Postagem em destaque

BAMAKO E IYAD ENGAJADOS NA MESMA LUTA CONTRA EIGS NO MALI: Cuidado com o efeito bumerangue!

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!... Há poucos dias, foi em Menaka que foi visto ao lado de notáveis ​​tu...

sábado, 19 de julho de 2014

Novo caso de corrupção na polícia de Moçambique.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

O Gabinete Central de Combate à Corrupção em Moçambique denunciou práticas corruptas da polícia na angariação de fundos para a realização de “jornadas de trânsito”.



Segundo as autoridades, a polícia fazia pedidos de patrocínio para “jornadas de trânsito” a entidades privadas e singulares. Em contrapartida, os patrocinadores ficavam isentos de qualquer multa em caso de infração do código de estrada, incluindo acidentes de viação.
O Gabinete de Combate à Corrupção diz ainda que a gestão do dinheiro resultante destes patrocínios não era transparente. A polícia emitiu cartões para identificar os seus patrocinadores. Segundo a autoridade competente, esta prática não tem nenhum ordenamento jurídico.
Desconhece-se o destino dado aos fundos
O porta-voz do gabinete anti-corrupção, Bernardo Duce, disse à DW África que não há registo dos fundos que foram atribuídos à polícia. Quanto aos valores monetários, Duce afirma que “não existe nenhuma conta bancária aberta para a gestão das contribuições financeiras”. O que se sabe, segundo o responsável, é que “para cada jornada de trânsito foi criada uma comissão ao nível da província, com um grupo de funcionários pertencentes a estes sectores, que recebem estes bens, incluindo os valores monetários, e que fazem a gestão”.
Os automobilistas são, muitas vezes, vítimas de extorsão pela polícia
O Gabinete identificou ainda outro elemento que se junta às acusações graves contra a polícia. No caso de envolvimento em acidentes de viação, indivíduos portadores do cartão de patrocinador emitido pela polícia “identificam-se com estes cartões”, diz Duce, acrescentando: “Pode-se imaginar que isso contribua para que a isenção e imparcialidade dos agentes da polícia de trânsito, fique em causa nessas situações”
Apelo aos cidadãos
Por se tratar de violação da lei vigente, o Gabinete de Combate a Corrupção, mandou a polícia parar com estas práticas. Mais ainda, diz o porta-voz: “Apelamos para os cidadãos para não colaborarem com esta prática. Porque isto pode culminar no envolvimento de cidadãos em atos de corrupção.”
A entidade que examina casos de corrupção em Moçambique já intimou a polícia a explicar estas práticas mas, segundo Bernardo Duce, “ Ainda não tivemos reação por parte da polícia. Mas como foi uma comunicação recente, esperamos que a qualquer momento tenhamos um “feedback”.
Por seu turno, a polícia refere que oficialmente ainda não foi contatada, e nem sabe se estas acusações têm algum fundamento. O porta-voz do comando geral da polícia, Pedro Cossa, alega que a informação lhe chegou pelos meios de comunicação soscial. Questiona ainda se existem dados concretos para fundamentar a acusação: “ Se houver fundamentos, não me posso pronunciar em oposição à apreciação que fizeram. Penso que terão tido elementos de fato e de direito para chegarem a esta conclusão”.
A instituição mais corrupta do país
Pedro Cossa referiu ainda que já envidou esforços junto da polícia de trânsito para perceber o que se passou: “Quis falar com o meu colega que superintende a área de trânsito, mas infelizmente, devido a outras ocupações, não está aqui. É a pessoa que conhece este assunto, se temos estado a enviar abusivamente algumas cartas solicitando patrocínio ou não, para podermos verificar a veracidades das acusações”.
Em Moçambique, diversos estudos sobre práticas ilícitas apontam a polícia como sendo a instituição mais corrupta do país.
# dw.de

Retoma da cooperação entre a União Europeia e a Guiné-Bissau.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

Domingos Simões Pereira, Primeiro-Ministro da Guiné-Bissau
Domingos Simões Pereira, Primeiro-Ministro da Guiné-Bissau
Liliana Henriques.


Para além da retomada formal da cooperação entre União Europeia e a Guiné-Bissau, esta semana ficou igualmente marcada pela morte da escritora sul-africana Nadine Gordimer assim como o Mandela Day nesta sexta-feira. Estes últimos dias ficaram igualmente marcados pela marcação para 12 de Outubro das eleições legislativas, regionais e autárquicas em São Tomé e Príncipe e o impasse na concertação social em Cabo Verde.

