Postagem em destaque

CONCESSÃO DO PRÊMIO HOUPHOUET BOIGNY PELA BUSCA DA PAZ EM RCI: Os marfinenses poderão finalmente se olhar no espelho?

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!... Realiza-se esta quarta-feira, 8 de fevereiro de 2023, em Yamoussoukr...

terça-feira, 19 de novembro de 2013

A Cúpula da cidade de Kuwait: A África, um continente atraente para os investidores árabes.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...



Países árabes têm uma grande oportunidade para investir em África, o que tem contribuído com progressos significativos na melhoria do ambiente de negócios e abençoada pela natureza em recursos naturais. Turismo, agricultura, petroquímica, poderiam ser áreas rentáveis ​​para os países árabes.

O mundo árabe não é imune ao progresso econômico feito pelos países africanos para atrair e tranquilizar os investidores. Um documento especial na terceira cimeira, produzido pela Agência de Informação kuwaitiano ( Kuna ), intitulado "África e os árabes ", destaca a importância do mercado de investimento, que é a África para países árabes. O investimento será de, no coração do encontro, como sugere o tema do encontro : " Parceiros no desenvolvimento e investimento. " "Melhorar o clima de investimento em muitos países africanos, grandes investimentos e grupos de todo o mundo correu para o mercado fértil e promissor, a oportunidade é, portanto, aos países árabes para investir mais na África e há razões ", diz o documento. Em primeiro lugar, diz ele, "a África se destaca como o mais atraente para a polarização da escolha do investimento estrangeiro (quando) os mercados de investimento tradicionais sofrem com muitos problemas e os investimentos árabes sofrem também subida de obstáculos " . Na opinião dos autores, existem na África, ao mais alto nível, a vontade de aceitar investimentos árabes.

 Parceiros para a Segurança Alimentar

Além de seus recursos energéticos, a África é rica em alta demanda, como bauxita, ferro, cobre, cobalto, fosfato, urânio metálico, ouro, platina, diamante, etc . Todos os ativos que compõem o continente não podem deixar o mármore ao mundo árabe. "A África é a profundidade regional, geográfica e estratégica dos países árabes ( ... ). Portanto, o desenvolvimento de uma estratégia árabe ambicioso para a consolidação da parceria Afro-Árabe não é uma escolha simples na disputa global e planos desenvolvidos para dominar os mercados africanos promissores e seus diversos recursos naturais, disse, Será a vez da "África e dos árabes . " O mundo árabe vê a África como um parceiro para resolver a questão dos desafios de segurança alimentar em ambas as regiões. O continente está cheio de vantagens ( terra fértil, água) para uma boa produção agrícola garantindo a auto-suficiência aos árabes, porque as duas regiões são grandes importadores de alimentos. África importou 27 milhões de toneladas de grãos em 200, enquanto o mundo árabe também comprou 58 milhões de toneladas. É hora dos árabes investir em África em diversas áreas. O documento chama no contexto da concorrência com os países emergentes ( China, Índia, etc . ) E os parceiros tradicionais do continente (Europa e América do Norte ), para fazer " complementaridade estratégica em investimentos entre países árabes e Africanos que contribuem para garantir a segurança alimentar afro-Árabe nas áreas de produção agrícola e da disponibilidade de recursos hídricos ". Oportunidades também existem na petroquímica, uma área onde os árabes já têm experiência. É o mesmo com a exploração de recursos minerais, turismo. Mas isso deve ser feito em parceria com o setor privado Africano, de acordo com o documento. Algumas empresas árabes já estão presentes na África incluem Dubai Porto mundo, Al Kharafi Group ( turismo), Orascom Telecom, Zein (telecomunicações), Wafa Bank ( Banco ), Sabek ( petroquímicos ), etc .

O chefe de Estado tem as vantagens para o Senegal

O Presidente Macky Sall, encontra-se na Cidade do Kuwait desde ontem, com destaque para a estabilidade política do Senegal, bem como outros ativos neste país, como a sua segurança, a sua posição geográfica única, para fazer uma nota de esperança sobre o investimento, os nossos colegas relataram a agência de notícias do Kuwait, Kuna. De acordo com o Sr. Sall, Senegal também tem um bom ambiente de negócios. O embaixador do Kuwait  no Senegal, Mohammed Khalaf disse, entretanto, que as relações entre os dois países são fortes. Senegal tinha solicitado às pressas o auxílio ao Kuwait em 1990, após a invasão do Iraque sob liderança de Saddam Hussein, lembra aos nossos colegas. O Chefe de Estado também espera que a terceira Cúpula Árabe -Africana será um sucesso, citando " boas intenções políticas ".  Ele disse que os países que participam na cimeira concordaram que a Comissão da União Africano e da Secretaria- Geral da Liga Árabe devem compartilhar a responsabilidade de pôr em prática mecanismos para se chegar a recomendações.

