Postagem em destaque

BAMAKO E IYAD ENGAJADOS NA MESMA LUTA CONTRA EIGS NO MALI: Cuidado com o efeito bumerangue!

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!... Há poucos dias, foi em Menaka que foi visto ao lado de notáveis ​​tu...

quinta-feira, 31 de maio de 2012

Brasil: O ex-jogador da Seleção Brasileira, Roberto Carlos tem seis automóveis confiscados pela Justiça.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...
Roberto Carlos jogador do Anzhi (Foto: Getty Images)
Roberto Carlos tenta chegar a um acordo
(Foto: Getty Images)


Lateral é obrigado a pagar R$ 360,3 mil a ex-funcionária, mas Justiça não encontra o valor nas contas bancárias e parte para os bens do atleta.

O lateral-esquerdo Roberto Carlos, do Anzhi, teve seis carros bloqueados pela Justiça do Trabalho por causa de um processo movido por uma ex-funcionária da RCS Empreendimentos, empresa que pertence ao jogador e a seu pai, Oscar Pereira Silva. O processo prevê uma execução trabalhista de R$ 360,3 mil.
Como a quantia não foi encontrada em nenhuma das contas bancárias do jogador, a justiça decretou que o valor fosse buscado entre os bens de Roberto e Oscar. Com isso, ohouve autorização nesta quarta-feira para confiscar os automóveis. No entanto, caso o valor dos carros não chegue a R$ 360,3 mil, outros bens poderão entrar na lista.
Advogados das duas partes tentam chegar a um acordo. Na primeira reunião, realizada na última quarta-feira, no entanto, ainda não houve uma conclusão. Roberto Carlos se manifestou sobre o caso através do Twitter, lamentando que a história tenha chegado até a imprensa.
- Vou resolver da melhor maneira possível. É uma pena sair na imprensa sobre dinheiro. Que pena! Vou resolver com calma, tá? Deus vê tudo - declarou.
O caso
A condenação aconteceu em 2007, em uma ação proposta por uma mulher exigindo reconhecimento de vínculo empregatício com a RCS Empreendimentos e Participações, da qual Roberto Carlos é sócio majoritário, e seu pai, Oscar Pereira da Silva, minoritário. Confirmada a razão da requerente, a Justiça determinou o pagamento de verbas trabalhistas devidas e indenização por conta do tempo trabalhado sem pagamento regular.
Contudo, a Justiça não encontrou bens no nome da entidade para penhorar e realizar o pagamento e, assim, partiu para penhora nas contas pessoas dos proprietários. Caso o valor não seja encontrado, a Justiça determinou que o sigilo fiscal de Roberto Carlos seja quebrado pela Receita Federal. Assim, será feita uma busca em cartórios por imóveis do jogador para que eles sejam penhorados para o pagamento das dívidas.
fonte: globo.com

Brasil: Estudante de direito chama guarda de macaco e é preso por racismo, no ES.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...
Polícia afirmou que jovem chamou guarda-vida de macaco (Foto: Reprodução/TV Gazeta) (Foto: Reprodução/TV Gazeta)

Ele corria com cão na areia da praia quando foi abordado por guarda- vidas.
'Eu sorri, porque jamais faria isso a uma pessoa', disse o estudante.

Um estudante de direito, de 30 anos, foi preso por racismo, desacato, desobediência e resistência à prisão, de acordo com a polícia, nesta quarta-feira (30), em Vila Velha, região da Grande Vitória. Ele passeava com um cachorro na praia, o que não é permitido, e foi abordado por guarda-vidas. A polícia disse que o estudante chamou um dos guardas de macaco por não aceitar a intervenção. Leonardo Márcio Mônico garantiu que não teve comportamento racista, pagou fiança de R$ 5 mil e foi liberado.
O jovem estava correndo com um cachorro na areia da praia de Itapoã, quando foi abordado por guarda-vidas. No momento da abordagem, houve uma discussão e, segundo a polícia, o estudante chamou um dos guardas de macaco. "Havia um grupo de guarda-vidas em treinamento no local e ofendidos resolveram fazer um boletim de ocorrência. Em seguida, o homem foi encaminhado ao Centro Integrado de Defesa Social para acionar a polícia", explicou secretário de Defesa Social de Vila Velha, Ledir Porto.
Leonardo Mônico afirmou que não foi racista. "Eles chegaram para mim e disseram: 'você me acusou de ser macaco'. Eu sorri, porque jamais faria isso a uma pessoa", argumentou o estudante.
De acordo com o delegado Robson Martins, no momento em que o rapaz estava sendo levado para o Departamento de Polícia Judiciária (DPJ), ele foi resistente a prisão e agrediu os policiais.
"Tanto que ele não respondeu só por injúria racial. Eu também o qualifiquei em desobediência, em desacato e em resistência a prisão", afirmou o delegado.
A mãe do jovem ficou revoltada com a situação e reclamou. Segunda ela, o filho sofre de problemas mentais. A doença foi descoberta há um ano e devido ao problema, Mônico abandonou a faculdade que fazia na Europa. "Eu só sei que fui para cima deles para defender meu filho, que ficou muito agitado. Ele toma remédios, tem problemas de esquizofrenia e já foi internado duas vezes. Ele trancou a faculdade por causa da doença, pois estava com a mente muito perturbada na Alemanha e voltou para ficar perto da família", explicou a enfermeira Rosilda Stippich.
fonte: globo.com

Prisão em Marrocos: A verdade e impostura.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...