# rfi.fr

Guiné_Bissau: Brasil vai retomar programa de cooperação.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

Vista da cidade de Bissau (foto AP)

O encarregado de Negócios da Embaixada do Brasil na Guiné-Bissau, Fernando Appatício da Silva, anunciou o retorno ao programa de cooperação entre os dois países, depois de concluído o processo eleitoral que pôs fim ao período de transição política na Guiné-Bissau.

Segundo o responsável, citado pela agência PNN, até meados de outubro estará em funcionamento o Centro de Formação de Forças de Segurança da Guiné-Bissau, em João Landim, região de Biombo, no norte do país.

O projeto é uma parceria entre o Brasil e o Escritório das Nações Unidas para as Drogas e Crimes (OUNDC).

O diplomata anunciou, ainda, a inauguração de uma escola no Bairro de São Paulo, nos arredores de Bissau.

As decisões foram tomadas na sequência de um encontro com o ministro brasileiro dos Negócios Estrangeiros, Mário Lopes da Rosa.

# abola.pt

Senegal: Idrissa Seck, " Abdoulaye Wade destruiu a família liberal, ele deve ir descansar".

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...



Depois de Thies onde ele discutiu com seus militantes nesta quinta-feira, Idrissa Seck convocou seus seguidores a cultivar a virtude do voto, dando como exemplo Abdou Diouf e Abdoulaye Wade, que perderam o poder. "Eu disse a Wade que o poder era para o Partido Socialista em 2000. Abdou Diouf tinha 42%, o PDS 32%, Moustapha Niasse, 15%, Djibo Ka menos de 10%. Os socialistas tinham ainda quase 70%. Djibo dividiu com Diouf. Esta fragmentação custou o poder Diouf. Em 2001, eu disse então a Moustapha Niasse que eu não tenho necessidade do cargo número 2 que ele poderia ficar. Eu lhe propus a ir para eleições legislativas com a gente, ele recusou. Quando percebi Abdoulaye Wade, ele me disse, então você tem que separar de Moustapha Niasse. 

Por sua vez, Abdoulaye Wade também participou da corrida do PDS. As eleições são uma competição onde quem tem a maioria de votos ganha. Isso foi o que eu lhe disse. Esta fragmentação do PDS o levou a perder o poder. Ele destruiu a família liberal, ele deve ir descansar e vamos reconstruí-la ", diz Idrissa Seck.

Falando sobre o seu estilo de gestão, ele argumenta que não é influenciado. "Ninguém pode me influenciar. As pessoas podem influenciar Abdoulaye Wade ou Macky Sall, mas não é o meu caso. Eu escuto todos, mesmo aqueles que me dizem que este prefeito vendeu terras. Mas sobre esta questão, são mentiras políticas. Que as pessoas saibam que as mentiras políticas não dão atributos a mim. Esta é a verdade política, e o trabalho é que dá atributos a mim. E não existe sobre a terra alguém que pode me fazer cantar. Quando queremos ser cúmplice com favores, façámo-lo dentro da justiça ", ele ensina.

# seneweb.com

Brasil: Lula cita artigos de FHC e diz que vai debater corrupção.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

Lula citou os artigos do antecessor, o ex-presidente FHC, disse que não fugirá do debate e convocou a militância petista a defender o PT (Foto: Divulgação)
Lula citou os artigos do antecessor, o ex-presidente FHC, disse que não fugirá do debate e convocou a militância petista a defender o PT (Foto: Divulgação).

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva citou os artigos do antecessor, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, disse que não fugirá do debate e convocou a militância petista a defender o PT. “FHC já escreveu dois artigos. Nós temos de debater a corrupção neste País”, afirmou, em ato político de apoio à candidatura do ex-ministro da Saúde Alexandre Padilha (PT) a governador de São Paulo, no centro da capital paulista.
De acordo com Lula, o governo que comandou foi o que mais investiu no combate à corrupção. “Desafio eles a provar se algum presidente criou mais mecanismos de investigação, de apuração, do que durante meu governo”, disse. Ele disse ainda que a militância não pode evitar o debate.”Criamos mecanismos para fazer o povo andar de cabeça erguida.”
“Reconheço (que a corrupção) é um tema delicado para a militância e que muitas vezes não gostaríamos de discutir. Dizem que o PT é um partido corrupto e, muitas vezes, baixamos a cabeça, mas não podemos fugir do debate”, completou. Lula usou o discurso para criticar o governo do candidato à reeleição Geraldo Alckmin (PSDB) e disse que “nem água para beber eles (PSDB) estão garantindo”. “Eu não sei quantos banhos o governador está tomando, mas na periferia o povo está deixando de tomar banho para ter água para beber”, afirmou.
O ex-presidente petista declarou ainda que a candidatura de Padilha ainda deslanchará. “Temos a melhor possibilidade desde que o PT foi fundado de ganhar as eleições nesse Estado. E pelo debate”, disse.
#diariodolitoral.com.br

Gâmbia: A inovação tecnológica é essencial para o desenvolvimento futuro da Gâmbia - Veep.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...



