Postagem em destaque

BAMAKO E IYAD ENGAJADOS NA MESMA LUTA CONTRA EIGS NO MALI: Cuidado com o efeito bumerangue!

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!... Há poucos dias, foi em Menaka que foi visto ao lado de notáveis ​​tu...

domingo, 31 de agosto de 2014

Putin: União Europeia terá dificuldade de voltar ao mercado russo.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

O presidente russo, Vladimir Putin, advertiu neste domingo (31) a União Europeia de que será difícil voltar ao mercado russo, depois de ele ser ocupado por empresas latino-americanas e asiáticas.
"O perigo para os nossos fornecedores tradicionais é que quando a empresa se instala em um mercado, nesse caso o russo, afastá-la depois vai ser muito difícil, ou até impossivel", disse Putin em declarações à televisão pública do país.
Para ele, as empresas europeias sabem isso e estão decepcionadas com os seus governos devido à política de sanções contra Moscou.
Putin, que proibiu as importações de alimentos, frutas e verduras do Ocidente, em resposta às sanções contra a Rússia pelo seu papel no conflito ucraniano, reconheceu e lamentou que os produtores russos não conseguem cobrir essas importações.
"Por isso, agora trabalhamos com outros produtores estrangeiros. São países da América Latina: o Brasil, a Argentina, o Chile. Também com os nossos parceiros asiáticos: produtores chineses e de outros países", disse o presidente.
Ele classificou de "irrisórias" as tentativas europeias de convencer esses países a não exportar a sua produção para o mercado russo.
"É difícil imaginar que os homens de negócios não aproveitem a ocasião para aceder ao nosso mercado", acrescentou.
Nos supermercados de Moscou já se nota a escassez defrutas e hortaliças e lácteos europeus.
A crise ucraniana, que provocou a pior degradação das relações entre Moscou e o Ocidente desde o final da Guerra Fria, teve nova etapa esta semana devido a informações relativas a incursões de soldados russos na Ucrânia.

# ebc.com.br

Quinze cadáveres de imigrantes africanos são encontrados na costa líbia.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

Cadáveres estavam ao lado dos destroços de uma embarcação, nove dias após outro naufrágio, no qual 170 imigrantes clandestinos morreram.Trípoli - A guarda-costeira líbia encontrou neste domingo 15 cadáveres de imigrantes africanos perto de Trípoli, ao lado dos destroços de sua embarcação, nove dias após outro naufrágio no qual 170 imigrantes clandestinos morreram. "Durante uma patrulha de rotina, descobrimos 15 corpos de imigrantes africanos que flutuavam a 15 km da costa", em frente à localidade de Al-Qarabole (60 km a leste de Trípoli), indicou à AFP um agente da guarda-costeira, Abdellatif Mohamed Ibrahim.

"Estes corpos, incluindo os de duas mulheres e duas crianças, flutuavam ao lado de um bote inflável destruído", acrescentou Ibrahim. O agente considerou que outros corpos poderiam ter afundado no mar, em frente a Al-Qarabole, que já foi palco de um drama na semana passada.

No dia 22 de agosto, a guarda costeira líbia anunciou que 170 imigrantes clandestinos originários da África subsaariana estavam desaparecidos após o naufrágio de sua embarcação em Al-Qarabole. Indicaram três dias depois ter encontrado os 170 corpos sem vida.

Aproveitando-se da pequena vigilância da costa da Líbia, país afundado no caos e onde o governo exerce apenas uma autoridade teórica, muitos traficantes propõem aos imigrantes uma travessia pelo Mediterrâneo em direção à Itália.

A Líbia é um país de trânsito em direção à costa europeia para centenas de milhares de imigrantes, em sua maioria africanos, embora também procedentes das zonas em conflito do Oriente Médio.

# correiobraziliense.com.br

Senegal: Caso Ebola - Awa Marie Coll Seck pediu calma e respeito a higiene.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...



A Ministra da Saúde e Ação Social, Awa Marie Coll Seck, pediu serenidade das populações nesta sexta-feira e estrito cumprimento das medidas de higiene após a confirmação do primeiro caso de Ebola no Senegal . 

Um jovem guineense infectados com o vírus Ebola está em quarentena no Hospital Fann em Dakar, anunciou sexta-feira, a ministra da Saúde e Ação Social, Awa Marie Coll Seck durante uma conferência de imprensa. 

"Apelamos a calma aos senegaleses e convidámos a todos a continuar a proteger-se a favor das regras de higiene orientadas por parte dos serviços de saúde. Deve-se lavar as mãos com água e sabão "Ela  disse perante os jornalistas. 

Fazendo a gênese desse primeiro caso, a Senhora Seck explicou que na quarta-feira, 27 de agosto, os serviços do Ministério da Saúde e de vigilância epidemiológica e ação social receberam equipes  "que operam na República da Guiné, reportando informações de surgimento há três semanas, de um caso de contato de pessoas infectadas com o vírus Ebola, que seria feito no Senegal ". 

«Com base nessas informações, as investigações foram realizadas de acordo com procedimentos previamente estabelecidos", acrescentou Awa Marie Coll Seck, observando que o caso "foi localizado na Clínica de Doenças Infecciosas do Centro Hospitalar Fann. 

'Este é de um jovem estudante da Guiné em uma Universidade de Conakry, que apareceu para consulta na terça-feira, 26 agosto de 2014, no hospital (Fann) com sintoma infecciosa sem hemorragia, ocultando informação de que ele teve contatos na Guiné com familiares afetados pela doença ", disse a ministra. 

'A pessoa foi imediatamente colocada em quarentena e contou com o apoio adequado ", disse a ministra da Saúde, afirmando que" foram feitas as análises de detecção de vírus Ebola', simplesmente. 

"Os resultados dos testes realizados pelo Instituto Pasteur de Dakar acusaram teste positivo", de acordo com Awa Marie Coll Seck, observando que até à data, "a saúde do paciente está perfeita". 

Ela assegurou que o monitoramento da resposta ao vírus Ebola, já em vigor 'foi reforçado "e que são implementados todos os meios" para evitar a propagação da doença a partir deste caso importado. '

A ministra da Saúde acrescentou ainda que OMS, que já foi informada e está empenhada em fornecer apoio técnico e financeiro " ao Senegal. 

Senegal, desde então, decidiu em 21 de agosto fechar as suas fronteiras terrestres com a Guiné, "tendo em conta a evolução do vírus Ebola, o que representa um problema de saúde pública de importância global." 

