Postagem em destaque

Veículo robótico russo pode destruir facilmente tanques de Leopard e Abrams.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!... A versão de combate do veículo robótico russo Marker será capaz de d...

quinta-feira, 23 de março de 2017

Kim Jong Il evocado no Brasil.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

Fonte de informações: 

Pravda.ru

 
Kim Jong Il evocado no Brasil. 26236.jpeg

A 16 de Fevereiro do corrente ano celebrou-se o 75º aniversário do nascimento de Kim Jong Il (1942-2011), líder eterno da República Popular Democrática da Coreia. A ocasião foi evocada por várias associações de solidariedade para com a Coreia do Norte com destaque para o Brasil, com a fundação do Centro de Estudos da Política Songun que organizou um Acto de Solidariedade à Coreia Popular na Universidade Estatal do Rio de Janeiro.

O encontro, além de homenagear o 75º aniversário do nascimento de Kim Jong Il, teve também o objectivo de criar uma plataforma para a possibilidade de um debate público acerca da história da revolução anti-imperialista da Coreia e a sua política militar, nomeadamente a Política Songun de Kim Jong Il, que complementou a Ideia Juche delineada por Kim Il Sung.
Além do Centro de Estudos da Política Songun, representado pelo seu presidente Lucas Rubio, o evento contou com o apoio e a presença do Centro de Estudos da Ideia Juche, na pessoa de Alexandre Rosendo, e do Instituto da Amizade Brasil-Coreia, liderado por Rosanita Campos. Além destas associações que apoiam explicitamente a República Popular Democrática da Coreia, marcaram também presença as organizações progressistas Brigadas Populares, o Partido Pátria Livre, o grupo Irredentos e a União Nacional de Estudantes.
No decorrer do evento foram evocados os feitos de Kim Il Sung e Kim Jong Il bem como recordado o facto de a defesa da Ideia Juche e da Política Songun estarem agora sobre os ombros de Kim Jong Un, num panorama internacional que lhe é claramente hostil. Alexandre Rosendo abordou a História da Revolução Coreana, resumindo à plateia a via da luta revolucionária liderada por Kim Il Sung. Diego Grossi expôs aos presentes os fundamentos históricos e filosóficos da Ideia Juche, sobre a qual se alicerça o socialismo coreano; Lucas Rubio dissertou acerca da política militar norte-coreana (Songun) e a prontidão e capacidade de combate do Exército Popular da Coreia, a conferência terminou com uma intervenção de Rosanita Campos que enumerou as grandes conquistas alcançadas na República Popular Democrática da Coreia na construção do socialismo, prestando uma sentida homenagem ao povo coreano.
Os oradores deram a palavra ao público e todos os presentes, que assim desejaram, puderam colocar aos palestrantes quaisquer dúvidas que tivessem acerca das realidades da RPDC, tão desconhecida quanto diabolizada pela imprensa mundial.

Nuno Afonso*

#pravda.ru

Ataque no coração de Londres.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

