Postagem em destaque

BAMAKO E IYAD ENGAJADOS NA MESMA LUTA CONTRA EIGS NO MALI: Cuidado com o efeito bumerangue!

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!... Há poucos dias, foi em Menaka que foi visto ao lado de notáveis ​​tu...

quinta-feira, 5 de dezembro de 2019

Senegal: Macky Sall -- "Quero que membros do governo viajem a bordo do Air Senegal".

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

Single Post

A recepção ontem de um novo Airbus A330-neo da companhia aérea nacional Air Senegal, foi usada pelo chefe de estado para instar os membros do governo, as estruturas estatais e os senegaleses de um De um modo geral, favorecendo os voos da Air Senegal.

"Quero que os membros do governo, os agentes da administração e todas as estruturas do estado viajem a bordo da companhia aérea nacional para suas missões oficiais. Convido também nossos compatriotas a confiar no espírito de Téranga viajando a bordo da companhia aérea nacional ", convida o chefe de Estado Macky Sall, novamente observado pelo observador.

fonte: seneweb.com

Índia: Mulher dá à luz "gêmeos siameses raros"

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...



Uma mulher na Índia deu à luz "gêmeos siameses raros" que têm duas cabeças, um corpo e três braços.

Babita Ahirwar, 21 anos, e seu marido Jaswant Singh, que estavam juntos há menos de dois anos, foram informados de que estavam esperando gêmeos, mas os médicos perceberam que algo estava errado, depois de 34 semanas. de gravidez. Eles foram informados de que um ultrassom revelou a forma muito rara de gêmeos siameses.

Jaswant disse: "Minha esposa desmaiou depois de ver o bebê. Estamos chocados. Isso é incrível. Todo mundo fica chocado ao vê-los. Não podemos acreditar que nosso filho tem duas cabeças. Após o ultra-som, teremos gêmeos. Ficamos muito felizes por ter dois filhos, mas é um bebê com duas cabeças.
Inde: une femme donne naissance à des «jumeaux siamois rares»

"Este é meu bebê e eu vou criá-lo como ele é. Ainda não consegui segurá-lo em minhas mãos. As pessoas dizem muito, mas é meu bebê e eu o trarei para casa. "

"Eu não tenho dinheiro para uma operação. Enquanto ele viver, eu o amarei e cuidarei dele. "

Gêmeos siameses compartilham órgãos internos e agora estão sob vigilância contínua. Surendra Sonkar, especialista em crianças em seu hospital distrital na Índia, disse que o bebê seria transferido para uma unidade de tratamento de ponta.

Inde: une femme donne naissance à des «jumeaux siamois rares»

Ela disse: "Este é um caso de gêmeos siameses. Estamos cuidando do bebê e seguiremos o conselho dos médicos especialistas de Bhopal e Delhi, que já operaram essas crianças ".

fonte: seneweb.com


Senegal: Kaolack - Ele estava filmando suas travessuras com uma mulher casada:

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

Single Post

Depois de Pikine e Touba, outro caso de sextape, cuja principal "atriz" é uma mulher casada, abala a cidade de Kaolack.
O caso foi julgado ontem no comando do Supremo Tribunal de Kaolack. Ibrahima Touré estava filmando suas travessuras com sua amante chamada S. Ndao.

Tornou-se motivo de chacota na cidade, depois que o vídeo foi a Internet, ela apresentou uma queixa para lavar sua honra.

O entrevistado argumentou em seu julgamento que, inadvertidamente, postou o vídeo e que não tinha intenção de prejudicar seu amigo adulterino.

Mas, relata o diário L'Observateur, que narrou esse caso sulfuroso, suas alegações não convenceram o juiz que o condenou a 2 anos de prisão, incluindo 1 fechado.

fonte: seneweb.com

Macron convoca 5 presidentes africanos na França para "esclarecimentos"

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

Single Post

O presidente francês se encontrará com os presidentes dos países do G5-Sahel em Pau, França, em 16 de dezembro, para "esclarecimentos" sobre a presença francesa na região.
É com firmeza que o presidente francês Emmanuel Macron anunciou quarta-feira, no final da cúpula da OTAN realizada no Reino Unido, seu "convite" aos presidentes africanos envolvidos no G5-Sahel, a saber Mauritânia, Mali, Burkina, Níger e Chade.

