Postagem em destaque

Veículo robótico russo pode destruir facilmente tanques de Leopard e Abrams.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!... A versão de combate do veículo robótico russo Marker será capaz de d...

sábado, 19 de dezembro de 2015

A reforma constitucional em Ruanda: o "sim" obteve 98,13% dos votos.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

http://www.jeuneafrique.com/medias/2015/12/19/

Ruandeses votaram esmagadoramente a favor de uma revisão da Constituição que deverá permitir que o presidente Paul Kagame possa ficar por mais um mandato e, potencialmente, conduzir o país até 2034, de acordo com resultados parciais publicados no referendo deste sábado.

O "sim" a favor da reforma constitucional obteve 98,13% dos votos, contra 1,71% do não, de acordo com resultados oficializados pela Comissão Eleitoral e, em 21 dos 30 distritos, ou 70% do país.

"Vimos a vontade do povo. É claro que o que o povo quer, ele pode obter ", disse Kalisa Mbanda, o chefe da Comissão Nacional Eleitoral que fez anúncio após estes resultados preliminares.

"Eles haviam solicitado a alteração da Constituição e eles conseguiram isso", acrescentou, citando o diário The New Times pró-governo.

Havia pouca dúvida de que a tão amplo desejo prevaleceria. A avaliação foi apresentada como uma iniciativa popular pelas autoridades, e que 3,7 milhões de ruandeses pediram o controle do poder por Kagame, de 58 anos, após o termo do seu mandato em 2017, o último que lhe permite a Constituição atual.

Alguns dos 6,4 milhões de ruandeses foram convidados a responder ao sim ou ao não à pergunta: "Vocês concordam com a Constituição da República de Ruanda, com a sua revisão durante o ano de 2015? ".

Mais dez anos para Kagame

Vários artigos foram alterados em novembro pelo Parlamento. Mas duas mudanças cruciais incluiram novas seções 101 e 172, que potencialmente permitem ao Kagame permanecer no poder por mais 17 anos.

O novo artigo 101.º continua a limitar a dois o número de mandatos presidenciais, enquanto que reduz o seu mandato de sete para cinco anos. Mas, em paralelo, um novo artigo 172 estipula que a reforma não terá efeito até depois deste novo de sete anos de transição entre 2017 e 2024. Os presidentes cessante não serão elegíveis, bem como os dois cinco anos seguintes legalmente.

Eleito em 2003 e reeleito em 2010, com mais de 90% dos votos de cada vez, Presidente Kagame ainda não disse se seria candidato em 2017. Ele disse que sua decisão dependerá dos resultados do referendo. O tamanho do voto a favor do "sim" o faria ficar de pé novamente.

Esta alteração constitucional foi objeto de duras críticas dos parceiros internacionais de Ruanda, os Estados Unidos na liderança, que apelou Kagame a demitir-se em 2017.

Kagame é o homem forte do país desde julho de 1994: na época, a rebelião da Frente Patriótica Ruandesa (RPF) que ele tinha conduzido a partir dos extremistas hutus em Kigali e terminou o genocídio que tinha começado três meses antes (com 800.000 mortos, principalmente membros da minoria tutsi).

#jeuneafrique.com

Senegal: Al Amine para Macky Sall - "Não há um membro da família de El Hadj Malick Seydi que não te ama".

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

content_image

A família marabu de Tivaouane agradeceu ao Chefe de Estado pelos projectos que hoje decorreram na cidade religiosa, notadamente essa da esplanada da mesquita inaugurada este sábado.
Serigne Abdoul Aziz Sy Al Amine, que falou em nome da família, transmitiu ao chefe de Estado, a mensagem do Khalife General das Tijanis, Serigne Cheikh Tidiane Sy Al Makhtoum. "Diga-lhe que agradeço-o pelo que ele tem feito por mim.“Manguikoy dink mouy mougn rek té yatou deun”" (eu lhe recomendo a saber passar a esponja: etc), ele me pediu para lhe dizer. Ele diz que no Senegal, ninguém sobe ao poder sem receber pedras.