Homem avança com carro contra pedestres, matando três e ferindo dezenas. Em seguida, assassina policial a facadas ao tentar entrar no Parlamento britânico. Incidente é tratado como terrorista por investigadores.
London Großbritannien Anschlag (Reuters/H.McKay)
Membros dos serviços de emergência levam um dos feridos no ataque: dezenas foram hospitalizados
Um ataque nos arredores do Parlamento do Reino Unido paralisou o coração de Londres nesta quarta-feira (22/03). Um veículo avançou contra pedestres na ponte Westminster, matando pelo menos três pessoas e deixando dezenas de feridos. Próximo dali, no perímetro do Parlamento, o motorista esfaqueou um policial, que também morreu, antes de ser baleado e morto por policiais.
As autoridades já classificam o ato como terrorista, mas ainda não houve reivindicação de autoria. Segundo Mark Rowley, da Polícia Metropolitana de Londres, as investigações estão sendo orientadas pela hipótese de "terrorismo com relação islâmica". Os investigadores acreditam que já identificaram o autor do ataque, mas a polícia não fornecerá mais detalhes por enquanto, afirmou o oficial londrino.
Em pronunciamento à imprensa, Rowley descreveu o ataque desta quarta-feira. O agressor primeiro avançou com o carro contra pedestres e, após atingir várias pessoas e colidir com uma mureta, atacou o policial – identificado como Keith Palmer, de 48 anos –  enquanto tentava entrar no Parlamento.
O autor do atentado não conseguiu cruzar os portões do Parlamento, e os deputados, que realizavam uma sessão na Câmara dos Comuns, ficaram trancados até que a situação fosse controlada.
 Westminster Bridge in London (Reuters/S.Wermuth)
Policial corre diante dos portões do Parlamento
Segundo as últimas estimativas oficiais, o ataque deixou pelo menos 40 feridos, além dos cinco mortos. Mais cedo, a polícia havia mencionado quatro mortes, incluindo a do agressor, e 20 feridos. No entanto, um novo balanço divulgado no início da madrugada revelou um número maior de vítimas.
Três policiais e vários cidadãos estrangeiros estão entre os feridos, segundo autoridades. Uma mulher foi resgatada do rio Tâmisa com ferimentos graves, mas as circunstâncias da queda não foram esclarecidas.
"Havia pessoas no chão ao longo de toda a ponte", relatou uma testemunha. Um vídeo publicado pelo ex-ministro do Exterior da Polônia, Radoslaw Sikorski, mostra cenas da ponte poucos instantes após o atropelamento. "Um carro em Westminster acabou de 'moer' ao menos cinco pessoas."
A testemunha Rick Longley disse à Press Association que presenciou os ataques nos arredores do Parlamento. "Estávamos apenas caminhando até a estação de metrô e houve um estrondo alto, e alguém bateu um carro e acertou alguns pedestres", afirmou. "Eles estavam simplesmente deitados ali e então toda a multidão apenas correu virando a esquina pelos portões em frente ao Big Ben."
A ponte Westminster, onde ocorreu o ataque
A ponte Westminster, onde ocorreu o ataque
"Um cara passou pelo meu ombro direito com uma faca grande e começou a apunhalar um policial. Nunca vi nada assim. Não posso acreditar no que eu acabei de presenciar", descreveu ele.
A sessão que ocorria no Parlamento nesta quarta-feira precisou ser suspensa em decorrência do incidente. Um porta-voz do gabinete do governo informou que a primeira-ministra britânica, Theresa May, estava em segurança após o ataque, mas não quis confirmar sua localização quando tudo ocorreu. Segundo o jornal The Guardian, a premiê foi retirada do prédio poucos minutos após o ataque por ao menos oito homens armados.
May convocou uma reunião do comitê de emergência do governo para discutir o incidente terrorista, reunindo ministros e oficiais dos serviços de emergência e das agências de segurança e inteligência.
Em pronunciamento à imprensa após a reunião, May condenou o "ataque terrorista doentio e perverso" desta quarta-feira e comunicou que o Reino Unido manterá seu segundo maior nível de alerta, que significa que um ato terrorista é tido como altamente provável. "Nossos pensamentos e orações estão com todos aqueles que foram afetados", afirmou ela. "Nunca cederemos ao terror."
O prefeito de Londres, Sadiq Khan, também se pronunciou, informando que o policiamento nas ruas de Londres foi reforçado para garantir a segurança dos residentes e dos visitantes. "Estamos unidos contra aqueles que procuram nos prejudicar e destruir nosso modo de vida. Sempre estivemos e sempre estaremos. Os londrinos nunca serão intimidados pelo terrorismo", disse o prefeito.
O ataque – que coincidiu com o primeiro aniversário dos atentados de Bruxelas, quando 32 morreram e mais de 300 ficaram feridas – ocorreu num local importante de Londres. A ponte Westminster costuma estar aglomerada de turistas em busca de uma foto da torre do Big Ben, ponto icônico da capital inglesa, ou da famosa roda-gigante London Eye, do lado oposto do rio Tâmisa.
Reações internacionais
Líderes estrangeiros se pronunciaram nesta quarta-feira para prestar condolências a Londres. A chanceler federal alemã, Angela Merkel, afirmou que seus pensamentos estão voltados "aos amigos britânicos e a todo o povo de Londres", em particular aos feridos. "Estamos firmes ao lado do Reino Unido no combate a todas as formas de terrorismo", disse em comunicado.
Por sua parte, o presidente francês, François Hollande, declarou a repórteres que a França, "que tem sida atingida tão duramente nos últimos tempos, entende o que povo britânico está sofrendo hoje". "Todos nós estamos preocupados com o terrorismo", disse o líder, destacando que os países europeus "precisam reunir todas as condições necessárias para responder a esses ataques".
O primeiro-ministro espanhol, Mariano Rajoy, também condenou o incidente em telegrama enviado à líder britânica May. "Um ato terrorista execrável como o que aconteceu hoje é um lembrete de que enfrentamos desafios complexos acerca da segurança de nossas sociedades", escreveu. "Precisamos permanecer unidos contra esse tipo de ameaças que afetam a todos nós igualmente."
Por meio de rede social, o presidente americano, Donald Trump, disse ter conversado por telefone com May e oferecido condolências ao governo britânico, além do "total apoio e cooperação" dos Estados Unidos nas investigações. Um comunicado da Casa Branca diz ainda que Washington parabeniza "a rápida resposta da polícia britânica e dos primeiros socorristas".

FADIAH CU FALA: ECONOMIA CONTINUA A CRESCER NA GUINÉ-BISSAU.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...


