Postagem em destaque

BAMAKO E IYAD ENGAJADOS NA MESMA LUTA CONTRA EIGS NO MALI: Cuidado com o efeito bumerangue!

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!... Há poucos dias, foi em Menaka que foi visto ao lado de notáveis ​​tu...

segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

Angola: Nacional-socialismo e socialista-ditadura.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

humilhar

1- Não tenho dúvidas, em afirmar, por experiência própria, ser o Presidente da República, José Eduardo dos Santos, uma pessoa vingativa, com laivos de maldade sarcástica, ao ponto de humilhar e espezinhar, quem não lhe preste vassalagem.



Por William Tonet

A forma como ostraciza os dirigentes que o afrontam internamente, casos de Alexandre Rodrigues Kito, Marcolino Moco e os que na sociedade civil, não lhe prestam vassalagem; Adriano Parreira, Rafael Marques, José Eduardo Agualusa ou mesmo William Tonet, ordenando a sua máquina trituradora para me eliminar social e profissionalmente, quer proibindo a concessão de alvará de licença de rádio e televisão, faz mais de 20 anos, como na cassação da cédula profissional de advogado, onde não teve pejo de violar acordos internacionais, para me atingir, lançando-me ao desemprego, para me ver rastejar e lamber as suas botas.

Desengane-se. Não o farei nunca e não acredito na retórica de “todos são iguais perante a Constituição e a lei”, se não somos todos iguais, perante a justiça e os juízes. 

2- A justiça angolana atravessa um mau momento. Um período deplorável. 

Vergonhoso, onde se nota, descaradamente, a supremacia da ideologia partidocrata do MPLA a afogar todo sistema judicial, que finge hastear a bandeira da separação e independência, que não passa de uma “mula” subserviente, de mão estendida as migalhas ideológicas de quem se serve da força bélica, para manietar todos os órgãos do Estado, como fazia o nacional-socialismo na Alemanha.

Infelizmente, para desgraça colectiva, não é um quadro novo no mundo, nem morreu no século XX. Esta submissão, a que muitos povos foram sujeitos, por líderes déspotas e regimes monárquicos e ditatoriais, continua em moldes novos, mas com as mesmas tácticas que levaram ao extermínio de povos, etnias, raças e todos que pensassem diferente. 

Estes regimes, para além de contarem com um poder assente, na força bélica, como factor de intimidação, curaram de engendrar um sistema judicial capaz de “corporizar”, com a lei as diatribes regimentais. Está bem perto das nossas memórias, os “filmes de terror” de todo período do nazismo, do regime do apartheid e do colonial de Salazar e Caetano, que se muniram de alguns dos melhores juristas, para que estes respaldassem as mais dantescas arbitrariedades.

A ideologia do nacional-socialismo de Hitler, por exemplo, conseguiu persuadir, um dos mais brilhantes juristas da Alemanha e pai da Constituição de 1919, também conhecida como Constituição de Weimar, Ernst Janning, convertido no ideólogo do extermínio, das provas forjadas, de vídeos e registos fotográficos falsificados, para incriminar os opositores internos e os judeus.
Uma fotocópia é imprimida em Angola, todos os dias.

Janning condenou centenas de pessoas e mandou milhares para campos de concentração, com base na presunção ou declarações dos agentes da segurança política: a Gestapo ou do exército hitleriano, que dispensavam outra produção de melhor prova.
Os julgamentos eram uma verdadeira farsa e o terrorismo judicial era a bandeira que servia os ideias ideológicos do regime nazista.

Em Angola, com o MPLA, no século XXI, também é assim. Quem extermina, quem assassina é promovido e condecorado herói do regime, como os assassinos do 27 de Maio de 1977, quais “mabecos” que voltam a evocar o mesmo fantasma, agora, para atemorizar as novas gerações, sedentas de liberdade e democracia real, ou ainda, levados a barra dos tribunais do regime, mas brindados com julgamentos teatrais, que os absolve, sob pretexto de altos serviços prestados ao regime, como aconteceu com o assassino confesso do jovem da CASA-CE, Hilbert Ganga, assassinado aos 23 de Novembro de 2013.