Enésimo testemunho de tortura em prisões marroquinas? Adil Lamtaoui, francês de origem marroquina de 31 anos é detido no Marrocos em outubro de 2008. Ele foi condenado a dez anos de prisão por tráfico de drogas. Atos para os quais ele alega, durante meses, a sua inocência.

De sua cela, ele apelou ao statos difíceis de explicar aos meios de comunicação franceses que ele foi julgado e, especialmente, sem prova de que sua confissão tinha sido extraídas sob tortura

"Eu estava amarrado pelos pés. Eu tinha sangue saindo das orelhas. Foi um pesadelo.É psicologicamente e fisicamente insustentável. Estamos prontos para qualquer coisa.Se eles queriam que eu admitisse que eu era responsável pelos ataques em Nova Iorque em 11 de Setembro, eu estaria pronto para fazê-lo. Já faz quase quatro anos. Eu não durmo à noite "

Lamtaoui testemunhou a antena da Europa 1.

"Fiquei chocado, eu fui atingido" por Europa1

Ele diz que antes de sua prisão, ele era um produtor de cinema. Ele financiou dois filmes que tiveram algum sucesso nas bilheterias, mas que ele acredita ter ganhado um monte de "ciúme". "Estou muito bem sucedido, e muito rápido (...) Talvez seja por isso eles me colocaram na prisão", acrescenta para a Europa 1.

Um ambiente político favorável

Até seu programa de rádio, ele entrou em contato com os jornalistas que tinham sido relutantes em fazer eco a história de sua provação alegada. Seu testemunho, gravado em um manuscrito de várias páginas, imprecisas, deixando algumas dúvidas sobre a veracidade de suas declarações.

Hoje, ele é direcionado para trás na imprensa marroquina e, sobretudo francesa. Devo dizer que, além do interesse que pode a priori criar sua história, a situação política na França presta-se: os socialistas que conhecemos mais inclinado a olhar para os casos de violações de direitos em Marrocos, estão agora no poder.

Exemplo entre muitos, Vincent Peillon, agora ministro da Educação no governo Ayrault, tinha movido céus e terra para trazer a voz do coronel Terhzaz. O ex-número dois da Air marroquino Force, também tem cidadania francesa, foi condenado em Rabat em 2008 por um tribunal militar a doze anos de prisão por alta traição por defender a situação com o rei de aviadores, prisioneiros de guerra. As condições de sua prisão eram deploráveis. Ele finalmente conseguiu um perdão real em março de 2011.

Pressão da mídia

O diretor Yamina Benguigui, vice-prefeito de Paris, e nomeado para o Ministério da Francofonia e cidadãos franceses no exterior, diretamente solicitado pelo telefone Adil Lamtaoui na Europa 1, só poderia ser sensível ao seu drama.

Marrocos é o primeiro país na África do Norte a nomear a tortura como um crime específico em seu código penal. No entanto, histórias como Adil Lamtaoui são comuns nas prisões em Marrocos, onde os ativistas dos direitos humanos, opositores políticos de todos os matizes, os alunos dos ultra-esquerdistas revolucionários, radicais islâmicos e sarauis separatistas testemunham regularmente de que eles sofreram abusos por parte de seus captores. E muitas vezes é difícil separar fato de ficção.

Em março, cinco alunos marroquinos de Fez e Taza foram presos por exigir melhores condições de estudo. Um deles, Ezedine Erroussi, entrou em greve de fome o que foi divulgado hoje, escreveu uma carta na qual ele revelou que tinha sofrido tortura e condições desumanas de encarceramento. A pressão da mídia forte em torno de sua causa ao internacional lhe permitiu obter a sua libertação.

Este é especialmente o caso de Zakaria Moumni campeão de boxe, que recentemente ganhou as manchetes maioria. Ele foi preso em setembro de 2010 em sua chegada a Marrocos de avião de Paris com base em evidências perjuros acusando-o de fraude e incomunicável e detidos por vários dias. Durante seu julgamento, considerada "injusta" por organizações internacionais de defesa dos direitos humanos, o atleta tinha constantemente desafiado a polícia secreta marroquina para torturá-lo no centro de detenção secreto em Temara, alegando que havia solicitado uma reunião com o rei para recuperar seus direitos administrativos.

Instrumentalizar a Tortura

A mobilização excepcional de certos círculos políticos na França, ONGs internacionais e da imprensa ajudou a aliviar o estrangulamento do regime marroquino. Ele também acabou sendo perdoado pelo rei. Hoje ele tem lutado para a sua reabilitação.

