Postagem em destaque

Ucrânia: Lula se recusa a entregar munição para tanques.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!... O governo brasileiro se opôs ao pedido da Alemanha de entrega de mun...

terça-feira, 26 de julho de 2016

ONU APOIA PLANO ESTRATÉGICO PARA DESENVOLVER EDUCAÇÃO NA GUINÉ-BISSAU.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...
                                               Cristina Brugiolo. Foto: Rádio ONU/Amatijane Candé


Intervenientes e parceiros trabalham para executar metas do setor em três anos; Unicef e Unesco apoiam iniciativa; ateliê identificou prioridades do setor no país.

O Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, a Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura, Unesco, e o governo guineense trabalham num plano estratégico de desenvolvimento do setor educativo.

A iniciativa, com apoio da Parceria Mundial para a Educação, PME, foi o foco do ateliê sobre a finalização da política setorial e elaboração do plano de ação trienal, realizado pelo Ministério da Educação.

Prioridades

Em entrevista à Rádio ONU, em Bissau, a vice-representante do Unicef na Guiné-Bissau, Cristina Brugiolo, disse que o ateliê permitiu identificar prioridades e atividades para o período.

"A aprendizagem precoce antes do arranque da escola primária. Há um enfoque na escola primária em assegurar que todas as crianças do país acabem a escola primária nos primeiros seis anos, o EB1 e o EB2. Há um outro investimento no secundário, ou seja, o EB3."

O objetivo das ações é dotar o país de um plano estratégico de desenvolvimento do setor da educação de 10 anos.

Parceiros de desenvolvimento e técnicos do ministério da Educação já trabalham para executar o plano dos próximos três anos.

Compromissos

A entrevistada ressaltou a importância das prioridades identificadas no desenvolvimento do setor e na planificação de apoios ao governo pelos parceiros e falou dos compromissos entre estes e o governo no desenvolvimento da pequena infância.

Brugiolo disse que as partes envolvidas devem procurar formas e estratégias para recuperar as crianças que estão fora do sistema de ensino e inseri-las no sistema, formal ou não, mas com equivalência ao ensino formal.

Progressos

A representante disse que os objetivos do ateliê foram alcançados no que marca o culminar dos trabalhos desenvolvidos num ano e meio. Ela considerou que o momento é essencial para o desenvolvimento do setor.

"O ministério está a identificar as prioridades, está a traçar as metas e identificar como chegar até aquelas metas e é um documento essencial para todos os parceiros porque vão basear as suas atividades, intervenções e fundos consoante com este plano do governo".

Técnicos ligados ao Ministério da Educação, diretores-gerais e regionais da instituição, pessoal da Unicef e Unesco, técnicos do Instituto Nacional do Desenvolvimento da Educação e membros do grupo local de educação participaram do ateliê.

Amatijane Candé de Bissau para a Rádio ONU com Conosaba do Porto

Total de visualizações de página