Postagem em destaque

CONCESSÃO DO PRÊMIO HOUPHOUET BOIGNY PELA BUSCA DA PAZ EM RCI: Os marfinenses poderão finalmente se olhar no espelho?

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!... Realiza-se esta quarta-feira, 8 de fevereiro de 2023, em Yamoussoukr...

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Guiné-Bissau: Guineense, mais umas imagens deste vídeo para mexer com a sua cabeça e adiar a sua esperança.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...


Veja o vídeo:


Guiné mais uma esperança por vir.




fonte: sicnoticias



Fidel Castro: "Nem me lembro o que é uma dor de cabeça".

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

As fotografias tiradas pelo filho de Fidel, Alex Castro, e divulgadas no site cubadebate.cu
As fotografias tiradas pelo filho de Fidel, Alex Castro, e divulgadas no site cubadebate.cuFotografia © Direitos Reservados



O ex-líder cubano desmente as "mentiras" e "estupidezes" ditas nos últimos dias sobre a sua saúde, num artigo no site Cubadebate, onde são divulgadas novas fotografias suas.
"Nem me lembro sequer o que é uma dor de cabeça. Como prova de como são mentirosos, ofereço-vos as fotos que acompanham este artigo", escreve o líder cubano, de 86 anos, num texto intitulado "Fidel Castro está a agonizar". Nele aponta o dedo ao "galinheiro de propaganda imperialista" pelas mentiras divulgadas sobre a sua saúde.
As imagens foram tiradas pelo filho do líder cubano, Álex Castro, e mostram o ex-presidente ao ar livre, de pé, apoiado numa bengala, com chapéu de palha e vestido com uma camisa aos quadrados e calças de fato de treino.
Em algumas das imagens, para não haver dúvida, segura um exemplar do diário 'Granma' de sexta-feira, 19 de outubro. Os rumores sobre os problemas de saúde de Fidel Castro tinham aumentando de tom nos últimos dias devido ao facto de já terem passado vários meses desde a sua última aparição pública ou o seu último artigo. Depois, um médico venezuelano veio dizer que o ex-líder cubano tinha sofrido uma embolia cerebral e que já não reconhecia a família.
No texto, Fidel explica que deixou de publicar as suas "reflexões" porque não é o seu papel "ocupar as páginas" da imprensa cubana "consagrada a outras tarefas de que o país necessita". Segundo Fidel: "Gosto de escrever e escrevo, gosto de estudar e estudo. Há muitas tarefas na área dos conhecimentos. Nunca as ciências, por exemplo, avançaram a uma velocidade tão assombrosa."
Fidel aproveita ainda para lembrar a Crise dos Mísseis, de há 50 anos. "Cuba não teve nada a ver com a arma nuclear", escreve, acrescentando que a conduta da ilha foi "eticamente inatacável". Lembrando que só aceitou a ajuda russa para se defender dos planos dos norte-americanos de invadir Cuba, Fidel conclui: "Nunca pediremos desculpa a ninguém pelo que fizemos. A verdade é que já passou meio século e continuamos aqui, de cabeça erguida."

fonte: jn.pt

Total de visualizações de página