Postagem em destaque

ADIAMENTO DO PRESIDENCIAL NO SENEGAL: Macky Sall na lógica do segundo melhor?

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!... No Senegal, apanhado por uma forte tempestade desde o anúncio do adi...

quarta-feira, 31 de maio de 2017

Senegal: precisão do porta-voz precisão da AFP: O salário do Presidente da Assembleia Nacional é de 4,5 milhões de francos CFA.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

Précision du porte-parole de l’Afp : Le salaire du président de l’Assemblée nationale est de 4,5 millions de FCfa

Em um comunicado recebido pela nossa equipe editorial, o porta-voz da Aliança das Forças do Progresso (AFP), disse que o salário do presidente da Assembleia Nacional, Moustapha Niasse, equivale à soma de 4.500.000 francos CFA contrariamente às informações publicadas na imprensa e em alguns sites. De acordo com o porta-voz, o presidente da Assembleia Nacional tem um pay grade-mensal de 400.000 francos CFA, ao qual é adicionado um subsídio de função de 200.000 francos CFA. Ele explicou que o valor tributável grosseiro é de 600.000 francos CFA com as seguintes deduções: mínimo Imposto: 1.000 francos CFA; Impostos sobre o Rendimento: 36.167 francos CFA; dinheiro para a aposentadoria dos membros da Assembleia Nacional: 36.000 francos CFA, perfazendo um total de deduções de 72.167 francos CFA. Ainda há 527.833 francos CFA além de um subsídio de representação de: 3.973,167 francos CFA. Este benefício, em princípio, é exigido por lei desde 1960. Ele observou um status que remonta há muitos anos, disse que o documento recebido acrescenta e traz o total líquido a pagar: 4.500.000 francos CFA.

Quanto a "fundo social" que é disponibilizado ao Presidente da Assembleia Nacional, ele é usado ​​para ajudar as pessoas, o porta-voz diz que é uma tradição que é consagrada desde a independência até a presente data. "Esta é uma quantidade de dinheiro alocado a uma instituição republicana soberana, emanação do povo e gerida de forma responsável e transparente", escreveu o porta-voz.

fonte: lesoleil.sn



Que desafios tem Angola pela frente?

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

O futuro económico e político de Angola, na era pós-José Eduardo dos Santos, esteve em debate em Berlim. O Fórum Angola 2017 foi organizado pelo instituto britânico Chatham House e pela Fundação alemã Konrad Adenauer.
fonte: DW ÁFRICA
Angola Luanda Porto Luanda (DW/C.V. Teixeira)
A três meses das eleições em Angola, a Fundação Konrad Adenauer quer chamar a atenção para a situação política no país, sobretudo numa altura em que cresce o interesse alemão pelo continente. Angola aproxima-se de um momento decisivo, sublinha Andrea Ostheimer, diretora do Departamento da África Subsariana da organização - o Presidente angolano, José Eduardo dos Santos, já não se candidata às próximas eleições, agendadas para 23 de agosto.
"Haverá outro candidato do MPLA [Movimento Popular de Libertação de Angola, no poder]. E temos mais forças políticas do que [nas eleições de] 2012. Dessa forma, acho que o jogo é um pouco mais aberto", disse em entrevista à DW África, na terça-feira (30.05.).
Herança pesada e muitos desafios
Para Andrea Ostheimer, o novo Governo terá de investir na luta anticorrupção e restabelecer a confiança dos cidadãos e dos investidores.
Além de problemas políticos e sociais, Angola continua a atravessar uma grave crise económica e financeira. A dependência do petróleo é um grande obstáculo à recuperação da economia.
Por isso, depois de 23 de agosto, os novos governantes têm pela frente muitos desafios. E uma herança pesada, afirma o vice-presidente do maior partido da oposição, a União Nacional para a Independência Total de Angola (UNITA).
"Vamos herdar um país que tem uma dívida cujo peso praticamente ninguém conhece", comenta Raul Danda. "Vamos ter de reconstruir muita coisa que foi mal construída e sobretudo credibilizar o país aos olhos da comunidade internacional."
Berlin Raul Danda aus Angola bei Angola Forum 2017
Raul Danda: "Vamos ter de reconstruir muita coisa que foi mal construída"
É preciso investir mais no mercado angolano, apela a presidente da Câmara de Comércio Estados Unidos-Angola (USACC). Maria da Cruz lembra aos empresários que não é preciso esperar por agosto: "Sabemos que ainda há investidores com receio, mas quem acredita no mercado e entra agora terá maior retorno do que se esperar até às eleições."
Mudança
O futuro de Angola terá necessariamente de passar pela diversificação económica, defende o especialista Alex Vines, do instituto britânico Chatham House, que também acredita em mudanças dentro do próprio MPLA.
"A era de José Eduardo dos Santos acabou e agora há um processo de mudança em Angola, e acho que essa mudança seria boa para o país. O ponto central desta mudança seria menos poder na Presidência e mais poder e mais discurso e debate dentro do MPLA", refere.
Angola Forum 2017 - Alex Vines
Alex Vines: "A era de José Eduardo dos Santos acabou"
Vines lamenta, no entanto, que não haja uma oposição unida em Angola. Mas a UNITA não quer ouvir falar em coligações - muito menos com a Convergência Ampla de Salvação de Angola - Coligação Eleitoral (CASA-CE). Se vencer, o partido do Galo Negro quer investir num GIP: um Governo Inclusivo e Participativo.
"É um Governo no qual participa toda a gente, aos mais variados níveis, não em função do cartão de membro, como tem feito o MPLA nos últimos 42 anos de existência do país, mas em função da competência e da honestidade das pessoas", explica Raul Danda. "Havendo um mínimo de transparência, a UNITA tem tudo para ganhar as eleições."