Ele disse que esperou "em muito curto prazo" por esclarecimentos sobre "a estrutura e as condições políticas da intervenção da França no Sahel".

"No Sahel há 5 anos, a França trabalhou muito com várias vitórias", disse ele, acrescentando que agora é hora de "olhar a situação".

"Espero que eles esclareçam e formalizem sua demanda pela França e pela comunidade internacional. Eles querem nossa presença, precisam de nós?"

"Quero respostas claras e assertivas sobre essas questões", insistiu.

"Não posso e não quero ter soldados franceses em nenhum solo do Sahel, enquanto a ambiguidade persistir em relação aos movimentos anti-franceses, às vezes realizados por políticos", afirmou.

Ele disse que também espera que um trabalho político indispensável seja realizado nos países do Sahel "para que o trabalho militar e de desenvolvimento possa ser benéfico".

"É de sua inteira responsabilidade, especialmente no que diz respeito ao Mali e Burkina Faso".

Antes, ele expressou seu orgulho de que a França pudesse ajudar a Mauritânia a construir um exército capaz de se defender e de se equipar.

fonte: seneweb.com

Senegal: Condolências junto a família Senghor - Niasse trança louros em Wade

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

Single Post

Abdoulaye Wade e Moustapha Niasse se encontraram ontem na cerimônia de apresentação de condolências à família de Léopold Sédar Senghor, após a morte de sua viúva Colette. Na ocasião, informa o jornal L'Observateur em sua publicação nesta quinta-feira, o presidente da Assembléia prestou uma homenagem ao ex-chefe de Estado.
"Chegou a hora da Fundação Léopold Sedar Senghor agradecer por saudar a beleza e a grandeza do gesto que você acabou de fazer, visitando pessoalmente a Residência Senghor que você adquiriu em nome do Estado. E hoje veio ao Museu Leopold Sedar Senghor para oferecer condolências à família. Tenho certeza de que os senegaleses apreciam seu gesto e devemos incentivar esses atos do tamanho do Senegal ", disse Niasse ao Wade.

fonte: seneweb.com

"Revus" pedem responsabilização criminal do antigo juiz-presidente do Tribunal Supremo de Angola

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

Em carta ao Conselho Superior da Magistratura apontam o combate à corrupção de João Lourenço
Em carta ao Conselho Superior da Magistratura apontam o combate à corrupção de João Lourenço

O autodenominado Movimento Revolucionário pede a responsabilização criminal do antigo juiz-presidente do Tribunal Supremo (TS) de Angola, Rui Ferreira, pelos actos praticados durante a sua gestão à frente da mais alta instância judicial do país.
Numa carta endereçada ao Conselho Superior da Magistratura Judicial, os "revus", como são popularmente conhecidos, solicita a abertura de um inquérito a Ferreira pelo seu envolvimento em negócios com grupos libaneses, considerados terroristas a nível internacional.
Na carta, que deu entrada no Conselho Superior da Magistratura no dia 3 de Dezembro, os "revus" entendem que pelos actos praticados por Rui Ferreira não podem ser esquecidos apeas com a demissão dele.
"Entendemos que o facto dele se ter demitido por si só não é bastante, o seu envolvimento em negócios com grupos de libaneses considerados pertencentes ao grupo Hezbollah e a transferência de empresas para a sua família são muito graves", explica o porta-voz dos "revus" Emiliano Catumbela.
O grupo entende que o facto de João Lourenço estar a liderar um combate à corrupao e impunidade é uma oportunidade para enquadrar também os actos praticados pelo antigo juiz-presidente do TS.
"Não vamos desistir até que Rui Ferreira seja responsabilizado criminalmente, uma vez que o assunto se afigura uma ofensa aos angolanos", concluiu Catumbela.
Rui Ferreira, que foi anteriormente presidente do Tribunal Constitucional, pediu a sua demissão do TS a 3 de Outubro na sequência do que ele considerou ser "uma campanha intensa e cruel de mentiras, deturpação de factos, intrigas, calúnias e insultos".
Na nota, em que anuncia que vai “gozar da liberdade reconquistada” e dar “mais atenção à família", Ferreira congratulou-se que agora pode dedicar-se à sua “Alma Mater, a Faculdade de Direito da Universidade Agostinho Neto”, onde é professor associado e lecciona desde 1995.
A decisão do jurista surge depois de muita pressão e da denúncia de vários casos de corrupção contra Ferreira.
Outros activistas já tinham feito o mesmo pedido ao Conselho Superior de Magistratura.
fonte: VOA

Centenas de detidos por lavagem de dinheiro

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

Mais de 200 pessoas foram detidas e cerca de três mil pessoas que transportavam dinheiro foram identificadas numa mega operação da Europol contra a lavagem de dinheiro, entre Setembro e Novembro.