Mas ele diz que quando você joga um projétil que pode prejudicá-lo, não vale a pena ir trás de seus passos, antecipadamente. Manter em movimento. Nós te enjetamos todos os tipos de projéteis, mas não olhe para trás, porque ele só vai atrasar você ", declarou Al Amine, levando a mensagem de Serigne Cheikh Tidiane. Ele também pediu a Macky Sall para abrir braços a todos e cultivar a disciplina.

"Não há entre nós, um único membro da família de Seydi El Hadj Malick que não ama você. Que seja dentro desta sala ou não. No entanto que Deus te pague e ajude-o a completar todos os seus projetos para o Senegal. Que Deus o faça e Ele vai fazer ", disse Serigne Abdoul Aziz Sy Al Amine, que falou em nome da família. Ele assegurou ao chefe de Estado, para apoiar de Tivaouane, não sem chamar os senegaleses para dar-lhe tempo para se desdobrar em seus planos. "Temos a intenção de acompanhá-lo no caminho que você traçou para o Senegal para enfrentar os desafios nas áreas de economia, agricultura, comércio, segurança, etc. Nós seguimos o que fez na agricultura, o socorro aos senegalses, entre outros. Nós vimos o que você fez e isso nos tranquiliza. Se isso não tivesse nos tranquilizado, nós lhe teriamos dito. Nós encorajamos você. Que os senegaleses lhe dêem tempo suficiente para fazer o seu trabalho bem. Nós não o seguimos cegamente, nós o ajudamos a seguir o seu programa, explicando para as pessoas para aderirem ", disse o marabu.

#seneweb.com

Brasil: STF quebra sigilo de Renan Calheiros, diz revista.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

Reportagem da revista "Época" afirma que presidente do Senado foi poupado da Operação Catilinárias, mas teve sigilo bancário e fiscal quebrados a pedido da Procuradoria-Geral da República.
Der brasilianische Senator Renan Calheiros
Segundo reportagem publicada neste sábado (19/12) pela revista Época, o presidente do Senado, Renan Calheiros, teve seu sigilo bancário e fiscal quebrados no dia 9 de dezembro por determinação do relator da Operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), o ministro Teori Zavascki.
Calheiros é suspeito de envolvimento em fraudes na contratação do consórcio do Estaleiro Rio Tietê pela Transpetro, em 2010.
O senador havia indicado o então presidente da Transpetro, Sérgio Machado e, de acordo com o Ministério Público, exercia grande influência nas atividades da subsidiária da Petrobras. Machado, além de outros suspeitos de envolvimento no caso, também teve seus sigilos quebrados por ordem do STF.
A decisão de Zavascki veio após um pedido do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, num dos inquéritos que tramitam no STF, e é válida para o período entre 1º de janeiro de 2010 e 1º de abril de 2014.
O ministro do STF, porém, negou outro pedido de Janot para que fosse realizada uma operação de busca e apreensão na residência oficial do presidente do Senado em Brasília, por considerar não haver indícios suficientes.
Na última terça-feira, a Operação Catilinárias da Polícia Federal cumpriu mandados de busca e apreensão em 53 endereços de investigados na Lava Jato, entre estes, a residência oficial do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB).
A partir dos laudos e do resultado das quebras de sigilo, o procurador-geral decidirá se deve ou não apresentar denúncia contra Calheiros, que responderia ainda a outros quatro inquéritos no STF no âmbito da Lava Jato.
A reportagem da revista Época afirma que a Procuradoria-Geral da República suspeita que Calheiros, Machado e outros receberam suborno para facilitar a vitória do consórcio Estaleiro Rio Tietê – formado pelas empresas SS Administração, Estaleiro Rio Maguari e Estre Petróleo e Gás – numa licitação destinada à renovação da frota de embarcações utilizadas pela Transpetro no transporte de etanol entre Mato Grosso e São Paulo.
O presidente do Senado se tornou uma das figuras centrais do processo de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff. Nesta semana, o STF atribuiu ao Senado poderes para rejeitar um eventual afastamento da presidente pela Câmara dos Deputados.
RC/ots
Alberto Youssef
#dw.de

15 mortos em acidente na rodovia do horror em Camarões.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

http://www.africareview.com/image/view/-/3003116/highRes/1206737/-/x0wqnsz/-/

Pelo menos 15 pessoas morreram e várias outras ficaram feridas em um acidente rodoviário em Yaoundé.