"Alguns querem simplesmente desfrutar da tragédia sofrida de Zakaria e a extensa cobertura da mídia que recebeu para fins impróprios (...) Ele me enoja e me enfurece e, acima de tudo, isso prejudica a campanha de apoio as verdadeiras vítimas de tortura em Marrocos e em todo o mundo ", protestou um dos apoiadores do boxer.

fonte: slateafrique

quarta-feira, 30 de maio de 2012

Angola: "Sinto que ressuscitei e o organismo funciona normalmente”.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...


É jornalis ta de profissão e é um dos casos bem sucedidos de cidadãos angolanos que recebeu um outro rim através de um transplante, realizado em Espanha. 
Abílio Cambambe confessa que depois da operação sente que “ressuscitou, o organismo funciona normalmente e continuo a fazer a medicação que me foi recomenda pelo corpo clínico”. Desloca-se cada seis meses ao país onde foi submetido a cirurgia para efectuar revisões normais. 
Tudo aconteceu em finais de 2009, três anos depois de ter deixado Angola com a vida em risco. Por isso considera a sua experiencia como “sui generis”. 
“Graças ao facto de ter um parente a viver em Espanha e dado os recursos escassos no país era impossível fazer um transplante. Então, recorrendo ao familiar fui a Espanha e num espaço de três anos consegui”, explicou Cambambe, alertando que “isso não é muito normal acontecer porque o transplante se processa em cinco ou seis anos, em função da lista de espera que um indivíduo está sujeito”. 
Vivendo uma certa debilidade física, o nosso interlocutor emagrecia a cada dia que passava, algo que as analises efectuadas aqui no país não conseguiam identificar, porque diagnosticavam sempre tensão alta. Era esse o diagnóstico tanto nos hospitais públicos como privados, que só foram deixados de parte quando por orientação de um médico recorreu ao Hospital Militar Principal onde se consegui identificar a verdadeira patologia. 
“Tinha os rins praticamente paralisados. E quando isso ocorre está associado a não evacuação da urina e fica alterada a composição do sangue, o que é fatal. O médico recomendoume que num espaço máximo de 15 dias procurasse alternativa no exterior porque tinha poucas possibilidades de sobreviver em função do estado em que me encontrava”, garante o jornalista. 
Hoje sente-se como se não tivesse passado numa operação do género, que só foi possível graças ao apoio da empresa onde funciona, a Radiodifusão Nacional de Angola (RNA), e particularmente do então director e então ministro da Comunicação Social, Manuel Rabelais, segundo o próprio profissional da casa. 
Cambambe não menciona concretamente quanto gastou porque a operação foi feita no serviço público de saúde espanhol. E agora serve de fonte de inspiração e ajuda a outros pacientes que procuram esta solução no exterior, um dos quais viajou recentemente para um país asiático e já desembolsou perto de 120 mil dólares. 
O nosso interlocutor lamenta a não existência deste serviço no país porque existem muitas pessoas que padecem da mesma doença que ele sofria. Diz mesmo que “a doação de um órgão não é como ir comprar uma fruta numa loja, mas sim algo fundamental para que as pessoas possam sobreviver e transpor determinadas barreiras”. 
“Sei que o país não tem um processo de legalização, que é algo que me surpreende porque as autoridades deviam tomar com mais acuidade este aspecto porque existe muita gente a precisar de órgãos. Quanta gente? Quantos quadros este país perde porque não há instrumentos legais que permitam a realização de transplantes no país?”, questiona Abílio Cambambe, realçando que “já não está em causa a capacidade técnica porque é possível fazer-se a aquisição dos equipamentos para a realização dos transplantes”.  
Ele vê a questão religiosa como algo subjectivo porque os que recorrem a um transplante fazem-no de forma consciente. “Estamos atrasadíssimos porque não há informação que possa dar a percepção de que as autoridades estão empenhadas em desenvolver esta área das ciências médicas no país”, desabafou. 
O entrevistado, que regressou ao país há um ano e meio, já ouviu falar da proposta de lei que passou pelo Ministério do Interior, mas acredita que as coisas não fluem. Da mesma forma que desejam aqueles que necessitam de um transplante. 

fonte: opais.net

Papa quebra silêncio sobre escândalo no Vacaticano.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...
Papa quebra silêncio sobre escândalo no Vacaticano

Bento XVI falou esta quarta-feira pela primeira vez sobre o escândalos da fuga de documentos que está a provocar uma série de convulsões no Vaticano, dizendo-se triste pela traição, mas agradecido a todos os que o têm ajudado a cumprir a sua tarefa.

