Postagem em destaque

Ucrânia: Lula se recusa a entregar munição para tanques.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!... O governo brasileiro se opôs ao pedido da Alemanha de entrega de mun...

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

ZÂMBIA: Tembo, os trapos de riquezas e história.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

Ele desafiou todas as probabilidades de graduação com um diploma em psicologia da Universidade da Zâmbia.
Graduação Tobias Tembo na Zâmbia
Enquanto ele não é materialmente rico, ele obteve um nível de educação que a maioria dos meninos de rua raramente alcança. Com a morte de seu pai quando ele ainda era um bebê e memórias escassas de sua mãe, Tembo tem pouco conhecimento de seus pais. Ele ainda não sabe sua idade exata.

Diferenças de opinião com o seu tutor, uma tia que teve em conta muito pouco para a educação, empurrou Tembo na untamed ruas quando tinha apenas um filho.

"Eu morava com minha tia que tinha uma visão diferente da vida, ela realmente queria que eu fosse de negócios, ela queria que eu fosse vender, em vez de se concentrar na escola, mas para mim a educação era mais importante, ela queimou meu uniformes e livros, perseguiu-me de casa e é assim que eu parei de estudar na escola no grau três e fui parar nas ruas ", lembra Tembo.

Após cinco anos de peregrinação pelas ruas de Lusaka, Tembo foi introduzido para a Sociedade da Cruz Vermelha, que era uma gota no centro para as crianças de rua no composto Garden.

O salvador

"Meus amigos me falaram sobre a Cruz Vermelha, foi assim que comecei a ir lá e entrei para o grupo de teatro e comecei a freqüentar aulas lá. Foi nessa época que eu atraí a atenção de uma senhora sueca que me levou de volta à escola ", diz Tembo.

Vindo de um fundo de embriaguez e rebelião, Tembo encontra ambiente escolar desafiador. "Eu comecei a escola no quinto ano, mas eu costumava ir lá bêbado e que mais tarde parei de estudar porque eu me sentia fora do lugar. Eu era mais velho que a maioria das crianças e eu sentia que eu era muito cru. A maioria das crianças veio de boas famílias, tinha comida na escola e falava Inglês bem, isso me pôs fora e eu saí da escola no segundo período e continuei com a minha vida nas ruas ", relata ele.

Após deixar a escola pela segunda vez, Tembo que adquirira competências através da experiência de cabeleireiro, na rua encontrou um trabalho como barbeiro. Foi durante este tempo que surgiu uma outra oportunidade para uma vida melhor, disse Tembo.

"O Lions Clube de Munali tinha algum dinheiro e queria alguém para patrocinar, foi quando uma das senhoras que me conhecia da Cruz Vermelha veio me procurar e eu fui re-admitido na escola", lembra ele. "Recebi uma recepção estrondosa na minha antiga escola, meus amigos me tinham perdido e meu professor era muito bom. Eu era danado, mas ele sabia como lidar comigo, tenho certeza que alguém lhe contou sobre a minha situação. "Embora as exigências de sua escola são as mesmas, mas havia todo um cuidado com ele, Tembo não tinham meios de sobrevivência para além do horário escolar.

Isto obrigou-o a encontrar um trabalho como barman em uma boate, uma combinação que ele descreve como um desafio. "Eu precisava de abrigo e alimento para meus amigos (também das ruas) e eu decidi trabalhar em um clube de noite e de manhã ir para a escola, não foi fácil, mas o que você pode fazer?"

Apesar das dificuldades de sobreviver e lutar contra o vício do álcool, Tembo, que é naturalmente inteligente, foi passado para o primeiro grau, tendo passado seus exames com vôo a cores.

Na escola secundária, ele foi colocado em uma aula de música onde mais tarde se juntou ao clube de teatro que ajudou a moldar sua vida.

"Eu amo música, teatro e arte, eu perdi meu emprego no clube de noite, porque eu fui assistir a audições para um filme, eu perdi o trabalho e meu chefe me demitiu. Não me arrependo porque foi à custa de algo que eu amo tanto. Meu professor, então, ofereceu para que eu trabalhasse na casa dela como um guarda nos finais de semana ", lembra ele.

Colégio

Em 2002, Tembo chegou ao ensino médio, com resultados impressionantes e foi para a Escola Kabulonga Boys High. No ensino médio, Tembo novamente foi vítima de más companhias, mas desta vez ele nunca abandonou a escola. "Eu fui para a escola, sentindo que eu era o mais inteligente, que sabia tudo e entrei em má companhia. Minhas notas desceram mas eu consegui sair da web e passei no 12 º ano com distinções e recebi do governo 100 por cento da bolsa para ir para a Universidade da Zâmbia ", diz Tembo.

Tobias Tembo of Zambia
Tembo no humor agindo

Tembo, que agora é um dos fundadores de uma companhia de teatro local chamado Barefeet diz que durante seus dias de escola de teatro manteve seu espírito vivo. "Para mim a vida tem sido uma performance. Teatro, teatro e música é vida, eu realmente aprecio o meu primeiro encontro com teatro e música, estas coisas dão-me tanta confiança e você se dá bem, eles me ajudaram a ser assertivo na vida. "

Tembo, que além de teatro, dirige uma empresa de turismo chamada Lusaka Township Turismo, acredita que ele não atingiu o significado real da vida, apesar de ter realizações acadêmicas.

