Postagem em destaque

BAMAKO E IYAD ENGAJADOS NA MESMA LUTA CONTRA EIGS NO MALI: Cuidado com o efeito bumerangue!

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!... Há poucos dias, foi em Menaka que foi visto ao lado de notáveis ​​tu...

domingo, 29 de junho de 2014

Guiné-Bissau/PALOP: Presidente Mário Vaz realiza primeira visita oficial a Angola.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

O recém-eleito Presidente da Guiné-Bissau, José Mário Vaz, chegou ao fim da tarde de hoje (domingo), a cidade de Luanda, onde vai participar, segunda-feira, no Centro de Convenções de Talatona (CCTA), na Cimeira Constitutiva do Fórum dos cinco Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa, a denominar-se “FORPALOP”.
Chegada do Presidente da Guiné - Bissau - José Mário Vaz (Foto: Pedro Parente)
Chegada do Presidente da Guiné – Bissau – José Mário Vaz (Foto: Pedro Parente)

No Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro, o estatista foi recebido pelo ministro das Relações Exteriores, Georges Rebelo Chicoti, na companhia do titular da pasta dos Antigos Combatentes e Veteranos de Guerra, Cândido Pereira Van-Dunem, o director para África e Médio Oriente, Joaquim do Espirito Santos, diplomatas e entidades governativas da província de Luanda.
Segundo apurou a Angop no aeroporto de fonte oficial, ainda na segunda-feira, o estadista bissau-guineense será recebido em audiência pelo presidente José Eduardo dos Santos.
Depois de ter mantido breve conversa com o Chefe da Diplomacia nacional na sala protocolar do complexo presidencial, José Mário Vaz, que cumpre a sua primeira visita oficial a Angola deste que foi empossado para o cargo, saudou, com “um aceno de mão ao ar”, os seus compatriotas que se deslocaram ao aeroporto para dar as boas-vindas ao seu novo líder.
Para participar no referido evento, encontra-se já na capital angolana, desde a tarde de hoje (domingo), o Primeiro-Ministro de Moçambique, Alberto Vaquina, que vai representar o Presidente Armado Quebuza, na Cimeira Constitutiva do Fórum dos cinco Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa, e o Presidente de Cabo-Verde, Jorge Carlos da Fonseca.
O FORPALOP é um órgão multilateral, privilegiando a concertação político-diplomática e de cooperação, bem como de aprofundamento das históricas relações de amizade e solidariedade.
Dos princípios orientadores de que se regerá o Fórum, destacam-se a igualdade, soberania e independência dos Estados membros, a não ingerência nos assuntos internos de cada Estado e o respeito pelos princípios democráticos.
A organização defende ainda o respeito pelos direitos humanos e o Estado de direito, integridade territorial, promoção da paz e da segurança internacionais, a resolução pacífica de conflitos, bem como a observância do preceituado no Acto Constitutivo da União Africana (UA).
Integram o Fórum, as Repúblicas de Angola, Moçambique, Cabo-Verde, São Tomé e Príncipe e Guiné-Bissau.
No final da reunião, os dignatários deverão aprovar uma data e local para a realização da próxima Cimeira, bem como procederão a assinatura da Declaração Constitutiva do Fórum dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (FORPALOP).
Prevê ainda a leitura do comunicado final pelo ministro das Relações Exteriores, Geroges Rebelo Chicoti, seguindo-se, no início da tarde de segunda-feira (30 de Junho), o almoço oficial que o Presidente José Eduardo dos Santos oferecerá aos visitantes. 
# portalangop.co.ao

Nigéria: O filme de Omoni Oboli brilha no Festival de Cinema Francês.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...



Para Omoni Oboli, a vida tem sido sempre um passo após o outro. Ela começou como atriz, mas mudou-se para a fase em que ela teve que abandonar tudo para atender a seus filhos e família depois que ela se casou.

Quando ela chegou ao estágio em que as crianças tinham idade suficiente, ela voltou para Nollywood - mas não tão silenciosamente como ela deixara. Seu retorno foi anunciado enfaticamente no filme altamente divulgado de Anchor Bebê. Depois disso, ela começou a conquistar todos os tipos de papéis de coadjuvantes para jogar papéis em vários filmes. Em um ponto, ela foi a atriz mais visada pelas organizações empresariais.