Esta foi a primeira vez que o Papa fez uma referência direta ao escândalo em que o Vaticano se encontra mergulhado, lamentado algumas das notícias que têm vindo a público e que classifica como rumores "exagerados" e "gratuitos", que dão uma "imagem falsa" da Santa Sé. "Os acontecimentos dos últimas trouxeram tristeza ao meu coração", admitiu Bento XVI, no final da audiência semanal, esta quarta-feira.
O tema tem sido dominante em todos os media italianos desde que o mordmo do Papa foi detido, na semana passada, depois de terem sido alegadamente descobertos no seu apartamento documentos de Bento XVI.
O possível envolvimento de cardeais neste escândalo é um dos "rumores" a que o Sumo Pontífice se referia, assim como detalhes da investigação que está a ser levada a cabo e que até os advogados do mordono dizem desconhecer.
Em causa está uma das maiores fugas de informação da história do Vaticano, com um número significativo de documentos, que estavam na secretária do próprio Papa, a irem parar às mãos de um jornalista.

fonte: visao.sapo.pt

Beyoncé revela que emagreceu 27 quilos.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...



Beyoncé está apostada na recuperação da silhueta custe o que custar. A cantora revelou que já perdeu 27 quilos desde o nascimento da sua primeira filha,Blue Ivy Carter, em Dezembro do ano passado.

"Vocês não fazem ideia de como eu trabalhei duramente para estar aqui. Tive que perder 27 quilos”, disse Beyoncé aos fãs, durante uma actuação no Revel Beach Ovation Hall, em Atlantic City.


Este foi o primeiro espectáculo da cantora desde o nascimento de Blue Ivy Carter, fruto do seu casamento com o rapper Jay-Z.

Fonte: Vidas

Ashton Kutcher não tirou os olhos de Demi Moore.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...




"Eles ainda estão desesperadamente apaixonados", sublinhou um amigo do casal, que testemunhou o encontro de Demi Moore com Ashton Kutcher, numafesta.

"O Ashton não tirou os olhos dela e depois de a abraçar confessou que cometeu erros horríveis no último ano. A voz tremia-lhe e escorriam-lhe lágrimas enquanto falava", acrescentou a mesma fonte, citada pelo site do ‘Mirror’.

Separados desde final do ano passado, depois de Ashton ter confessado que fora infiel, o casal nunca se tinha encontrado. Mas, agora, segundo o jornal, falam em reconciliarem-se.

Fonte: Vidas

Ex-Presidente da Libéria condenado a 50 anos de prisão.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...
Charles Taylor, condenado


Um tribunal especial para a Serra Leoa condenou, na quarta-feira, 30 de maio, a 50 anos de prisão, o ex-Presidente da Libéria, Charles Taylor por armar rebeldes do país vizinho em troca de “diamantes de sangue”.
Trata-se da primeira sentença pronunciada contra um Chefe de Estado por um tribunal internacional desde os processos de Nuremberga, na Alemanha, contra criminosos de guerra nazis em 1946.
Em abril, Charles Tylor, de 64 anos, foi considerado culpado de todos os onze pontos de crimes de guerra e contra a humanidade, apresentados pela acusação. O tribunal sedeado na Holanda concluiu ter provas suficientes para o negócio fechado entre o ex-líder liberiano e a Frente Unida Revolucionária da Serra Leoa (RUF) durante os dez anos de uma guerra civil que durou até 2001.
Condenado por crimes “horrendos” contra a humanidade
Segundo os juízes, Taylor forneceu as armas, que foram pagas com diamantes extraídas por escravos das minas nas zonas controladas pelos rebeldes. Os soldados do movimento rebelde violavam os escravos, cortavam membros às vítimas e recrutavam à força crianças com menos de 15 anos.
Referindo-se a Taylor, o juiz do tribunal especial, Richard Lussick, acusou o réu “de conluio com alguns dos crimes mais horrendos na História da humanidade”,
Os "diamantes de sangue" pagaram as armas dos rebeldes
Os "diamantes de sangue" pagaram as armas dos rebeldes
acrescentando que os seus atos tiveram repercussões “devastadoras” para as famílias das vítimas e a sociedade da Serra Leoa no seu todo. No tribunal em Leidschendam, na periferia de Haia, Lussik salientou que o senado de juízes decidiu por unanimidade a sentença de 50 anos. O ex-Presidente da Libéria tem tuas semanas para recorrer da sentença.
Taylor manteve sempre a sua inocência
A acusação, pela boca da Procuradora, Brenda Holis, pedira 80 anos de prisão para Taylor, em tempos um dos homens mais poderosos da África Ocidental e uma força motriz de relevo por detrás da guerra civil na Serra Leoa, que custou a vida a 120 000 pessoas. O juiz Lussik considerara, já no mês passado, que Taylor tinha uma influência considerável sobre a RUF, e sobre o seu temido líder, Foday Sankoh, que morreu em 2003.
Taylor afirmou a sua inocência durante todo o processo, insistindo ter sido instrumental para o acordo que finalmente pôs termo à guerra civil no país vizinho. Taylor permanecerá em detenção em Haia sob guarda das Nações Unidas até a finalização do recurso jurídico. Em 2007, o Governo de Londres prometera acolher Taylor numa prisão inglesa, caso fosse condenado, parte do acordo internacional que permitiu que o seu processo fosse levado a cabo na Holanda.
 Celebridades envolvidas no processo
A modelo Naomi Campbell admitiu ter
recebido "diamantes de sangue" de presente
A modelo Naomi Campbell admitiu ter recebido "diamantes de sangue" de presente
O processo durou quase quarto anos, e incluiu o testemunho de celebridades como a modelo Naomi Campbell, que admitiu ter recebido “diamantes sujos” de presente em 1997.
Taylor foi preso na Nigéria em março de 2006 quando tentava fugir do exílio naquele país, onde se encontrava quando foi forçado a abandonar a Libéria três anos antes, sob pressão internacional, para pôr fim à guerra civil no seu próprio país.
Autora: Cristina Krippahl/ rtre, afpe, afp, lusa,
Edição: António Rocha.
fonte: DW

