Postagem em destaque

Ucrânia: Lula se recusa a entregar munição para tanques.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!... O governo brasileiro se opôs ao pedido da Alemanha de entrega de mun...

domingo, 2 de janeiro de 2022

63 anos de revolução em Cuba ou o desafio da resistência criativa.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...



Havana, 1º de janeiro (Prensa Latina) A construção de um novo projeto de sociedade, baseado nos princípios da justiça social, da solidariedade e da emancipação, nasceu em uma época como a de hoje em Cuba e perdura após 63 anos de desafios e resistências criativas.

O primeiro dos desafios consistiu em impor-se ao modelo capitalista vigente em meados do século XX, com a implementação de medidas radicais que colocaram o homem no centro das atenções e deixaram para trás os anos infelizes da ditadura de Fulgencio Batista, que fugiu da ilha caribenha antes da vitória inevitável do Exército Rebelde.

Foi logo no primeiro dia de janeiro de 1959, com o Triunfo da Revolução, quando Fidel Castro, líder da insurreição armada que libertou o país, previu que se iniciava um duro e perigoso empreendimento, dada a coragem de erigir um processo que o tornaria sonhos dos mais desfavorecidos se tornam realidade, naquela época a maioria.

A transformação do sistema de educação e saúde, a industrialização do país, a eliminação do desemprego rural e urbano e a concessão de direitos aos camponeses, são apenas algumas das promessas cumpridas nos primeiros anos da Revolução do histórico Programa Moncada. folha do percurso traçado por Fidel Castro em sua conhecida confissão de legítima defesa La Historia Me Absolverá, após as ações de 26 de julho de 1953.

O intenso pacote de mudanças abrangeu todas as esferas sociais e também a criação de um arcabouço institucional e uma nova forma de gestão governamental, além da projeção internacional, um catálogo de conquistas conquistadas pela primeira vez por uma nação pequena e subdesenvolvida, que se defrontou com rapidez. oposição.

Com inúmeros ataques e agressões de diversos formatos e a aplicação, desde o início de 1962, de um cerco econômico, comercial e financeiro que põe em xeque todas as tentativas de tornar sustentável o desenvolvimento da nação, os vizinhos Estados Unidos repreenderam a ilha do Caribe, antes da pretensão de escrever. seu destino com suas próprias mãos.

Às perdas tangíveis milionárias somam-se os custos humanos, difíceis de calcular: Nemesia ainda guarda a memória do bombardeio de Playa Girón em 1961 que acabou com a vida de sua mãe e Liliam Machin não pôde encontrar seu pai novamente, após pilotar o avião de Barbados que os detratores de Cuba explodiram em pleno voo, com 63 pessoas a bordo em 1976.

No entanto, o país não deixou de se comprometer com o futuro, a construção de escolas e programas educacionais, a elaboração de planos de empoderamento feminino, a conquista de números promissores na saúde, a colaboração além de suas fronteiras … seu sistema social, no enfrentamento ameaças constantes à sua soberania.

Não em vão o escritor uruguaio Eduardo Galeano disse dela que a Revolução “castigou, bloqueou, caluniou, fez muito menos do que queria, mas muito mais do que poderia. E continua cometendo a perigosa loucura de acreditar que o homem não está condenado à humilhação dos poderosos do mundo”.

O país teve que enfrentar mais de uma batalha para trazer seus filhos de volta para casa, como a de devolução da criança que Elián González mantinha sem o consentimento de sua família nos Estados Unidos ou a devolução dos cinco antiterroristas que pagaram com penas injustas na nação do norte, o preço de defender suas terras das agressões.

Também na ordem econômica, deve se reinventar a cada dia, para superar os freios do bloqueio estadunidense e os obstáculos internos muitas vezes reconhecidos, e que em 2021 somaram aos problemas acumulados os efeitos do segundo ano de uma pandemia que cortou sua principal linha econômica, o turismo, o comércio e as exportações.

Entre outras medidas para a recuperação econômica, este ano o país iniciou a Tarefa de Ordenação em busca da unificação monetária; implementou novas medidas destinadas a substituir importações e aumentar a produção e priorizou a aplicação de ciência e tecnologia.