Isso já é feito nas fronteiras aéreas e marítimas com aeronaves e navios da República da Guiné, Serra Leoa e Libéria. 

O surto de Ebola ocorreu no início deste ano na Guiné, antes de se espalhar para Libéria e Serra Leoa, países vizinhos e a Nigéria. 

Em seu último relatório divulgado quinta-feira, a OMS contava com 1.552 mortes por 3.069 casos relatos em total de casos, que eventualmente, posossam ultrapassar os 20 mil. 

O vírus Ebola é transmitido por contato direto com sangue, fluidos ou tecidos do corpo de pessoas, mas também pelo consumo ou contato com animais infectados. 

Ainda não existe um tratamento eficaz ou vacina contra esta doença, ainda que um tratamento experimental foi feito recentemente em dois americanos infectados com o vírus. 

AYK / SDI / OID

# seneweb.com

Lesotho : Mudança de Comandante do Exército provocou o lance do golpe - fontes.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...


Tropas de Lesoto deixam o Escritório Central da Polícia em Maseru, após assumirem o controle de várias delegacias e invadindo estações de rádio na capital em 30 de Agosto de 2014. Os militares do Lesoto negam que tenham tomado o poder, disse um porta-voz à TV Sul-Africana, apesar das afirmações do primeiro-ministro de ser um golpe. IMAGEM | GRUPO Nation Media.


A tensão política entrou em erupção em Lesoto, na sequência da demissão do Chefe das Forças de Defesa de Lesotho (LDF), o Tenente-General Tlali Kamoli pelo Primeiro-Ministro Tom Thabane, fontes disseram à Africa Review. 

Aparentemente, o comandante do exército foi dispensado de suas funções pouco antes de agitação militar de sábado ao se recusar a cooperar com o governo. O novo comandante, Maaparankoe Mahao, deve ser nomeado na segunda-feira. 

Por volta de 03:00 da manhã de sábado, os soldados fortemente armados do Lesoto dominaram todas as delegacias de polícia em Maseru, em uma tentativa de derrubar o governo, de acordo com fontes confiáveis ​​do país. 

Aparentemente, Kamoli que é um membro da oposição democrática do Congresso do partido, tem uma base de apoio forte entre seus subordinados, daí a tensão política no pequeno país montanhoso que está completamente rodeado pela África do Sul. 

"Não [foi] uma ordem do primeiro-ministro para o chefe do exército deixar o cargo. Mas ele [não] quer ceder, de modo que os soldados estão lutando contra isso. Os soldados estão tomando conta do país, funcionários do governo estão sendo jogados para fora do país ... O exército de Lesotho está tentando desarmar policiais. O quartel-general da polícia está bloqueado com cadeados ea polícia está trancado dentro ", disse a fonte em Maseru. 

Foi relatado que o Sr. Thabane fugiu para a África do Sul. 

Ele disse à BBC que ele foi removido de sua posição "não pelo povo, mas pelas forças armadas e que isso é ilegal". Ele disse que temia por sua vida e ele só vai regressar ao seu país quando a sua vida não está mais em perigo. 

Segundo a imprensa, o ministro dos Esportes de Lesoto e membro do Partido Nacional Basotho, Thesele Maseribane, disse que o Exército tomou o controle sobre a sede da polícia do país e estações de rádio e telecomunicações. 

Fusão do Governo de coalizão 

Fontes do governo do Lesoto disseram que isso resultou do discurso oficial do Comissário da Polícia, Khothatso Tšooana, a respeito da petição da próxima semana por partidos de oposição contra a demissão do primeiro-ministro pelo parlamento cujo cargo foi prorrogado em junho passado. O comissário, em seu discurso anunciou que rejeitou o pedido do partido de oposição. 

"Até agora, os soldados ainda estão em torno das delegacias de polícia e a polícia não está disponível em qualquer lugar em Maseru e as pessoas não estão recebendo os serviços da polícia. As estações de rádio estão fora do ar a partir de 05:00 até 11:00 e é como se as mesmas forças desconectassem tais meios para cortar o fluxo de informação ", uma fonte disse à África Review ontem. 

Havia outros relatos não confirmados de que a Direcção anti-Corrupção e de Infracções Económicas prendeu a maioria dos ministros do antigo partido no poder, o Congresso Democrático, bem como ex-ministros do Congresso para a Democracia e um ministro no governo atual, devido as alegações de corrupção e roubo de dinheiro público. 

"Portanto, parece que o comandante que tinha acabado de ser afastado não suportou o governo e quer remover o governo. Muitas coisas estão acontecendo agora e estamos muito confusos ", disse uma fonte do governo. 

Mais tarde, quando a notícia de um golpe militar se intensificou, o porta-voz militar do Lesoto negou que o exército tomou o poder. O Major Ntele Ntoi disse ao canal de notícias ANN7 da África do Sul que a operação do exército foi dirigida apenas para desarmar a polícia que estava se preparando para fornecer armas a certos partidos políticos no Lesoto. Ele não deu mais detalhes. 

O Ministério das Relações Exteriores da África do Sul rapidamente condenou a ação tomada pelos militares de Lesotho, afirmando que uma mudança inconstitucional não será tolerado. 

Lesotho tem sido governado por um governo de coalizão que foi formado em 2012.

# africareview.com


sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Panorama político brasileiro.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...
Panorama político brasileiro. 20789.jpeg

Com a morte de Eduardo Campos, ficou de pronto aberta uma ferida no Partido Socialista.  Campos adotava um socialismo bastante liberal e democrático, mas muito sério.