O militar, Desidério Patrício de Barros, por sinal, integrante da Unidade da Guarda Presidencial do Presidente José Eduardo dos Santos, nunca esteve um minuto na cadeia, continua ao serviço e foi promovido.
Os jovens 15+1, que estavam a ler um livro e exercer um direito da democracia, estão enclausurados e submetidos ao mais brutal juízo judicial. 

Lá, como aqui, um dia haverá julgamento de todos quantos estão a subverter a lei e o direito, pois, na Alemanha, depois da guerra Ernst Janning foi julgado, com direito a todo ritual devido a um julgamento justo e imparcial. Teve advogado desde o início, a consultar e ler livros, a apresentar testemunhas. Em julgamento reconheceu os excessos cometidos e assumiu em consciência a sua quota parte de responsabilidade, quanto a falsidade e monstruosidade do sistema judicial nazista.

No final, o ex-ministro da Fazenda de Adolph Hitler, homem bastante respeitado pelos seus conhecimentos jurídicos, foi condenado pelo juiz americano Dan Haywood, que presidiu ao Tribunal de Nuremberg, a prisão perpétua. Após a leitura do acórdão, num gesto de nobreza, Janning fez questão de conferenciar com o juiz da causa, reconhecendo a justeza da condução de todo julgamento, declarando que nem todos alemães eram os monstros, que o mundo os considerava face a política de Hitler. Aqui também haverá muitos ratos a saltar do barco, no aproximar do dia do juízo final.


#http://jornalf8.net

Senegal: General Mamadou Sow - "O aparato militar sozinho não pode derrotar o terrorismo".

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...



Por ocasião da instalação do novo comandante da zona militar número 3, Antoine Koré, que irá cobrir Fatick, Kaolack e Kaffrine, o Chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas (CEMGA - sigla em francês), o General do corpo do exército Mamadou Sow apelou nesta segunda-feira em Kaolack, a população para mais compromissos com uma luta eficaz contra o terrorismo. "O terrorista é uma ameaça global que requer um compromisso de todos, não apenas dos militares. É no seio das populações que residem os terroristas. As populações estão em toda parte e circulam por lugares que não tem militares. Então, na prevenção contra a ameaça do terrorismo, cada cidadão deve ser um sentinela para o outro, porque deve zelar primeiro por sua própria segurança, de sua família e de outros. As pessoas estão bem posicionadas para fornecer informações, informações para as forças de defesa e segurança sobre qualquer ameaça terrorista ou perigo percebido pela sociedade ", disse o CEMGA.Segundo ele, para prevenir o terrorismo exigi-se um compromisso de todos os cidadãos, de todas as pessoas, não apenas os militares. "O instrumento militar sozinho não pode derrotar o terrorismo. Terroristas procedem sempre de surpresa e para evitarmos ser capturados, devemos evitar os terroristas. Lutar contra o terrorismo é fazer prevenção e não estar na reação ", disse ele.Ele assegurou que as medidas preparatórias são tomadas pelo exército para permitir que as nossas forças possam antecipar possíveis ameaças a partir de informações recebidas ou obtidas para evitar perigos. "Nos casos em que a ameaça for evitada, temos a capacidade de responder muito rapidamente para conter a ameaça. Este dispositivo está configurado ", ele tranquilizou.

#seneweb.com 

Guiné-Conacry: O conjunto para segunda tomada de posse do Presidente reeleito Condé.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...


Presidente Alpha Condé da Guiné-Conacry. ARQUIVO | NATION MEDIA GROUP
                                           " Ele em grande estilo - que conjunto?!"




