre "30 e 60%" para carimbar, para fundos que pode ser de até 30.000 euros.
No entanto, Nogi revela que ela tem muitas vezes participado de desfiles, onde as taxas variaram "entre 600 e 1.000 euros." Ridículo?
"Estes não têm nada a ver com os US $ 100 pagos para o meu primeiro show na Itália."

Considere o seguinte
Quanto aos esportes, na aposentadoria a modelagem vem mais cedo do que em outras profissões. Daí a delicada questão da conversão surge.
"Fazer filmes até que eu gostei muito, mas a criação e abertura de minha própria marca de calçados é mais plausível", diz Nogi, detém uma BTS em turismo.
Ambição política não é a agenda. Embora em abril de 2012, ela encontrou com o presidente Macky Sall, durante sua primeira visita à França.
"Discutimos questões relacionadas a uma melhor organização do negócio da moda em Dakar. Isso poderia evitar as meninas senegaleses que querem trabalhar na Europa para enfrentar os mesmos problemas que eu. "
Aprender com este curso nem sempre em linha reta, Nogi não é suportada por uma forma de gentrificação. Ela está constantemente a questionar sua vida, mesmo privada.
A jovem modelo confessa "estar preocupada com o casamento", já que continua convencida de que "é tanto que a beleza é a única  riqueza da mulher", para citar um provérbio tradicional Wolof (língua falada no Senegal).


fonte: slateafrique






Veja 15 hotéis românticos que não aceitam crianças.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

