Postagem em destaque

CONCESSÃO DO PRÊMIO HOUPHOUET BOIGNY PELA BUSCA DA PAZ EM RCI: Os marfinenses poderão finalmente se olhar no espelho?

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!... Realiza-se esta quarta-feira, 8 de fevereiro de 2023, em Yamoussoukr...

domingo, 20 de dezembro de 2015

FILOMENO PINA : A QUE HORAS É O NATAL, MÃE?

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

                                                            Filomeno Pina - Nô Djagra
  
Boa pergunta, mas não tem hora marcada! Só tem dia marcado ou dias, também pode ser quando quisermos, sem horas apontadas, até pode ser todos os dias, a começar e a acabar no mesmo dia por exemplo, sim era bom haver maior felicidade para todos, seria perfeito, afinal é Natal, sempre que quisermos comemorar Jesus Cristo no coração! O Seu Amor é uma corrente espiritual constante, Ele nasceu para ficar eternamente junto a nós neste e noutro mundo, Está presente até ao infinito, em espírito, na palavra, em tudo que existe ou pensamos…

Natal é de todos e para todos, é luz contagiante, está presente quando amamos o próximo na partilha da palavra ou de coisas, no fundo falamos de afectos, desta solidariedade viva praticada no convivo uns com os outros, trocando mimos pelo mundo inteiro, festejando o Natal…

É Natal em 2015 como nunca me recorda outro igual, desta vez traz pendurado uma reflexão de peso, acerca de tanta maldade junta no planeta, uma tristeza espalhada no mundo, as desumanidades cometidas sobre inocentes. É preocupante vermos misturados num baú de prendas, diabos à solta pelas mesas “redondas”, por aí, com menor racionalidade e inteligência constatadas através de resultados apresentados como solução de Paz para o mundo global.

Mas mesmo assim, não dependemos completamente de loucos, que nos governam infelizmente, pois vamos podendo alimentar o espírito de Natal com energia positiva renovada!

Mais um Natal de peso num tempo em que o mundo está doente e acamado. Mas vamos fazer de conta ou chorar pela desumanidade cometida no mundo nestas últimas décadas. Mais, vamos tocar na ferida com a delicadeza dum coração global, cuidador ou fazer de conta que não é nada connosco, decida em consciência pelo menos!?

Vamos comemorar com corpo e espírito este Natal racional, sermos solidários e justos, assumirmos uma mudança positiva, esperada, pensarmos as coisas boas e más, mas inclinados para um Natal realista, cremos pelo menos em consciência, uma Oração de Natal, com Paz!

Que fazer neste Natal pesado de pesares espalhados pelo mundo inteiro, não podemos fingir não ver ou ouvir o choro ensurdecedor, com imagens de ovos de fogo a caírem dos céus, vozes do diabo, que incendeiam ódios nos jornais e Tvs., queimando a natureza humana com as suas palavras de irracionalidade pura, vemos arder o betão armado com séculos de cultura e filosofia de vida contida até então, tudo por uma mudança violenta de valores, cada vez mais loucos, desumanos, perdidos, hoje assistimos à queimada pública de valores da História Universal como um todo, destruição feita em passo corrida, está a acontecer na rua, lavrada como solução encontrada, a via da morte, este “projecto” do diabo, para matar, matar, imposto pelo uso da força e decretado pelos poderosos da guerra, pois é complexo tudo isto, vemo-los a decidirem-se pela guerra que gasta triliões, quando não há PÃO e ÁGUA potável para todos, que fazer!?

A engenharia financeira mundial, mais uma vez falhou o alvo, e está concentrada no fogo com cheiro a pólvora…

Como resultado imediato vemos seres humanos como nós a fugirem do próprio – Berço/País – perdendo o vínculo da sua Cidade Milenar, deixando tudo para trás num monte de escombros, um implante na memória feito com crueldade programada, amontoam casas destruídas por onde passam, é de loucos, pois só um louco saberá arquitectar na calada fria desta pulsão infinita de ódio, tudo isto pode levar o mundo a uma perda irreparável, causando desequilíbrio físico total do planeta, por causa desta doença maldita de quererem controlar Países e Culturas, os mesmos insaciáveis, que buscam valores materiais ou tudo que “luz”, como o ouro, petróleo, etc, etc…