Passando essa fase, Omoni Oboli adicionou agora em suas conquistas a toga de 'diretor' para o título. Ela já nos últimos meses dirigiu três filmes. E, assim com o seu grande retorno a Nollywood, seu filme de estreia, Sra. Elliot (BME) também fez uma estréia enfático em Paris, França, onde ela abriu um grande festival, a Semana Nollywood em Paris.

Falando sobre o desenvolvimento, a mãe de três filhos, disse: "Eu fiquei muito feliz quando fui informada de que BME abriria o festival em Paris. A maior parte de um festival é o filme de abertura e fechamento, como diretora de chifre verde, é um grande negócio para o meu filme para abrir um festival tão importante na França. Agradeço ao meu co-produtor e marido, Nnamdi, e o elenco -. AY, Lepacious Bose, Majid, Uru Eke, e outros ".

# www.tribune.com.ng

Nigéria: 11 mortos, 28 feridos em explosão em Bauchi - Polícia prende um suspeito.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...



Onze pessoas foram confirmadas mortas na explosão de uma bomba na sexta-feira à noite, o que abalou um bordel, Hotel do Povo, na área de Bayan Gari da região metropolitana de Bauchi, enquanto 28 outros sofreram diferentes graus de lesão no ataque, a polícia disse que prendeu um suspeito com ligação com o incidente.

Sunday Tribune resumiu que a explosão ocorreu por volta das 09:50hs, como alguns fun-seekers convergindo-se para o bordel. O ataque ao bordel é a segunda vez que ocorre explosão de bomba em dois anos.

Recolheram informações de que os agressores detonaram um dispositivo explosivo improvisado (IED) que deixou lamentações e choros atrás.

Uma das profissionais do sexo no bordel, que não quis se identificar, disse que os simpatizantes se reuniram perto do local da explosão na manhã de sábado, onde os atacantes estacionaram o seu veículo, disseram que foi uma van Hilux, a uma distância do bordel e caminharam para a porta do bordel, onde apontaram uma arma para o segurança de plantão, abriram caminho e detonaram o explosivo nas instalações do bordel.

Segundo ela, algumas pessoas estavam no salão do bordel tomando cerveja e assistindo televisão e se divertindo quando os atacantes entraram no bordel, disseram que estas pessoas foram as mais afetadas no ataque.

Embora a polícia disse que não podia verificar a identidade daqueles que perderam a vida na explosão, a testemunha disse que um de seus colegas do bordel, foi localizado na área do distrito vermelho de Bauchi, e foi morto no ataque.

"Quando os agressores chegaram, eles estacionaram sua camionete Hilux em algum lugar e caminharam para este lugar. Eles apontaram uma arma para o porteiro obrigando que permitisse que eles entrassem, e lá dentro Algumas pessoas estavam assistindo TV na sala de estar quando essas pessoas mal entraram e jogaram a bomba ", disse ela.

Moradores confirmaram que o som da explosão ecoou por toda a metrópole de Bauchi, acrescentando que o estrondo foi seguido por tiros esporádicos.

Falando sobre o incidente abordado por jornalistas na sede de comando da polícia do estado em Bauchi, o Comissário da Polícia do Estado de Bauchi, Lawal Shehu, confirmou que 11 pessoas perderam a vida no ataque, enquanto 28 ficaram feridas.

De acordo com o chefe de polícia, " em 27/6/2014, cerca 21.50 horas, houve uma explosão em um bordel na área Bayan Gari em Bauchi. 11 pessoas foram confirmadas mortas, enquanto 28 outras sofreram vários graus de lesões. "

Ele disse que as vítimas foram levados para o Hospital Universitário Abubakar Tafawa Balewa (ATBUTH), em Bauchi, para tratamento, enquanto que os restos mortais dos falecidos foram evacuados para um necrotério.

Lawal informou que os assaltantes fugiram depois de terem detonado uma bomba caseira, que ele disse não foi de alta magnitude, acrescentando que a polícia conseguiu prender um dos assaltantes, salientando que a investigação sobre o assunto estava em andamento.

