Postagem em destaque

CONCESSÃO DO PRÊMIO HOUPHOUET BOIGNY PELA BUSCA DA PAZ EM RCI: Os marfinenses poderão finalmente se olhar no espelho?

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!... Realiza-se esta quarta-feira, 8 de fevereiro de 2023, em Yamoussoukr...

domingo, 5 de janeiro de 2014

Brasil: Cantor Nelson Ned morre em São Paulo - o corpo vai ser cremado.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...


Nelson Ned morre aos 66 anos. Foto: Divulgação

Faleceu na manhã deste domingo (5) Nelson Ned. Ele tinha 66 anos e não resistiu a uma pneumonia. O cantor estava internado desde sábado no Hospital Regional de Cotia, na grande São Paulo.
O corpo de Nelson Ned está sendo velado no cemitério Horto da Paz, em Itapecerica da Serra e será cremado. A cerimônia de cremação está marcada para as 21h deste domingo. Segundo informações do site 'G1', ele morreu às 7h25 em decorrência de "choque septico, sepse, broncopneumonia e acidente vascular cerebral".
"O pequeno gigante da canção", apelido que recebeu por seu 1m12 de altura, nasceu em Ubá (MG) e se consagrou na década de 60 como uma das vozes românticas mais famosas do Brasil, e seu sucesso internacional veio com a gravação de vários discos em espanhol.
Ídolo em países como Argentina, México e Colômbia, entre outros, Nelson Ned enfrentava problemas de saúde há vários anos e que se agravaram em 2003 quando sofreu um acidente vascular cerebral (AVC).
Como consequência do AVC, o intérprete de "Tudo passará" perdeu a visão de um olho e precisava se locomover com a ajuda de uma cadeira de rodas, além de enfrentar diabetes, hipertensão arterial e foi diagnosticado também com Mal de Alzheimer em fase inicial.
Ned se converteu nos anos 90 à religião evangélica e, desde então, interpretava com sucesso músicas do gênero religioso, também em português e espanhol.
Com 45 milhões de cópias de discos vendidos em todo o mundo, Ned foi o primeiro latino-americano a vender um milhão de discos no mercado dos Estados Unidos, onde se apresentou junto com o espanhol Julio Iglesias e o americano Tony Bennett e no qual encheu três vezes o mítico Carnegie Hall, em Nova York.
(com informações da agência EFE)

OPINIÃO: CAUSA DE TROMBOSES E DIABETES NA GUINÉ-BISSAU.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...


CD - CENTRO DEMOCRÁTICO

EDUCAR - DEMOCRATIZAR – DESENVOLVER.

O P.A.I.G.C. - PARTIDO AFRICANO PARA INDEPENDÊNCIA DA GUINÉ E CABO -VERDE.

O P.R.S. - O PARTIDO DA RENOVAÇÃO SOCIAL.

SÃO AS PRINCIPAIS CAUSAS DE TROMBOSES E DE DIABETES NA GUINÉ-BISSAU.

POIS  ANTES  DE  LUTAS  DESCRIMINADAS  INTERNAS  E  A   NÍVEL  NACIONAL  PARA  OS PODERES DESSAS FORMAÇÕES POLITICAS, A SOCIEDADE GUINEENSE ERA SÃ E COESA. 

SÃO ELES OS RESPONSÁVEIS POR DESAGREÇÕES SOCIAIS DOS NÚCLEOS FAMILIARES.

SÃO ELES OS RESPONSÁVEIS PELA DEGRADAÇÃO E A INSTABILIDADE POLITICA NO PAÍS.

C.D. -  CENTRO DEMOCRÁTICO (PARTIDO DE OBRAS).

O PRESIDENTE
Rag. EMPOSSA IÉ (PAULINO).


VIVA  CD : PELA UNIDADE  NACIONAL - PAZ - JUSTIÇA -TRABALHO - PROGRESSO

Eusébio, lendário jogador português, morre aos 71 anos.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...