O vice-presidente da República e ministra de Assuntos da Mulher, descreveram a inovação tecnológica como um meio essencial para acelerar o desenvolvimento futuro da Gâmbia. Ela opinou que a capacidade do país para sustentar o crescimento econômico, melhorar os padrões de vida e de saúde da população e a co-existência de um sistema ambiental depende de desenvolvimento e comercialização de novos produtos, processos e serviços.

Sua Excelência Dr. Aja Isatou Njie-Saidy falava nesta quinta-feira, em um hotel local, em Kololi, enquanto presidia a abertura da II Conferência Nacional e Exposição de Ciência, Tecnologia e Inovação.

A conferência de dois dias, organizado pelo Ministério do Ensino Superior, Investigação, Ciência e Tecnologia pretende incentivar a Ciência, Tecnologia e Inovação (CTI) na Política da Gâmbia; para apresentar e construir um consenso sobre as conclusões do estudo de linha de base nacional STI, bem como para estabelecer uma comissão ad hoc para a criação da Academia de Ciências da Gâmbia.

VP Njie-Saidy disse na reunião que as pressões para se envolver nos esforços tecnológicos podem emanar do ambiente econômico no qual as empresas operam. "O mais importante deles parece ser o clima económico geral, o grau de concorrência e da estrutura do mercado, entre outros", ressaltou.

Ela descreveu a revisão e finalização da política STI tão oportuna, numa tentativa de avaliar as realizações, especialmente em ciência, tecnologia e inovação e se preparar para desenvolvimentos no futuro próximo e distante para o benefício das gerações de Gambianos vindouros.

Ela continuou: "O governo Gambiano sob a liderança do presidente Jammeh, está ciente das oportunidades que uma agenda de inovação tem para oferecer, e está cheio de apoio para lançar as bases para explorar plenamente esses potenciais como um motor para o crescimento sócio-econômico e de desenvolvimento."

O vice-presidente sublinhou que no passado recente, Gâmbia tem registado níveis significativos de desempenho econômico caracterizado por uma forte taxa de crescimento do Produto Interno Bruto de quase 6% ao ano. Ela observou que, neste contexto, o governo tem vindo a desenvolver quantidades apreciáveis ​​de tempo de planejamento para o desenvolvimento por meio de investimentos de capital, a estabilidade macro-económica, com um monte de foco em planejamento econômico.

"É cada vez mais apreciado o impulso econômico limitado da maioria de nossos sistemas que têm sido em grande parte devido à ausência de dimensões tecnológicas e inovadoras científicas que são tão vitais para a indução e manutenção da evolução estratégica técnico-econômico", acrescentou.

A questão para a política, continuou ela, é a forma como os formuladores de políticas encaram a ciência, tecnologia e inovação e poderiam criar mecanismos para garantir o desenvolvimento de STI; geralmente visto como chave para o desenvolvimento industrial no mundo desenvolvido, e pode ser efetivamente utilizado no desenvolvimento sócio-econômico dos países em desenvolvimento, como a Gâmbia.

Os esforços dos formuladores de políticas industriais e de DST, segundo ela, é de concentrar-se, nomeadamente, no desenvolvimento de instrumentos de política que permite a redução da diferença entre as importações e exportações, através da promoção eficaz e eficiente de inovação, a industrialização, o empreendedorismo, a promoção contínua e rigorosa de investimentos e uma estratégia agressiva impulsionado pelas exportações.

"Vale a pena, portanto, construir os pontos fortes e capacidades existentes em ambos os círculos públicos e privados para uma transformação efetiva como o postulado na Visão da nação para 2020", disse ela.

A diretora de Educação Científica das Nações Unidas e da Cultura (UNESCO) no Escritório Regional para a Educação em África, nascida na Gâmbia, Anne Therese Ndong-Jatta, disse que a ciência não é uma área que tem que lidar apenas com um cientista, observando-se que, para desenvolver, as pessoas devem dar prioridade necessária para a ciência e tecnologia. "Isso vai ajudar Gâmbia a avançar sobre as suas prioridades em DST", observou ela.

Ndong-Jatta, ex-ministra da Educação da Gâmbia, observou que a falta de informação e de dados adequados tem sido alguns dos principais desafios que têm dificultado o desenvolvimento do STI na África, enquanto submete a proposta da UNESCO a Gâmbia quer a sua plena integração no DSTs.

Autor: Amadou Jallow

# www.observer.gm

Total de visualizações de página