terça-feira, 29 de maio de 2012

O ex-jogador e atual deputado Romário, diz: "Hoje não dou mais dez sem parar, mas ainda não tomo Viagra", garantiu.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...


'Tem muito cacique em Brasília', diz Romário


Para o ex-jogador de futebol e atual deputado federal Romário, a política não vai mudar e a corrupção deve continuar acontecendo em Brasília. "Nunca vai acabar, mas acredito que está melhorando um pouco. Essa CPMI do Cachoeira é um exemplo. Espero que os políticos envolvidos deem uma resposta para o povo", disse ele em entrevista no programa Tas ao Vivo, transmitido pelo Terra nesta segunda-feira (14). Em cerca de uma hora de conversa, ele falou ainda sobre a sua performance sexual e lembrou uma frase de 99. "Hoje não dou mais dez sem parar, mas ainda não tomo Viagra", garantiu.

Romário comentou sobre as dificuldades que tem no dia a dia da Câmara dos Deputados. "Ainda não consegui entender a malandragem para fazer gols dentro da Câmara. Tem muito cacique lá, mas tenho tentado fazer o meu dever", desabafou.
Ele também negou que tenha faltado a uma sessão no seu terceiro dia de mandato. "Notícia negativa sobre mim vende muito mais do que notícia positiva. Mas isso é mentira, o jornal que divulgou essa informação deveria se redimir", disse ele.
O ex-jogador contou que entrou na política por causa da filha mais nova, que tem síndrome de Down. "Virei político por causa dela, porque nos últimos sete anos tive muito contatos com famílias que têm filhos com algum tipo de deficiência. Tentei ajudar de algumas formas e vi que o Romário ex-jogador de futebol não ia conseguir. Entendi que como político poderia fazer muito mais." Mas disse que ainda não pensa em um futuro mandato: "por enquanto só quero terminar esse mandato, depois eu penso no que fazer no futuro".
Romário comentou também a sua performance sexual, ao ser questionado por Marcelo Tas sobre uma polêmica entrevista de 1999. "Eu disse que dava dez sem parar. E é verdade, fiz isso três vezes. Agora já faz uns anos que não tenho essa performance, mas ainda não tomo Viagra", garantiu, bem humorado. Em relação às mulheres, ele disse que prefere as brasileiras. "Elas sãos as que jogam melhor, e é muito importante falar a mesma língua no ato", justificou.
O deputado federal ainda criticou os preparativos para a Copa do Mundo de 2014, que acontece no Brasil. "Vão gastar mais de R$ 1 bilhão com cada estádio. É o jeito de roubar, e eles vão roubar", afirmou. De acordo com ele, a Copa será no Brasil, mas não será dos brasileiros. "Os ingressos custam US$ 50 no mínimo. As classes D e E não têm dinheiro para isso. Apenas quem tem mais condições vai poder assistir aos jogos", lamentou.
Famoso por não ter papas na língua, Romário também criticou Pelé e Mano Menezes. "Infelizmente o Pelé continua falando m... Ele disse que nós vamos fazer a melhor Copa do Mundo de todos os tempos. Isso é sonho dele", desabafou. "E, se a Copa fosse hoje, não passaríamos da primeira fase com esse time do Mano Menezes. O treinador da Seleção tinha que ser o Joel Santana, acho que deveriam dar uma chance a ele", sugeriu.

fonte: Terra.com.br






Cristiano Ronaldo nega escândalo que terminou com modelo em rio.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...
Capa de revista portuguesa publica confusão entre Cristiano Ronaldo e modelo português. Foto: Nova Gente/Reprodução

Uma grande polêmica envolvendo o nome de Cristiano Ronaldo é notícia na imprensa de Portugal. Na semana passada, a revista Nova Gentepublicou que amigos do jogador teriam atirado um famoso modelo português no Rio Tejo, em Lisboa. Nesta segunda-feira, segundo informam outros periódicos do país como Caras e Diário de Notícias, o atleta do Real Madrid divulgou um comunicado contando sua versão dos fatos.
» Vote na maior conquista amorosa de um jogador de futebol da EuropaDe acordo com a Nova Gente, a confusão ocorreu em 20 de maio, quando Cristiano Ronaldo desfrutava de sua última noite de folga antes de se apresentar à seleção portuguesa para a disputa da Eurocopa. A equipe lusitana integra o Grupo B do torneio, ao lado de Holanda, Dinamarca e Alemanha.
Nesse dia, ele foi premiado com o Globo de Ouro português de Melhor Desportista Masculino, mas não esteve no Coliseu dos Recreios para receber a honraria. Mesmo assim, ele participou do after-party na discoteca Urban Beach, em Lisboa. Lá, acompanhado de seu cunhado, José Pereira, e de um grupo de amigos, o atacante teria se interessado pela modelo Carolina Fernandes.
Segundo a revista, Cristiano Ronaldo deu ao cunhado a "missão" de conseguir o telefone da jovem, que teria recusado a oferta. Irritado, o atleta teria abordado pessoalmente Carolina e ainda assim recebeu a refuta da jovem.