Certos estamos nós perante os primeiros passos já dados por este alarme do primeiro sinal de mudança mundial, para “im/perfeição”, moldada através do uso da força, na nova “partilha” do mundo, quando na realidade é irracional pensar uma semelhante bomba “Antónia”! Já todo este motor posto à prova, para ocupar, apropriar, manipular, os Povos e suas Culturas, destruindo seus vínculos materiais, substituídos à força através da alienação de valores, tudo isto não terá um fim pacífico, jamais, porque a linguagem da natureza “falará” através da comunicação a que nos habituou, os sinais estão aí, i. é, se pisarmos desta vez a linha vermelha duma “terceira-Guerra”, o pior será imprevisível, mas, afinal na natureza só há Um, que escreve por linhas tortas e Ele sabe o que faz…

Este sino tocou arrebate! Queremos Paz e NÃO guerra. Vemos uma estrela no Céu, fora de controlo de civilizações guerreiras, ela ilumina um caminho novo, para reunião da infinita mudança do escuro para a claridade, ela cruza os céus deste planeta incentivando ao perdão, à partilha, à solidariedade, a um começar de novo!

Seguimos uma luz invisível na orientação dos nossos passos, com as mãos vazias e estendidas, cheias de nada, sentimos, no entanto, um Natal pesado de pesares e, ao mesmo tempo, uma força reconciliador, um coração novo que atrai, incentiva a escolha de mudança positiva, necessária, para fazermos tudo que for possível, para nossos olhos verem pão e água suficiente no Planeta.

Uma esperança partilhada através dos olhos e da acção concreta, buscando resultado positivo é o sinal deste Natal - uma renovação da alma – submersa em lágrimas ou nas memórias tristes, não importa, pois tudo é possível até nos erguermos do chão ou do submerso, nos levantarmos e superarmos juntos, cantando vitórias, se DEUS quiser…

Uns partem a caminho de “sem-terra” deixando o seu País destruído, fugindo com a roupa do corpo, mas avançam motivados como nunca, para recomeçar novo ciclo de vida, num lugar invisível, aliás um fenómeno comum em que somos parecidos uns com os outros no trabalho de parto, nesta imagem de abandono do útero, para encararmos logo depois a luz do dia! É uma realidade de muitos como nós neste momento, a fugirem da guerra. Mas no fundo não é igual, não podia nunca ser igual, aqui não é a mesma coisa, parecido ou a sair do ventre duma Mãe é apenas isso mesmo, “parecido”! Pois isto agora é muito sério, vermos milhões a nascerem em passo corrida, rumo ao destino incerto, por mar, terra e ar!

Perguntamos quem faz ou fez isto aos outros sem um olhar global sobre o Planeta!? Uma maldição a actuar para além de, porque não serão só os criminosos que vemos à superfície e evocados por analistas viciados na sua reflexão, lançando lenha para a fogueira em guerra aberta, os únicos culpados, haverá muita verdade escondida. Penso que será sempre profunda, qualquer análise ou conclusão sobre isto, e sobretudo, terá que ser obrigatoriamente simples na sua conclusão/resolução, para todos percebermos tudo que estiver por trás deste grande mal que afecta o Planeta, penso.

Queremos um Natal mais limpo na consciência dos homens, com menos luz artificial, talvez nos tenhamos de adaptar a novas “terras”, içadas do fundo do mar para a superfície, provocado pelo fenómeno da natureza em defesa das loucuras cometidas pelo homem sobre a Terra.

Haja consciência e memória de velhas ilusões hoje submersas, para construirmos um Natal mais dentro que fora de nós, com mais coração, do que só para os olhos verem, com mais amor e menos ilusão, que seja Natal real, invisível, impalpável, mas reconhecível na alegria contagiante do universo mais realista dos rostos que a contemplam, vamos salvar juntos o que ainda for possível e mudar de rumo, cultivar a Paz, dizendo não à violência física, social, cultural, material e psicológica…

Um Natal todos os “dias” será de coração, instantâneo, sem luz artificial, amarmos sempre que quisermos partilhar com o próximo, algo de consciência ou material, sem comemorar com festas, isto é amor que preenche todos os outros dias, num tempo infinito das nossas vidas, vamos ser felizes uns com os outros, e isto é ter Natal no coração!

Pedimos que este Natal seja uma energia constante dentro de cada um de nós, se DEUS quiser…

Desejamos um Santo Natal e Ano Novo Próspero a todos…


Djarama. Filomeno Pina e Família.

Total de visualizações de página