Postagem em destaque

BAMAKO E IYAD ENGAJADOS NA MESMA LUTA CONTRA EIGS NO MALI: Cuidado com o efeito bumerangue!

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!... Há poucos dias, foi em Menaka que foi visto ao lado de notáveis ​​tu...

sexta-feira, 10 de outubro de 2014

Segundo médico de Uganda morre de Ebola na Libéria.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...



Um médico nascido em Uganda, João Taban Dada, morreu no início desta quinta-feira de Ebola em um centro de tratamento, nos arredores da capital da Libéria, Monrovia. 

A mídia internacional citou o ministro da Saúde liberiano Tolbert Nyenswah como tendo dito que Dr Dada, um ginecologista e cirurgião, seria enterrado na quinta-feira, de acordo com a política por exigência das autoridades - enterro rápido das vítimas. 
Dr Dadá é o segundo médico de Uganda a morrer de Ebola na Libéria, após o Dr. Samuel Muhumuza Mutooro, que morreu em julho. 

Na semana passada, um outro médico de Uganda, Dr. Michael Mawanda, um pediatra, foi levado de avião a partir de Serra Leoa para a Alemanha para tratamento especializado depois que ele foi diagnosticado com Ebola. 

Morte do Dr. Dada completa quatro o número de médicos que morreram na Libéria desde o início. 

Mais de 90 profissionais de saúde, incluindo enfermeiros e médicos assistentes, também morreram. 
Dois vôos militares dos EUA devem chegar a Libéria na quinta-feira, disse  Capt. do Exército R. Carter Langston à Associated Press em um e-mail. 

Os profissionais de saúde 

"Dois vôos diferentes, o MV-22 Osprey e a aeronaves KC-130, juntamente com fuzileiros navais dos EUA, vão chegar para apoiar o esforço conjunto do governo para conter Ebola", disse Carter, lembrando que iriam pousar no aeroporto de Roberts fora da Monrovia. 

Dr Dada, o liberiano naturalizado, serviu como diretor médico do Hospital de Redenção em Monrovia de 2008-2013, antes de passar a assumir uma nova missão no maior hospital do país, o Centro Médico Memorial John F. Kennedy, de acordo com os dirigentes do Hospital Redenção. 

Dr Atai Omoruto, um médico de Uganda no centro de tratamento do Ebola situado na Ilha Clinica, na periferia oeste da cidade, expressou cestar chocado com a morte do Dr. Dada, descrevendo-o como um homem muito calmo e dedicado. 

"Eu não sabia que ele contraiu a doença, é realmente lamentável que ainda estamos perdendo tantos profissionais de saúde", disse à AP. 

"Este Ebola realmente ... ele veio para os profissionais de saúde", disse ele. 

"Porque agora na Ilha Clinica temos quase 10 profissionais de saúde admitidos incluindo médicos de JFK e técnicos de laboratório e enfermeiros."

# africareview.com

Senegal descobre petróleo na costa.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...



Companhia petrolífera britânica Cairn Energy, anunciou que descobriu uma quantidade "significativa" de petróleo a cerca de 100km da costa do Senegal. 

Ministério de Energia do Senegal, em um comunicado nesta quinta-feira, explicou que a reserva de petróleo foi descoberto a uma profundidade de 1,427m e quantificado o achado em mais de 250 milhões de barris. 

O grupo britânico anunciou também que o trabalho de avaliação adicional seria conduzido para determinar se  região poderia conter uma quantidade maior 

"Esta é uma notícia muito animadora para o nosso país", disse o comunicado do Ministério de Energia, mas advertiu que "ainda é preciso manter a cabeça fria". 

O otimismo cauteloso decorre do anúncio feito pelo Cairn Energy, que levaria anos antes do primeiro barril poder sair da água. 

O ministério de Energia explicou que o Senegal tinha estava em busca de petróleo desde a independência em 1960 e tinha emitido uma licença para cerca de uma dezena de empresas já depois dessa data. 

A descoberta, no entanto, foi realizada em conjunto pela Cairn Energy e seus parceiros, a ConocoPhillips americano, o FAR australiano e Petrosen, informou a companhia nacional de petróleo do Senegal. 