MENINO ESQUECE DE LEVAR PASTA À ESCOLA E SUICIDA-SE POR MEDO DE CASTIGO.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

MENINO ESQUECE DE LEVAR PASTA À ESCOLA E SUICIDA-SE POR MEDO DE CASTIGO

Tyrese Glasgow, de 12 anos que  esqueceu de levar a pasta para a escola, tomou uma medida drástica, por medo de ser repreendido.

Conta o Daily Mail que o menino de Greater Manchester apenas reparou que se esquecera da mochila quando já ia a caminho da escola. Para evitar receber um recado na caderneta da escola decidiu voltar atrás.

Quando chegou a casa, deu-se conta de que não tinha as chaves de casa e ao invés de voltar à escola, tomou uma medida drástica.


O menino terá, eventualmente, arranjado forma de entrar na casa, mas ao invés de buscar o material escolar, enforcou-se no seu próprio quarto.

O seu corpo foi descoberto depois de funcionários da escola terem ligado à mãe do aluno preocupados por este ter faltado às aulas.

Escola e mãe dizem que este era um menino exemplar e que não percebem o que o levou a tomar uma atitude tão radical.

Notícias ao Minuto, in https://noticias.mmo.co.mz

MULHERES DE ESPAÇO DE CONCERTAÇÃO DOS PARTIDOS POLÍTICOS DEMOCRÁTICOS ENTREGAM MEMORANDO À CEDEAO.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...


As mulheres dos partidos que constituem espaço de concertação dos partidos políticos democráticos ameaçam realizar marchas e vigília junto a sede da CEDEAO se este não tomar medidas para pôr cobro a crise guineense.

Estas intenções foram manifestadas esta terça-feira por uma das participantes Mariama Sadjo Djalo após entrega de um memorando a esta organização sub-regional.

«Exigimos a CEDEAO que as mulheres devem ser ouvidas e tidas em conta em todo este processo de resolução já demasiado moroso para isso, advertimos que em caso as nossas exigências não sejam tidas em conta, nós as mulheres, iremos proceder as marchas e vigílias permanentes na sede da CEDEAO, responsabilizando a organização pelo que possa suceder no país».

Entretanto, Lígia Monteiro participante da marcha sublinhou que a delegação da CEDEAO prometeu transmitir a mensagem das mulheres aos responsáveis máximos da organização, para depois realçar que a decisão vem na sequência das actividades que estão sendo feitas no sentido de pressionar a CEDEAO para que se cumpra o acordo de Conacri.

De referir que no memorando entregue a CEDEAO, as mulheres exigem a organização que assuma as suas responsabilidades de forma clara, coerente, responsável e inequívoco sob pena de perder a sua credibilidade enquanto organização regional.

Por: Nautaran Marcos Có/radiosolmansi com Conosaba do Porto

Total de visualizações de página