Este foi o ano do ressurgimento da política hostil contra Cuba do governo Joe Biden, que não só não cumpriu sua promessa eleitoral de reiniciar o degelo com a ilha, mas também manteve intactas as 243 medidas ditadas por seu antecessor Donald Trump (2017-janeiro 2021), para sufocar sua economia.

Ao cerco econômico juntaram-se as tentativas de subverter a ordem social e constitucional da nação, com o apoio de operadores políticos estabelecidos nos Estados Unidos, bem como o uso de tecnologias e meios de comunicação para a Guerra Não Convencional contra o país.

Nesse cenário complexo, Cuba conseguiu vacinar mais de 85% de sua população contra a Covid-19 com o desenvolvimento de seus próprios injetáveis ​​e colocar-se na vanguarda da imunização na América Latina, além de continuar a dar solidariedade a mais de 40 países do mundo pelo contingente de médicos Henry Reeve, criado por Fidel Castro em 2005.

Um ano de aulas também concluído em matéria jurídica, com a discussão de um Código da Família que coloca a ilha entre as legislações mais avançadas e a aprovação de quatro regulamentos que reforçam o sistema judicial e os direitos dos cidadãos.

Na qualificação para 2021, o presidente da nação, Miguel Díaz-Canel, garantiu que este tem sido um período de aprendizagem e – mais uma vez – de resistência criativa do povo perante as adversidades.

fonte: granma.cu

África do Sul despede-se de Desmond Tutu num funeral simples.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

A África do Sul despediu-se hoje do ícone anti-apartheid Desmond Tutu com um funeral simples. O Presidente sul-africano salientou o seu papel para a liberdade e a paz no país.



Desmond Tutu foi um "cruzado pela liberdade, pela justiça e pela paz", considerou o Presidente sul-africano, Cyril Ramaphosa, no funeral oficial e que incluiu uma missa de réquiem celebrada na Catedral Anglicana de São Jorge, na Cidade do Cabo, cidade onde o arcebispo morreu aos 90 anos.

"Madiba [Nelson Mandela] foi o pai da nossa democracia, o arcebispo Tutu seu pai espiritual", declarou o chefe de Estado, antes de entregar a bandeira nacional à viúva do falecido.

Cumprindo a vontade de Desmond Tutu, que tinha pedido um funeral simples, a cerimónia apenas contou com o discurso do Presidente da África do Sul, com o líder mundial da Igreja Anglicana e arcebispo de Cantuária, Justin Welby, a enfatizar que o Nobel da Paz "trouxe a luz" quando as pessoas "estavam no escuro".

Algumas das leituras da missa foram feitas por outras figuras proeminentes ou próximas de Tutu, como a ex-presidente irlandesa Mary Robinson, a ativista moçambicana Graça Machel - viúva de Nelson Mandela - ou a ministra das Infraestruturas Patricia de Lille.

O corpo do líder religioso e ícone anti-apartheid esteve em câmara ardente nesta cidade da África do Sul desde quinta-feira (30.12), depois de as autoridades terem antecipado o ato, previsto inicialmente para sexta-feira, na expectativa de que um grande número de pessoas pretendesse homenagear o arcebispo naquela que foi a sua catedral, a Catedral de São Jorge.

Südafrika - Beisetzung von Desmond Tutu

Homenagens foram deixadas diante da catedral

Cerimónia simples

Conforme a vontade expressa por Desmond Tutu, o ato de hoje não contou com os habituais "elementos cerimoniais" das Forças Armadas sul-africanas característicos dos funerais de Estado, limitando-se à apresentação da bandeira nacional à viúva do arcebispo, Nomalizo Leah Tutu.

Ainda de acordo com os desejos de Desmond Tutu, as suas cinzas serão colocadas na catedral, um símbolo da democracia no país conhecido como a "catedral do povo" durante o regime racista do 'apartheid', que governou desde 1948 até ao início dos anos 90 na África do Sul.

Herói anti-apartheid, defensor dos direitos humanos

A morte de Tutu, aos 90 anos de didade no domingo (26.12), representa uma enorme perda para a África do Sul, onde muitos o chamavam "Tata", que significa pai.

Prémio Nobel da Paz em 1984 pela sua luta contra a brutal opressão do 'apartheid', Desmond Tutu é considerado uma das figuras-chave da história contemporânea da África do Sul.