Com a descoberta, Senegal junta-se quase oito dos 15 países da sub-região que já descobriram petróleo, sendo a Nigéria como o maior produtor e exportador.

# africareview.com

Nigéria: Polémica em torno da fortuna do Presidente Goodluck Jonathan.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

Nigeria Goodluck Jonathan cAFP

AFPL e Presidente nigeriano Goodluck Jonathan, foram rápidos em reagir à publicação de um ranking dos mais ricos presidentes africanos, dando-lhe uma fortuna de 100 milhões de dólares (78 milhões de euros). 

É uma controvérsia que Goodluck Jonathan fez questão de desligar o mais rápido possível. O presidente nigeriano negou, nesta quinta - feira, 9 de outubro no website richestlifestyle.com as informações atribuindo-lhe uma fortuna de 100 milhões de dólares (78 milhões de euros). 

"O presidente Jonathan nunca foi um empresário ou empreendedor", respondeu a presidência da Nigéria, em um comunicado, e, portanto, o surgimento de Goodluck Jonathan nesta lista é "infundado e difamatório". O ranking foi destaque em vários jornais nigerianos nesta quinta-feira. 

A alegação de que o presidente Jonathan "ascende agora a cerca 100 milhões" implica "que o presidente é enriquecido por corrupção desde que tomou posse (em 2010), o que certamente não é "disse o comunicado.  

A Presidência pediu "uma negação e sem reservas o pedido de desculpas do site RichestLifestyle.com e todos aqueles que têm reproduzido este artigo desagradável" e ameaça levar o caso para "os tribunais na Nigéria e no exterior" . 

A menção de Goodluck Jonathan no site já foi removido da lista de mais ricos presidentes africanos. 

A resposta firme e rápida da presidência após a publicação de um pouco conhecido o site público mostra como a corrupção é uma questão sensível na Nigéria, o maior produtor de petróleo em África. 

Bouteflika, Ouattara, Kabila ... Quais são os salários oficiais de líderes africanos?

La palme de la transparence revient en revanche aux États d'Afrique de l'Est.
O prêmio de transparência vem em revanche aos estados do Leste Africano. © Montagem J. A.

Jeune Afrique convida você a descobrir os salários oficiais e vários benefícios concedidos aos Chefes de Estado e de Governo de África. Quem é o mais bem pago? Mais favorecido? O melhor? Respostas com o nosso mapa interativo. 

Atualizado 5 de Março às 24:29. 
Muitos de vocês farão seus comentários ao se surpreenderem com a fraqueza de uma parte do dinheiro que damos a eles. Então nós especificamos que escolhemos para listar apenas os salários oficiais dos chefes de Estado. 
Abordar os salários e benefícios concedidos aos chefes formais de Estado e de Governo da África não é fácil. A mesma tarefa é particularmente difícil em alguns países. Entre os mais opacos, onde nós não temos sido capazes de recolher qualquer informação: Sudão, Gâmbia, Eritreia, por exemplo. 
Alguns países da região do Sahel (Mauritânia, Níger, Chade ...) também foram ilustrados por sua omissão. 
O prêmio de transparência significa, no entanto, África Oriental, África Central e Austral, e em particular nos países de língua inglesa. Alguns, como Ruanda e Nigéria, publicado para todos verem, em textos oficiais, os valores dos salários presidenciais. 
Oficialmente, o chefe de Estado com salário mais alto pago é Jacob Zuma da África do Sul, com um salário mensal de 19.765 euros. O salário oficial "menor" é o de Camarões de Paul Biya, recebe 200 € por mês por seu mandato na presidência. Para efeito de comparação internacional, Barack Obama tem um salário mensal de 24.264 € por mês, François Hollande 13.764 € por mês, e Vladimir Putin de 7.460 €. 

Divirta-se visitando o site de jeuneafrique clicando em cada Estado no mapa para conhecer o salário do presidente do país visitado. Acesse o LINK: AQUI. 

# jeuneafrique (Com AFP)

Guiné-Bissau afasta crianças de conflitos.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

Guiné-Bissau Bandeira

A União Europeia (UE) congratulou-se, em comunicado, com a ratificação pela Guiné-Bissau de um protocolo facultativo da Convenção sobre os Direitos da Criança contra o envolvimento de menores em conflitos armados.