Eusébio da Silva Ferreira, considerado em Portugal o melhor jogador de futebol de todos os tempos, morreu neste domingo aos 71 anos devido a uma parada cardiorrespiratória, informou o Benfica, clube do qual foi jogador.
Conhecido como "Pantera Negra", o jogador tinha sofrido diversos problemas de saúde desde 2012, quando foi hospitalizado por causa de um derrame cerebral enquanto acompanhava a seleção portuguesa na Eurocopa, na Polônia.
Nascido em 1942 na antiga colônia portuguesa, Moçambique, Eusébio se tornou o maior símbolo do futebol português, com o qual conquistou o maior sucesso de sua seleção, o terceiro lugar na Copa do Mundo da Inglaterra, em 1966, no qual foi o artilheiro, com 9 gols. EFE
Em Portugal começou sua trajetória no Benfica, onde foi contratado em 1960 e para o qual jogou no time principal desde os 19 anos.
Ao longo de sua carreira, ganhou 12 Campeonatos Portugueses, cinco Copas de Portugal e a Copa dos Campeões Europeus na temporada 1961-1962, na qual o clube português derrotou por 5 a 3 o Real Madrid de di Stéfano, Puskás e Gento na final em Amsterdã.
Também foi premiado com a Bola de Ouro concedida pela revista francesa "France Football" em 1965, e ficou em segunda lugar na votação final em outras duas ocasiões (1962 e 1966).
Desde sua aposentadoria, participou de vários atos públicos, seguiu como representante e símbolo do Benfica e embaixador da seleção em seus torneios no exterior.
EFE



Leia mais >>>

Eusébio no Mundial de 1966 no jogo com a Coreia do Norte DR

Eusébio morreu. Eusébio da Silva Ferreira, antigo futebolista do Benfica, morreu na madrugada de domingo em Lisboa, disse à Lusa fonte do clube. A mesma fonte adiantou que Eusébio, 71 anos, morreu às 4h30, vítima de paragem cardiorespiratória. Eusébio estava em casa, sentiu-se mal por volta das 3h30 da manhã e foi chamado o INEM, mas já foi demasiado tarde. O corpo do antigo futebolista deverá ser transportado ainda este domingo para o Estádio da Luz, onde ficará dois dias. O funeral deverá realizar-se na terça-feira. Nascido a 25 de Janeiro de 1942 na então Lourenço Marques, hoje Maputo, Eusébio tornou-se o maior símbolo do futebol português. Vindo de Moçambique, depois de ter jogado no Sporting de Lourenço Marques, chegou ao clube de Lisboa no Inverno de 1960. Foi nessa década que o “Pantera Negra” mais brilhou nos relvados, no Benfica e ao serviço da selecção de Portugal, no Mundial de 1966, onde foi o melhor marcador. Sete vezes melhor goleador do campeonato português (1963/64, 64/65, 65/66, 66/67, 67/68, 69/70 e 72/73), duas vezes melhor marcador europeu (1967/68 e 72/73), Eusébio foi uma vez eleito melhor futebolista europeu mas é considerado um dos maiores futebolistas mundiais de todos dos tempos. Foi 11 vezes campeão nacional pelo Benfica - alinhando em 294 jogos, nos quais marcou 316 golos -, ganhou cinco Taças de Portugal, foi campeão europeu em 1961/62 e finalista da Taça dos Campeões em 1962/63 e 67/68. No total, foram 546 os golos que marcou pela selecção portuguesa e ao serviço dos clubes por que passou. Pelo Benfica, foram 473, em 440 jogos oficiais. Cometeu a proeza de marcar 32 golos em 17 jogos consecutivos, tendo ainda conseguido marcar seis golos no mesmo jogo em três ocasiões. O guarda-redes que mais golos seus sofreu foi Américo, do FC Porto (17). Jogou no Benfica até 1975, tendo depois actuado ainda em clubes da América do Norte, no Beira Mar e no União de Tomar – esta última uma breve experiência que durou até Março de 1978, após o que regressou aos EUA para tentar uma efémera experiência no futebol indoorParticipou em 64 jogos da selecção de Portugal, pela qual se estreou em 8 de Outubro de 1961. No Mundial de 1966, em Inglaterra, em que Portugal foi o  terceiro classificado, venceu o troféu destinado ao melhor marcador da prova, com nove golos, e foi considerado o melhor jogador da competição. Ficou célebre a sua actuação no jogo com a Coreia do Norte, dos quartos-de-final desse mundial, em que marcou quatro golos, contribuindo decisivamente para a vitória de Portugal a por 5-3, depois ter estado a perder por 0-3. "Foi o meu dia", recordou mais tarde,quando, no Mundial de 2010, na África do Sul, a equipa portuguesa voltou a defrontar a asiática.