fonte: terra.com.br


segunda-feira, 28 de maio de 2012

ONU convoca reunião de crise sobre Guiné-Bissau.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

Navi Pillay, Alta Comissária dos Direitos Humanos da ONU


Comissária dos Direitos Humanos, Navi Pillay (foto), está preocupada com instabilidade e abusos de direitos humanos desde golpe de Estado (12.04). Representantes internacionais querem unir forças para estabilizar país.
Um encontro sobre a crise na Guiné-Bissau, convocada pelo representante especial do secretário-geral da ONU no país, Joseph Mutaboba, reuniu nesta sexta-feira (25.05) representantes da CPLP (Comunidade dos Países de Língua Portuguesa), ONU, União Africana (UA), União Europeia (UE) e Comunidade Econômica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO), disse à Lusa fonte da Comunidade de Países de Língua Portuguesa. 

A reunião acontece nas instalações do gabinete de manutenção de paz das Nações Unidas (Uniogbis) em Bissau. Segundo a fonte da CPLP citada pela Lusa, que leu convocatória para o encontro, o objetivo da reunião é compartilhar diferentes perspectivas dos principais parceiros para reforçar a cooperação "com vista à harmonização e manutenção dos esforços em curso para apoiar a Guiné-Bissau".

Já na terça-feira (22.05), o secretário executivo da CPLP, Domingos Simões Pereira, anunciara que em breve surgiriam "novos canais de contacto" na questão do conflito na Guiné-Bissau, garantindo que a comunidade lusófona mantém "coordenação com várias instâncias a nível internacional".

ONU preocupada com instabilidade

A Alta Comissária das Nações Unidas para os Direitos Humanos, Navi Pillay, pediu nesta sexta-feira (25.03) governo de transição na Guiné-Bissau que respeite "completamente" os direitos humanos e garanta a liberdade de movimentos dos cidadãos.
ONU está preocupada com instabilidade recorrente e abusos de direitos humanos desde golpe
ONU está preocupada com instabilidade recorrente e abusos de direitos humanos desde golpe
Pillay mostrou-se preocupada com a contínua instabilidade no país e com as violações de direitos humanos cometidas desde o golpe de Estado de 12.04. "O governo de transição tem a clara missão de assegurar que todos os direitos humanos sejam respeitados e protegidos completamente, incluindo o direito à segurança daqueles que precisam de regressar às suas casas", disse a Alta Comissária.

Segundo a agência Lusa, Navi Pillay ainda deseja que, com o novo governo, a liberdade de movimentos seja garantida e pediu às novas autoridades a anulação da lista de 57 nomes de pessoas que estão proibidas de sair do país. Segundo Pillay, esta medida poderá constituir uma violação ao Pacto Internacional sobre Direitos Políticos e Civis que a Guiné-Bissau ratificou em 2010 e que estabelece que o direito a uma pessoa abandonar um país só pode restringir-se a circunstâncias muito específicas.

Novo governo

De lembrar que as novas autoridades da Guiné-Bissau receberam na terça-feira (22.05) o poder dos militares que protagonizaram o golpe de Estado de 12.04. O golpe ocorreu numa altura em que o país preparava a segunda volta das eleições presidenciais – na sequência da morte, em janeiro, do antigo presidente Malam Bacai Sanhá – e levou ao afastamento do presidente da República interino Raimundo Pereira e do primeiro-ministro e candidato presidencial Carlos Gomes Júnior, que se encontram atualmente em Portugal.

Após o golpe, um governo de transição foi nomeado com o apoio da CEDEAO e deverá promover a realização de eleições no prazo de um ano. Mas o governo não é reconhecido pelo restante da comunidade internacional.
 
Soldados no aeroporto internacional de Bissau; porta-voz do PAIGC disse que formação não vai "obedecer a dirigentes impostos" por CEDEAO"
Soldados no aeroporto internacional de Bissau; porta-voz do PAIGC disse que formação não vai "obedecer a dirigentes impostos" por CEDEAO"
Regime "tropacrático"

Também nesta sexta-feira, segundo notícia divulgada pela agência Lusa, o porta-voz do PAIGC, partido no poder na Guiné-Bissau até o golpe de Estado militar de 12.04, denunciou hoje o "regime tropacrático" que controla todas as instituições do Estado guineense.