O acidente aconteceu na Olembe na saída ao norte da capital Camarões nesta sexta-feira.

Testemunhas oculares contaram que um caminhão carregado com cimento bateu em um posto de segurança após falha aparente de freios, provocando esmagamento em outros veículos e transeuntes.

O caminhão estava a caminho de Yaoundé.

In loco

Pelo menos 15 pessoas morreram no local, enquanto vários outras sofreram vários graus de lesões.

Socorristas voluntários ajudaram a polícia a recuperar os corpos e a transportar os feridos para os hospitais.

Entre os mortos alguns eram estudantes que retornavam para casa da escola após o término do primeiro termo do ano lectivo de 2015/2016.

As autoridades temiam que o número de mortos pudesse aumentar devido às lesões graves infligidos a algumas vítimas.

Frequentemente violadas

Camarões tem uma rede de estradas pobres com tráfego de caminhões pesados que ​​partilham estradas estreitas com veículos menores.

Tem havido um aumento em acidentes de viação nos Camarões nos últimos anos, levando à morte de milhares de pessoas anualmente.

O Ministério dos Transportes, em uma circular pública, restringindo recentemente o movimento de caminhões pesados ​​em áreas urbanas de nove horas às seis horas, quando o tráfego é menos congestionada.

No entanto, a directiva é muitas vezes violada por motoristas que pagam subornos à polícia.

O Secretário de Estado no Ministério da Defesa, o Sr. Jean Baptist Bokam, disse que vai intensificar a campanha de segurança rodoviária na estrada de Camarões.

#afriacreview.com

Pequim alerta para "grave provocação militar" dos Estados Unidos.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

O Ministério da Defesa chinês classificou hoje como "uma grave provocação militar" o sobrevoo, na semana passada, por dois bombardeiros norte-americanos B-52 de uma zona do Mar do Sul da China reivindicada por Pequim.

http://static.noticiasaominuto.com/stockimages/1370x587/

"Na manhã de 10 de dezembro, dois bombardeiros norte-americanos B-52 entraram sem autorização no espaço aéreo das ilhas chinesas Nansha e nas águas territoriais adjacentes", afirmou o Ministério, referindo-se ao nome chinês atribuído às ilhas Spratly.
"Este comportamento [representa] uma grave provocação militar, que complica a situação geral do Mar do Sul da China" e contribui para a "militarização da região", acusou o Ministério da Defesa chinês.
Durante uma missão de treino, um dos bombardeiros aproximou-se cerca de duas milhas náuticas, mais do que previsto, de uma ilha artificial construída pela China num dos recifes das ilhas Spratly, relatou, na sexta-feira, o Wall Street Journal, citando responsáveis do Pentágono (Departamento de Defesa norte-americano).
Segundo o jornal, o aparelho desviou-se da rota inicial "sem qualquer intenção", devido possivelmente às más condições meteorológicas registadas naquela zona.
O Pentágono afirmou hoje que vai abrir um inquérito sobre este incidente.
"Os chineses manifestaram a sua preocupação a propósito da trajetória de voo de uma recente missão de treino. Vamos reunir informações sobre este assunto", afirmou, em declarações à agência francesa AFP, o porta-voz do Departamento de Defesa, Mark Wright.
"Também posso afirmar que esta missão não tinha qualquer intenção de sobrevoar a menos de 12 milhas náuticas de qualquer instalação", acrescentou o porta-voz.
Pequim reivindica a soberania sobre quase todo o Mar do Sul da China, com base numa linha que surge nos mapas chineses desde 1940, e tem investido em grandes operações nesta zona, transformando recifes de corais em portos, pistas de aterragem e em outras infraestruturas.
Vietname, Filipinas, Malásia e Taiwan também reivindicam uma parte desta zona, o que tem alimentado intensos diferendos territoriais com a China.
Por seu lado, Washington encara as construções e as pretensões chinesas como uma ameaça à liberdade de navegação nesta zona, uma das rotas marítimas mais estratégicas do mundo.
#noticiasaominuto.com/

Senegal: Oumar Sarr - "Macky Sall acaba de ser pego com a mão no lixo".