partido reagiu rápido.  Com a indicação da própria viúva do candidato, o nome Marina Silva surgiu no cenário com velocidade.  A convenção confirmou e a ex-ministra do Meio Ambiente, nosprimeiros anos do mandato Lula, foi anunciada como sucessora de Campos.
Marina não é nada desconhecida do eleitor brasileiro.  Companheira de Chico Mendes, assassinado pela sua intransigente defesa do meio ambiente, foi figura destacada no primeiro governo petista.  Desentendeu-se com Dilma Rousseff e terminou por pedir demissão do ministério, aceita pelo presidente que sempre afirmou ser a acreana da sua mais absoluta preferência e confiança.  O fato causou constrangimento, mas substituição de ministros é coisa comum em qualquer governo.
A aparente frágil Marina Silva, intoxicada pelo mercúrio usado na exploração de metais preciosos e poluidor das águas do seu estado natal, o Acre, sobreviveu não só ao mal físico como ao desgaste sofrido politicamente.  Em pouco tempo era candidata à presidência da República e foi muitíssimo bem votada.  Agora, em semanas, surgiu na pesquisa eleitoral como verdadeiro fenômeno, bastante próxima de Dilma e superando Aécio Neves, do PSDB, duas vezes governador de Minas Gerais e agora senador da República.
O fato não ficou nestes termos, assustou a muitos, quando foi anunciado que em segundo turno bate fácil a atual presidente da República.  Alguns analistas ousam afirmar que a vitória será imediata, descartando outra votação. O fato se explica.
            Marina tem o perfil do povo brasileiro.  Fala bem, tem ideias bastante coerentes e se identifica com a massa.  Sobre a sua cabeça não pesa acusação de qualquer falcatrua, ou seja, para o brasileiro que está se acostumando a vida que leva, que melhorou bastante, é o nome que interessa a ricos, remediados e pobres, que veem surgir ameaças diárias na economia brasileira.  O governo Dilma não agrada mais ao povo como antes, por medo do futuro incerto: inflação, descaso com a saúde, a educação, a segurança e o saneamento, fantasmas que assombram qualquer governo ou povo.
            Assim pensa o cidadão.   Se vence Dilma, ele está arriscado a perder o que conquistou.  Com Marina, determinada e até mesmo exagerada nos bons propósitos, o homem se sente seguro.  Medo da candidata por qual motivo, se ela representa o socialismo existente hoje na França e na Alemanha?
            Não será surpresa alguma se não existir segundo turno.  Sua vitória é inevitável, segundo tudo indica e o número crescente de adesões diárias ao nome Marina Silva.

Jorge Cortás Sader Filho é escritor

#pravda.ru

Bissau previne-se do Ébola já presente no Senegal.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

O vírus Ébola parece ter chegado ao Senegal
O vírus Ébola parece ter chegado ao Senegal
REUTERS/2Tango

O primeiro-ministro guineense Domingos Simões Pereira considera ser uma má notícia para o pais, caso se confirme a presença do  vírus Ébola no Senegal. Este sábado será lançada uma campanha nacional de limpeza e desinfecção.

Na habitual conferência de imprensa semanal para fazer o ponto das acções do seu Governo, Domingos Simões Pereira abordou a progressão do vírus Ébola na região da África Ocidental e a alegada chegada do mesmo ao Senegal.
O primeiro-ministro guineense apelou à união de esforços na prevenção da doença e anunciou o início de uma campanha nacional de limpeza e de desinfecção já a partir deste sábado.

# rfi.fr

Clima de receio no arranque da campanha eleitoral em Moçambique.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

Apesar do fim dos confrontos entre o exército moçambicano e homens da RENAMO, o espectro da violência continua vivo no país, onde este domingo (31.08) tem início a campanha partidária para as eleições de 15 de outubro.

FRELIMO e MDM escolheram Nampula para o arranque da campanha eleitoral

A gestão dos confrontos galvanizou a imagem das partes beligerantes, principalmente da Resistência Nacional Moçambicana (RENAMO), o maior partido da oposição, consideram analistas nacionais. Das 30 formações inscritas, as mais visíveis são apenas três.
Para o analista político Silvério Ronguane, o momento que se avizinha poderá não ser de habitual festa, como era de se desejar. “Por um lado, esta devia ser a campanha mais animada de todas porque estamos reconciliados e ultrapassamos a guerra. Mas também tenho medo que a campanha eleitoral possa abrir feridas que ainda não estão bem cicatrizadas, que possa ter um tom de conflitualidade”, explica.
Face aos receios de conflitos, a Comissão Nacional de Eleições (CNE) garantiu à DW África que está tudo a postos para que a campanha eleitoral corra da melhor maneira possível. Segundo Paulo Cuinica, porta-voz do órgão eleitoral, “este momento tem vindo a ser preparado com todos os atores”, isto é, com os próprios partidos políticos e com a imprensa.
“Temos estado a divulgar mensagens positivas no sentido de as pessoas não enveredarem pela violência. E temos estado a trabalhar com a Polícia da República de Moçambique (PRM), com quem temos formações conjuntas” a nível distrital, adiantou. De acordo com o porta-voz da CNE, há um conjunto de atividades já em andamento e também foi acordado um código de conduta política com os partidos e com a PRM.
Três favoritos na corrida
Silvério Ronguane considera difícil antever já um potencial vencedor, mas está certo de que a corrida eleitoral será muito bem disputada. Ao todo são 30 as formações políticas inscritas com vista às eleições legislativas, sete para as assembleias provinciais e três candidatos às presidenciais.
Porém, sublinha, as formações políticas não entram em igualdade de circunstâncias para a caça ao voto, facto que claramente destaca os três favoritos: a Frente de Libertação de Moçambique (FRELIMO, no poder), a RENAMO, o maior partido da oposição e o Movimento Democrático de Moçambique (MDM), a segunda maior força da oposição.
“A FRELIMO tem a sua história, mas sobretudo tem meios. É um partido que tem fortes probabilidades de marcar positivamente estas eleições”, explica o analista político.
Por outro lado, observa, também é preciso ter em conta que o recente desfecho político é favorável à própria RENAMO. O líder da RENAMO, “Afonso Dhlakama, sai como grande vencedor desta tensão política porque atingiu todos os seus objetivos e é de esperar que a hostes renamistas estejam neste momento muito mais galvanizadas e prontas para vencer estas eleições”, afirma Silvério Ronguane.
MDM e FRELIMO arrancam em Nampula
E como se posiciona o MDM entre os dois principais partidos agora revigorados em termos de imagem, depois da gestão da crise político-militar? “Não podemos deixar de lado o MDM, que é o partido emergente, o partido da juventude, que nãos e revês nesta história belicista nem na forma de governar dos mais velhos”, lembra o analista moçambicano.
O analista Silvério Ronguane receia que a campanha eleitoral possa "abrir feridas"
“É a juventude que se levanta e quer iniciar uma nova fase, um novo regime político”, acrescenta.
O MDM já anunciou que vai lançar a sua campanha para as eleições gerais em Nampula, no domingo. A FRELIMO também escolheu esta província nortenha - o maior círculo eleitoral do país - para o início da sua campanha.
Se por um lado a grande maioria das formações políticas está pronta para ir ao terreno lutar pelo voto, a RENAMO, por outro lado, não sabe em que momento e onde dará o pontapé de saída.
“Terei que escolher uma das províncias, no centro, no sul ou no norte, mas neste momento não posso precisar o distrito, a cidade ou até mesmo o posto administrativo”, disse à DW África o líder da RENAMO.
A legalização do acordo do fim das hostilidades entre o Governo da FRELIMO e a RENAMO, através da ratificação pelo Parlamento e posterior promulgação pelo Presidente do país, Armando Guebuza, é o que falta para que o maior partido da oposição possa ir à conquista do eleitorado.
Partidos com pouca expressão
Os restantes 27 partidos não têm muita expressão política. Fora as épocas eleitorais raramente se pronunciam sobre a vida política, económica e social do país. Também quase não promovem atividades de interesse nacional.
As eleições gerais em Moçambique estão marcadas para 15 de outubro
Nesta campanha que se avizinha, Silvério Ronguane acredita que estes venham a ter pouca visibilidade, tal como em épocas normais.
“Os outros partidos sempre participaram nestas eleições. Não é a primeira vez. E têm tido 1% ou 0,5% dos votos. Portanto, vão contribuir para a festa, mas não se conhecem as suas ideias”, observa.
Nenhum destes partidos tem um candidato às eleições presidenciais nem listas para as eleições provinciais, salienta ainda o analista. “Estamos a falar de forças residuais que têm, sobretudo, um caráter muito local, regional e não podem ser vistos num contexto global”, conclui.
A campanha eleitoral para as quintas eleições gerais moçambicanas decorre durante 45 dias e termina a 13 de outubro, dois dias antes da votação.
# dw.de