Ele afirmou que "que toda área foi isolada e cenário assegurado pela polícia  da unidade Explosive Ordinance Disposal (EOD). Um suspeito foi detido em conexão com o incidente e o esforço está sendo intensificado para prender outros suspeitos em fuga. "

Ao incitar o povo do estado a manter-se dentro de seu ambiente físico e social, preocupado com a segurança, o comissário declarou que todo mundo deve permanecer em seus locais​​, enquanto a questão de segurança levanta preocupação.

Lawal apelou ao povo para comunicar imediatamente das pessoas suspeitas ou de objetos encontrados dentro de seu bairro para a delegacia mais próxima ou através de alguns números designados, incluindo 08151849417 e 07013490795, com vista a permitir que a polícia possa proteger a vida e a propriedade das pessoas do estado.

Yuguda condena a explosão
Governador do Estado de Bauchi, Mallam Isa Yuguda, condenou no sábado em termos fortes o ato de terrorismo exibido no bombardeio a uma seção da metrópole de Bauchi na sexta-feira, à noite, por pessoas não identificadas, assegurando que os autores do ato seriam levados a justiça.

Um comunicado de imprensa emitido e assinado pelo secretário de imprensa principal (CPS) e pelo governador, o Sr. Michael Ishola Adeyemi, afirmou que o governador condoeu com as famílias daqueles que perderam seus entes queridos no incidente lamentável e desejou a rápida recuperação dos feridos.

Lamentando que o ataque foi perpetrado em um momento que a comunidade muçulmana estava começando o mês sagrado do Ramadã, Yuguda assegurou que seu governo continuaria a estar comprometido com a proteção de vidas e propriedade de todos os cidadãos do Estado, que segundo ele, é a principal função do Estado.

O comunicado afirmou ainda que o governo não cederia em garantir que a paz e a atmosfera pacífica continuem a reinar no estado e apelou ao povo para ser vigilante e sempre reportar aos agentes de segurança, quando questionável qualquer movimento ao redor deles, garantindo que os agentes de segurança estarão sempre disponíveis para fornecer a segurança adequada para os cidadãos do Estado.

Ele recomendou que os agentes de segurança farão intervenção imediata, e colocou em xeque o ato que pode se espalhar para outras partes da cidade, assegurando que os agentes de segurança continuariam a trabalhar dia e noite para pescar ovos podres na sociedade, bem como assegurar a adequada segurança em todo o Estado.

O Governador Yuguda ainda conclamou o povo do estado para fazerem seus negócios normais e legítimas, sem qualquer medo de molestamento, instando-os a estarem atentos a uma pessoa que se próxima deles como uma medida de segurança, porque, segundo ele, a segurança é um negócio para tudo.

Ele, então, desejou a todos os muçulmanos uma bem sucedida jejum de Ramadan de 2014, orando para que Deus lhes conceda todas as bênçãos dos atos de ibadah durante e após o jejum de 30 dias.

# www.tribune.com.ng

África decide criar Fundo Monetário.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

A 23ª Cimeira de chefes de Estado e de Governo da União Africana (UA), que terminou os trabalhos na sexta-feira em Malabo, aprovou o projecto de protocolo sobre a criação do Fundo Monetário Africano.

