Postagem em destaque

BAMAKO E IYAD ENGAJADOS NA MESMA LUTA CONTRA EIGS NO MALI: Cuidado com o efeito bumerangue!

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!... Há poucos dias, foi em Menaka que foi visto ao lado de notáveis ​​tu...

sábado, 24 de maio de 2014

Mali: Cesar-fogo entre Bamako e os grupos armados que controlam Kidal.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

Mohamed Ould Abdel Aziz et le président malien Boubacar Keita le 22 mai 2014 à Bamako.

Mohamed Ould Abdel Aziz e o presidente maliano Boubacar Keita em 22 de maio de 2014 em Bamako. © AFP

Um cessar-fogo foi assinado sexta-feira em Bamako entre e os três principais grupos armados norte  do Mali que controlam a cidade de Kidali, após discussões com o presidente da União Africano Mohamed Ould Abdel Aziz. O chefe da missão da ONU no Mali ( Minusma ), " Albert Gerard Koenders ( disse Bert Koenders , NDLR ) informa que às 9:30 horas ( horário de Brasília) desta sexta-feira, 23 de maio de 2014, um cessar-fogo foi assinado entre o Governo do Mali e MNLA, HCUA e o MAA", disse o Minusma em um comunicado.



MNLA ( Movimento Nacional para a Libertação de Azawad, MNLA rebelião tuaregue ), o Alto Conselho para a unidade da Azawad ( HCUA formada por dissidentes de um grupo jihadista ) e o Movimento árabe de Azawad (MAA) são os três grupos armados, disse o presidente da União Africana, o mauritaniano, Mohamed Ould Abdel Aziz , que reuniu com os representantes nesta sexta-feira à tarde em Kidal ( extremo nordeste ).

O cessar- fogo entrou em vigor após a assinatura do acordo, o que tem sido o caso "às 04:30 " por grupos armados em Kidal, e às " 21:30 " em Bamako pelo governo maliano através do Ministro do Interior, disse o presidente Aziz. " Foi o que ele (o presidente Aziz ) Recebeu ( ... ) é admirável, ( ... ) um cessar-fogo que precisamos ", comentou seu homólogo maliano Ibrahim Boubacar Keita.

Intensos combates
Intensos combates opôs em 17 maio em Kidal ( Nordeste, 1500 km de Bamako ) forças armadas do Mali e os grupos armados, composto principalmente por combatentes tuaregues, mas também árabes. Eles tomaram o controle da cidade, tradicionalmente um reduto do Touareg, mas também Ménaka ( 660 km ao sudeste de Kidal ), de acordo com a ONU, depois de novos confrontos mortais na quarta-feira.

De acordo com a declaração de Minusma, as partes " concordaram com um cessar das hostilidades em todo o território nacional, para voltar ao acordo preliminar, de 18 de junho de 2013, " eles assinaram em Ouagadougou "para uma retomada imediata de negociações com o apoio das Nações Unidas e seus parceiros regionais e internacionais. "

Bamako e grupos rebeldes ", também concordaram com a libertação de prisioneiros, logo que possível, facilitar as operações humanitárias das Nações Unidas e outros parceiros humanitários e os princípios do direito humanitário", disse o Minusma.

Eles finalmente concordaram " sobre a criação de uma comissão internacional de inquérito sobre os acontecimentos, começando com Kidal ", salientaram.

O Presidente mauritano, chegou em Kidal na sexta-feira de manhã, juntamente com Bert Koenders, o chefe da missão da ONU no Mali ( Minusma ), depois dos apelos para a abertura de discussões que foram múltiplas, na sequência de violento combate, a 17 de maio em Kidal.
Esses desenvolvimentos foram conduzidos ao presidente da UA que fez ele encurtar sua visita a Ruanda para chegar a Bamako, quinta-feira e sexta-feira em Kidal.

O chefe da manutenção de operações da paz da ONU Hervé Ladsous tinha por seu lado solicitado um "cessar -fogo " e voltou " à situação anterior. " Também pedidos feitos pela França, que liderou uma intervenção militar internacional em curso no período janeiro 2013 no Mali.