Macky Sall recebido pelo Emir do Kuwait

O Presidente Macky Sall chegou ontem na Cidade do Kuwait para participar da terceira Cimeira Afro-Árabe que será realizada hoje e amanhã na capital do Kuwait. As imagens da chegada do chefe de Estado foram transmitida pela primeira cadeia de televisão do Kuwait que dava, ao longo do dia de  ontem, o grande balé aéreo dos Chefes de Estado e da esperado no topo pelo governo local. Macky Sall, em um terno escuro, foi recebido pelas mais altas autoridades, incluindo o Emir do Kuwait, o Sheikh Sabah Al- Ahmad Al- Jaber Al- Sabah, o príncipe Sheikh Nawaf Al- Ahmad Al- Jaber Al- Sabah. Notamos também a presença de Yaya Jammeh da Gâmbia, vestido com sua túnica branca tradicional, de bengala e o Alcorão na mão, como o presidente do Gabão, de vestido árabe, cabeça turbante.

Do nosso correspondente especial na Cidade do Kuwait Malick CISS

fonte: lesoleil.sn

Burkina Faso: Repescagem pode classificar menor população e pior IDH da história para a Copa.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

Nesta quarta-feira, serão definidas, através das repescagens na Europa e na África, mais seis seleções que virão ao Brasil para a Copa do Mundo de 2014...

Família anda de carroça em Burkina Faso (© Getty)
Família andando de carroça em Burkina Faso

Nesta quarta-feira, serão definidas, através das repescagens na Europa e na África, mais seis seleções que virão ao Brasil para a Copa do Mundo de 2014. Uma das novidades pode ser Burkina Faso, que venceu a Argélia por 3 a 2 no jogo de ida, em casa, e depende apenas de um empate para ir ao seu primeiro Mundial. Caso se classifiquem, inclusive, os burquinenses serão o país mais pobre da história a se credenciar para uma Copa em todas as edições.
Jogadores de Burkina Faso comemoram gol com torcedores
Jogadores de Burkina Faso comemoram gol com torcedores
Com um IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) de 0.343, Burkina ocupa a 183ª posição na última lista da ONU (Organização nas Nações Unidas) e é a quinta pior nação para se viver no planeta, atrás apenas de Níger, República Democrática do Congo, Moçambique e Chade.
O país tem renda per capita próxima de US$ 1.300 por ano, desemprego de 77%, taxa de alfabetização de 20% e sofre com problemas graves na área da saúde, segurança pública e saneamento básico.
90% da população burquinense vive à base da agricultura de subsistência, sempre dependente da "boa vontade" das chuvas. No total, 46.7% dos 17.812.961 habitantes na nação vivem abaixo da linha de pobreza.
Apesar disso, a seleção burquinense, que sempre foi um zero à esquerda no futebol africano, vem de bons resultados recentes, como o vice na Copa Africana de Nações 2013 - foi derrotada por 1 a 0 pela Nigéria na final, após eliminar a favorita Gana na semi. Nas eliminatórias, o time ficou em primeiro do grupo E, à frente de Congo, Gabão e Níger.
Na história, o pior IDH a ter disputado um Mundial foi o de Camarões, em 1982: 0.373. O Zaire (atual República Democrática do Congo) pode ter disputado a Copa do Mundo de 1974 com um índíce ainda menor, mas a ONU só computa dados a partir de 1980.
Menor população também pode vir à Copa
Além de Burkina, outra seleção também pode fazer sua estreia em Mundiais: a Islândia. Após empatar por 0 a 0 com a Croácia, em casa, a equipe busca a vitória ou uma nova igualdade (desta vez com gols) para vir ao Brasil. Caso confirme sua vaga, será o país menos populoso na história a ir a uma Copa.
Segundo medição divulgada pela CIA (Agência Central de Inteligência dos Estados Unidos) no último mês de julho, a Islândia tem 315.281 habitantes, praticamente a mesma quantida de cidades brasileiras como Blumenau-SC, Petrolina-PE, Franca-SP e Ponta Gross-PR.
O número é tão baixo que, apesar do território islandês não ser grande coisa (103.001 km²), a densidade demográfica da ilha é de 3.1 hab/km².
O país menos populoso a participar de uma Copa do Mundo foi Trinidad e Tobago, em 2006, na Alemanha. À época, a nação caribenha tinha cerca de 1,3 milhões de habitantes.
A Islândia, aliás, é um dos poucos países do mundo na qual a taxa de crescimento populacional vem caindo - desde 2004, o número só diminui. Atualmente, nascem 13.15 novos islandeses para cada 1 mil habitantes.
Confira os jogos que podem classificar equipes inéditas para o Mundial:
Argélia x Burkina Faso
16h45 (horário de Brasília)
Estádio Mustapha Tchaker, em Blida (Argélia)
Croácia x Islândia
17h45 (horário de Brasília)
Estádio Maksimir, em Zagreb (Croácia)

fonte:esportes.br.msn.com

Total de visualizações de página