Postagem em destaque

BAMAKO E IYAD ENGAJADOS NA MESMA LUTA CONTRA EIGS NO MALI: Cuidado com o efeito bumerangue!

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!... Há poucos dias, foi em Menaka que foi visto ao lado de notáveis ​​tu...

quinta-feira, 6 de agosto de 2015

Guiné-Bissau: mensagem do Primeiro Ministro à Nação.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...



"Perante a crise institucional que se vive na Guiné-Bissau, o Primeiro-ministro Domingos Simões Pereira covocou hoje, dia 6 de agosto, os líderes dos Partidos Políticos com assento parlamentar e a Comunidade Internacional para os informar sobre a actualidade política vigente no país.
No fim dos encontros proferiu a seguinte comunicação à Nação:
Caros compatriotas,
Sei que as dificuldades de relacionamento institucional entre o Primeiro-Ministro e o Presidente da República, já há muito são do domínio público, e constituem sérios motivos de preocupação e inquietação dos cidadãos, partidos políticos, deputados à Assembleia Nacional Popular, bem como da comunidade internacional.
Na qualidade de Primeiro-Ministro e Presidente do PAIGC, Partido que ganhou as últimas eleições legislativas, considero legítimas essas preocupações, na justa medida em que o cenário prevalecente pode remeter, mais uma vez, a Guiné-Bissau para uma situação de instabilidade governativa, o que representaria uma revolta e frustração absolutas para todos quanto consideram a nova visão de governação a solução para a paz, estabilidade e desenvolvimento da “nossa terra”.
Tentativas várias foram feitas, pelo PAIGC, por cidadãos e personalidades guineenses, bem como pelos representantes e personalidades da comunidade internacional, junto dos dois titulares dos órgãos de soberania, Primeiro-Ministro e Sua Excelência o Senhor Presidente da República, visando ultrapassar essas dificuldades.
Caros compatriotas,
Apesar da afirmação pública, perante os deputados, membros do Governo e diplomatas e representantes do corpo diplomático, numa das sessões solenes da Assembleia Nacional Popular, de que “nunca lhe passou pela cabeça demitir o Governo” e a informação veiculada “não passava de um mero boato”, Sua Excelência o Senhor Presidente da República manteve e mantém o propósito de demitir o Governo.
Considerando que essa ameaça permanente de demissão do Governo pelo Presidente da República prejudica séria e profundamente o nosso País;
Considerando que ontem, o Gabinete de Sua Excelência o Senhor Presidente da República informou da decisão unilateral deste em cancelar, sem qualquer explicação, a reunião semanal de trabalho que mantém com o Primeiro-ministro e Chefe do Governo;
Tendo ainda em atenção que foi anunciado o início de consultas aos partidos políticos e se presume que visem a destituição do Governo;
Considerando finalmente que a Assembleia Nacional Popular denunciou a existência de um “Plano Estratégico” para o derrube do Governo e criação de um Governo de Unidade Nacional de base alargada.
Em nome e representação do Governo a que tenho o privilégio e a responsabilidade de dirigir, entendi como chegado o momento de levar ao conhecimento da opinião Pública Nacional e dos Parceiros Internacionais de Cooperação, estes e outros factos e a nossa leitura sobre as implicações da atual situação.
Primeiro, temos a informar que a proposta de remodelação governamental está preparada há mais de um mês, tendo sido entregue ao Senhor Presidente da República, há exatamente 16 dias.
Antes da submissão dessa proposta de remodelação governamental (da competência e responsabilidade do Chefe do Governo) ficaram acordadas as seguintes disposições:
Que o PM deveria apresentar uma proposta para depois juntos analisarem os nomes e as opções aí inclusas;
Como não se chegou a realizar o debate de urgência pedido à ANP sobre a situação da justiça, que visava esclarecer o quadro de aplicação da lei 14/97 sobre os titulares de cargos políticos, foi recolhida informação sobre os processos judiciais em curso, o que permitiu a exclusão da lista proposta, dos passiveis de acusação;
O PM solicitou e recebeu a anuência do PR para incluir na sua proposta eventuais elementos tidos como próximos ou trabalhando no atual gabinete do PR. Nunca se tratou de ceder lugares para o preenchimento pelo próprio PR; Observados estes pressupostos, são tidos como pontos prevalecentes de discórdia entre o PR e o PM :
Mesa Redonda. O PR diz continuar a não conhecer os resultados reais da MR e não aceita a explicação do governo em como os únicos documentos são o comunicado final da Conferência e a lista dos “Pledges”, já há muito e por várias vezes transmitidos. O PR assume a existência de um fundo que o Governo não quer divulgar e que pretende gerir à margem do seu conhecimento e fiscalização;
Mesa Redonda. O Senhor PR quer participar ativamente na gestão dos recursos angariados. Para esse feito, exige a nomeação de um membro do governo (da sua confiança) funcionando sob a direta dependência do PM (e não do Ministro da Economia e Finanças) que se ocuparia da gestão desses recursos financeiros;
O PR entende que ainda estão no governo elementos que não colhem a sua aprovação, por penderem suspeitas de crime ou por outras situações. Contudo, nunca indicou de quem se tratavam e nunca se disponibilizou a receber quaisquer explicações;
Finalmente a inclusão no governo de elementos próximos ao PR. Essa proposta mereceu uma reação negativa e forte do Senhor PR indicando ao PM que nunca havia falado com ninguém sobre isso. Contudo agora se queixa de não ter sido “nem tido nem achado”;
Mais recentemente foi incluído mais um ponto de discórdia: o regresso ao país do Contra-almirante José Zamora Induta, que o PR ser da responsabilidade do governo e tendo como propósito desestabilizar o país e o seu mandato. Dados objectivos agora na posse do governo indicam que o Senhor Presidente da república e o Senhor Chefe de Estado-maior general, foram as duas entidades contactadas e portanto com conhecimento da chegada do Contra-almirante, sendo da sua exclusiva responsabilidade o seu acolhimento. Já estando no país, o governo limitou-se a garantir a sua segurança preservação da integridade física.
Com base em todos estes elementos factuais e objectivamente demonstráveis, o governo conclui da existência de:
Uma intenção deliberada e evidente de provocar uma crise para justificar a decisão de destituição do governo resultante das últimas eleições legislativas;
Uma falta grosseira de ponderação sobre as implicações e o alcance de tal medida, para a ordem interna e a estabilidade que estamos conquistando, no país e no mundo, para além de um rude e traiçoeiro golpe á esperança que a todos tem animado;
A determinação do PAIGC e dos partidos e organizações políticas e sociais que o apoiam em defender e assegurar as suas conquistas eleitorais;
A responsabilização política e judicial do autor de atos que ponham em causa a ordem interna e a estabilidade do país;
Nesta conformidade
Quero através desta comunicação, exortar aos partidos políticos que apoiam a atual governação, à sociedade civil e a toda a população guineense a se manter calma e tranquila, mas atenta ao evoluir da situação;
Assegurar que todos os mecanismos e dispositivos legais e democráticos serão mobilizados para preservar a ordem e evitar a interrupção desta caminhada do país rumo à paz e ao desenvolvimento;
Agradecer a confiança de todas e de todos e renovar a minha determinação mobilizar toda a minha energia e competência e trabalhar a favor do meu país e do meu povo.
Bissau, 6 de Agosto de 2015
Domingos Simões Pereira
Primeiro-Ministro"
(from Vatican Radio)