“Com esta ratificação, a Guiné-Bissau está a contribuir para o reforço da tendência mundial no sentido de eliminar o recrutamento de crianças para as forças armadas”, referiu a delegação da UE em Bissau.
A representação europeia, assim como os chefes de missão das embaixadas de Espanha, França e Portugal, consideram que esta ratificação “constitui um passo importante dado pelas autoridades da Guiné-Bissau e encoraja a continuação dos esforços, com vista a uma melhor promoção e protecção dos direitos humanos no país”, refere o comunicado. Na prática, o protocolo facultativo da Convenção sobre os Direitos da Criança relativo ao envolvimento de menores em conflitos armados entra em vigor na Guiné-Bissau no dia 24, um mês depois de ter sido assinado pelas autoridades, e a UE disponibilizou-se para ajudar à sua aplicação. “As crianças afectadas por conflitos armados continuam a ser uma das prioridades da UE no âmbito dos direitos humanos. Os conflitos armados continuam a afectar um grande número de crianças e representam uma séria ameaça para a sua sobrevivência, desenvolvimento e oportunidades de vida”, conclui.
O protocolo foi adoptado a 25 de Maio de 2000 pela Assembleia-Geral da ONU, com vista a lutar contra o envolvimento de crianças em conflitos armados.
# jornaldeangola.sapo.ao

Morte de outro negro pela Polícia de Saint-Louis causa onda de protestos.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

Manifestantes retomaram os slogans gritados em agosto em Ferguson, onde um negro com 18 anos foi morto por um polícia. 
  [###]
KENNY BAHR/REUTERS
Manifestantes retomaram os slogans gritados em agosto em Ferguson, onde um negro com 18 anos foi morto por um polícia.

Dezenas de pessoas manifestaram esta quinta-feira à noite a sua cólera depois de mais um confronto entre um polícia e um jovem negro, que terminou com a morte deste em Saint Louis, no Estado do Missouri, Estados Unidos da América.
Em agosto registaram-se tumultos raciais subsequentes a outro incidente similar em Ferguson, nos arredores de Saint Louis.
No caso desta quinta-feira, um polícia, que se encontrava a trabalhar para uma firma de segurança privada, alvejou e matou um negro com 18 anos durante um confronto na rua, explicou o chefe da Polícia, Sam Dotson, sem mencionar a origem étnica do agente.
Dotson indicou que o jovem tinha sido o primeiro a disparar, por três vezes, sobre o polícia, que respondeu com 17 disparos.
O jovem integrava um grupo de três pessoas que chamaram a atenção do agente, que se encontrava de patrulha na parte sul da cidade.
O agente saiu da sua viatura e os jovens começaram a fugir, avançou Dotson, adiantando que o polícia se lançou em perseguição.
"Um dos homens aproximou-se então do agente, de forma agressiva. O agente ordenou-lhe várias vezes que parasse", acrescentou.
Depois de terem começado uma luta corpo a corpo, o jovem pôs-se em fuga, momento em que o polícia reparou que ele estava armado.
O suspeito "apontou a sua arma para o polícia e disparou pelo menos três vezes sobre este", disse Dotson, que continuou a descrever o incidente: "O polícia replicou, porque estava a ser alvejado". Em resultado, "o suspeito faleceu", rematou.
No local do incidente, disse, a polícia encontrou uma pistola de calibre 9 milímetros, mas os familiares do jovem garantem que ele estava desarmado.
Um inquérito interno foi aberto para "determinar se o agente tinha agido de maneira apropriada ou não", anunciou ainda Dotson.
Cerca de 300 pessoas, segundos órgãos de comunicação locais, concentraram-se no local para exigir justiça.
Os manifestantes retomaram os slogans gritados em agosto em Ferguson, nos arredores de Saint Louis, onde um negro com 18 anos foi morto por um polícia branco de 28.
Um grande júri deve decidir até meados de outubro se há motivos para julgar o polícia.
Este incidente desencadeou vários dias de violentos motins raciais neste subúrbio de maioria negra.
A cidade tornou-se então o símbolo da desigualdade de tratamento no sistema judicial e policial de que os negros se queixam nos EUA.

# jn.pt












Total de visualizações de página