Postagem em destaque

BAMAKO E IYAD ENGAJADOS NA MESMA LUTA CONTRA EIGS NO MALI: Cuidado com o efeito bumerangue!

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!... Há poucos dias, foi em Menaka que foi visto ao lado de notáveis ​​tu...

sábado, 23 de fevereiro de 2013

O Prémio Félix Houphouët-Boigny pela busca pela Paz foi atribuído a François Hollande.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

Paris:
© Reuters por DR
Paris: Presidente marfinense Alassane Ouattara recebido pelo seu homólogo francês, François Holland 
no Eliseu.


O Prémio Félix Houphouët Boigny pela busca da Paz foi concedido ao presidente francês François Hollande, por sua contribuição para a paz'' e estabilidade em África.''
De acordo com o site oficial da UNESCO, visitado sábado pela APA, "O Júri da Paz Félix Houphouët-Boigny, reuniu-se hoje (quinta-feira), sob a presidência de Joaquim Chissano, ex-Presidente de Moçambique, decidiu o prêmio Félix Houphouët-Boigny a François Hollande, o presidente da República Francesa por sua valiosa contribuição para a paz e estabilidade em África.''
Depois de analisar a situação do mundo, é a África, que tem atraído a atenção do Júri com as várias ameaças no continente.
"Depois de avaliar os riscos e do impacto desta situação em África, incluindo o Mali, assim como o resto do mundo, o júri apreciou a solidariedade mostrada pela França contra os povos africanos'', diz UNESCO.
"O Júri condena a violação da integridade territorial do Mali, violações dos direitos humanos, o rapto de reféns e a destruição do patrimônio cultural da humanidade em Timbuktu", acrescentou a fonte, que afirma que a data da cerimônia de entrega do prêmio, com uma soma de US $ 150 000, um diploma de paz e uma medalha de ouro, será determinado de acordo com o destinatário.
Prêmio Houphouët-Boigny foi criado em 1989 e destina-se a homenagear pessoas, instituições ou organizações que contribuíram significativamente para a promoção, a pesquisa, a salvaguarda ou a manutenção da paz, de acordo com Carta das Nações Unidas e a Constituição da UNESCO.
Desde a sua criação, o prêmio foi atribuído a várias pessoas, incluindo Nelson Mandela,
Frederik De Klerk, Yitzhak Rabin, Shimon Peres, Yasser Arafat, rei Juan Carlos da Espanha e o ex-presidente do Brasil, Luis Inácio Lula da Silva.


fonte: abidjan.net







Ministério Público da Guiné-Bissau está mergulhado na corrupção.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...