Niger: Boko Haram no menu da visita do presidente guineense Alpha Condé.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...



Alpha Conde concluiu nesta quarta-feira, uma visita de dois dias ao Níger. O presidente guineense está disposto a apoiar o país na luta contra o grupo do Estado Islâmico na África Ocidental, conhecido como Boko Haram.

A Guiné vai ficar com aqueles que lutam contra a Boko Haram, insistiu o presidente guineense Alpha Condé durante a sua viagem ao Níger: "Eu vim para ouvir meu irmão. Nós estamos prontos para dar toda a nossa contribuição respondendo a solicitação de nossos irmãos, nós estamos prontos para fornecer toda a ajuda que nos solicitarem, porque o que provoca a fraqueza da África é a falta de solidariedade " .

Alpha Condé reencontrou o seu homologo nigeriano Mahamadou Issoufou e Boko Haram esteve, naturalmente, no centro de suas preocupações: "Quando um país tem um problema, os outros não se interessam. Ou, se nós não formos solidários, nós não poderemos nos ajustar. Nós, nós os guineenses estamos prontos como Guineenses que somos a dar qualquer contribuição para a luta contra o Boko Haram. Isso vai depender do que os nossos irmãos nos pedirem. Como é Issoufou, portanto, eu sou o mais próximo ainda, por isso eu vim vê-lo. É ele que vai nos dizer o que ele espera de nós. E vocês podem ter certeza de que, o que ele espera de nós, nós vamos cumprir o nosso dever. "

#http://fr.africatime.com/

Costa do Marfim: O Presidente Ouattara apresentou a sua candidatura à eleição presidencial.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...