Fotografia: DR

A mega operação envolveu 31 países e, segundo um comunicado de imprensa da Europol, permitiu a identificação de 3.833 "mulas" de dinheiro, bem como de 386 angariadores, dos quais 228 foram detidos.
Uma "mula" de dinheiro é o nome dado a um correio humano usado para despistar transferências de dinheiro internacionais com origem em actividades criminosas.
Foram abertas 1.025 investigações, precisando a agência que "muitas estão ainda a decorrer", tendo sido evitadas perdas "no valor de 12,9 milhões de euros".
Segundo a Europol, mais de 650 bancos, 17 associações bancárias e outras instituições financeiras colaboraram na detecção de 7.520 transações fraudulentas.
Além das autoridades policiais de 31 países, colaboraram na operação de combate ao branqueamento de capitais a Eurojust (unidade de cooperação judicial da União Europeia) e a Federação Europeia de Bancos.

fonte: jornaldeangola

Colaborador de Tshisekedi está detido em Kinshasa

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

O colaborador do Presidente da República Democrática do Congo, Félix Tshisekedi, está detido em Kinshasa por abuso de poder, noticiou ontem, a imprensa congolesa, citada pela Agência France Press (AFP).

Fotografia: DR

Dieudonné Lobo está detido na prisão central de Makala, em Kinshasa e é acusado de ter atribuído, por iniciativa própria, uma área de exploração de diamantes a uma empresa canadiana, em troca de uma comissão de dois milhões de dólares.
De acordo com a imprensa congolesa, o escândalo foi revelado graças a uma mensagem do Primeiro-Ministro Sylvestre Ilunkamba, dirigida a 26 de Outubro ao director do gabinete do Presidente da República, Vital Kamerhe. Segundo a carta, Dieudonné Lobo, amigo íntimo e coordenador administrativo dos serviços pessoais de Tshisekedi, atribuiu, sem autorização, uma área de exploração de diamantes, em Mbuji Mai, no Kasai Oriental, à empresa canadiana “Saint Louis BGM”, em detrimento dos estudos feitos pela empresa estatal de diamantes do Congo, Minas de Bakwanga (MIBA).
Enquanto isso, O chefe das operações de paz da ONU na RDC, Jean-Pierre Lacroix, considerou, hoje, que os ataques contra as Nações Unidas ou os agentes que combatem o ébola no leste do país foram “premeditados, organizados e financiados.”
O diplomata francês, no final de uma visita de três dias a Goma, disse não minimizar a frustração da população que sofre, e compreende tais frustrações, mas insistiu que os actos foram “premeditados, organizados e financiados”.
Para isso, defendeu o desmascaramento e a punição, a todos os níveis, dos responsáveis. O movimento da sociedade civil do Kivu Norte, Luta para a Mudança (Lucha) reagiu às declarações do funcionário da ONU, dizendo tratar-se de uma fuga à responsabilidade, sendo igualmente uma forma desprezível de não reconhecer as frustrações da população.
Durante a estada em Goma, Jean-Pierre Lacroix encontrou-se, sábado, com os responsáveis daquele grupo da sociedade civil congolesa, tendo igualmente visitado a sede da ONU saqueada recentemente por manifestantes.