A sua carreira foi marcada por uma constante defesa dos direitos humanos, algo que o levou a distanciar-se em numerosas ocasiões da hierarquia eclesiástica para defender abertamente posições como os direitos dos homossexuais ou a eutanásia.

Nos últimos anos, afastou-se da vida pública devido à sua idade avançada e aos problemas de saúde de que sofria, incluindo um cancro da próstata.

Após o fim do 'apartheid' em 1994, quando a África do Sul se tornou uma democracia, Tutu presidiu à Comissão Verdade e Reconciliação, instituição que documentou as atrocidades durante o regime de segregação racial e procurou promover a reconciliação nacional.

Tutu ganhou ainda enorme visibilidade enquanto um dos líderes religiosos mais proeminentes do mundo na defesa dos direitos LGBTQ (Lésbicas, 'Gays', Bissexuais, Transsexuais e 'Queer').

fonte: DW África

ANGOLA: UM BRILHO QUE CEGA O MUNDO.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...


O MPLA escolheu o Presidente João Lourenço e a primeira-dama, Ana Dias Lourenço, como as figuras do ano 2021, explicando que a dupla vencedora obteve o maior número de votos de sempre, derrotando os outros dois principais candidatos à liderança do partido, no caso João Lourenço e… João Lourenço, “mostrando que as forças da empatia são maiores que as fúrias da divisão”.

Por Angola, depois de José Eduardo dos Santos ser a figura do ano durante 38 anos, eis que João Lourenço assumiu o lugar.

Registe-se que Presidente da República (também Presidente do MPLA e o Titular do Poder Executivo), João Lourenço, é uma das mais, talvez mesmo a maior, personalidades africana do ano (seja qual for ano) e até do mundo democrático, desde a Coreia do Norte à Guiné Equatorial.

João Lourenço, desde que assumiu funções, ocupou exactamente o centro das conversas fulcrais dos nossos tempos: sobre a riqueza e a pobreza, a equidade e a justiça, a transparência, a modernidade, a globalização, o papel das mulheres (…) as tentações do poder.

Todos, angolanos e cidadãos do mundo (da Coreia do Norte à Guiné-Equatorial) desejam que em 2021 todos se lembrem de uma personalidade como João Lourenço que, há décadas nos bastidores e agora na ribalta, tem sido o timoneiro de todas as qualidades e intervenções que devem ser atribuídas a um estadista de craveira Internacional.

No âmbito religioso talvez não tenha o mesmo destaque porque José Eduardo dos Santos foi considerado “o escolhido de Deus”. No entanto, a corte de João Lourença já trabalha para que ele seja qualificado não como o “escolhido” mas como sendo o próprio… “Deus”.

Nessa altura todos dirão que a escolha “não surpreende, tendo em conta a ressonância e a grande atenção que a presidência de João Lourenço desperta em todo o mundo, e arredores”.

Dirá então o Jornal de Angola que “o líder do MPLA, do Governo e Presidente da República, tornou-se a voz da consciência, com a atenção centrada na compaixão”, apresentando João Lourenço como “o Pai do Povo”.

Todos vão considerar “um sinal positivo que um dos reconhecimentos mais prestigiosos no âmbito da imprensa internacional seja atribuído a quem anuncia no mundo valores espirituais, religiosos, morais, éticos e sociais eficazmente a favor da paz e de uma maior justiça.”

Por seu lado, antevemos, João Lourenço explicará que não procura fama nem sucesso, que faz simplesmente o seu trabalho de anúncio do Evangelho do amor que nutre por todos. Se isto atrai milhões de angolanas e de angolanos o Presidente sente-se feliz. Se esta escolha “da Figura do Ano” significa que muitos compreenderam – pelo menos implicitamente – esta mensagem, com certeza que isto o fará sentir-se feliz, concluirá o porta-voz do regime.

E todos ficaremos francamente felizes. Distinguir João Lourenço será uma forma de mostrar ao mundo quanto ele é superior a dirigentes como N’Krumahn, Nasser, Amílcar Cabral, Senghor, Boigny, Hassan II ou Nelson Mandela.

De facto, não fosse a “visão estratégica” do Presidente João Lourenço e, reconheça-se, a democracia, a reconciliação, a igualdade, a liberdade, a equidade social, os direitos humanos, já há muito tinham colapsado.