Na Costa do Marfim, Alassanne Ouattara, presidente cessante e candidato da coalizão RHDP que reuni quatro partidos, dos quais o PDCI e RDR, fizeram um acto oficial da candidatura. Depois de um primeiro mandato, o chefe de Estado postula, portanto, para um novo mandato de cinco anos. Ele está oficialmente inscrito na CEI, a Comissão Eleitoral Independente na quarta-feira 05 de agosto.

O homem que quer ser reeleito presidente no primeiro turno das eleições em 25 de Outubro terá no entanto sido o segundo a cruzar as portas da Comissão Eleitoral Independente (CEI) para apresentar sua candidatura.

Depois de Eloi Bolou Gouali candidato independente, Alassane Ouattara chegou na quarta-feira, 5 de agosto ladeado por vários membros do seu governo, na sede da Comissão para depositar os documentos necessários para sua inscrição como candidato.

Em menos de uma hora as peças foram entregues ao presidente da CEI, Youssouf Bakayoko. Depois de algumas palavras sobre os passos do  candidato presidente, ele foi ao encontro da multidão de apoiantes e activistas que vieram torcer para a ocasião.

#http://fr.africatime.com/

AQUELA OPINIÃO QUE SURGE NO MOMENTO CERTO: NA ESCRITA DE NÔ DJAGRA (PINA!) - POLÍTICOS FORMATADOS PARA UM TEATRO DE RUA!

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...


Filomeno Pina - Nô Djagra


Tenho dúvidas se  políticos desta natureza chegam a bom porto, alguns não têm amor à coisa pública, há muito que deixaram de ter voz própria, carisma, ostentam alma emprestada, sem sangue na guelra, transportam um coração que bate fora do peito, formatados para registar ordens vindas do exterior para dentro do País, são estas vozes os ecos das decisões vindas de fora que ouvimos dentro do País para cumprir (temos um País que ouve vozes, dentro e fora da cabeça), uma realidade que leva certos políticos a perderem-se em contradições irracionais em política, porque afinal são só intermediários de "ordens" cruzadas, com origens e objectivos diferentes, no entanto difíceis de conciliar na mesma cabeça (terreno/Pais), tudo isto tem provocado desentendimentos, incompatibilidades de carácter e de personalidade, que fugiram ao autocontrolo de cada um dos dirigentes (PR-PA e PM), desvios esses que afectam o interesse nacional e o Povo, desvios de comportamento, que infelizmente pesam negativamente na balança das decisões do Estado, obrigam a que não nos entendamos entre os lideres Guineenses, mas obedeçamos a “patrões” como um pau-mandado, enquanto estamos num puxa-puxa para vender a mesma Mãe resistente, a Guiné-Bissau!

Um político não é uma figura descartável dando lugar à perversão, exploração do País, por gente mascarada que simula incompatibilidade falsa, porque no fundo entende-se bem, embora finja aos olhos do Povo para não remar contra a maré nos interesses obscuros do exterior, que são mandados representar com contrapartidas e comissões milionárias para certos líderes na terra, sabemos e notamos alguns deles na praça, sempre foi assim ao longo de décadas, são sempre os meninos bonitos com recados na memória, espiões atentos para contar aos patrões o andamento das coisas, todos tentam a sua sorte no próprio país, de se venderem bem…

Antes fossem todos inimputáveis por défice intelectual ou diagnóstico psiquiátrico, seria mais fácil de "engolir", que vê-los líderes políticos e com poder, algumas figuras com notoriedade  no meio social Guineense, quando o que merecem é serem vigiados a tempo inteiro, para não cometerem mais crimes de corrupção a que nos habituaram desde há décadas!

Perdoados por não saberem o que fazem, não é o caso, porque estes são malandros de ADN refinado, pelos vistos, só usando a força do Povo talvez travemos os mesmos viciados do costume no lugar do crime (País), e serão mais uma vez travados, porque reincidentes, desta vez arrancados pela raiz e de vez, para não se repetir nas próximas décadas no nosso País a mesma doença, o mesmo desgoverno e comportamento histérico de políticos hábeis a agirem por baixo sabendo o que fazem, mas dum comportamento doentio, as suas loucuras prejudicam e têm prejudicado gravemente os interesses do Povo! 

