Postagem em destaque

CONCESSÃO DO PRÊMIO HOUPHOUET BOIGNY PELA BUSCA DA PAZ EM RCI: Os marfinenses poderão finalmente se olhar no espelho?

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!... Realiza-se esta quarta-feira, 8 de fevereiro de 2023, em Yamoussoukr...

terça-feira, 27 de março de 2018

EUA e países europeus expulsam diplomatas russos.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

Em resposta a ataque a ex-espião russo no Reino Unido, EUA anunciam medida contra 60 representantes da Rússia. Decisão semelhante é tomada por 16 países da União Europeia, incluindo Alemanha, Polônia e França.
Embaixada russa nos EUA
Embaixada russa nos EUA
Em reação ao envenenamento no Reino Unido do ex-espião russo Serguei Skripal, os Estados Unidos decidiram expulsar 60 diplomatas da Rússia e fechar o consulado do país em Seattle, afirmou o governo americano nesta segunda-feira (26/03). Medidas semelhantes foram anunciadas por 16 países da União Europeia (UE), além de Canadá, Ucrânia, Noruega e Austrália.
A porta-voz da Casa Branca, Sarah Sanders, afirmou que as medidas, parte de uma ação coordenada contra Moscou, foram tomadas "em resposta ao uso da Rússia de uma arma química de nível militar no solo do Reino Unido". Trata-se da ação mais dura já anunciada pelo governo do presidente Donald Trump contra a Rússia. 
Funcionários do governo dos EUA afirmaram que 48 "conhecidos agentes de inteligência" que trabalham nos EUA e 12 outros na missão russa da ONU têm agora sete dias para deixar o país.
Segundo o governo americano, o consulado russo em Seattle será fechado por ser usado para ações de espionagem contra a base naval da Marinha americana de Kitsap e a Boeing.
A Casa Branca diz que as expulsões "tornarão os EUA mais seguros". Sanders afirmou em comunicado que a medida irá reduzir "a capacidade da Rússia de espionar americanos e a conduzir operações encobertas que ameacem a segurança nacional dos EUA".
O Canadá também anunciou expulsões.A medida afeta quatro oficiais russos de inteligência que servem na embaixada em Ottawa e no consulado em Montreal e três outros que se candidataram para trabalhar no país.
"Os quatro usaram seu status diplomático para minar a segurança do Canadá ou interferir na democracia do Canadá", afirmou a ministra do Exterior canadense, Chrystia Freeland, em comunicado. Ela disse que as solicitações para os outros três serão negadas.
Solidariedade ao Reino Unido
Na UE, segundo o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, não são descartados passos adicionais, como mais expulsões, a serem anunciados nos próximos dias. Alemanha, França, Polônia, Lituânia, República Tcheca e Itália estão entre os países que anunciaram expulsões de diplomatas russos.
A Alemanha decidiu expulsar quatro diplomatas russos. A decisão de Berlim foi baseada, por um lado, na solidariedade ao Reino Unido e, por outro, na recusa de Moscou em colaborar para o esclarecimento sobre o uso de armas químicas em território britânico. 
A Alemanha disse que a medida também é uma resposta a um ataque cibernético contra o Ministério do Exterior da Alemanha, que se acredita ter sido lançado a partir da Rússia.
A República Tcheca anunciou nesta segunda-feira a expulsão de três diplomatas russos. Polônia e França afirmaram que expulsarão quatro diplomatas cada um. A Lituânia também expulsou quatro diplomatas, e Itália e Holanda, dois diplomatas cada um. Finlândia e Estônia estão expulsando um diplomata russo cada.
O ministro do Exterior francês, Jean-Yves Le Drian, disse que o ataque de Salisbury foi "uma grave ameaça à nova segurança coletiva e às leis internacionais" e que estava agindo "em solidariedade a nossos parceiros britânicos".
A Ucrânia, que não é membro da UE, também anunciou a expulsão de 13 diplomatas russos. "A Rússia confirmou mais uma vez sua atitude desdenhosa não apenas em relação à soberania de Estados independentes, mas também com o valor da vida humana", disse o presidente ucraniano, Petro Poroshenko. "A Ucrânia sente isso todos os dias nas regiões ucranianas ocupadas da Crimeia e de Donbass."
Caso Skripal
O caso Skripal provocou uma severa crise diplomática entre Rússia e Reino Unido. O ex-espião russo, de 66 anos, e sua filha Yulia, de 33, permanecem internados em estado crítico, mas estável, desde que foram encontrados inconscientes, em 4 de março passado, num banco próximo a um parque na cidade de Salisbury. Moscou nega envolvimento no caso.
A primeira-ministra britânica, Theresa May, elogiou as retaliações a Moscou anunciadas nesta segunda-feira. "Saudamos as ações de hoje de nossos aliados, que claramente demonstram que todos estamos ombro a ombro no envio de um sinal mais forte à Rússia, que não pode continuar a desrespeitar o direito internacional", afirmou a premiê.
O ministro do Exterior britânico, Boris Johnson, chamou a ação coordenada internacional de "a maior expulsão coletiva de funcionários de inteligência russos da história", além de classificar as expulsões de "uma resposta internacional extraordinária de nossos aliados", que visa mostrar que "a Rússia não pode desrespeitar regras internacionais impunemente".
Depois que o Reino Unido determinou a expulsão de 23 diplomatas russos, a Rússia respondeu com a mesma medida contra 23 diplomatas britânicos.
A Rússia anunciou que responderá às expulsões com medidas similares, a serem anunciadas nos próximos dias. "O princípio da reciprocidade vai valer em cada um dos casos", afirmou o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, de acordo com a agência de notícias Tass.
MD/EK/afp/rtr/dpa