"O PAIGC não reconhece este regime 'tropacrático', da tropa, que manda no Presidente, no governo e em todas as instituições da República", disse Fernando Mendonça.
Reunião da CEDEAO em abril decidiu enviar cerca de 600 policiais e soldados à Guiné-Bissau
Reunião da CEDEAO em abril decidiu enviar cerca de 600 policiais e soldados à Guiné-Bissau
"Hoje estamos no dia 25 de maio, dia da liberdade para África, mas infelizmente estamos num dia de opressão na Guiné-Bissau. Vivemos momentos difíceis mas que não nos fazem baixar os braços", declarou o porta-voz do Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC). Fernando Mendonça acredita também que os autores do golpe de Estado vão acabar por sair mais cedo ou mais tarde, cedendo "à pressão do povo".

Iancuba Indjai, líder da Frenagolpe (coligação de partidos e associações que contestam o golpe de Estado) admitiu que o golpe militar se consumou mas avisou que começa agora a desobediência civil do povo guineense aos dirigentes "impostos pela CEDEAO". "Não temos nada a ver com estes dirigentes impostos pela CEDEAO, por isso não lhes vamos obedecer", frisou Iancuba Indjai, que disse ser um alívio o fato de os militares terem anunciado que vão regressar às casernas deixando a gestão do país para os políticos.

Após reunião em finais de abril, a CEDEAO também decidiu enviar cerca de 600 policiais e militares para a Guiné-Bissau para ajudar a manter a segurança no período de transição, além de apoiar a reforma das forças de Defesa e Segurança da Guiné-Bissau. Nesta sexta-feira, 44 policiais nigerianos chegaram à Guiné-Bissau.

De lembrar que ainda está prevista a saída das tropas da missão angolana (Missang), que ainda estão no país, desconhecendo-se a data de saída.

Autor: RK/Lusa
Edição: António Rocha
fonte: DW

Obama "fartou-se" de fumar marijuana.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

Obama cumprimentando um funcionário de Serviços Gerais. (foto: do blog de Sampagode)

O Presidente dos Estados Unidos foi um entusiasta consumidor de marijuana na juventude. Nova biografia de Obama revela novos detalhes sobre este período da sua vida.Foram divulgados no fim de semana algumas páginas de uma nova biografia sobre o Presidente americano intitulada 'Barack Obama: The Story', de David Maraniss, que contém revelações sobre os seus hábitos na adolescência, nomeadamente sobre o seu hábito de consumir marijuana.
Embora o livro só esteja disponível a partir de 19 de junho, desde o fim de semana era possível consultar largos extractos no Google Books.
Assim fica-se a saber que, nos seus tempos de praticante de basquetebol e estudante no Havai, Obama integrava um círculo de amigos conhecido como Choom Gang, ou seja, os fumadores de marijuana.
O atual Presidente, segundo os relatos no livro de Maraniss, era um fumador ativo, inventivo e militante. Escreve o autor: "ao contrário de Bill Clinton, que disse nunca ter inalado, o mais importante para Obama era a inalação, que ele designava como 'absorção total' até aos pulmões". Se alguém no grupo o não fizesse, era penalizado com a perda de vez ao chegar o seu momento de fumar.
Segundo um membro do Choom Gang, "perder um bom fumo não era tolerado", revela Tom Topolinski.

fonte: DN.PT



GUINÉ-BISSAU... SEMPRE A DESGRAÇA.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...



Rusha, Tanzânia, 28 mai (Lusa) - Cabo Verde vai manter um crescimento económico alto e estável, mas a "fraca qualidade das suas infraestruturas" pode criar problemas nessa performance, assinala o relatório Perspetivas Económicas em África 2012, hoje divulgado em Arusha, Tanzânia.

O documento prevê um ligeiro crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) real, de 5,0 % em 2011 para 5,1% em 2012 e uma queda da inflação de 4,5 para 3,3% em igual período e elogia o país "por ser dos poucos em África que vai cumprir os oito Objetivos do Milénio".

No entanto, o documento, coproduzido pelo Banco Africano de Desenvolvimento (BAD), pela OCDE, pela Comissão Económica da ONU para a África (UNECA) e pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), assinala vários riscos para o arquipélago.

Angola: PIB pode crescer 8,2% e inflação baixar para 10% em 2012 -- projeções

Arusha, Tanzânia, 28 mai (Lusa) - O PIB de Angola pode crescer 8,2 por cento, empurrado pelo retorno das operações petrolíferas, segundo o relatório Perspetivas Económicas em África 2012, que projeta uma queda da inflação de 13,5 para 10 por cento.

O relatório, produzido em conjunto pelo Banco Africano de Desenvolvimento (BAD), pela OCDE, pela Comissão Económica da ONU para a África (UNECA) e pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), foi divulgado hoje no arranque da assembleia anual do BAD em Arusha, Tanzânia.

"Em 2011, o forte crescimento do setor não petrolífero foi contrabalançado por uma descida nas receitas do petróleo, como resultado da baixa produção e das exportações. Mas espera-se que o Produto Interno Bruto (PIB) real cresça substancialmente, quando os campos petrolíferos estão a voltar às operações e novos projetos começam a produzir", refere o relatório.