fonte: jornaldeangola

Presidente Ali Bongo remodela Governo

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

O Governo do Gabão foi remodelado terça-feira, sob as instruções do Presidente Ali Bongo Ondimba, noticiou a imprensa local, citada, ontem, pela AFP.
Resultado de imagem para Presidente Ali Bongo; foto
Entre os exonerados, figuram Brice Laccruche Alihanga, Noel Mboumba e Jean-Fidèle Otandault, respectivamente, ministro da Estratégia de Investimento Humano e dos Objectivos de Desenvolvimento Sustentável, dos Petróleos e ministro do Orçamento e Contas Públicas.
“A pasta de Brice Laccruche Alihanga, ex-director de gabinete, citado num caso recente de desvio de fundos públicos, foi parcialmente entregue ao ministro das Águas e Florestas, Mar e do Ambiente, Lee White, que passa também a ser responsável pelos Objectivos de Desenvolvimento Sustentável e o Plano de Utilização das Terras”, precisa a mesma fonte. O Ministério dos Petróleos foi confiado a Vincent de Paul Massassa, que, durante muito tempo, ocupou o cargo de director dos Hidrocarbonetos.
fonte: jornaldeangola

Juristas dizem haver base para impeachment de Trump

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

Comitê de Justiça da Câmara ouve especialistas em Constituição na segunda fase do inquérito contra o presidente. Três deles apoiam o processo, enquanto convidado dos republicanos diz não haver base para afastamento.
Quatro juristas, três homens e uma mulher, diante do Comitê de Justiça da Câmara dos Representantes dos EUA
Juristas foram questionados pelo Comitê de Justiça da Câmara dos Representantes dos EUA

Em audiência no Comitê de Justiça da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos nesta quarta-feira (04/12), três dos quatro constitucionalistas convidados pelos democratas disseram haver evidências que justificam o impeachment do presidente Donald Trump. Já o único especialista convocado pelos republicanos argumentou não haver base para o afastamento do mandatário.
A audiência nesse comitê abriu uma nova fase do inquérito de impeachment contra Trump. A sessão se concentrou em avaliar legalmente os esforços do republicano para levar a Ucrânia a investigar o ex-presidente americano Joe Biden, seu potencial rival nas eleições presidenciais de 2020.
O professor de Harvard Noah Feldman disse que testemunhos e evidências provam que Trump cometeu "crimes e ofensas graves" que justificam seu impeachment. "Se não é possível iniciar um processo de impeachment contra um presidente que abusa de seu cargo para obter ganhos pessoais, então não vivemos mais em uma democracia: vivemos em uma monarquia ou ditadura."
Michael Gerhardt, da Universidade da Carolina do Norte, expressou opinião similar, afirmando que os supostos crimes políticos de Trump, que incluem suborno e obstrução da Justiça e do Congresso, são "piores do que a má conduta de qualquer presidente anterior".
Ele completou: "Se o Congresso não realizar um impeachment nesse caso, o processo de impeachment perde todo o sentido." Gerhardt observou que a Constituição americana possui expedientes de segurança para impedir a existência de um "rei" dos Estados Unidos.
Por sua vez, a professora Pamela Karlan, da Universidade de Stanford, afirmou que pressionar um governo estrangeiro para interferir no processo eleitoral americano é "um abuso de poder particularmente sério, porque prejudica a própria democracia".
 A porta-voz da Casa Branca, Stephanie Grisham, reagiu em um comunicado, dizendo que "a única coisa que os três professores liberais estabeleceram na audiência foi seu viés político contra o presidente". "Nada muda o fato de que, apesar de semanas de audiências nesse processo fraudulento, o presidente não fez nada de errado", disse Grisham.
O único jurista convidado pelos partidários de Trump, Jonathan Turley, da Universidade George Washington, disse que não há base para um impeachment. Segundo ele, as evidências contra o presidente não são suficientes, e as investigações estão sendo realizadas de forma apressada. "Impeachments têm que ser baseados em provas, não em presunções", afirmou.
O Comitê de Justiça tem função de examinar se as alegações e provas contra o presidente são suficientes para fundamentar um impeachment, que é possível sob a Constituição dos EUA em casos de "traição, suborno ou outros crimes graves".
A segunda fase do inquérito de impeachment começou um dia depois de o Comitê de Inteligência da Câmara entregar seu relatório ao Comitê de Justiça. O documento afirma serem "contundentes" as provas de que o presidente cometeu crimes de improbidade e obstrução das investigações. O texto conclui que Trump solicitou interferência de um governo estrangeiro, o da Ucrânia, para beneficiar sua reeleição.
Se esse segundo painel elaborar e aprovar acusações contra o presidente, o plenário da Câmara votará para decidir se deve dar luz verde à audiência de impeachment a ser realizada no Senado, em que os republicanos têm maioria. São necessários os votos de dois terços dos senadores para condenar o presidente e removê-lo do cargo.
O republicano é acusado de condicionar o envio de ajuda militar à Ucrânia e o agendamento de uma visita do presidente Volodymyr Zelenskiy à Casa Branca à obtenção de informações prejudiciais ao ex-vice-presidente americano Joe Biden, favorito à nomeação do Partido Democrata para disputar as eleições presidenciais do próximo ano.
MD/afp/dpa
Berlin Moabit | Mann erschossen - Polizei sucht am Tatort nach Hinweisen (picture-alliance/dpa/C. Soeder)