Brasil: Lula sugere que manifestantes guardem rojões para sua posse.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...



Ao discursar, Lula voltou a criticar o uso de ovos para atingi-lo, afirmando que essa uma demonstração de descaso com os mais pobres.
Lula em caravana no Paraná
Lula em caravana no ParanáFoto: Ricardo Stuckert/Fotos Públicas

Uma hora depois de ser obrigado a usar um carro de passeio para chegar ao centro de Francisco Beltrão, no Paraná, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ironizou nesta segunda-feira (26) os manifestantes que bloquearam o acesso de sua caravana à cidade.

"Fico satisfeito quando vejo esses meninos soltarem rojão. Fiz campanha em 1989, 1994 e 1998 e não tinha dinheiro para soltar rojão. Queria pedir para eles: guardem o rojão para soltar quando eu tomar posse no dia 1º de janeiro". Ao discursar, Lula voltou a criticar o uso de ovos para atingi-lo, afirmando que essa uma demonstração de descaso com os mais pobres.

Leia também:
Manifestantes bloqueiam acesso de caravana de Lula no Paraná
Defesa de Lula deve apresentar novo recurso ao TRF4


O ex-presidente disse que não consegue entender o ódio estabelecido neste país. Ele afirmou também que até 2013 a gente vivia em um país onde as pessoas aprendiam a conviver democraticamente na diversidade.

Ele listou as eleições que disputou, segundo ele, sem briga. "Não viram ninguém tacar ovo. O cara que ataca deveria dar ovo para muita gente nesse estado que não tem ovo para comer. A demonstração do descaso dessa gente com o povo trabalhador é que estão jogando ovo", discursou.

No palco montado na praça central da cidade, Lula relatou ter visto duas mulheres com uma cesta cheia de ovos. "Deveriam dar para a empregada dela o ovo para jantar hoje à noite".

As duas mulheres, de cerca de 50 anos, a quem Lula se referiu, o aguardavam na beira da estrada na cidade de Marmeleiro, a caminho de Francisco Beltrão. À passagem da caravana, elas correram em direção à pista para lançar os ovos. Pouco acertaram.