Segunda-feira, 14 dezembro de 2015. no Palácio Mohamed V, em Conakry. Presidente Alassane Ouattara assiste à cerimónia de investidura do Presidente eleito da Guiné-Conacry, Alpha Condé.

 
Presidente Alassane Ouattara da Costa do Marfim presente na cerimónia
 
Vários chefes de Estado africanos e outros dignitários estão em Conakry para assistir à segunda tomada de posse de Alpha Condé como presidente da Guiné-Conacry.

Presidente Alpha Condé ganhou um segundo mandato de cinco anos em outubro passado e prometeu que seria seu último, de acordo com a Constituição do país.

A cerimônia de posse é dividido em duas partes, disseram fontes oficiais na noite de domingo.

A primeira parte inclui a tomada de juramento na segunda-feira, e a segunda, um empoçamento oficial a ser realizado no dia 21 de dezembro, em Conakry.

Delegações

Entre os chefes de Estado que já estão no país são: da Costa do Marfim, da Serra Leoa, do Burkina Faso, do Congo e do Mali.

Representante líbio Aguiba Salah Issa, também já chegou à capital da Guiné.

Os presidentes do Togo, da Mauritânia e da Guiné Equatorial também chegaram em Conakry assim como tem delegações ministeriais da Libéria, Chade, a Rússia e da Argélia.


 #africareview.com

CUBA: Ou tenho o ouro ou não tenho nada - Olimpíada Ibero-Americana de Biologia (OIB).

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

http://p2.trrsf.com/image/fget/cf/fit-in/600/400/img.terra.com.br/i/2012/09/11/2547931-6225-rec.JPG

Conversa com um jovem cubano vencedor da Olimpíada Ibero-Americana de Biologia.

PELO segundo ano consecutivo Cuba competiu na Olimpíada Ibero-Americana de Biologia (OIB). Em 2014, apresentaram-se dois estudantes que ganharam medalhas (prata e bronze). Neste ano, a Ilha participou com uma equipe completa, formada por quatro competidores e conquistou uma medalha de ouro, uma de prata e duas de bronze.
Diferentemente de outros concursos internacionais de conhecimentos para estudantes de bacharelado, a Biologia não tem Olimpíada Centro-Americana nem Olimpíada Internacional e um dos requisitos deste certame é que os participantes não tenham assistido a um evento similar anteriormente.
À OIB vão os melhores estudantes da disciplina e são examinados em conteúdos extracurriculares. O estudante do Instituto Pré-Vocacional das Ciências Exatas (IPVCE) Mártires de Humbolt 7, na província de Artemisa (ocidente do país), Alain Areces López, obteve a medalha de ouro no evento, realizado em setembro passado em El Salvador e, junto a sua professora, conta-nos suas impressões.

Como você se preparou para este exame?
Alain Areces López: Desde que comecei na décima série estou preparando-me, primeiramente na escola e depois no treino para concursos nacionais. As copas que se realizam entre os IPVCEs também influenciam nisso. O objetivo final é o concurso nacional e quando se consegue entrar na pré-seleção nacional, aí vamos preparando-nos com os treinadores em diversas especialidades. Já não recebemos Biologia, mas Zoologia, Botânica, Microbiologia, Bioquímica. Especializam-nos com um treino muito mais rigoroso. É bem seletivo porque nós os estudantes não ficamos aí. De dez estudantes que integram a pré-seleção nacional, somente quatro são selecionados, que são os que representam o país em um evento em nível internacional. No caso da Biologia, é a Olimpíada Ibero-Americana.
Isto leva muito estudo. Em Biologia isso é o fundamental, a preparação autodidata. O professor é necessário porque é o guia, mas também é importante o interesse que a gente tenha em estudar. É uma disciplina que requer de muita leitura, memorização e dedução.