  1. Notícia
  2. Fotos
Little Palm Island, Estados Unidos: são 30 bangalôs que recebem hóspedes adultos numa ilha particular do litoral da Flórida, no Little Palm Island. Com estilo tropical e vista para o oceano, as suítes são só uma parte do charme do resort, que conta com belas praias exclusivas, spa e pratos gastronômicos no restaurante ou em jantares românticos à luz de velas Foto: Divulgação
Hotéis sem crianças oferecem mais tranquilidade aos casaisFoto: Divulgação
Casais que querem sossego nas férias têm a possibilidade de escolher hotéis exclusivos para adultos, onde crianças não são aceitas. A prática, antes restrita a poucos destinos no mundo, ganha popularidade e já é uma realidade instalada também no Brasil. Confira a lista de 15 hotéis selecionados para você pelo Terra.
Pueblo Bonito Pacifica Resort & Spa, Los Cabos, México: destino descolado da península de Baja Califórnia, Los Cabos tem belas praias e hotéis e  resorts exclusivos para descansar sob o sol do México. O Pueblo Bonito Pacifica Resort & Spa garante calma e tranquilidade para adultos, num hotel elegante e moderno, com bebidas e refeições incluídas.
El Dorado Seaside Suites, Riviera Maia, México: romântico hotel da Riviera Maia, o El Dorado Seaside Suites oferece aos seus hóspedes muito conforto e mordomias para adultos. Com tudo incluído em seus seis restaurantes e no bar da piscina, o hotel tem suítes luxuosas, diferentes tratamentos em seu spa e diversão noturna.  Todas as suítes contam com terraço e jacuzzi.
Couples Negril, Jamaica: situado em meio às palmeiras de uma bela praia de Negril, na Jamaica, o Couples Negril é um hotel exclusivo para casais. Sofisticado e com decorações coloridas, tem bares e restaurantes que convidam a fazer amizade com os outros hóspedes e diferentes atividades, como mergulho, vela, tênis, ioga e vôlei.
Vanity Hotel Golf, Maiorca, Espanha: maior das ilhas Baleares, Maiorca tem belas praias frente às águas calmas do Mediterrâneo. Para evitar o agito dos turistas que visitam a Europa durante o verão, o Vanity Hotel Golf é ideal. Renovado recentemente, o hotel tem uma vista privilegiada sobre a baía de Alcudia, quartos modernos e elegantes, além de um ambiente reservado para adultos.
Casa Velas Puerto Vallarta, Puerto Vallarta, México: charmoso hotel frente ao litoral do Pacífico mexicano, o Casas Velas Puerto Vallarta tem a calma e o luxo dos maiores hotéis, com a tranquilidade garantida por sua exclusividade para maiores de idade. Com suítes decoradas em estilo mexicano, com vista para os jardins tropicais, o hotel funciona no sistema all inclusive (tudo incluso), tanto para bebidas quanto para refeições nos restaurantes gastronômicos e no serviço de quarto 24 horas.
The Standard Hotel New York, Nova York, Estados Unidos: o hotel-boutique tem vista para o rio Hudson e os principais arranha-céus de Nova York, no East Village de Manhattan, o The Standard Hotel é um dos novos endereços descolados da cidade. O prédio, moderno, tem suítes luminosas, decoração sofisticada e um visual único. Sua fachada, toda de vidro, costuma render espetáculos públicos, quando casais namoram à vista dos transeuntes.
The Champagne Lodge, Chicago, Estados Unidos Saindo de Chicago: o Champagne Lodge é um hotel íntimo, ideal para uma escapada romântica. Os quartos são bonitos e aconchegantes e contam com lareira e banheira de hidromassagem para curtir a dois os dias frios do norte dos Estados Unidos. O spa do hotel oferece pacotes especiais para casais, com massagens e outros tratamentos.
Canoe Bay Wisconsin, Estados Unidos: localizado numa área remota do estado americano de Wisconsin, o Canoe Bay se integra com muita harmonia à natureza das redondezas. Cercado por uma floresta, o hotel tem quartos com um estilo rústico, mantendo a modernidade e a sofisticação.
Adara Hotel Whistler, Canadá: o vilarejo canadense de Whistler, situado na província de Columbia Britânica, é um destino popular para esquiadores durante o inverno. A beleza das montanhas encanta e fica ainda melhor quando combinada com a charmosa arquitetura local. Para uma viagem a dois, o Adara Hotel é perfeito, com suítes que misturam conforto e design contemporâneo.
Ponta dos Ganchos, Brasil: exclusivo resort em Governador Celso Ramos, a 40 km de Florianópolis, Ponta dos Ganchos tem 25 bangalôs sofisticados. Spa, cinema e quadra de tênis são algumas das atrações do local, e tudo frente a uma das praias mais lindas do sul do país,  com a tranquilidade de um hotel exclusivo para adultos.
Bucuti Beach Resort, Aruba: com um estilo europeu e suítes frente ao mar do Caribe, o Bucuti Beach Resort é uma das melhores opções de hospedagem para adultos na ilha de Aruba. O resort oferece pacotes especiais de lua-de-mel e escapadas românticas para os casais, com champanhe no quarto, jantar a luz de vela e passeios de veleiro.
Etnia Pousada & Boutique, Brasil: cercado por árvores, criando um lindo entorno no centro de Trancoso, um dos trechos mais bonitos do litoral baiano, o Etnia Pousada & Boutique reúne charme étnico com modernidade, criando um ambiente romântico e especial. Os oito bangalôs da pousada têm decorações diferentes, camas espaçosas e muito conforto.
Casa Mosquito, Brasil: no limite entre Ipanema e Copacabana, o hotel Casa Mosquito é um hotel-boutique na encosta de um morro, com vista para o mar. Cada uma de suas dez suítes exclusivas leva o nome de um carioca mítico, como Tom Jobim e Vinicius de Morais, tem decorações artísticas e um ambiente tranquilo.
Little Palm Island, Estados Unidos: são 30 bangalôs que recebem hóspedes adultos numa ilha particular do litoral da Flórida, no Little Palm Island. Com estilo tropical e vista para o oceano, as suítes são só uma parte do charme do resort, que conta com belas praias exclusivas, spa e pratos gastronômicos no restaurante ou em jantares românticos à luz de velas.
Rumours Las Vegas, Estados Unidos: conhecida por seus enormes hotéis e seu agito, a “Cidade do Pecado” também tem opções menos famosas, como o Rumours Las Vegas. Sem perder a extravagância da cidade, com quartos coloridos e decorações que beiram o “kitsch”, o hotel tem muito estilo e recebe apenas hóspedes maiores de idade.

fonte: terra.com.br
.

Trabalho & água fresca.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

O teletrabalho é opção para quem procura mais qualidade de vida e quer economizar na manutenção do escritório. Também pode ser a grande oportunidade para cidades do interior com banda larga.