Padrão
Esses protestos isolados destoam do padrão evidenciado na fase sulista da caravana do ex-presidente, em que jovens brancos de classe média usam carros, caminhonetes e máquinas agrícolas para obstruir o caminho da caravana.

Em menor número, mulheres de cerca de 50 anos engrossam a manifestação. São grupos de cerca de 50 pessoas, compostos, em sua maioria, por simpatizantes do deputado Jair Bolsonaro (PSL). Sua estratégia é definida em troca de mensagens pelo WhatsApp. Conhecedores das regiões por onde a caravana passa, bloqueiam vias secundárias. 

Altos e fortes, são capazes de subir o tom de voz com os policiais. No Rio Grande do Sul, chegaram a xingar os soldados da Brigada Militar. Carregam cartazes com xingamentos. No Rio Grande do Sul, deram início ao arremesso de ovos e à queima de pneus para o ataque à caravana.

Usam carros de som, trio elétricos e rojões para abafar o discurso do ex-presidente.
Nos cartazes, xingamentos e a torcida para que Lula seja preso. Na camiseta, as cores da bandeira nacional ou mensagens de apoio a Bolsonaro.

Chamam jornalistas de comunistas e desafiam os seguranças da caravana. No Rio Grande do Sul, um pixuleco gigante entre as grades de uma cela percorreu as cidades por onde Lula andou, um sinal de que lá o movimento foi previamente organizado.

Os métodos se espalharam pelos outros estados, sendo menos organizado em Santa Catarina e no primeiro dia do Paraná. Há, pelo menos, três categorias de manifestantes: apoiadores de Bolsonaro, integrantes do MBL e pais de família que veem no MST uma organização criminosa. Como em torcidas organizadas, eles esperam os atos acabarem para furar pneus e cercar participantes de atos pró-Lula.

fonte: folhape.com.br

Brasil: TRF-4 nega recurso de defesa de Lula.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

TRF4
TRF4Foto: reprodução/vídeo




Na ação, Lula foi acusado pelo Ministério Público Federal de receber da construtora OAS um tríplex reformado em Guarujá (SP) como propina
A 8ª turma do TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região) negou, nesta segunda-feira (26), mudar a decisão que condenou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no caso tríplex e abriu caminho para a determinação da prisão do petista.

No entanto, Lula não pode ser preso até pelo menos o dia 4 de abril, quando o STF (Supremo Tribunal Federal) prevê julgar habeas corpus apresentado pelos advogados do ex-presidente. Até lá, uma decisão liminar impede que ele seja preso.

Ao ler o seu voto, o relator João Pedro Gebran Neto afirmou que manteve o mérito da decisão que condenou Lula.

Leia também:
[Vídeo] TRF4 julga nesta segunda recurso da defesa de Lula contra condenação em 2ª instância; entenda


Gebran disse que, em seu voto, tratou em todos os pontos questionados pela defesa de Lula. Afirmou que não houve omissões ou obscuridades na sentença. Ele foi seguido pelos juízes Leandro Paulsen e Victor Laus.

No entanto, ele retificou algumas passagens do voto "que dizem respeito a erros materiais", como quando redigiu erroneamente o nome de empresas do grupo OAS, como "construtora OAS" ou "OAS empreendimentos".

Caso o Supremo decida de forma contrária ao habeas corpus, cabe ao juiz Sergio Moro executar a prisão de Lula. Desde agosto do ano passado, ele já tem determinado a prisão de réus da Lava Jato cujos recursos em segunda instância se esgotaram.

Os juízes federais da 8ª turma do TRF-4, João Pedro Gebran Neto, Leandro Paulsen e Victor Laus, já haviam afirmado que o petista deveria começar a cumprir a pena após a condenação na segunda instância.

Lula havia apresentado os recursos, chamados embargos de declaração, no dia 20 de fevereiro, quase um mês depois de ter a pena aumentada para 12 anos e um mês pelos juízes. 

Em primeira instância, ele já havia sido condenado por Moro a nove anos e seis meses de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro.