Políticos que não pensam racionalizando, mas  obedecem ao juízo abstracto de carácter emocional, os que ainda pensam, estão marginalizados na sua maioria, continuam atentos e desconfiados, tentando com algum esforço esconder a sua real compreensão deste fenómeno político, deste falso-desespero, vendido na opinião pública como um conflito real, emanado duma dificuldade aparentemente real, quando na realidade se trata de uma representação de sofrimento e dor, daqueles que estão enganando o Povo, sobre isto os bons estão cientes.

Os que ainda pensam têm receios de sobrevivência material no País, por isso movem-se com cuidados acrescidos, comungam dum realismo mais objectivo acerca do País que partilhamos, peço mais uma vez que Deus proteja a Guiné-Bissau eternamente, e para os bons filhos da Terra toda a sorte do mundo...

Os políticos autómatos lembram um funcionamento do aparelho mental sem liberdade de pensamento, de expressão ou de acção política, porque na realidade funcionam de forma esquisita,  parecendo que no lugar do cérebro, têm um sistema automático implantado para o efeito tipo “chip”, percebem tudo quando é uma ordem, mas duvidam de tudo, quando devem pensar pela própria cabeça, só.

E mais, obedecem cegamente e, na maior parte das vezes, não pensam pela própria cabeça! Afinal já está tudo pensado por anónimos, no terreno presenciamos a reprodução dum filme encomendado em que  o Povo é figurante! Mas enganam-se, acreditem que será a última colheita vossa, a "revolução come os seus próprios filhos" e a história repete-se, em ciclos de renovação até atingirmos melhor qualidade com gente de bem, para defensores do Povo, pense Camarada.

Vejamos, o País acabou de se comprometer com os parceiros internacionais, deu a Cara/Rosto com elevado sentido de seriedade Institucional e de Estado, quem sabe o que é isto percebe que - não podemos brincar com o fogo - e, justamente quando tudo foi assinado em Bruxelas, estamos num período de aplicação gradual e progressiva dum projecto de desenvolvimento sustentado para o País. Alguns aparecem só agora para o culto de “empatas” para fazer de vela, os que não fazem e não saem de cima, peço por favor - DEIXEM PASSAR O PROGRESSO DO PAÍS E CHEGAR A BOM PORTO – haverá quem pretenda o retrocesso deste avanço conseguido até hoje em pouco mais de doze meses, são todos eles, os que costumam beneficiar com a desordem e corrupção no País, eles estão aí à espera de ver o leite derramado para lamber, mas uma coisa é certa, se pensam que mudando o piloto no leme se pode mexer na “carga” do barco ou fazer o que bem entenderem com o bolo de milhões, podem tirar o cavalinho da chuva!

Desta vez o “bolo” regressa à base de onde saiu, se o primeiro objectivo for mudado, penso que a comunidade internacional por uma questão de desconfiança da gestão do País e défice Democrático, retira o apoio negociado para o desenvolvimento, acredite se quiser!

Portanto vamos parar com brincadeiras de “faz de conta que estamos zangados”, mas sim, zangarmo-nos a sério com os impostores da praça, os cínicos e corruptos, que ainda resistem e procuram ganhar novo fôlego no terreno.

Pensais o melhor que sabeis, tendes uma oportunidade de ouro para fazer História, mãos à obra camaradas, se houver a mudar por questões de Meritocracia, honestidade e justiça, então avante camaradas, mas o País não pode parar mais, há que avaliar perdas e ganhos a tirar sobre qualquer decisão de Estado neste momento e esgotar as dúvidas num diálogo constante e continuado, é para isso que foram eleitos!

Cuidado Camaradas, tendes o destino do Povo nas v/mãos, façam o melhor para o País, o mundo agradece. Se não pararmos com guerras “interpessoal”, se vamos continuar a mudar de governo como quem vira o disco e toca o mesmo, haverá sempre quem ache que merece sempre melhor que o seu rival ou parceiro partidário, tudo isso até quando Camaradas?

Mais um conflito que está para além do que possa parecer racional, um fenómeno psicológico complexo que assenta no carácter insaciável do desejo invejoso, poucas vezes consciente, e daí poucas vezes controlado na relação humana, por isso propomos a partilha de ideias e decisões colectivas encima da mesa ou estamos sujeitos a assistir mais tarde o mesmo impasse do género (golpes por baixo da mesa), o surgimento de “obstáculo” humano, este murro de nacionais Guineenses prontos a fazer frente quando se sentem afastados do poder “de grupos” ou na família politica…

“Quem tudo quer, tudo perde” e por falta de tolerância à frustração - GUINEENSES UNI-VOS! Vamos a tempo de vencer este impasse irracional, acreditem (…)

Djarama. Filomeno Pina.