Redirecionamento
Redirecionamento do dispositivo militar francês no Sahel, decidido após os confrontos no norte do Mali, deverá ser adiado " por um mês ou dois, se as coisas caminharem bem. " Ele deve ser marcado notadamente pela partida de 600 homens, dos quais 300 homens vindos do Chade e da manutenção 1.000 homens locais.

Uns vinte soldados malianos foram mortos e trinta feridos no combate, de acordo com o ministro maliano da Defesa, enquanto o MNLA falou em 40 soldados malianos mortos e 70 capturados desde o início das hostilidades, em 17 de maio.

Segundo a ONU, e mais em Kidal, o MNLA tomou a cidade de Ménaka, o que é contestado pelo governo do Mali, que admitiu a derrota só de Kidal.
Kidal é um desafio para o governo do Mali: apesar da intervenção militar internacional em andamento desde 2013, ele nunca conseguiu recuperar completamente o ponto de apoio desta área, que é o berço dos Tuaregues.

De acordo com o escritório da Agência de Refugiados da ONU (UNHCR), os confrontos levaram 3.000 pessoas a fugir de Kidal.

# jeuneafrique.com


OPINIÃO: Na montagem do quebra-cabeça para composição do novo elenco governamental guineense, acho imprescindível que o Sr. Primeiro Ministro Domingos Simões Pereira eleito em 2014, analise com carinho, alguns candidatos que perderam a eleição, mas que podem constituir peças importantes para assumirem algumas pastas ou ministérios, para a concretização da tão almejada recuperação económica e, em última análise, o desenvolvimento do país.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...



Hélder Vaz apresentou o Programa do Governo dele caso fosse eleito. O Programa é voltado principalmente para setores chaves como: Agricultura & Pesca, Educação, reformas a vários níveis e envolvendo várias áreas. Para você que não teve oportunidade de ouvir o que ele detalhou no seu programa, eu disponibilizo para você nesse Blog, o seu pronunciamento retratando essas duas áreas de grande interesse e prioritárias para o desenvolvimento do nosso país - Agricultura & Pesca.



Escuta o pronunciamento de Hélder Vaz: Clicka AQUI.


Candidato Presidencial Paulo Gomes, Independente
O Sr. Paulo Gomes é um outro candidato que perdeu a eleição, mas que pode figurar nesse governo ocupando, por exemplo, a pasta de economia. Uma boa contribuição ele poderá dar em virtude de sua apreciável experiência internacional na área económica e sua integração com instituições económicas internacionais.


Espera-se ( a vontade do povo, é claro! ) que o novo Primeiro Ministro, o Sr. Domingos Simões Pereira não compactuará com o "APADRINHAMENTO" ou outras formas de nomeação de alguns elementos para cargos chaves...Situação que a Guiné-Bissau viveu nos últimos 40 anos e que verteu-se em nosso subdesenvolvimento. Nossa estagnação tem no seu bojo a incompetência revelada por anos a fio por alguns elementos que ocupavam cargos incompatíveis com sua área de competência. Não há dúvida que o Sr. Primeiro Ministro não vai se deixar levar. Sábiamente apresentará em breve o novo elenco governamental rodeado de pessoas de alta competência. Seus ministros, por sua vez, escolherão seus colaboradores a dedo de uma só mão, fundamentando-se em critério rigoroso de avaliação. A experiência do Sr. Ministro como ex-secretário executivo da CPLP nos engradece como guineense que somos. Daí, conduzir-nos a um bom porto é uma grande expectativa... e todos nós acreditamos que o senhor vai surpreender. 

A opinião aqui manifestada por mim é apenas a opinião de um cidadão guineense. Ela pode não ter nenhuma influência na decisão do Sr. Primeiro Ministro, mas é uma opinião que pode ser apreciada.

Mantenhas!

Samuel Vieira 




Total de visualizações de página