Símbolos da justiça

Denúncia de corrupção no MP é da Ordem dos advogados da Guiné-Bissau, que exige um inquérito. Os profissionais do setor traçam um quadro negro no que se refere à justiça e falam mesmo em frustração.
A denúncia de corrupção generalizada no Ministério Público foi feita pelo Bastonário da Ordem dos Advogados.
Domingos Quadé diz que uma rede de mafiosos e de crime organizado se está a instalar no seio dos tribunais da Guiné-Bissau, pelo que é urgente abrir inquéritos dentro do poder judicial para se apurar as responsabilidades.
Ele relatou como isso se processa: "O combate à corrupção que se instala cada vez mais junto dos tribunais, com organizações mafiososas no seu seio, com gente a enriquecer de forma ilícita com isso, muitas vezes com transformação do património público em privado, extravio de documentos incómodos e não execução de sentença contra certo grupo de pessoas."
Ainda sobre a atuação do Ministério Público, o Bastonário da Ordem dos Advogados acusou-o de não respeitar os prazos processuais, de corrupção, de desvios de processos, de lentidão e da presença de organizações mafiosas no seio da classe, tendo sublinhado que, quando assim é, os criminosos viram patrões da cidade.
Por isso, "o objetivo é proibir que o mandatário ou devedor, ou mesmo o pretenso criminoso, se tranformem em patrões daqueles a quem a lei imputa a responsabilidade da justiça em nome do povo. Existem caso clamorosos destes", diz Domingo Quadé.
Até hoje não houve avanços no caso do assassinato do Presidente Nino Vieira, ocorrido em 2009Até hoje não houve avanços no caso do assassinato do Presidente Nino Vieira, ocorrido em 2009
Tribunais por conta alheia
No país africano, 70% dos tribunais estão com as portas encerradas porque o Estado não paga a renda do edifício onde funcionam, e por isso há espaço para algumas irregularidades, segundo Domingos Quadé, que exige: "A correção de algumas anomalias como o tribunal com cores de bandeiras de partidos políticos, como por exemplo o SAFI, ou outras irregularidades com os juizes."
Em resposta, o Procurador-Geral da República, Abdu Mané, reconhece que o grande problema é a apropriação indevida e ilegítima do bem comum, sem que haja intervenção do Ministério Publico.
Abdu Mané diz também que, muitas das vezes, o Ministério Publico foi forçado a tomar decisões judiciais frustradas, e recua um pouco no tempo: "O que está em causa é a impunidade, a corrupção desenfreada e a criminalidade violenta altamente organizada. Basta lembrarmos dos casos de 1 e 2 de março de 2009, assassinato do ex-Presidente da República eleito democraticamente pelo seu povo".
A Guiné-Bissau é uma maiores placas giratórias da droga da América Latina para a EuropaA Guiné-Bissau é uma maiores placas giratórias da droga da América Latina para a Europa
Um sistema fragilizado
O Procurador-Geral da República traça um quadro negro do sistema de justiça guineense: "Por isso assiste-se a comédia de vitimização de fazer do Ministério Público o bode expiatório de algumas decisões judiciais frustradas. Vivemos numa sociedade carente onde em que vocábulos de verdade, ética e honra são letras mortas."
A denúncia da corrupção no Ministério Público surge numa altura em que aos antigos dirigentes foram aplicados o termo de identidade e residência no âmbito de processos de alegados desvios de fundos públicos no Governo desposto.
Tanto José Mário Vaz, antigo Ministro das Finanças como Odete Semedo, escritora e ex-chefe de Gabinete do Presidente interino (Raimundo Pereira) deposto, acusam o Ministério Público de lhes mover processos sem factos ou fundamentos credíveis e apenas por perseguição pessoal.
Autor: Braima Darame (Bissau)
Edição: Nádia Issufo / Renate Krieger
 fonte: DW

Costa do Marfim: Economia - A próxima reunião das associações de bolsas de valores africanas será realizada em Abidjan em 2013.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

Développement: © Abidjan.net por Mousnabi
Desenvolvimento: A Bolsa Regional  de Valores Mobiliários (BRVM) define suas políticas e estratégias.
Sexta-feira 30 novembro, 2012. Plateau. Pullman. Regional Stock Exchange (BRVM) organizou uma conferência de imprensa por meio do qual o Sr. Kossi Edoh Amenouve, o seu Director-Geral apresentou as suas orientações estratégicas e ações para o desenvolvimento.

Abidjan (Costa do Marfim) - A próxima reunião das associações de bolsas de valores africanas, será realizada em 2013 em Abidjan, a capital econômica da Costa do Marfim, disse sexta-feira o presidente do Conselho de Administração da Bolsa de Valores Regional (BRVM) de Abidjan, Fall Gabriel.

'' Eu notei uma convergência de interesses entre o objeto e o Grupo Ecobank e todos os mercados de ações'', disse o Sr. Kossi Edoh Amenouve durante uma reunião de informação do Grupo Ecobank com atores do Banco Regional com títulos em Abidjan.

'' A próxima reunião da Associação das bolsas africanas em 2013 será aqui em Abidjan,'' disse ele, sem especificar a data da reunião.

Segundo ele, o objetivo em Abidjan da BRVM 2013-2015 é para aumentar o máximo de pontos de distribuição.

A Bolsa de Valores Regional (BRVM) é um intercâmbio electrónico para os únicos oito países da UEMOA.


fonte: abidjan.net


Total de visualizações de página