Por Maíra Lie Chao
Em dezembro passado, foi sancionada a Lei 12.551, que prevê a extensão das normas da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) tanto para os funcionários que trabalham no estabelecimento do empregador quanto para os que exercem funções a distância, desde que haja uma relação formal de emprego. A lei representa um reconhecimento e um incentivo ao teletrabalho, a tendência cada vez mais presente no mercado nos dias de hoje, que se expande cerca de 10% ao ano.
Trabalho flexível ou trabalho remoto, o teletrabalho é o modelo em que o empregado pode trabalhar em qualquer lugar fora da empresa, atendendo aos demais funcionários ou clientes, de modo não presencial, durante um ou dois dias, ou mais, ou todos os dias úteis. Muitas empresas de grande porte já o adotaram. Entre elas estão a fornecedora de serviços de refeições corporativas Ticket, com 150 funcionários em home office, todos os dias da semana, e a fabricante global de produtos de higiene Kimberly- Clark, que já mandou 300 empregados trabalhar em casa, pelo menos uma vez por semana.
Trabalho a distância não significa praticar o ofício em casa. Os profissionais usam tablets, laptops e smartphones, que permitem trabalhar de outros locais, como aeroportos, restaurantes, no parque ou na beira da piscina. "Praticamente toda área que analisa, produz e manipula informação pode ser teletrabalhável", observa Álvaro Mello, presidente da Sociedade Brasileira de Teletrabalho e Teleatividades (Sobratt).
O crescimento do home office é um fato. O trabalho remoto já é mais presente nas áreas técnicas (56%), comercial e de vendas (47%), administrativa (44%) e de atendimento ao cliente (31%), segundo o estudo O trabalho flexível nas empresas, do Centro de Estudos de Teletrabalho e Alternativas de Trabalho Flexível, da Business School São Paulo. A pesquisa consultou 236 empresas e 150 trabalhadores, sendo 75 teletrabalhadores. Uma em cada três empresas que adotaram o modelo apresenta indicadores de satisfação. Melhoria na qualidade de vida, ganho de tempo, flexibilidade e redução do estresse são os pontos positivos mais destacados.

Edna Bedani, da Ticket: aumento de vendas com fechamento de filiais.
Deu certo
A Ticket é um caso exemplar. A fim de aumentar sua produtividade e diminuir o custo operacional, eliminou todas as filiais. Hoje, os setores de vendas regionais operam de casa. Com a medida, em cinco anos, a empresa economizou R$ 3,5 milhões em custos fixos.
"Como não temos mais filial física, não há imóvel, impostos, aluguel, nada disso. O que aumentou o volume de vendas foi o fato de o funcionário, em vez de ir ao escritório, otimizar o tempo e ir direto ao cliente", declara Edna Bedani, diretora de RH da Ticket. O projeto começou em 2000 e, cinco anos depois, as filiais começaram a ser fechadas. Grande parte dos processos foi centralizada na matriz, em São Paulo, para que as filiais tivessem maior autonomia e foco em vendas.
Hoje, a empresa fornece laptop, smartphone, impressora e uma verba para o empregado montar o escritório em casa. Além disso, paga uma porcentagem das contas de luz e de internet. Os demais benefícios, como transporte e alimentação, são mantidos, de acordo com a necessidade do funcionário. "Na área de vendas, eles têm Ticket Restaurante. A gente pode até falar 'puxa, mas ele almoça em casa', mas nem sempre isso acontece. Às vezes, ele está no cliente e utiliza o benefício", relata Edna.

Sala de reunião de office residence do projeto Jardim D'Roma, em Maringá (PR).
Ieda Maria da Silva, gerente de vendas da regional Centro-Norte, trabalha em home office há quatro anos. Antes de começar, participou de reuniões e recebeu orientações sobre o novo modelo de trabalho. Hoje, garante que tudo é uma questão de adaptação e disciplina. Para trabalhar no lar, por exemplo, há uma série de etiquetas. Não ligar ou mandar e-mail tarde da noite é uma delas.
Para uma boa interação com a equipe, Ieda telefona regularmente para seus funcionários e marca encontros semanais com aqueles que moram na mesma cidade. Também promove reuniões bimestrais com todos da sua região. "Tenho uma pessoa em Manaus, uma em Campo Grande, duas em Belém, em Goiânia e assim por diante. Preciso ter o cuidado de estar sempre em contato com eles", justifica.

fonte: Revista Planeta

Total de visualizações de página