Quem mais foi à competição?
Fui com mais três colegas e os resultados foram espetaculares porque os quatro obtivemos medalhas. No meu caso foi a de ouro. Os outros ganharam duas de bronze (Luis Enrique Martínez, de Camaguey, e Andy García, de Havana) e uma de prata (Leonardo Martín, de Camagüey). Todos são estudantes de IPVCEs.

Fala-me do dia do concurso. Como são feitos estes exames internacionais?
Como participavam estudantes de duas línguas diferentes — espanhol e português — sempre têm que traduzir o exame para os brasileiros e os portugueses, mas no fim sempre nos comunicávamos.
São dois dias de exames. O primeiro foi de exames práticos em Microbiologia, Biologia Molecular, Morfofisiologia Vegetal, Ecologia, e tudo com limite de tempo.
Depois, fizemos o exame teórico, que se dividia em dois temários. Cada um deles tinha que ser resolvido em 120 minutos e eram 120 perguntas com um nível bastante elevado.

Quando vocês sabem dos resultados?
Cada país participante levou entre dois e quatro estudantes. Enquanto estamos examinando, os professores que lideram as delegações vão conformando os temas e revendo os exames e no último dia na cerimônia de premiações são proclamados os vencedores. Até o último momento não sabemos nenhum resultado. Na maioria dos casos as diferenças entre os vencedores são mínimas. Eu fui a sexta medalha de ouro e a diferença com a primeira foram quatro pontos percentuais. Isso evidencia que todos os estudantes que participamos, estamos muito equilibrados. Se você está em estudo e preparação tão bem como um estudante da Espanha — sendo cubano, com todas as dificuldades contra as quais está lutando porque estamos bloqueados — ao enfrentar-nos ao nível de desenvolvimento que tem um aluno desse país, que se prepara numa universidade com professores especializados, podemos dizer que estamos perfeitamente bem.

Qual foi sua reação quando soube que tinha obtido a medalha de ouro?
Já tinha visto que meus outros três colegas receberam as medalhas, porque primeiramente anunciaram os que ganharam o bronze e depois o ouro. Então pensei: ‘Ou tenho ouro ou não tenho nada’. Estava muito tenso. Quando começaram a dar as medalhas de ouro, eu fui o sexto a recebê-la e fui com minha bandeira nos ombros receber a medalha e o diploma. Em seguida, me comuniquei com o pessoal da minha casa e eles ficaram muito felizes.

Começou o ano letivo com um prêmio em um evento internacional. Como decorre sua 12ª série e que pensa fazer quando acabar o pré-universitário?
Na 10ª e 11ª séries estive preparando-me para este concurso e não perdi tempo, investi-o em Biologia e fui deixando outras disciplinas como Matemática, Física, Química. Agora, na 12ª série, estou recapitulando essas matérias que tive que deixar e a Biologia, que não a deixo, porque estou ajudando os alunos de concurso que estão na escola. Estou dedicando-me a recuperar outras disciplinas, a intensificar a Biologia, e a pensar no que vou estudar. Tenho duas opções: Medicina e Bioquímica. São relacionadas com a Biologia. Bioquímica é um ramo da Biologia e a Medicina é uma das melhores formas em que se podem aplicar os conhecimentos da vida. Acho que é da que mais gosto.

Qual é sua avaliação dos resultados em concursos internacionais nestes dois anos?
José Lázaro Hernández Tabío, metodologista nacional de Química: Neste ano para nós foi o mais satisfatório que tivemos nas competições internacionais. Participaram 21 estudantes e, salvo na disciplina de Informática, o resto obteve medalhas ou menções. Ou seja: 16 obtiveram medalhas e outros quatro menções de honra.
Neste ano conseguimos medalha de bronze nas Olimpíadas Internacionais de Física e Matemática. Alcançamos menção de honra em Química, na Olimpíada Centro-Americana de Matemáticas apanhamos duas medalhas de bronze e uma menção de honra, na Centro-Americana de Química alcançamos duas de ouro, uma de prata e uma de bronze. Em todas as competições deste ano se conquistou alguma medalha.