Conselho de Segurança da União Africana reúne-se em Angola

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

Luanda recebe esta quinta e sexta-feira uma reunião de ministros do Conselho de Paz e Segurança da União Africana e esperam-se soluções concretas para os conflitos no continente. Sudão do Sul e RDC estarão em destaque.
Addis Abbba Afrikanische Union Friedens- und Sicherheitsrat (picture-alliance/dpa/D. Getachew)

Angola assumiu no domingo (01.12) a presidência rotativa do Conselho de Paz e Segurança da União Africana (UA) e a liderança arranca com uma reunião de ministros dedicada aos temas da Paz e Segurança esta quinta e sexta-feira, em Luanda.
Manuel Augusto, ministro das Relações Exteriores de Angola, lembrou esta semana que ainda há focos de conflito no continente e que a União Africana está atenta: "Estamos preocupados com aqueles países onde ainda existem conflitos ou onde há conflitos latentes", disse o ministro. ”"oje chama a atenção da UA e do seu processo de paz a situação ainda prevalecente no sul do Sudão, onde está em curso um exercício para implementação do chamado acordo revitalizado para Sul do Sudão", explicou.
O acordo foi assinado em setembro de 2018. Mas a violência continua no Sudão do Sul. Rebeldes que ficaram de fora do acordo continuam a pegar nas armas para combater o Governo. O país entrou em guerra há seis anos: 380 mil pessoas morreram e mais de quatro milhões foram obrigadas a deixar as suas casas.
Em busca de soluções
Além do Sudão do Sul, na reunião ministerial que começa esta quinta-feira em Luanda deverá também ser debatida a situação da República Centro-Africana e do leste da República Democrática do Congo, bem como a tensão na região dos Grandes Lagos, entre o Ruanda e o Uganda e o Ruanda e o Burundi.
Angola garante que já está envolvida na procura de soluções para algumas destas situações. E o analista político Osvaldo Mboco não duvida que o país tem um contributo importante a dar: "Luanda, ao ser escolhida como a capital para albergar as questões ligadas à paz e segurança ao nível do continente africano, mostra claramente a importância que o país tem em matéria de gestão e resolução de conflitos".
O encontro de Luanda tem como tema central a "Reconciliação Nacional, Restauração da Paz, Segurança e Reconstrução da Coesão em África". Além de ministros dos 15 Estados-membros do Conselho de Paz e Segurança da União Africana, estarão ainda presentes os chefes da diplomacia do Mali, Níger, República Centro-Africana e República Democrática do Congo.
Espera-se que a reunião traga propostas concretas para resolver os conflitos e alavancar os países economicamente. O especialista em questões internacionais Osvaldo Mboco entende que é preciso colocar o continente em primeiro lugar.
"Quando os africanos pensarem que os interesses pessoais estão abaixo dos interesses do próprio continente, então o continente poderá avançar. Também [é preciso] vontade política por parte de diferentes grupos. Uma política de inclusão e de participação de diferentes grupos é crucial no meio de tudo isso. O caminho para se chegar ao poder não deve ser a força das armas, mas deve ser pela força da competição política", sublinha.
default

A UNIÃO AFRICANA EM CARTUNES

Primeiro prémio para a UA sem rodas

Intitulado “Já chegamos?”, este cartune foi criado pelos artistas sul-africanos John Swanepoel e John Curtis, conhecidos no seu país como “Dr. Jack & Curtis”. Os artistas ficaram em primeiro lugar no concurso de cartunes da “Rede de Jornalistas do Terceiro Mundo” (DWJN, na sigla em alemão), com sede na Alemanha. “50 Anos de Unidade Africana” é o tema da competição deste ano.

fonte: DW Africa

Total de visualizações de página