O mundo tem ainda de perceber, de uma vez por todas, que também na economia, tal como em todas as outras vertentes da vida, e da morte, dos angolanos, Deus tem agora em João Lourenço o seu escolhido.

Capitaneados pela mais alta personalidade mundial de todos os tempos, alguns angolanos continuarão a ser cada vez mais ricos e outros, pouco relevantes para o caso, continuarão a ser cada vez mais pobres. Embora seja assim há 46 anos, certo é que, como tudo na vida, não há bem que sempre dure nem mal que nunca acabe.

Como dizia Teta Lando, eventualmente num poema – quem sabe? – da autoria de João Lourenço, “se tu és branco isso não interessa a ninguém, se tu és mulato isso não interessa a ninguém, se tu és negro isso não interessa a ninguém. O que interessa é a tua vontade de fazer uma Angola melhor. Uma Angola verdadeiramente livre, uma Angola independente.”

Até agora o líder do MPLA (partido que governa Angola desde 1975), presidente da República não eleito nominalmente e chefe do Governo, João Lourenço, mostra que não brinca em serviço e que não descansará enquanto não for escolhido como personalidade mundial e, é claro, não conquistar um mais do que merecido Prémio Nobel.

Em abono do apoio que aqui manifestamos a João Lourenço, lembramos que, de quando em vez, o Presidente revela um humor inaudito, visível quando exorta os seus súbditos a, nem mais nem menos, “não pactuar com a corrupção e com a apropriação de meios do erário público ou do partido”.

Ainda no âmbito da sua veia humorística, nem sempre compreendida pelos jornalistas, João Lourenço também diz que o MPLA pugna desde 1975 “pela defesa das liberdades direitos e garantias dos cidadãos”.

O auge desse humor, dir-se-ia que é quase um orgasmo, regista-se quando o Presidente evoca como a causa de todos os males a “pesada herança do colonialismo”.

fonte: folha8

Costa do Marfim: Mensagem de Ano Novo / Jean-Marie Ackah (Presidente do CGECI) "2021 terá sido o ano da volta do forte crescimento, projetado em 6,5% ..."

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...


O ano que acaba de terminar terá sido marcado por um renascimento da atividade econômica no mundo e, em particular, na Costa do Marfim. E isso, apesar da persistência da pandemia Covid-19, apoia o presidente da Confederação Geral das Empresas da Costa do Marfim (Cgeci), Jean-Marie Ackah, em sua mensagem de Ano Novo.

Nesta nota, uma cópia da qual foi enviada a Fratmat.info, o presidente do patronato costa-marfinense, salienta que a economia, desacelerada no seu ímpeto com o aparecimento das variantes Delta e Omicron do Coronavirus, está agora completa a recuperação e reabertura de quase todos os setores de atividade é de fato uma realidade perceptível.

Aos seus sócios e membros da Cgeci, indicou que a Confederação continuará a dar voz ao setor privado marfinense. E isso, nas grandes reformas e nas principais questões que dizem respeito ao Estado, ao setor privado e às organizações regionais. Abaixo está a mensagem completa do presidente dos empregadores da Costa do Marfim.
“A todos vocês, queridos amigos, queridos parceiros, que este Ano Novo lhes traga o sucesso, a saúde e a prosperidade que merecem! "

Aqui estamos no limiar de um novo ano. Em tal circunstância, como é de costume, gostaria de enviar-lhe, em nome da Confederação Geral de Negócios da Côte d'Ivoire, e em meu próprio nome, meus melhores votos de plena saúde e sucesso ao longo do ano de 2022.

Antes de passar para os desafios à frente, deixe-me dar uma olhada no espelho retrovisor.

O ano passado testemunhou um renascimento da atividade econômica em todo o mundo, apesar da persistência da pandemia Covid-19. O crescimento econômico, de fato, saltou para 5,9% de acordo com o FMI. E, embora a rápida disseminação da variante Delta e a ameaça de novas cepas do vírus consideradas extremamente perigosas, incluindo a variante Omicron, tenham aumentado a incerteza sobre quanto tempo levará para superar a pandemia, a economia está crescendo. o relançamento e reabertura de quase todos os setores de negócios é uma realidade perceptível.

A África não foi exceção a esta tendência positiva, com uma taxa de crescimento esperada de 3,7%, após a recessão de 2020.