# publico.pt

Gabão: A visão do Presidente para 2014 - As reformas previstas.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

Les vœux du Président pour 2014 : les réformes à venir

A saudação tradicional do Chefe de Estado do Gabão na televisão é uma oportunidade de assumir grandes reformas que pontuam o ano de 2014. A paz, desenvolvimento e partilha estão no centro do discurso do presidente. Breve resumo do esboço do discurso.

Esta apresentação agora dirigida aos cidadãos gaboneses permite resumir o ano passado, mas também para fazer projeções ao longo dos próximos meses. Entre os assuntos abordados, a saúde tem sido citado como a principal pelo presidente Ali Bongo Ondimba.

2013 " um ano muito denso"

Este discurso televisionado começou em uma pequena folha retratando os 12 meses do ano. O Presidente observou com razão que " muitos projetos têm tomado forma. Eles ajudaram a consolidar ainda mais os fundamentos sobre os quais construímos a cada dia, o tríplice "A paz , desenvolvimento e partilha ".

Entre os principais sucessos inegáveis​​, a implementação da biometria nas últimas eleições locais. Um movimento que ajudou a " consolidar nossa democracia, depois de ter exercício um entendimento consensual envolvendo todas as partes interessadas na política nacional. " A recente eleição do Gabão para a presidência da Comissão de Direitos Humanos das Nações Unidas, também foi o símbolo de " esforços de nossos países para garantir os direitos humanos e proteger o exercício das liberdades individuais e coletivas. "

Finalmente, a captação de recursos na ordem dos 75 bilhões de FCFA realizado pelo Gabão atraindo mercados internacionais (lien ) foi um grande sinal de confiança que vai dar fôlego a " 2014 " para ir mais longe nas reformas e acelerar o ritmo de projetos de desenvolvimento e diversificação da nossa economia. " A entrega recente da barragem do Grand Poubara e da Central Térmica de Alénakiri são exemplos de concretização que podem capitalizar o futuro.

Na mesma linha de idéias, a rota Port-Gentil - Omboué, com mais de 12 km de pontes, vai ligar a capital econômica com o resto da rede rodoviária nacional em expansão. A rota Rally Port-Gentil em breve será uma realidade ", acrescentou o presidente.

Criação de um Conselho Nacional de Educação

Um pouco mais tarde, o presidente quis voltar para a importância do diálogo social, um vetor verdadeiro de serenidade para o progresso econômico e social. É neste sentido que o Chefe de Estado anunciou " a criação e a implementação do Conselho Nacional de Educação, da Formação e Pesquisa que irá agora ser parte da consulta para o tratamento global e definitivo de principais questões relacionadas com a educação e formação no nosso país. "

Extensão Universal da CNAMGS e aumento da ajuda aos mais desfavorecidos

Por fim, o Presidente longamente desenvolveu a questão da protecção social. O ano passado "foi marcado pelo início das inscrições para os empregados do setor privado e do direito de seus dependentes, CNAMGS. Esta afiliação dos nossos compatriotas encarna a extensão universal de cobertura da segurança social em 2014. "Agora, esse segmento da população, após essas dos gaboneses economicamente fracos e dos funcionários públicos, será apoiado.