Oito pessoas em quarentena no leste da Guiné-Bissau.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

Gabú, Guiné-Bissau
Gabú, Guiné-Bissau
http://gabu-melhor.webnode.pt/

Cristiana Soares
Oito pessoas provenientes da Guiné Conacri estão em quarentena no Hospital Regional de Gabú, no leste da Guiné-Bissau. Estes indivíduos teriam entrado no país às escondidas. O Ébola ainda não chegou à Guiné-Bissau mas as autoridades têm estado a tomar uma série de medidas preventivas.

As fronteiras entre a Guiné-Bissau e a Guiné Conacri estão fechadas mas, mesmo assim, tem-se registado entrada de pessoas na Guiné-Bissau, devido à porosidade das fronteiras. Foi isso que aconteceu com estas oito pessoas, seis homens e duas mulheres, que entraram na região de Gabú às escondidas, há seis dias. Depois foram conduzidos para o hospital regional da cidade, onde se encontram em quarentena durante 21 dias, período de incubação do vírus Ébola.
O vírus do Ébola ainda não chegou à Guiné-Bissau mas as autoridades têm estado a tomar uma série de medidas preventivas, entre elas, o fecho de todos postos da fronteira terrestre com a Guiné-Conacri, uma campanha nacional de limpeza e desinfecção e a criação de um banco de sangue.
Para Francisco Luís Garcia, consultor da Associação de Saneamento Básico e Protecção Ambiental de Gabú, a população esta "tranquila", mas cada vez mais "preocupada".

# rfi.fr

OMS lança mapa para ampliar resposta internacional ao surto de ebola.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

Objetivo é interromper transmissão da doença dentro de seis a nove meses; o guia também reconhece a importância de abordar, em paralelo, impacto socioeconômico.

OMS informa comunidades sobre o vírus. Foto: OMS/C. Banluta

Laura Gelbert, da Rádio ONU em Nova York.
A Organização Mundial da Saúde, OMS, lançou nesta quinta-feira um "mapa" para guiar e coordenar a resposta internacional ao surto de ebola na África Ocidental.
O objetivo é interromper a transmissão em curso da doença dentro de seis a nove meses e, ao mesmo tempo, gerenciar rapidamente as consequências de qualquer eventual propagação internacional.
Impacto
O documento também reconhece a necessidade de abordar, em paralelo, o impacto socioeconômico mais amplo do surto.
Segundo a agência, o roteiro responde à "necessidade urgente" de aumentar "de forma dramática" a resposta internacional. Ele vai servir como uma plataforma para atualizar planos operacionais detalhados.
A OMS afirmou que o mapa usou informações e comentários recebidos de diversos parceiros, incluindo autoridades de saúde dos países afetados, bancos de desenvolvimento, outras agências da ONU, a organização Médicos Sem Fronteiras, a União Africana além de nações que estão fornecendo apoio financeiro.
Está sendo dada prioridade a centros de tratamento e gerenciamento, mobilização social e enterros seguros.
Números
Segundo a OMS, o número de casos prováveis e confirmados no surto atual de ebola nos quatro países afetados é 3069, com 1552 mortos. Os dados são dos Ministérios da Saúde da Guiné, Libéria, Serra Leoa e Nigéria.
A agência afirma ainda que o surto continua a acelerar. Mais de 40% do número total de casos relatados ocorreram nos últimos 21 dias. No entanto, a maioria está concentrada em poucas localidades.
A taxa de mortalidade é de 52% e varia de 42% em Serra Leoa a 66% na Guiné.
A OMS menciona ainda que um surto separado de ebola, não relacionado ao da África Ocidental, foi relatado no dia 24 de agosto pela República Democrática do Congo. Nenhum novo caso foi confirmado em outros países.
# Rádio ONU

quinta-feira, 28 de agosto de 2014

OMS diz que pode haver mais de 20 mil pessoas infectadas por ebola na África.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

Segundo organização, quantidade de casos pode ser até seis vezes maior do que o número oficial.
Enfermeiros encaminham paciente com ebola para hospital em Monróvia, capital da Libéria Foto: ZOOM DOSSO / AFP

Enfermeiros encaminham paciente com ebola para hospital em Monróvia, capital da Libéria - ZOOM DOSSO / AFP

RIO - Mais de 20 mil pessoas podem já ter sido infectadas pela epidemia de ebola, segundo informou nesta quinta-feira (28) a Organização Mundial de Saúde (OMS). De acordo com a entidade, o número de casos pode ser até seis vezes maior do que os 3.069 reportados até o momento. Desde fevereiro, quando começou o surto, o vírus já tirou a vida de 1.552 pessoas em quatro nações da África Ocidental.

A estimativa foi feita durante um pronunciamento à imprensa sobre as novas estratégias para combater o surto. Em um comunicado, técnicos da organização afirmaram que a tática já reconhece que o número de casos possa ser bem acima do relatado por voluntários que trabalham na África Ocidental.