Ministro da economia e finanças guineense dá conta do crescimento da economia nacional

A economia guineense continua a crescer, anuncia o ministro guineense da economia e finanças.

Aladje Mamadu Fadiah diz que em 2016 a economia guineense cresceu 5,6%. Este ano, o governo prevê um crescimento de 6,1%.

O ministro da economia e finanças da Guiné-Bissau reconhece que a evolução é lenta no que diz respeito ao crédito à economia, mas mesmo assim realça o crescimento do setor bancário nacional.


Conosaba/RTP África 

ÍNDIA: PAI DEGOLA FILHA DE 15 ANOS POR DESAPROVAR RELACIONAMENTO AMOROSO DELA.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

Um indiano cortou a garganta de sua filha de 15 anos com um cutelo e despejou o corpo em frente à casa do suposto namorado da garota por causa do relacionamento não aprovado entre os dois adolescentes em mais um dos chamados “crimes de honra”.
 
O namorado supostamente entrou escondido na casa da garota em Muzaffarnagar, no norte da Índia, na terça-feira (21), mas foi pego pela mãe, que chamou a polícia. Quando ficou sabendo do incidente, o pai voltou para casa e matou a adolescente. “Nós o prendemos pelo assassinato”, afirmou um oficial de polícia.
 
Ambas as famílias não aprovavam o namoro porque eles eram da mesma casta. Alguns indianos vêem relacionamentos entre pessoas do mesmo grupo religioso como incesto, mesmo que não haja conexão genética.
 
Inúmeras mortes na Índia são causadas por crenças quanto a relacionamentos entre pessoas da mesma casta ou inter-religiosos. No mesmo dia do crime, um outro casal jovem se suicidou por causa da pressão por seguirem religiões diferentes.

Crime de honra

Um relatório da ONU aponta que um quinto das mortes por “crime de honra” em todo o mundo acontece na Índia. A prática é tradicional no país há séculos, principalmente nas zonas rurais, onde supostos transgressores se refugiam.
 
O “crime de honra” acontece quando familiares matam um de seus parentes. Normalmente acontece quando os autores do crime acreditam que a vítima causou desonra ou vergonha à família ou violou os princípios de uma comunidade ou religião.
 
Os casos mais comuns vitimam pessoas que se recusam a entrar em um casamento arranjado, que se envolvem em relacionamentos desaprovados, que fazem sexo fora do matrimónio, que tem relações homossexuais ou renegam uma religião.
 
Também pode ser considerado um crime contra a mulher porque, além de elas serem as principais vítimas, também são mortas quando são estupradas, que se vestem de forma considerada inapropriada e mulheres que pedem o divórcio.
Em 2011 a Suprema Corte da Índia determinou que aqueles que forem considerados culpados por assassinato decorrente de crime de honra deverão ser submetidos à pena de morte, que é legal no país.
 

GUINÉ-BISSAU VAI JOGAR NO MELHOR ESTÁDIO DE FUTEBOL DE ÁFRICA, DIZEM OS SUL-AFRICANOS.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...


A seleção nacional de futebol da Guiné-Bissau, que se encontra na terceira maior cidade da África do Sul, em Durban, defrontará, no sábado, dia 25, a selecção local no estádio que foi palco da abertura do Campeonato de Mundo em 2010.

O particular África do Sul - Guiné-Bissau está marcado para às 15 horas locais, quando forem 12horas em Bissau. Várias selecções já pisaram o relvado de Moses Mabhida: Espanha, Brasil, Portugal, Alemanha, entre outras. Sábado será a vez da selecção nacional de futebol da Guiné-Bissau.


A janela do estádio de Durban, a par do arco, é um dos elementos arquitectónicos que se destaca no Moses Mabhida.

O estádio Moses Mabhida herdou o nome com que carinhosamente os sul-africanos apelidam Nelson Mandela.

Para além da homenagem ao seu grande líder, este estádio é uma verdadeira obra-prima da arquitectura sul-africana e um sinal do desenvolvimento e visão empreendedora do país.

Com capacidade para 70 mil pessoas, o traço mais característico do Moses Mabhida é sem dúvida o arco que atravessa o estádio de uma ponta a outra.

Tal característica representa a união do povo sul-africano, outrora dividido por guerras internas que colocavam a população branca de um lado e a população negra de outro.

Do ponto de vista arquitectónico, o estádio Moses Badhiba impõe-se na cidade de Durban. O arco destaca-se no estádio e na cidade.

“É o elemento arquitectónico chave do estádio ergue-se a 106 metros do chão, é o maior arco suspenso do mundo. É um elemento de design do estádio mas também é um elemento estrutural importante da construção”.

 
Fonte: Jornalista Braima Daramé, via facebook

Total de visualizações de página