Lic. Julia Díaz Perera, professora da Vocacional de Artemisa: É muito importante avaliar o papel que teve a escola Humbolt 7 nesses avanços. Temos resultados em Matemática, em Química, em Física e este em Biologia, que orgulha a escola. É a primeira vez que temos um estudante nesta disciplina que alcança este mérito. Para mim tem muito valor. Amo muito minha escola e seus avanços são fundamentais. Isto é muito significativo para mim.

#granma.cu

Burundi: Exército acusado de executar dezenas de opositores.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

Militares buscam suspeitos após dezenas de mortes em Burundi Foto: JEAN PIERRE HARERIMANA / REUTERS

Acompanhe AQUI.

Mais AQUI. 

RDC: Governo acusa Senegal de sediar uma reunião para "desestabilizar" o país.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...


O porta-voz do governo da RDC e ministro das Comunicações, Lambert Mende. © Vincent Fournier / Jeune Afrique.

 O governo da RDC acusou no domingo as autoridades senegalesas de acolher uma reunião de uma quarentena de alguns opositores e da sociedade civil, com objectivo de "desestabilizar as instituições" do país.
" Nós temos elementos que indicam que o objetivo da reunião na Ilha de Gorée foi para desestabilizar as instituições na RDC", disse o porta-voz do governo Lambert Mende, neste domingo, 13 de dezembro.
Lambert Mende caracteriza a atitude das autoridades senegalesas sobre o fórum de três dias de "inaceitável" e acredita que "denota uma alta dose de irresponsabilidade". Em 11 de dezembro, o governo congolês havia já questionado abertamente a atitude do Senegal. "Nós estamos chocados com o Senegal, país irmão e amigo, por acolher uma reunião de onde planificam as manifestações de rua no Congo, disse a Jeune Afrique, Barbané Kikaya Bin Karubi, o conselheiro diplomático do Presidente Joseph Kabila.
A Fundação Alemã Konrad Adenauer, co-organizador do fórum, convidou apenas "organizações políticas e da sociedade civil congolesa, que
publicamente expressaram suas preocupações sobre o futuro do processo eleitoral na RDC", nomeadamente "a eleição presidencial de 2016 ", foi quanto declarou um dos organizadores sob o anonimato. Nenhum representante do governo congolês foi convidado, assunto adicionado à mesma fonte.
Filimbi e Lucha no visor
Lambert Mende disse que a presença na ilha de Gorée, de frente para Dakar, de militantes do movimento de cidadãos congoleses Filimbi e Luta pela mudança (Lucha) "problemático", porque "estes grupos estão em desacordo com a justiça" da RDC.
Em 3 de dezembro de 2015, o prefeito de Goma, capital do Kivu Norte (a leste da RDC), proibiu todas as actividades do movimento juvenil indígena do Lucha. Em meados de março, a apresentação pública dos cidadãos do movimento Filimbi resultou na prisão de cerca de trinta pessoas, no final de uma conferência de imprensa com representantes de movimentos senegaleses « Y en a marre » e Burkinabé « Balai citoyen »..
Frente CidadãUm dos organizadores da reunião na Ilha de Gorée informou que os quarenta participantes concordaram em criar uma "Frente Cidadã em 2016". O fórum abriu no sábado e deve terminar na segunda-feira.
O clima político está tenso com aproximação do ciclo eleitoral que foi iniciado em outubro de 2015 para ser conduzido a eleição presidencial de novembro de 2016, e que a Constituição proíbe o presidente Joseph Kabila de participar.
No entanto, uma vez que foi invalidado o calendário eleitoral pelo Tribunal Constitucional em setembro, a maior distorção do governo na realização de eleições futuras e que vários componentes da oposição suspeitam que Joseph Kabila procurara se manter à frente do país para além do fim de seu mandato.


#jeuneafrique.com

Total de visualizações de página