Segundo o informe, "as atividades de resposta à epidemia devem ser adaptadas de acordo com as áreas de transmissão intensa, e especial atenção deve ser dada à interrupção da transmissão nas capitais e grandes portos das nações africanas, facilitando assim a resposta maior e esforços de ajuda."

O comunicado veio ao mesmo tempo em que o diretor do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos, Tom Frieden, afirmou que a epidemia é “muito maior do que se pensava”. No entanto, Frieden disse que ainda há esperança na luta, uma vez que o vírus é transmitido apenas por contato corporal com o paciente infectado. Segundo o diretor do CDC, é preciso alertar as comunidades africanas sobre os procedimentos a serem adotados em caso de contágio:

- O ebola é transmitido através do contato com fluidos corporais, o que muitas vezes acontece como quando se cuidam dos doentes ou durante o enterro do paciente já falecido. Precisamos trabalhar juntos para cuidar das comunidades, para que possam obter o apoio de que necessitam sem espalhar o vírus.

Das 1.552 mortes registradas, quase a totalidade vem da Libéria, Guiné, Serra Leoa e Nigéria. Neste último, foi confirmada nesta quinta a primeira morte por ebola fora da região de Lagos. Outras 70 pessoas estão sob vigilância na cidade.

A vítima foi um médico que trabalhava no centro petrolífero de Port Harcourt. Ele morreu na sexta-feira, mas o diagnóstico da infecção só foi registrado dias depois. Sua esposa foi colocada sob quarentena, além de outras 70 pessoas na cidade.
O ebola chegou à Nigéria através de Patrick Sawyer, um homem liberiano-americano que viajou para Lagos antes de morrer. Um dos profissionais de saúde que o atendeu foi o referido médico, que depois viajou para Port Harcourt.

Mais de 240 profissionais de saúde já foram infectados com o ebola, uma taxa que a OMS alega ser "sem precedentes".
Ministros da Saúde dos países da África Ocidental estão reunidos em Gana para discutir a melhor estratégia de combate ao surto mais letal dos últimos anos no mundo.

# oglobo.globo.com

quarta-feira, 27 de agosto de 2014

Mali: os grupos armados do Norte fazem suas revindicações em "Ouagadougou".

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

Les représentants de dfférents groupes du Nord-Mali sont attendus le 1er septembre à Alger.

Os principais movimentos armados do norte do Mali têm se reunido desde terça-feira em Ouagadougou. Objetivo: harmonizar a sua plataforma de reivindicações antes de uma segunda rodada de negociações decisivas com o governo do Mali, a partir de 1 de Setembro, em Argel.
Não foi conquistado em julho. Reunidos em Argel para a retomada das negociações diretas com as autoridades de Bamako, sob a égide de uma mediação argelina e internacional, os principais movimentos armados do norte do Mali haviam adotado um roteiro para a saída da crise, mas também a céu aberto atualizar suas divisões.
Os três grupos "históricos" - o Movimento Nacional de Libertação de Azawad (MNLA), o Alto Conselho para a unidade de Azawad (HCUA) e o Movimento árabe de Azawad (MAA) - tireiam, assim, tentado excluir do processo de paz três outros movimentos armados, acusados ​​de estarem "muito perto" de Bamako, a saber Coligação do Povo para Azawad (CPA), o movimento árabe de Azawad (MAA) e da Coordenação dos Movimentos e frentes patrióticas de resistência (CM-SAF).
Visando resolver essas diferenças antes da retomada das negociações, em 01 de setembro, em Argel, as seis organizações decidiram sentar-se à mesma mesa para disparar em linha reta. Desde terça-feira 26 agosto, eles se reúnem diariamente no Joly HOTEL Ouaga 2000 para resolver suas diferenças e chegar a acordo sobre uma plataforma de reivindicações comuns.
Reconciliação
De acordo com várias fontes, esta fusão foi realizada em conjunto pelo MNLA e CPA. "Havia tensões, frustrações, problemas de egos, mas pontes entre diferentes grupos nunca foram realmente cortados", sussurrou uma fonte diplomática familiarizada com o assunto. Segundo ela a recente criação de novos movimentos tuaregues, como o Grupo de auto-defesa Tuareg Imghad e aliado a (Gatia) também teria empurrado para acelerar sua fusão para formar uma frente sólida contra os recém-chegados.
Segundo Ibrahim Ag Assaleh, líder do CPA, o objetivo desta reunião, deverá ser concluída na quinta-feira, com a assinatura de um "memorando de entendimento" entre os grupos antes de chegar a Argel. Por sua parte, Mossa Ag Attaher, porta-voz do MNLA, disse à Rádio France International (RFI) que desejava aproveitar esses três dias para "falar com o coração franco e honesto (...) para harmonizar os pontos de vista de cada um. "
___
Roger Benjamin

# jeuneafrique.com

Empresários chineses e da CPLP reunidos em Moçambique.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

Maputo recebeu esta terça-feira o 10º encontro entre China e Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), que juntou cerca de 500 empresários que procuram uma plataforma comum para trocas comerciais e parcerias.
Mosambik - Maputo

Nesta décima reunião de empresários dos setores da indústria, comércio, turismo, banca, pescas, construção, infraestruturas, energias renováveis e não renováveis os participantes partilharam experiências e pontos de vistas sobre como promover e melhorar o ambiente de negócios e criação de oportunidades de investimentos.
O Fórum Macau, como também é conhecido este encontro anual, foi criado pela China como elo de ligação aos países da CPLP e procura formas de criar um bom ambiente de negócios. Por isso mesmo, acredita-se que o Fórum Macau pode efetivamente servir de plataforma de negócios se atender às necessidades destes países.
Na abertura do evento, esta terça-feira (26.08), o primeiro-ministro de Moçambique, Alberto Vaquina disse que o Executivo moçambicano tem estado a apostar forte no setor privado, que define como “um verdadeiro parceiro do Governo no processo de desenvolvimento económico e social do país”.
O Governo de Maputo prometeu continuar a criar mecanismos que assegurem que o desenvolvimento da economia moçambicana seja orientado em dois pólos. “Por um lado, pelos fatores de produção e com base nos recursos naturais existentes e, por outro, pela promoção e consolidação de uma mão-de-obra cada vez mais apta, treinada e capaz de enfrentar os desafios que o crescimento e a dinâmica atual impõem”, explicou Alberto Vaquina.
Maior colaboração do Fórum Macau
Por causa da crise financeira internacional, Moçambique teve de adotar outras estratégias de gestão dos fundos, mas conseguiu adaptar-se rapidamente a este contexto, afirmou Alberto Vaquina.
Alberto Vaquina, primeiro-ministro de Moçambique
“E contra todas as previsões conheceu um aumento no volume de investimento explicado pelo alargamento dos investimentos público e privado, sob a forma de investimento direto nacional, investimento indireto estrangeiro e parcerias público-privadas”, salientou.
O Governo de Maputo pediu maior colaboração do Fórum Macau. A ideia é refletir sobre as formas de gestão das economias do grupo, “sobretudo sobre as políticas de resposta e de mitigação dos efeitos da crise em face de opções de investimento que estimulem o crescimento económico da comunidade de países de língua portuguesa”, defendeu o primeiro-ministro moçambicano.
O que inclui “a concretização do investimento público e privado capaz de conferir mais robustez e competitividade” às economias da CPLP, acrescentou Alberto Vaquina.
Parcerias importantes
Em entrevista à DW África, o presidente da Confederação das Associações Económicas (CTA), Rogério Manuel, disse que as parcerias entre empresários estrangeiros e nacionais são importantes.