"Eu acho que eu ainda estou lutando muito, não em termos de comida, eu tenho minhas noções básicas, mas eu ainda luto porque eu nunca cresci em uma casa, eu não sei como se comportar adequadamente, quando se trata de convívio, em toda a minha vida eu trabalhei, em tudo, sinto que ainda tenho um longo caminho a percorrer na vida ", confessa.

Com a sua licenciatura em psicologia, juntamente com sua experiência nas ruas, Tembo através de sua companhia de teatro, Barefeet, visa capacitar as crianças, especialmente das ruas com habilidades para a vida. Ele acredita que tanto tem de ser feito para ajudar a capacitar os jovens e reduzir o problema de meninos de rua.

"As crianças precisam de um lugar para ficar, ter aventura constante. Eles precisam de desafios para canalizar suas energias, mas nós não satisfazemos as suas necessidades e sua curiosidade.

"Há necessidade de um lugar onde as crianças podem ser crianças, é por isso que com Barefeet, damos oportunidade para as crianças pensarem, serem criativas e ter algo para canalizar suas energias. Elas precisam de alguém para ouvi-las e atender suas necessidades psicossociais. "

Barefeet começou com alguns workshops modestos com as crianças que vivem nas ruas da Zâmbia e em cinco anos tem crescido no projeto mais emocionante e inspiradora na Zâmbia. Ele usa as artes criativas, teatro, dança, música e escrita criativa como uma ferramenta para engajar e apoiar o desenvolvimento de crianças com maior risco de desligamento de suas comunidades.
 
fonte: africanews 

Eduardo dos Santos: Um presidente de longa duração.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

A nível mundial apenas presidente do Iémen supera dos Santos e Obiang.

No próximo mês José Eduardo dos Santos completa 32 anos no poder, um número que mesmo em redor do mundo nenhum outro dirigente, à parte Obiang tem o privilégio de ter alcançado e que faz também com que mais de uma geração de angolanos não conheça outro dirigente.
O derrube de Muammar Gadhafi do poder na Líbia faz com que o Presidente José Eduardo dos Santos de Angola esteja agora no segundo lugar da lista de dirigentes que há mais tempo se encontram no poder em África e também no mundo.

Com efeito Muammar Gadhafi encontrava-se no poder desde 1969 o dirigente que há mais tempo se encontrava no poder em todo o mundo.

Com a queda de Gadhafi Eduardo dos Santos assume agora uma posição cimeira para o título de presidente de mais longa duração em África e no Mundo.

Em África apenas o presidente Teodoro Obiang da Guiné Equatorial está no poder há mais tempo que José Eduardo dos Santos. E é uma luta renhida pela primeira posição pois o chefe de estado da Guiné Equatorial subiu ao poder num golpe de estado em Agosto de 1979 e José Eduardo dos Santos subiu ao poder apenas um mês mais tarde em Setembro de 1979.

Portanto no próximo mês José Eduardo dos Santos completa 32 anos no poder, um número que mesmo em redor do mundo nenhum outro dirigente, aparte Obiang tem o privilégio de ter alcançado e que faz também com que mais de uma geração de angolanos não conheça outro dirigente.

Há contudo um dirigente que esta no poder há mais tempo que Dos Santos e Obiang. Trata-se  de Ali Abdullah Saleh  do Iémen mas neste caso pode-se argumentar que também  não pode competir com os presidentes de Angola e da Guine Equatorial  pois o Iémen só foi unificado em 1990 quando Saleh se tornou presidente .

Antes disso contudo tinha sido presidente do Iémen do Norte desde 1978. Assim se considerarmos a sua presidência como começando na chefia do Iémen do Norte Ali Abdullah Saleh bate Eduardo dos Santos e Teodoro Obiang. Se considerarmos o seu mandato só como presidente do Iémen unificado em 1990 fica muito atrás de Eduardo dos Santos e Obiang. Saleh está actualmente na Arábia Saudita depois de uma rebelião em que foi ferido num ataque contra o seu palácio

Há que dizer no entanto que através do mundo há outros dirigentes que estão há mais tampo no poder. Mas são monarcas, e por isso os seus títulos são hereditários.

O sultão do Brunei por exemplo esta no poder desde 1962 mas é um monarca.O sultão de Oman esta no poder desde 1970 mas a sua dinastia está no poder desde 1744.

A rainha de Inglaterra ascendeu ao trono em 1952 herdando também o trono e neste caso os seus poderes são meramente simbólicos.

Em África mais precisamente no vizinho Congo Brazaville o presidente Dennis Sasso Nguesso também subiu ao poder em 1979 mas foi afastado em 1992 para regressar ao poder em 1997. Tem portanto um interregno de cinco anos o que o deixa atrás de José Eduardo dos Santos e do chefe de estado da Guine Equatorial.
No Zimbabwe Robert Mugabe está no poder desde 1980, um sério concorrente.

Ao completar no próximo mês 32 anos de poder José Eduardo dos Santos está ainda longe de estabelecer um recorde.

Esse pertence a Omar Bongo do Gabão que esteve no poder desde 1967 até 2009 quando morreu.

Foram 42 anos no poder sem interrupção, mas eventualmente, como Bongo prova, todos têm que deixar o poder. Mesmo que seja por causas naturais.



fonte: voanews



Total de visualizações de página