Postagem em destaque

BAMAKO E IYAD ENGAJADOS NA MESMA LUTA CONTRA EIGS NO MALI: Cuidado com o efeito bumerangue!

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!... Há poucos dias, foi em Menaka que foi visto ao lado de notáveis ​​tu...

quarta-feira, 10 de abril de 2013

Senegal: O apoio orçamental - Seis parceiros assinam um acordo por um período de três anos com o Senegal.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...




A União Europeia, o Banco Mundial, o Banco Africano de Desenvolvimento, Espanha, Canadá e Holanda assinaram ontem um acordo no quadro de três anos com o Senegal.
Este é o arranjo da segunda parte (Arcab II) que permitirá ao Senegal contar com o apoio dos parceiros de desenvolvimento para implementar as recomendações da Declaração de Paris de 2 de Março de 2005, o Plano de Acção para Accra em 4 de setembro de 2008 e Parceria Busan de 1 de dezembro de 2011 sobre a eficácia da ajuda. Esta é a vontade especialmente característica do Estado senegalês e seus parceiros para continuar a apoiar o orçamento e fazer acordos de cooperação financeira na execução da política económica e social, e políticas e programas no sector do país. O acordo irá melhorar o diálogo entre o Governo e os parceiros com foco na eficácia da política de governo.
Segundo o ministro da Economia e Finanças, a implementação da estratégia nacional para o desenvolvimento econômico e social (Sndes - aprovado em Novembro de 2012) se baseia em um Plano de Acção Prioritário (PAP), um plano de três anos de investimento público (PTIP) para o período de 2013 a 2015 e um quadro de médio prazo no quadro de despesas (CDMP). Estes instrumentos, em sua opinião, permitem que o Governo do Senegal, por um lado, mantenha a coerência entre os programas nacionais relacionados com estruturas macroeconômicas e fiscais, políticas sectoriais e orçamento, e em segundo lugar, para alcançar a optimização da aplicação da política económica e social dos recursos públicos. Políticas económicas nacionais são parte do backup dinâmico de estabilidade macroeconómica e a sustentabilidade da dívida pública.
O Ministro da Economia e Finanças é de opinião que o desempenho macroeconómico em 2012 demonstra a determinação do Governo do Senegal nessa direção. "Apesar das dificuldades externas, problemas geopolíticos e financeiros internos relacionados com as finanças públicas, nós encontramos todos os pontos de referência quantitativos e mais indústrial", disse Amadou Kane.

Práticas de transparência

Assim, ao concordar em apoiar o governo através do apoio orçamental, disse Amadou Kane, parceiros certamente cairam em linha com a Declaração de Paris, mas porque, como eles apreciam as reformas positivas desenvolvidas, a fim de alcançar as melhores práticas de transparência fiscal, acompanhamento e elaboração de relatórios.
O Ministro da Economia e das Finanças revelou ainda que o Governo do Senegal tem planos para organizar no outono, uma mesa-redonda dos parceiros de desenvolvimento, para apresentar a sua estratégia de desenvolvimento econômico e social. Este é o culminar de um longo processo de formulação de objetivos de desenvolvimento e meios de execução.
Em nome dos parceiros, o Embaixador do Canadá no Senegal, Perry Calderwood, amplia a visão e da prioridade às reformas no Senegal na governação e na gestão das finanças públicas. "Quando são feitos, eles vão fazer um país como o Senegal, com uma governação mais transparente com a prestação pública de contas para todo o público", disse ele. Ele acredita que este acordo irá proporcionar ajuda ao desenvolvimento para o Senegal mais eficaz e eficiente para promover uma maior previsibilidade da APD, no Senegal. Perry Calderwood, O II Acab é uma ferramenta para ajudar o Governo do Senegal para implementar sua ambiciosa reforma, mas também oferece-lhe a oportunidade de melhor apoiar as metas de redução da pobreza e um aumento do crescimento.

Por: Adama MBODJ

fonte: lesoleil.sn com tradução para o português por Samuel Vieira.

Brasil: Coreia do Norte ameaça "destruir" Japão em caso de conflito.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...



Soldados americanos se preparam para nova sessão dos exercícios militares anuais conjuntos com a Coreia do Sul em Yeoncheon. Autoridades sul-coreanas disseram que é "consideravelmente alta" a possibilidade da Coreia do Norte disparar mísseis contra o Sul nos próximos dias.


Coreia do Norte ameaçou nesta quarta-feira transformar o Japão em um "campo de batalha", com possíveis ataques as suas principais cidades, entre elas Tóquio, Osaka e Kioto, caso os japoneses produzam movimentos que provoquem o início de um conflito armado.
Em um editorial publicado hoje pelo jornal Rodong Sinmundo, pertencente ao partido único norte-coreano, o regime também ameaça causar a "destruição" do Japão se esse país agir politicamente contra a Coreia do Norte, em um momento de elevada tensão na península coreana pelas contínuas ameaças bélicas norte-coreanas.
"O Japão está perto do nosso território e, portanto, não poderá fugir dos nossos ataques", detalha o editorial, que cita cinco cidades japonesas, nas quais se encontra um terço dos 127 milhões de japoneses, como possíveis alvos militares.
O editorial norte-coreano denuncia que o Japão posicionou vários contingentes militares na costa em frente ao país comunista,e promete que, "se houver um ato de guerra, todo o território do arquipélago japonês se transformará em um campo de batalha".
Pyongyang também reitera sua ameaça contra as bases militares dos EUA em território japonês: "o Exército da Coreia do Norte é absolutamente capaz de fazer saltar pelos ares as bases militares, não só no Japão, como em outras áreas da região Ásia-Pacífico".
"O atual regime japonês está optando pelo risco militar, intensificando sua política hostil à Coreia do Norte, em linha com a política dura dos EUA de reprimir com a força das armas", assinala o editorial.
Na terça-feira, perante a possibilidade de Pyongyang realizar em breve testes de mísseis, o Japão desdobrou no centro de Tóquio sistemas antimísseis terra-ar. Esses sistemas instalados na capital serviriam para derrubar projéteis no caso de um hipotético ataque escapar dos destróieres que o Japão tem localizados no Mar do Japão.
fonte: terra.com.br

O Mali vai oferecer um novo camelo a Holande. O primeiro acabou na marmita de uma família de Bamako.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!..

Chameau dans le désert, by Nicolafay via Flickr CC.
Camelo no deserto, por Nicolafay via Flickr CC.


Autoridades do Mali não parecem brincar com as histórias de presentes de camelos, especialmente quando há um que é oferecido ao "libertador" François Hollande. Em 5 de abril, ele ficou surpreso ao saber que a besta que tinha sido oferecido a ele durante sua visita ao Mali, em fevereiro, acabou na panela de uma família de Bamako.

Terror e danação! O camelo tinha ainda sido oferecido em reconhecimento aos esforços da França em favor do Mali. Não se preocupem, nós aprendemos hoje que um novo camelo será oferecido para o Holande, disse um oficial do Mali em comentários relatados pela Reuters e revelados pela BBC África.

"Assim que soubemos (o destino do primeiro camelo), nós rapidamente o substituímos por um camelo maior e mais bonito."

"O novo camelo será enviado para Paris. Temos vergonha do que aconteceu com o camelo referido. Foi um presente que não merecia esse destino ", acrescentou o funcionário maliense ainda a Reuters.

fonte: slateafrique.com



Total de visualizações de página