“É um sonho para todos nós estarmos inseridos em todos os projetos,em todos os níveis, mas há também que reconhecer a nossa capacidade de intervenção em alguns projetos”, declarou Rogério Manuel.
Pequim e São Tomé e Príncipe, que é também membro da CPLP, não têm relações diplomáticas, uma vez que São Tomé mantém relações diplomáticas com Taiwan, uma ilha que tem um Governo próprio desde 1949 e que Pequim considera uma província separatista.
# dw.de

Guineenses vítimas de traficantes detidos em Espanha.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...



Levados por traficantes, os emigrantes foram abandonados no deserto...

Um grupo de 45 naturais da Guiné-Bissau encontra-se detido no Centro de Acolhimento de Melilla em Espanha, depois de ter tentado chegar àquele país europeu juntamente com mais 750 emigrantes africanos.
Os guineenses, dos quais sete são mulheres e três crianças, chegaram ao enclave espanhol no norte de África por mãos de traficantes que operam no circuito Bissau-Ziguinchor-Dakar-Marrocos.
A denúncia foi feita pelo jornalista guineense Braima Camará, num trabalho para a Agência de Noticias da Guiné. Mamadu Baldé, que diz ser natural de Bafatá, e Malam Cissé, de Gabu, revelaram ter pago aos traficantes entre 2 mil e 300 e 4 mil e 600 dólares na procura de melhores condições de vida.
Ambos foram contactados por um amigo residente em Ziguinchor, que prometeu trabalho numa fábrica na Alemanha, mas foram abandonados na Mauritânia onde, sem dinheiro para regressar, submeteram-se durante três anos a trabalhos, "como se fossem escravos”, como contou um dos entrevistados, Malam Cissé.
Da Mauritânia o grupo que era muito maior seguiu para a Líbia e depois para Marrocos onde os emigrantes foram detidos durante sete meses.
Bafatá e Gabu são as regiões onde os traficantes recrutam cidadãos guineenses que até obrigam as mulheres a se prostituírem. Segundo a mesma fonte, algumas mulheres do grupo agora detido deram à luz nas montanhas.
Os cidadãos guineenses aguardam agora pelas autoridades espanholas, com a esperança de poder realizar o sonho de trabalhar na Europa.
# VOA

Encontro reunirá líderes africanos em Fortaleza.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...



Representantes de 30 países africanos estarão em Fortaleza, entre amanhã e sexta-feira, para debaterem assuntos de interesses econômicos e da expansão diplomática entre o Brasil e a África. O encontro reunirá também representantes de governo, empresas brasileiras e instituições públicas.
A segunda edição do Fórum Brasil/África, organizado pelo Instituto Brasil África, contará com a presença do ministro das Relações Exteriores, Luiz Alberto Figueiredo Machado, e do ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Mauro Borges. 
Autoridades locais também participarão do evento, entre elas o prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio, e o governador Cid Gomes. 
O tema central do Fórum debaterá a “Infraestrutura, Parcerias e Desenvolvimento”, segundo a “agenda comum”, tanto do Brasil quanto da África, conforme explicou o presidente do Instituto, 
João Bosco Monte.
Para Bosco, a África emerge como lugar de oportunidades consideradas interessantes. “O continente completa a quinta década de independência dos Estados nacionais, com transformações estruturais importantes e ambientes políticos melhorados”, explica o presidente do Instituto.
Desde a crise de 2008, os africanos sofreram as consequências decorrentes da situação dos europeus, principais parceiros comerciais, e os mais atingidos pela crise. Agora, a África vê no Brasil “porto seguro” e atraente para investimentos. Essas são razões apontadas como as principais a para aproximação entre Brasil 
e África.
O encontro será no hotel Gran Marquise, com a presença ainda de representantes do BNDES, da Confederação Nacional da Indústria (CNI) e da Fundação Oswaldo Cruz. (Erivelton Melo
 # opovo.com.br

terça-feira, 26 de agosto de 2014

Deserção de 486 soldados: Nigéria discorda de Camarões • tropas nigerianas, Boko Haram combatido em uma batalha feroz na região de Gamboru Ngala • Gwoza: polícia resgata 7, das 28 que ainda estão desaparecidas.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...



As autoridades militares nigerianas discordam das autoridades Camaronesas sobre o relatório de que os soldados nigerianos fugiram para Camarões, após violentos combates com militantes do Boko Haram. 

Embora a sede da Defesa explicou que os soldados nigerianos foram encontrados em Camarões perseguindo membros da seita Boko Haram que ultrapassaram as fronteiras de ambos os países, o porta-voz do exército do Camarões, o tenente-coronel Didier Badjek, disse que os soldados, que fugiram para os Camarões, tinham sido desarmados e estão agora sendo acomodados nas escolas. 

De acordo com um relatório do site na sede da Defesa ", as tropas nigerianas encontradas em Camarões foi o resultado de uma batalha permanente entre as tropas e os terroristas ao redor das fronteiras com os Camarões, viu-se as tropas nigerianas com carregamento através das fronteiras em um manobra tática. 

"Eventualmente, eles encontravam-se em solo Camaronês. Sendo aliados, o protocolo normal da gestão de tal incidente exigiu que as tropas apresentassem as suas armas, a fim de garantir ao país amigo que eles não estavam em uma missão hostil. 