Moçambique: Crescimento "vai continuar robusto" em 2012 e 2013 - projeções

Arusha, Tanzânia, 28 mai (Lusa) - O PIB em Moçambique vai crescer de 7,2% em 2011 para 7,9% em 2013, prevê o relatório Perspetivas Económicas em África 2012, do Banco Africano para o Desenvolvimento, OCDE e ONU, hoje divulgado em Arusha, Tanzânia.

Este ano, o Produto Interno Bruto (PIB) terá uma taxa de crescimento de 7,5%, refere o documento, que associa a situação ao início das exportações de carvão e aos "fortes desempenhos nos serviços financeiros e setores de transportes, comunicações e construção".

Também a retoma do investimento direto estrangeiro, sobretudo no setor mineiro, o forte crescimento agrícola e os investimentos em infraestruturas deverão "conduzir a um forte crescimento real em 2012 e 2013", assinala o relatório.

Guiné-Bissau: Instabilidade política compromete crescimento económico -- projeções

Arusha, Tanzânia, 28 mai (Lusa) - O flagelo da contínua instabilidade política compromete o crescimento da economia na Guiné-Bissau, quase totalmente dependente do preço do caju no mercado mundial, adverte uma projeção económica sobre o país, hoje divulgada.

Além dos efeitos da instabilidade política, de que o mais recente retrato é o golpe militar de abril passado, a economia do país deverá ressentir-se da provável baixa de preços do caju no mercado mundial, em consequência da crise que atravessa a União Europeia.

"A taxa de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) irá abrandar em 2012 e em 2013 e o défice da conta corrente irá agravar-se", prevê o relatório Perspetivas Económicas em África 2012, coproduzido pelo Banco Africano de Desenvolvimento (BAD), pela OCDE, pela Comissão Económica da ONU para a África (UNECA) e pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), hoje divulgado em Arusha, Tanzânia.
fonte: Pravda News
  Autor: Miguel Angel Suarez                                                                                                                     

















































































sábado, 26 de maio de 2012

Guiné-Bissau: MAIS DE 40 POLÍCIAS NIGERIANOS CHEGARAM.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...



 A CEDEAO decidiu o envio de cerca de 600 polícias e militares para a Guiné-Bissau, que irão ajudar a manter a segurança no período de transição (um ano) e apoiar a reforma das forças de Defesa e Segurança da Guiné-Bissau.

Paralelamente à entrada da força da CEDEAO, comandada pelo coronel Barro Gnibanga, do Burkina Faso, está prevista a saída das tropas da missão angolana (Missang), que ainda estão no país, desconhecendo-se a data de saída.

Sindicatos apelam para que funcionários públicos regressem ao trabalho partir segunda-feira

Bissau, 25 mai (Lusa) - Líderes dos dois principais sindicatos da Guiné-Bissau apelaram hoje aos funcionários públicos para que retomem o trabalho na administração estatal a partir de segunda-feira e exortaram o Governo de transição a pagar dois meses de salários aos trabalhadores.

O apelo foi lançado em conferência de imprensa promovida por Filomeno Cabral, secretário-geral da Confederação Geral dos Sindicatos Independentes (CGSI, central sindical) e Estêvão Có, secretário-geral da UNTG (União Nacional dos Trabalhadores da Guiné, central sindical).

Os dois responsáveis sindicais afirmam que com a formação de um Governo de transição os funcionários públicos devem regressar ao trabalho na sequência do apelo ao boicote feito um dia depois do golpe de Estado.

"Tínhamos dito aos funcionários que ficassem em casa para garantir a sua segurança e das instituições, mas também como forma de protesto contra o golpe militar, agora viemos pedir-lhes que voltem aos seus locais de trabalho a partir de segunda-feira", disse Filomeno Cabral.

O secretário-geral da CGSI instou o novo Governo para que pague dois meses de salário aos funcionários públicos, caso contrário, avisa, "pode haver uma atitude de luta dos trabalhadores".

O secretário-geral da UNTG, Estêvão Có agradeceu a compreensão dos funcionários públicos pela forma "patriótica como responderam aos apelos" dos sindicatos, ficando em casa desde o dia do golpe de Estado (12 de abril) até hoje.

Além do pagamento dos salários dos meses de abril e maio, os dois sindicatos querem que o novo Governo tome medidas no sentido de baixar os preços dos produtos da primeira necessidade de consumo, que dizem, estão "exorbitantes desde o golpe de Estado".

Sobre o apelo da Frenagolpe (coligação de partidos e associações que contestam o golpe de Estado) para uma desobediência civil, os dois sindicatos demarcam-se dessa posição, frisando ser uma medida política.

O secretário-geral da CGSI disse, contudo, não compreender o facto de ainda existir militares armadas às portas de alguns ministérios ou repartições do Estado.

"Se os militares disseram que devolveram o poder aos civis e que voltaram aos quartéis, porque é que ainda estão nalgumas repartições públicas?", questionou Filomeno Cabral.
 
fonte: Pravda News


Total de visualizações de página