Fotografia: João Gomes | Malabo

Outros instrumentos jurídicos adoptados incluem os projectos de Convenção da União Africana sobre a Cibersegurança e o de Convenção sobre a Cooperação Transfronteiriça (Convenção de Niamey). Os chefes de Estado e de Governo da União Africana adoptaram também o projecto da Carta  Africana sobre os Valores e Princípios de Descentralização, Governação Local e Desenvolvimento Local, o projecto de protocolo sobre o Estatuto do Tribunal Africano de Justiça e dos Direitos Humanos e o de protocolo ao Acto Constitutivo da União Africana relativo ao Parlamento Pan-africano. 
Os líderes africanos debateram os relatórios da Comissão sobre Fontes Alternativas de Financiamento da UA e da Comissão sobre a Aplicação da Estratégia Africana Integrada para os Mares e Oceanos 2050 (EAI 2050).
A Cimeira de Malabo pediu aos Estados membros para assinarem e ratificarem os documentos o mais depressa possível, para permitir a sua rápida entrada em vigor.
O Vice-Presidente da República, Manuel Vicente, participou na cimeira em representação do Chefe de Estado angolano.
Durante esta 23ª cimeira ordinária, os líderes africanos analisaram um conjunto de relatórios sobre as actividades realizadas pelos diferentes órgãos da organização, durante os últimos seis meses. Trata-se do Relatório de Avaliação da Agenda 2063 da UA, apresentado pela Comissão da UA e do Relatório do Conselho de Paz e Segurança (CPS) sobre as suas actividades e o Estado de Paz e Segurança em África, incluindo as actividades do Painel dos Sábios e a renovação dos seus mandatos.
A cimeira assinalou também o regresso da Guiné-Bissau e do Egipto à UA, após suspensões resultantes do golpe de Estado de Abril de 2012 e da instabilidade interna. A Cimeira reconheceu a prevalência de forças contrárias à paz e estabilidade em África, vincando a necessidade de os países membros repelirem o terrorismo, para que as suas actividades não ponham em perigo a vida social, económica e política do continente.
Nessa perspectiva, África está determinada a criar uma força local de intervenção, constituída exclusivamente por africanos.
“A manutenção da paz tem custos e é preciso, para essa força de paz, que todos os países africanos contribuam com meios materiais e financeiros. Por ser um continente em crescimento, é preciso que tenha uma força robusta e interventiva para as situações de emergência e ameaça à estabilidade.
 O objectivo de África é que antes de 2020 as armas se calem à escala continental”, disse o primeiro-ministro de Moçambique, Alberto Vaquina.                                              
“Temos de acabar com a ideia de que África é um continente de sofrimento, de guerra e fome. Temos o direito de olhar para a frente com esperança. Chegou o momento de deixarmos um legado, da mesma forma que as outras gerações lutaram pela independência. O sonho de uma África sem guerra é possível desde que todos nos comprometamos nesse sentido\", disse Alberto Vaquina.
Paralelamente à Agricultura e Paz, a cimeira abordou outras questões como o VIH/SIDA, malária e mudanças climáticas.
O director-geral da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO), José Graziano da Silva, felicitou os dirigentes africanos pela sua forte determinação na luta contra a fome.
A União Africana designou igualmente 2014 como o Ano da Agricultura e Segurança Alimentar em África. Durante a Cimeira, o Fundo de Solidariedade Africano anunciou um apoio a quatro novos projectos sub-regionais destinados a aumentar a segurança alimentar e a nutrição em 24 países.