"Na sequência de discussões necessárias entre Nigéria e autoridades militares de Camarões, as questões foram resolvidas. Posteriormente, foi anunciado de que as tropas estão a caminho de volta para se juntar a sua unidade na Nigéria. 

"A referência para a incidência das tropas como desertores não é, portanto, apropriado, considerando a discussão entre líderes militares dos dois países e a série de contactos com os soldados que confirmaram que eles estão seguros." 

Mas o ar de Camarões, segundo o porta-voz, tenente-coronel Badjet, disse à British Broadcasting Corporation (BBC) de que os soldados estão atualmente na cidade de Maroua em Camarões, a cerca de 80 km (50 milhas) da fronteira com a Nigéria. 

Ele também disse que os milhares e civis também fugiram através da fronteira, que, segundo ele, tinha sido oficialmente encerrada, para ajudar a conter a propagação do vírus Ebola. 

Ambas as cidades Gamboru Ngala e Banki compartilham fronteiras internacionais com a República dos Camarões e testemunharam série de ataques nos últimos tempos. 

O desenvolvimento da operação aconteceu 24 horas após o aclamado líder da seita Boko Haram, Abubakar Shekau, ter divulgado um novo vídeo com o seu grupo, depois de conquistar área de Gwoza  do governo local, em Borno e Buni Yadima noYobe, para estabelecer o califado islâmico na região. 

Uma fonte disse que muitos dos terroristas foram mortos pelas tropas em Gamboru -Ngala antes das tropas ficarem sem munições e tiveram que atravessar a fronteira para os Camarões para se reunir a seu grupo para repelir os ataques. 

De acordo com o programa da BBC em Hausa, monitorado em Maiduguri pela Nigerian Tribune, os insurgentes invadiram a cidade de Banki no domingo, enquanto em Gamboru-Ngala, eles invadiram a cidade por volta de 05h00 de segunda-feira. 

Nigerian Tribune revelou que os insurgentes em Banki, dominaram as tropas em terra usando lançadores propelidas por foguetes e artefatos explosivos improvisados​​, enquanto as tropas conseguiram escapar e fugir para esconder nas aldeias, antes de entrarem nos Camarões para a sua segurança. 

Também foi revelado que alguns dos soldados em Banki fugiram para Marwa através Gazawa, uma comunidade da aldeia fronteiriça com Borno e República dos Camarões, mas não ficou claro se houve vítimas dos dois lados. 

No entanto, fontes disseram que muitas pessoas morreram, incluindo os terroristas, agentes de segurança e os civis apanhados no fogo cruzado. 

Também em Gamboru-Ngala, foi revelado que mais de 400 membros das tropas conseguiram escapar durante o ataque à sua base e se reuniram com os seus homólogos nos Camarões, e agora estão a desenvolver esforços para repelir o ataque. 

Moradores disseram que a troca de tiros foi constante entre os terroristas e militares em torno das comunidades fronteiriças dos Camarões e da Nigéria. 

Um morador de Gamboru, que fugiu para Maiduguri na segunda-feira à noite, declarando sob anonimato, disse ao Nigerian Tribune que "os rebeldes não estavam atrás dos civis, quando eles ocuparam a área pedindo aos moradores para não fugir. 

"Alguns de nós que não poderia suportar os sons de tiros e explosões entre os insurgentes e os militares tivemos que fugir para a nossa segurança, enquanto outros conseguiram ficar, com base na garantia por parte dos terroristas de que eles não estão atrás de residentes. 

"Infelizmente, como eu estou falando com você, eu vi cadáveres de civis e de terroristas, suspeitos de terem sido apanhados no fogo cruzado, fugindo das ruas de Gamboru-Ngala." 

Falando a uma fonte militar superior em Maiduguri, ela confirmou os ataques nas comunidades fronteiriças, mas insistiu de que a luta é constante. 

7 policiais resgatados -FPRO 
Enquanto isso, sete homens de curso foram resgatados até agora, enquanto os esforços estão sendo intensificadas para encontrar os outros 28 quando do ataque da Escola de Formação da Força Policial Móvel, em Gwoza, Estado de Borno, na quinta-feira da semana passada. 

Esta revelação foi dada a conhecer pela Relação Publica, pelo oficial da Força (FPRO), o Sr. Emmanuel Ojukwu, no Twitter, na segunda-feira.

# tribune.com.ng

Para o chefe do Estado-Maior americano, EI logo será ameaça para os EUA e a Europa.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

                                                               Foto: AFP

O chefe do Estado-Maior das Forças Armadas americanas, general Martin Dempsey, acredita que os extremistas do Estado Islâmico (EI) logo serão uma ameaça para Estados Unidos e Europa e que será necessária uma coalizão internacional para enfrentá-los, disse seu porta-voz nesta segunda-feira.
Comandantes dos Estados Unidos estão vendo “opções” para lutar contra os jihadistas no Iraque e na Síria, disse Ed Thomas, porta-voz do general Martin Dempsey.
O secretário de Defesa, Chuck Hagel, adoptou um tom mais alarmante na semana passada em uma coletiva de imprensa do Pentágono, ao sugerir que militantes de Estado Islâmico representam uma grave ameaça que supera o perigo de outras organizações como a rede Al-Qaeda.
Funcionários do Pentágono afirmam que Hagel e Dempsey compartilham essa esta opinião.
“Dempsey acredita que o EI deve ser pressionado tanto no Iraque como na Síria”, acrescentou. “Acredito que seja necessário formar uma coalizão de capacidade regional e se associar à Europa para enfrentar a ameaça do EI”.
Dempsey, chefe do Estado Maior Conjunto, descreve constantemente o Estado Islâmico como um movimento que pode se tornar uma ameaça directa para Estados Unidos e Europa, já que combatentes estrangeiros com passaportes ocidentais podem realizar ataques em seus países.
“Sua missão actual (de Dempsey) é proteger os cidadãos americanos e instalações, e isso inclui, claro, acções necessárias para proteger o território nacional, onde quer que estejam essas ameaças”, disse Thomas.
Em uma reunião com o Centro de Comando de Estados Unidos, que supervisiona as forças norte-americanas no Oriente Médio, Dempsey “está preparando opções para combater o EI tanto no Iraque como na Síria com uma variedade de ferramentas militares que incluem ataques aéreos”, disse em um comunicado.
Aviões de guerra dos EUA realizam ataques aéreos no Iraque contra militantes do EI desde o dia 8 de Agosto, com mais de 100 bombardeios tendo como objectivo a jihadistas no norte, perto da represa de Mossul. Tropas iraquianas e curdas recuperaram o controle da represa desde que começou a ofensiva americana.
A administração de Obama afirmou que as opções sobre potenciais ataques militares na Síria continuam em aberto, e não foi tomada nenhuma decisão final até o momento. (afp.com)

# afp.com

A Organização Mundial de Saúde não confirma Ébola no Congo.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

Organismo da ONU avança que ainda não pode confirmar os resultados anunciados pelas autoridades congolesas, que confirmam a morte de 13 pessoas infetadas pelo vírus.