O Chefe de Estado também pediu ao governo para " acelerar o processo de registro e transferência de competências para o CNSS CNAMGS, sobre benefícios de saúde. "

Outro ponto-chave a par de seus olhos: " acesso direto para a prestação dos cuidados de saúde. " O maior respeito pela atribuição regulamentar das receitas geradas pelas unidades de saúde no serviço público de saúde será analisado de perto.

Para conseguir isso, o presidente do Gabão anunciou a criação de uma " conta especial para investimentos em treinamento de Saneamento Público, a fim de melhorar a qualidade da prestação de cuidados de saúde. " Assim, enquanto apenas 20% é dedicado ao bem-estar e outros recursos são realmente concedidos para os grupos sociais mais desfavorecidos, o presidente está mais determinado: " Isso precisa mudar, e vai mudar em 2014. "

Um discurso especial que promete ser um ano mais uma vez voltado para o objetivo final: a emergência!

Fonte : gabonews.com com a colaboração de PP

GN/14

Angola: O terror continua nas Lundas.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...



O supervisor da empresa privada de segurança Bikuar, conhecido como Ratinho, disparou à queima-roupa e atingiu, na cabeça, Maró Maria Franco, de 28 anos. O corpo do motorista inclinou-se ligeiramente para a frente. A cabeça tocou no volante, a chave continuou na ignição. O jovem morreu sentado, por volta das 13h45, na viatura que conduzia, a 27 de Dezembro, na área diamantífera de Calonda, no município do Lucapa, província da Lunda-Norte.

A seu lado, o jovem que o acompanhava, no Toyota Land-Cruiser, saiu ileso.
Matar tem sido o lema entre os guardas das empresas privadas de segurança, ao serviço das companhias diamantíferas, nas Lundas. A impunidade tem sido a palavra de ordem entre os proprietários das referidas empresas, por norma altos oficiais do exército e da Polícia Nacional.
Nesse cortejo de mortes, a diferença tem estado apenas nos detalhes sobre como a vida alheia, nas Lundas, não vale nada.

Segundo depoimentos prestados pelo irmão do malogrado, António Aleluia, de 19 anos, que se fez presente ao local, Maró Maria Franco foi morto porque se recusou a entregar a chave da viatura. O supervisor da Bikuar havia bloqueado a via com outra viatura e exigiu a chave para confisco do Toyota. “O meu irmão disse que estava conduzir na via pública e não tinha nada de entregar as chaves. Foi morto por isso”, reafirmou António Aleluia .

Maró Maria Franco trabalhava para um comprador de diamantes de nacionalidade senegalesa, conhecido localmente como o Boss Petit Ba. Transportou uma equipa de garimpeiros, ao serviço do seu patrão, para uma zona de exploração artesanal. A abordagem fatal aconteceu na sua viagem de regresso.

“Eu fui remover o corpo do meu irmão porque a polícia estava lá no local, incluindo o comandante da Polícia do Sector de Calonda, o intendente Mário Muandumba, mas não fazia nada e as horas passavam”, disse António Aleluia.

“ Só depois de eu ter pegado no corpo, um dos oficiais disse para eu esperar, para eles tirarem dados. Como eu estava muito nervoso, colocaram-me na viatura do próprio comandante Muandumba”, afirmou o irmão da vítima.

Na viatura do comandante encontrava-se já o motorista da Alfa-5, que transportava o supervisor da Bikuar e, segundo depoimentos recolhidos junto da polícia local, terá facilitado também a sua fuga da cena do crime.

A Alfa-5 e a Bikuar prestam serviços privados de segurança à Sociedade Mineira de Angola (Somipa), a empresa diamantífera que actualmente faz a prospecção de diamantes no Calonda.