Audiência em Malabo


A vontade das empresas norte-americanas aumentarem as suas operações em África dominou na sexta-feira o encontro entre o Vice-Presidente da República, Manuel Vicente, e a secretária de Estado norte-americana para os Assuntos Africanos, Linda Thomas- Greenfield, realizado em Malabo, à margem da 23ª Cimeira dos Chefes de Estado e de Governo da União África. No encontro foram ainda abordados aspectos relacionados com a cooperação entre Angola e os Estados Unidos, e os caminhos a seguir para ajudar  África a progredir no desenvolvimento. O secretário de Estado das Relações Exteriores, Manuel Augusto, considerou “excelentes\" as relações entre os dois países, mas defendeu a introdução de uma visão africana na agenda da cimeira entre Obama e os líderes africanos em Agosto.
Além das questões relacionadas com a agricultura, segurança e estabilidade em África, os Chefes de Estado e de Governo da UA decidiram a criação de um grupo para apresentar uma proposta de programa do encontro, e dar um “toque africano\" às discussões, uma vez que, até agora, a agenda foi integralmente feita pela parte norte-americana.
O objectivo deste comité de 20 membros é levar para a cimeira uma visão daquilo que são as prioridades de África, mais concretamente na área da agricultura. “As grandes potências e a comunidade internacional podem ajudar o continente a galgar para o desenvolvimento e no plano de segurança é indiscutível a ajuda dessas potências para resolver os conflitos ou preveni-los\", assinalou Manuel Augusto. Os Estados Unidos têm o peso que têm e é bom que possam ter, na formulação das suas políticas futuras, o ponto de vista africano, acrescentou.
Os Chefes de Estado entendem não se justificar ter 48 presidentes numa reunião em que praticamente é inexistente uma visão africana, disse, acrescentando: “O tempo é curto, mas vai-se tentar tudo e fazer com que esse grupo de ministros e executivos possa mostrar à parte norte-americana a nossa visão\".
Sobre as decisões das anteriores cimeiras, referiu a questão do Parlamento Africano dos Direitos Humanos e dos Povos e do Tribunal Africano. Manuel Augusto explicou que o Parlamento Africano tem, numa das suas disposições, um artigo que diz que, depois de cinco anos, este órgão passa a ter poderes legislativos, à semelhança do que acontece com o Parlamento Europeu, e a legislar sobre matérias de cumprimento obrigatório para todos os Estados membros.
Mas surgiram divergências em torno desta matéria, com alguns países a considerarem que ainda não estão reunidas as condições para a assumpção de um carácter supranacional do parlamento pan-africano e outros disponíveis para avançar. “Esta é uma questão que tem sido debatida noutras cimeiras e estava num impasse, mas agora deu-se aqui um passo que vai ajudar a definir o papel do Parlamento Pan-africano, sem pôr em causa a soberania dos parlamentos nacionais\", salientou Manuel Augusto.
 Angola apresentou uma candidatura ao grupo das iminentes personalidades africanas. Desde há alguns anos que África reúne antigos Chefes de Estados e outras entidades que funcionam como um conselho de sábios. O objectivo é fazer com que olhem para as diversas situações por que passa o continente e com as suas experiências ajudarem a UA a debelar tais situações. Foi dada a Angola a oportunidade de apresentar a candidatura da antiga ministra dos Petróleos, Albina Assis, que foi eleita para o conselho de sábios.
# http://jornaldeangola.sapo.ao/


Israel assenta milhares de imigrantes africanos na fronteira com o Egito.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

Des demandeurs d'asile africains entrés en Israël clandestinement ces dernières années.
Os africanos requerentes de asilo entraram em Israel ilegalmente nos últimos anos. © AFP

Mais de mil imigrantes ilegais africanos participaram no sábado em um assentamento, no sul de Israel, perto da fronteira com o Egito, depois de uma marcha para denunciar suas condições de vida em um campo de detenção, indicaram seus representantes.

"Vamos ficar perto da fronteira com o Egito até que seja encontrada uma solução para que sejam respeitados os nossos direitos (...)", afirmou o comité dos requerentes de asilo no acampamento Holot (sul), disse em um comunicado. No dia anterior, esses imigrantes, principalmente da Eritreia e do Sudão, haviam participado de uma marcha de protesto que foi parado a 300 metros da fronteira com o Egito por soldados israelenses.

Os imigrantes denunciam sua detenção "desumana e sem limite de tempo" no campo de detenção em Holot que abriga 2.300 imigrantes ilegais. Manifestantes pedem para deixar Israel e o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) para apoiar para que eles possam imigrar para um terceiro país. As autoridades israelenses impuseram aos imigrantes ilegais residentes por mais de cinco anos em Israel para viverem no acampamento de asilo Holot.

De acordo com os manifestantes, o que as autoridades descreveram como um "sistema aberto" é "realmente uma prisão", porque eles podem deixar o campo durante o dia, mas eles são obrigados a voltar para o campo a noite. Os manifestantes têm ido mais longe com este regulamento e continuam pernoitados desde sexta-feira para sábado, fora do acampamento, perto da fronteira.

De acordo com o Gabinete israelense de População e de Imigração, 53.646 imigrantes africanos residiam em Israel no final de 2013, incluindo 35.987 eritreus, 13.249 sudanês e 4.400 de outros países. Em fevereiro, o jornal Haaretz revelou que Israel tinha começado a transferir imigrantes africanos ilegais para Uganda com a autorização desse país.

# jeuneafrique.com

Total de visualizações de página