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

content_image
Oumar Sarr, o coordenador do PDS

Na sequência da publicação de informações indicando o financiamento da campanha eleitoral pelos fundos russo a Macky Sall, o Comité Director do PDS afirma que ele "sempre denunciou o financiamento de campanhas de Macky Sall e dinheiro sujo por potências estrangeiras que não poderiam perdoar Abdoulaye Wade de ainda defender os interesses de nosso país. "

"Dinheiro sujo, dinheiro de engano, dinheiro de doping no atletismo, o dinheiro de drogas nos esportes, o dinheiro da corrupção no coração das várias campanhas de Macky Sall. Este dinheiro financiou a sua campanha para as eleições municipais e locais em 2009, uma vez que financiou a sua campanha para a eleição presidencial de 2012, as duas vitórias que obteve são vitórias desorganizadas ", diz Oumar Sarr, o coordenador do PDS em nome do Comité de Direcção do seu partido.

Segundo ele, "o único que declarou solenemente aos senegaleses que os valores de base de nossa sobriedade, virtude, transparência e eficiência que guia seu governo, vem pelas revelações feitas por nós, para ser pego com a mão bin no lixo onde copiosamente atuou ".

"As negações e outros gritos de conspiração serão em vão e o nosso povo tem o direito de questionar e pedir a Macky Sall para relatar e explicar perante os juízes, quando ele será solicitado a fazê-lo e fazendo-o não lhe será concedido algum favor ou imunidade, uma vez que é em honra de nossa nação ", diz o secretário-geral de Peso Nacional.

"Hoje as máscaras caíram", o PDS exige a libertação imediata e incondicional dos presos políticos, incluindo Karim Wade, seu candidato na próxima eleição presidencial ", e que as Nações Unidas arbitrariamente declararam deter para não ter benefício  de um processo justo, respeitando os seus direitos. "

"Aqueles cujos todos os mandatos são marcados com o selo de vergonha e dinheiro sujo, que organizam os processos declarados injusto, que condenam e arbitrariamente detém na prisão um opositor político e que colocam o nosso país no âmbito da proibição da comunidade global por não-respeitar dessa assinatura internacional, não poderia esperar ter direito a um mínimo de honra para permanecer no controle de nosso país. A renúncia é a única saída para o corrupto e o incompetente ", diz Omar Sarr.

#seneweb.com

Ruanda: O Presidente Kagame - Eu não quero ser presidente vitalício.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

http://www.africareview.com/image/view/-/3002236/highRes/1206207/-/2gyq3x/-/
O Presidente do Ruanda, Paul Kagame sorri depois que a tinta indelével foi colocada em seu dedo depois de votar no referendo nacional em 18 de dezembro de 2015. FOTO | Daily Monitor

O Líder ruandês Paul Kagame disse que não queria ser presidente para toda a vida.

Falando logo após depositar seu voto nesta sexta-feira em referendo que deverá aprovar alterações para que ele possa concorrer à reeleição para um terceiro mandato, o presidente Kagame disse que são os ruandeses que querem ele de volta.

Respondendo a pergunta para saber se ele queria governar indefinidamente, o presidente Kagame respondeu: "Eu não quero. Pergunte aos ruandeses? Por que estão me perguntando porque eles me querem?"

As exigências

Perguntado para dizer quando a sua resposta viria com às exigências, o presidente Kagame respondeu: "Vamos ver que quando os tempos chegarem."

Sobre a esperança para Ruandeses, quando ele for reeleito, o presidente disse: "Olhe para o registro e decida por si mesmo."

Sobre se ele estava preparando um sucessor, o presidente Kagame respondeu brincalhão: "você quer se inscrever?"

A suspensão

O Presidente Kagame chegou na estação de voto às 11:20 da manhã, hora local, na companhia de sua esposa e filha Jeannette Ange.

Ele foi direto para a sala onde uma cabine foi reservado para ele para votar e foi recebido pelo presidente da Comissão Nacional Eleitoral.

O referendo que deverá aprovar emendas constitucionais, incluindo a suspensão dos limites de mandato para permitir que o presidente Kagame fique de pé novamente.

#africareview.com

Total de visualizações de página