O General JJ

De acordo com o depoimento de António Aleluia, na viagem de regresso à vila de Calonda, “o comandante Muandumba falou com o general JJ, a quem tratava por sua excelência, para ficar tranquilo. ‘Sua excelência, vou pôr tudo em ordem, fica calmo’ dizia o comandante”.

O general JJ, cuja verdadeira identidade a testemunha desconhecia, é o segundo comandante provincial da Polícia Nacional no Uíge, subcomissário José João. Até recentemente, o subcomissário exercia as mesmas funções na província da Lunda-Norte. É o principal responsável da empresa Bikuar, no relacionamento com as autoridades locais.
Maka Angola tem acompanhado as intervenções pessoais do general JJ junto da polícia local, sempre que os guardas da empresa cometem actos de homicídio e outros crimes.

João Inácio, tio do malogrado, interveio na narrativa para reafirmar o que é um segredo público na Lunda-Norte. “Os donos dessa empresa são o general JJ, o próprio governador provincial da Lunda-Norte, Ernesto Muangala, e o empresário Santos Bikuku. Não vamos esconder a realidade”.

“Essa empresa é um exército clandestino que criaram para dar cabo do povo”, alegou o tio da vítima.

Em reacção ao homicídio, centenas de populares tomaram de assalto o principal acampamento da Bikuar, situado fora do perímetro da mina, tendo os guardas abandonado o local em debandada. Efectivos policiais foram enviados ao local para dispersar a população a tiro, quando estes destruíam e saqueavam o referido acampamento.

Já no comando policial de Calonda, o comandante Muandumba telefonou ao “general JJ”, diante de vários membros da família do malogrado, para negociar uma compensação. “Na nossa presença, o comandante perguntou-nos o que queríamos, para transmitir ao general JJ”.

O tio João Inácio detalhou a conversa entre o padrasto, em representação da família, e o comandante, em nome do subcomissário José João. O padrasto recusou-se a negociar sem a presença dos familiares directos, na altura em viagem para o local, e exigiu apenas o montante devido para a realização das despesas do funeral, avaliadas em um milhão de kwanzas (US $10,000).

“O comandante Muandumba ligou outra vez para o general JJ [o subcomissário] apresentou a proposta e recebeu instruções e um número de telefone para ligar à direcção da Somipa, para a empresa efectuar o pagamento”, revelou João Inácio.

Maka Angola teve acesso às duas notas de entrega de um total de 900,000 kwanzas à família. A nota da Somipa, datada de 31 de Dezembro, indicava a contribuição de 500,000 kwanzas da concessionária diamantífera e foi assinada pelo seu director de operações, Viacheslav Savelyev. A segunda nota, de 400,000 kwanzas, como contribuição da Bikuar, foi assumida pela Esquadra policial de Calonda e assinada pelo seu comandante, Mário Muandumba.

“Venho por intermédio desta informar que Esquadra Policial do Calonda que em função do incidente ocorrido no dia 27 de Dezembro de 2013, às 13:45 que vitimou o cidadão Maró Maria Frank procedemos à entrega de 400,000,00 Kz (quatrocentos mil kwanzas) valores provenientes da direcção da Bikuar à mãe da vítima senhora Maria Tchabua Ngamba (…)”, lia-se na nota de entrega da polícia.

No entanto, os montantes só foram entregues a 2 de Janeiro.

Injecções de Gasolina no Corpo

Apesar dos grandes anúncios de desenvolvimento que têm ocorrido no país, a morte de Maró Maria Franco expôs a falta de uma morgue no município do Lucapa, uma área com mais de 80,000 habitantes e rica em diamantes.

Os familiares tiveram de levar o corpo directamente para casa. O enterro seria realizado no dia seguinte, enquanto aguardavam pela chegada de mais familiares provenientes de Luanda e Cafunfo.

“Para não inflamar e manter o corpo até ao enterro, tínhamos de injectá-lo regularmente com gasolina. É assim que fazemos aqui para conservarmos os nossos mortos até serem enterrados”, explicou João Inácio.


# makaangola

Total de visualizações de página