Na Costa do Marfim, 2021 terá sido o ano do retorno do forte crescimento, projetado em 6,5%, após a desaceleração de 2020. Todos os setores de negócios têm contribuído, com empresas mostrando maior resiliência e inegáveis ​​capacidades de recuperação.

Este é o lugar para mim parabenizar os líderes empresariais que se apresentaram, superando outros choques de grande escala. Com efeito, enquanto a pandemia e os seus efeitos não se dissiparam, as empresas tiveram de enfrentar uma crise energética de quase três meses, praticamente com os meios disponíveis, induzindo custos adicionais num contexto em que não tinha sido considerado o apoio estatal ao sistema.

Ao prestar homenagem aos nossos valorosos empreendedores que conseguiram superar esses obstáculos, tenho um pensamento especial para esses empreendedores que tiveram menos sucesso e que continuam a lutar. Podem contar com o CGECI que continua a sua advocacia junto ao poder público para que os mecanismos de apoio se tornem mais eficientes e beneficiem efetivamente todos aqueles que deles necessitam.

Ao longo de 2021, com suas diversas contribuições, nossa Organização trabalhou para consolidar suas conquistas.

Queridos membros,

o vosso compromisso ao serviço do CGECI permitiu-nos concretizar o ambicioso programa de actividades estabelecido no início do nosso mandato e cujos eixos principais foram os seguintes:

- melhorar a governança de nossa Organização;

- o posicionamento dos seus membros no centro da ação empregadora;

- melhorar a sua notoriedade, bem como consolidar a sua imagem a nível nacional e internacional.

Ao entrarmos no último ano deste segundo mandato que você nos confiou, gostaria de reiterar nossa determinação de representá-lo efetivamente em todos os fóruns onde for necessário e de continuar a dar voz ao Setor Privado da Costa do Marfim em todas as grandes reformas e as principais questões que dizem respeito a todos nós, Estado, Setor Privado e organizações regionais.

A nível nacional, a nossa defesa de um diálogo inovador e estratégico entre o Estado e o Setor Privado tem sido um sucesso retumbante, com o Dia do Seminário sobre Governo dedicado ao Setor Privado, um evento sem precedentes em nosso país. Os Grupos de Trabalho criados ao final deste seminário possibilitaram dar continuidade às discussões sobre todos os temas de interesse comum. No Dia Nacional da Parceria, o Governo atendeu um dos nossos principais pedidos, anunciando medidas para criar e apoiar o hatch.

fonte: https://www.fratmat.info/


Desconforto entre Cristiano Ronaldo e seus companheiros? Seu agente desmente.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...



Desde a sua chegada ao clube inglês Manchester United, o astro português Cristiano Ronaldo continua a surpreender os seus adeptos. Recentemente, o jogador de 36 anos marcou aos 35 minutos de jogo na partida de três a um contra o Burnley a favor do Manchester United. No entanto, com tudo parecendo estar bem em campo, rumores indicam que um mau ambiente está reinando no vestiário do clube.

Ele está "muito feliz no Manchester United"
Indicam também que a CR7 não ficaria satisfeita em Manchester, a ponto de rever suas posições para a janela de transferências. A mídia inglesa Daily Mail disse que a atmosfera piorou nas últimas semanas no centro de treinamento. Além disso, ele havia mencionado as relações complicadas entre o jogador português e alguns companheiros. Esta informação foi, no entanto, negada pelo seu agente Jorge Mendes.

Patrocinadas
Em entrevista à mídia esportiva Sky Sports, este último disse que Cristiano Ronaldo “está muito feliz com o Manchester United. Ele continuará com suas excelentes atuações, como sempre fez em sua carreira. Vai ser uma grande temporada para ele, tenho certeza. " Como um lembrete, Cristiano Ronaldo trocou a Juventus pelo Manchester United no verão passado. Seu contrato com o clube inglês termina em 2023.

fonte: 

Senegal: Advogado acusador de Sonko anuncia julgamento de 2022.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...


O advogado do acusador Ousmane Sonko aproveitou o tempo que passou no programa Yoon-Wi da Rfm para revisitar o caso entre o político senegalês e a massagista. De acordo com o anúncio feito pelo Maitre El Hadj Diouf, o julgamento neste caso deve começar em 2022. O Advogado não deu detalhes sobre a data de início.