GUINÉ-CONACRY: REFORMA DO SETOR DE SEGURANÇA: Posicionamento à fase de operacionalização.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

Esta quarta-feira, 5 de agosto de 2015, a Sala de 28 de Setembro do Palácio do Povo de Conakry foi o quadro para a realização do workshop sobre "Capacitação dos membros do Comitê de Coordenação Nacional para a reforma do sector de segurança (SSR ) sobre a Convenção 1325  e o gênero ''. Este ateliê que decorerá durante dois dias (05 e 06 de agosto ) é financiado pelo Fundo de Consolidação da paz das Nações Unidas através do PNUD em parceria com o governo guineense.



O Ateliê de formação dos comitês técnicos liderados por REFMAP (rede das Mulheres do Rio Mano para a Paz), visa contribuir para uma melhor consideração do género nas políticas e programas de desenvolvimento, nomeadamente nas forças de defesa e segurança, reforço das capacidades dos membros dos órgãos de direcção da comissão de reforma nacional, a criação de um quadro para o intercâmbio e a partilha no seio das forças de defesa e segurança em questões de gênero e participação de Mulheres militares e paramilitares nos órgãos de tomada de decisão.

Doutor Dieliman Ousman Kouyaté é o conselheiro político do Ministério da Defesa Nacional, Presidente da Comissão Técnica de monitorização da reforma do sector da segurança: "a reforma do sector da segurança se ocupa da concepção,da pilotagem, de apropriação nacional, de avaliação e acompanhamento de todas as acções identificadas no documento. a reforma do sector da segurança na Guiné é construído sobre o relatório de avaliação que foi feito pelas Nações Unidas, a União Africana e a Francofonia em 2009, sobre o estado de segurança na República da Guiné à época, até os momentos de distúrbio de 2008, 2009, 2010.

Esta avaliação do sector da segurança está limitada a setores do exército, gendarmerie, polícia, a protecção civil, a justiça, ambiente e fronteira. O relatório de avaliação continha 162 recomendações.

O documento foi apresentado ao Presidente da transição na altura, o general Sékouba Konaté em 10 de maio A RSS é a segunda recomendação emanada do Acordo de Ouagadougou da qual a primeira foi a organização de eleições livres e transparentes. Uma vez que o presidente foi eleito, em seu discurso de investidura, a reforma do sector da segurança foi o principal foco de seu projeto social. Ele então nos instrui como colocar em prática os órgão de pilotagem dessa reforma.

Nós organizamos um seminário nacional que foi bem sucedida no estabelecimento 317, as recomendações de como pôr em prática os órgãos de pilotagem da reforma, uma comissão nacional de pilotagem coordenada por uma comissão de orientação estratégica colocada sob a autoridade do Presidente da República, acompanhado de primeiro vice-presidente, que é o primeiro-ministro e segundo vice-presidente que é o Ministro da defesa ", explicou o conselheiro. A missão assinada, de acordo com ele, este órgão de pilotagem é o veículo de adoção de estratégias e das orientações para pôr em prática as diretrizes para a execução das 162 recomendações.

A segunda estrutura essencial da reforma "é a comissão de acompanhamento técnico, que eu dirijo, este é o nível de design responsável pela apropriação da reforma por parte da população e da programação de todas as atividades, permitindo chegar à boa execução das 162 recomendações que costitui a ferramenta central  da pilotagem da reforma  "justificou o Doutor Kouyaté
Quanto ao workshop sobre a Convenção 1325 e de gênero, o presidente do comitê técnico afirma: "Reforma no desenvolvimento da estratégia está completa, entramos na fase de operacionalização, a partir daí, colocamos os objetivos reais para conseguir a reforma. Este workshop faz parte deste quadro uma vez que entre as 162 recomendações, você tem duas recomendações que são transversais, que são: a luta contra a proliferação de armas ligeiras e promoção do género ", disse o Dr. Dieliman Ousman Kouyaté.
No final do projeto, os órgãos do Comité Nacional de Pilotagem deverão contribuir para a efetiva implementação da Resolução 1325, levando apenas em conta as preocupações das mulheres que deve também ser efetiva, incluindo a redução da disparidade entre homens e mulheres e o recrutamento de 30 por cento das mulheres nas forças de defesa e segurança.

#Aliou Mamadou Diallo para GCI
2015-GuineeConakry.Info

Total de visualizações de página