Elementos das unidades sanitárias da Libéria protegem-se antes da retirada de um mercado em Monrovia de uma vítima mortal, que terá falecido infetada pelo vírus Ébola
As autoridades da República Democrática do Congo (RDC) confirmaram a morte de 13 pessoas por Ébola na província do Ecuador, no noroeste do país, mas a Organização Mundial de Saúde (OMS) nega que a doença misteriosa que vitimou essas pessoas, com sintomas de gastroenterite hemorrágica, seja a mesma.   
O ministro congolês da Saúde, Félix Kabange Numbi confirmou à imprensa a presença de Ébola no país. "Os resultados deram positivo. O vírus Ébola está confirmado na RDC". No entanto, este responsável assegura que o surto que o país está a viver não tem "nenhuma relação com o que prevalece na África Ocidental".
Por sua vez, a OMS já esclareceu que a doença que matou as 13 pessoas em causa foi uma espécie de gastroenterite hemorrágica. A organização avança que ainda não pode confirmar os resultados anunciados pelas autoridades congolesas e que será realizada uma segunda série de testes de laboratório.
Cinco das 13 pessoas que sucumbiram ao vírus eram assistentes sociais que contraíram a doença por contacto com os pacientes.
Vírus fora do controlo
Confirmadas as declarações das autoridades da República Democrática do Congo, o país será o quinto infetado com o perigoso vírus. A Organização Mundial de Saúde contabiliza 1427 mortos em 2615 casos identificados de Ébola.
Entretanto, o primeiro cidadão britânico infetado com a doença foi levado para o Reino Unido este domingo. O paciente terá contraído o vírus na Serra Leoa, num centro de tratamento de Ébola, numa das regiões mais afetadas do país.
Vários países africanos como a Costa do Marfim, o Gabão, o Senegal, Camarões e África do Sul já condicionaram o seu tráfego aéreo numa tentativa de evitar que a epidemia se propague nos seus territórios.
Esta segunda-feira, Angola também aumentou o nível de risco de infecção de "moderado" para "alto", à conta das situações registradas no país vizinho, o Congo.

"Até há uma semana, Angola era considerada como um país de baixo-médio risco. Neste momento entra para o grupo de países com risco moderado a alto, porque tem um país vizinho com a epidemia confirmada", explicou a diretora nacional de Saúde Pública Angolana, Adelaide de Carvalho.

expresso.sapo.pt



segunda-feira, 25 de agosto de 2014

República Democrática do Congo confirma casos de ebola.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

Médico em Serra Leoa (Foto: AP)
República Democrática do Congo registra mortes por ebola e cria área de quarentena

Autoridades da RDC (República Democrática do Congo) afirmaram que duas pessoas morreram de ebola no noroeste do país.


Esses são os primeiros casos da doença confirmados fora do oeste da África desde o início da epidemia. Ainda não está claro se esses casos estão diretamente relacionados ao surto inicial, que já atingiu Serra Leoa, Libéria, Guiné e Nigéria.
A RDC é palco de uma das maiores missões de paz da ONU no planeta, a Monusco – atualmente chefiada militarmente pelo general brasileiro Carlos Alberto dos Santos Cruz.
Até agora mais de 1.400 pessoas morreram por causa do vírus. A velocidade e a extensão atingidas pela epidemia fez a Organização Mundial da Saúde classifica-la como “sem precedentes”.
Acredita-se que mais de 2.600 pessoas tenham sido infectadas no oeste da África desde março.
Não há uma cura consolidada para a doença, mas alguns infectados conseguiram se recuperar após serem tratados por uma droga experimental, o ZMapp. Porém, o estoque desse medicamento já foi exaurido.
Também neste domingo, um britânico que trabalhava no tratamento de vítimas em Serra Leoa foi levado de volta à Grã-Bretanha após contrair o vírus.

Quarentena

Diversas pessoas morreram no mês passado após pegar uma febre não identificada na região equatorial da RDC.
No domingo, o ministro da saúde Felix Kabange Numbi afirmou que duas pessoas de um grupo de oito que haviam contraído a febre tiveram testes positivos para o ebola.
Ele afirmou à BBC que uma zona de quarentena de 100 quilômetros de raio foi estabelecida na região de Boende, onde os casos foram registrados.
A cidade fica a cerca de 600 quilômetros da capital Kinshasa e a mais de 1.000 quilômetros de distância da região dos Kivus, onde operamgrande parte dos 22 mil homens de 50 nacionalidades que participam da missão de paz da ONU contra grupos rebeldes que operam no leste do país.
O general brasileiro Carlos Alberto dos Santos Cruz e sua equipe mantém sua base em Goma, no Kivu Norte.
Esse é o sétimo surto de ebola na história da RDC. O vírus foi identificado primeira vez na história em 1976 e ganhou o nome de um rio do país.
Numbi afirmou que mais testes para o evola estão sendo feitos em casos suspeitos.
No sábado, o parlamento de Serra Leoa aprovou uma lei que torna crime esconder pacientes de ebola. Se aprovada pela Presidência, quem for flagrando mantendo doentes em casa pode ser condenado a até dois anos de prisão.
A lei ocorre após a Costa do Marfim fechar suas fronteiras para tentar evitar que a doença se espalhe no país.
O país também proibiu a entrada de voos de Serra Leoa, Libéria e Guiné.
O Gabão, o Senegal, Camarões e a África do Sul tomaram medidas similares.
A Organização Mundial da Saúde afirmou que a proibição de viagensnão funciona para evitar que a doença se espalhe. A entidade pediu porém o envio de mais médicos e laboratórios móveis para tratar dos infectados.
O ebola é transmitido entre humanos por meio de contato direto ou por fluídos do corpo.
#BBC 

Total de visualizações de página