A próxima audiência de Ousmane Sonko

O conselho do protagonista do líder do Pastef aponta que o caso prossegue e que o reitor dos juízes deverá ouvir Ousmane Sonko como foi o caso de Adji Sarr. Após essa etapa, o processo será encerrado e encaminhado ao Tribunal de Justiça após confronto entre os réus. O mestre El Hadj Diouf também defendeu a publicação dos resultados dos testes de DNA e outras evidências.

Patrocinadas

Lembre-se de que esse caso fez com que uma grande quantidade de tinta e saliva fluísse. Na mídia, o acusador Adji Sarr, a jovem de 20 anos, mantém suas acusações de estupro por Ousmane Sonko e nega qualquer conspiração política. Ela disse que conheceu o político na sala de massagens. Este último supostamente o agrediu.

"Conheci Ousmane Sonko na sala de massagens"

“Conheci Ousmane Sonko na casa de massagens onde trabalhava. Eu o reconheci sem dizer nada. Quando ele se despiu na cabana, vi que carregava duas armas na bainha. Fiquei com medo, mas ele me disse que era para sua proteção ", detalhou ela. “Ele me pediu para descer para fazer o que ele queria, antes de me deixar ir”, ela continuou antes de acrescentar: “Ele não apontou suas armas para mim, mas eu deixei claro que ele poderia me matar sem que ninguém soubesse. "

fonte: https://lanouvelletribune.info/

Benin: MPL quer a libertação de presos políticos em 2022.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...


O Movimento de Libertação Popular (MPL) recentemente se reuniu com a mídia para um lanche da imprensa. O experiente chefe do partido, Tébé, reafirmou o objetivo de curto prazo de seu partido. O de participar das eleições legislativas de 2023. Para ele, o próximo ano servirá para preparar este prazo eleitoral. 2022 é o ano "da preparação para as eleições legislativas que verão a mudança da cor política do nosso país. Quer goste ou não, o regime tem de nos deixar participar (nas eleições) ”, disse Experience Tébé, inquieto com a vontade do governo de“ (silenciar) todas as vozes dissidentes ”.

“É nossa responsabilidade”
Para ele, é necessário que “alguns dos nossos compatriotas” presos sejam “entregues”. “2022 deve eliminar os presos políticos completamente. É nossa responsabilidade, é nosso dever, pretendemos lutar, temos capacidade para o fazer e o faremos ”insistiu Experiência Tébé. Recorde-se que o Movimento de Libertação Popular (MPL) é um jovem partido político focado na pia batismal em 2019. Era liderado por Sabi Sira Korogoné, ex-porta-voz da "Iniciativa Nikki", um movimento de protesto.

Patrocinadas
O homem foi detido em outubro de 2018 e encarcerado por um ano após um julgamento por postar em redes sociais comentários de incitação ao ódio e violência, incitamento à rebelião, insultos com motivação racista, na sequência do encontro da “Iniciativa Nikki” no início de setembro de 2018. Em 2 de junho de 2019, ele recuperou a liberdade após oito meses atrás das grades. Nesse ínterim, ele assumiu as rédeas da MPL, mas se aposentou em julho de 2021 em favor de seu companheiro de luta.

fonte: https://lanouvelletribune.info/

Patrice Talon: "Em 2022, vamos aumentar os salários dos trabalhadores".

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...


O Presidente Patrice Talon apresentou seus desejos à nação no dia 31 de dezembro de 2021 em vídeo veiculado nos canais digitais da Presidência da República. “A todos desejo boa saúde e mais sucesso na vida. Feliz Ano Novo, ”nós o ouvimos dizer no final da gravação. Olhando de forma ampla para a mensagem, notamos que 2022 será o ano do aumento dos salários dos funcionários públicos e da solidariedade.

“Vamos investir em diversos setores produtivos para gerar mais empregos”
“Em 2022, aumentaremos os salários dos trabalhadores tanto quanto investimos em vários setores produtivos para criar mais empregos e riqueza para o benefício de todos”, disse Patrice Talon. Em seguida, falou dos cerca de 20 bilhões de francos CFA que o Estado está distribuindo a "um grande número de nossas pequenas e médias empresas formais e informais, bem como seu pessoal, para mitigar os impactos econômicos da pandemia".

fonte: https://lanouvelletribune.info/

Total de visualizações de página