Em teoria, os embargos de declaração pedem, apenas, esclarecimentos sobre a sentença, não podendo reverter a condenação - mas a defesa enviou ao tribunal 175 páginas que contestavam a decisão.

Com a decisão contrária, a defesa ainda pode apresentar recursos ao STJ (Superior Tribunal de Justiça) e ao STF. Esses recursos são encaminhados, primeiro, ao próprio TRF-4, que decide se irá remetê-los aos tribunais superiores.

Na ação, Lula foi acusado pelo Ministério Público Federal de receber da construtora OAS um tríplex reformado em Guarujá (SP) como propina de parte de um acerto da empreiteira com o PT em contratos com a Petrobras.

O ex-presidente sempre negou as acusações e ainda responde a outras seis ações na Lava Jato e Zelotes, duas delas conduzidas por Moro e outras quatro na Justiça Federal de Brasília.

Ao votar para elevar a pena de Lula, em janeiro, o juiz Paulsen disse que levou em conta o fato de o petista ter ocupado o mais alto cargo do país. "É um elemento importantíssimo", disse o magistrado. "A prática de crimes no exercício do cargo ou em função dela é algo incompatível."

Ele afirmou que a participação de Lula em desvios na Petrobras é "inequívoca". "Há elementos de sobra a demonstrar que [Lula] concorreu para os crimes de modo livre e consciente, para viabilizar esses crimes e perpetuá-los."

No dia 4, quando o habeas corpus pode ser julgado, ocorrerá a próxima sessão plenária do Supremo. Durante o feriado da Semana Santa e, de quarta-feira (28) a domingo (1º), os ministros estarão de folga, conforme uma lei de 1966 que amplia o recesso.

Eduardo Cunha
Nesta segunda, os juízes também negaram os embargos de declaração do ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (MDB).

Cunha foi julgado em novembro de 2017 e, na época, teve a pena reduzida pela 8ª turma de 15 anos e quatro meses para 14 anos e seis meses de prisão.

fonte: folhape.com.br

Rússia: Policiais corruptos e seus comparsas das milícias.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

 Fonte de informações: 

Pravda.ru

 
Policiais corruptos e seus comparsas das milícias. 28458.jpeg

Policiais corruptos e seus comparsas das milícias teriam executado Marielle para desacreditarem a intervenção.

Celso Lungaretti, no Correio da Cidadania
O de­sen­rolar das in­ves­ti­ga­ções po­li­ciais com­prova o acerto da pos­tura cau­te­losa ado­tada por nós quando tudo que havia sobre a exe­cução da ve­re­a­dora Ma­ri­elle Franco eram hi­pó­teses, ge­ral­mente for­mu­ladas com viés ten­den­cioso, pois o que seus au­tores vi­savam era, com exer­cí­cios de re­tó­rica, atri­buir a priori a culpa àqueles de quem não gostam.

Hoje todos os in­dí­cios apontam na mesma di­reção: a banda podre da po­lícia es­ta­dual, te­mendo que a in­ter­venção fe­deral co­lo­casse seus ex­po­entes do lado de dentro das celas, atentou contra Ma­ri­elle para de­sa­cre­ditar dita in­ter­venção.

E o fez em con­junto com os mi­li­ci­anos que, aliás, são gê­meos si­a­meses dos cor­ruptos que ainda per­ma­necem na folha de pa­ga­mento do Es­tado. Afora os mais do que fre­quentes casos de dupla mi­li­tância...

Pa­recem-me ir­re­fu­tá­veis as con­clu­sões do jor­na­lista e blo­gueiro Jo­sias de Souza em post deste sá­bado (17), Di­gi­tais do Es­tado abundam na morte de Ma­ri­elle:

"...​as ima­gens cap­tadas por câ­meras ao longo do tra­jeto de Ma­ri­elle vão dis­si­pando as in­cer­tezas. Já não há a mais re­mota dú­vida de que Ma­ri­elle e seu mo­to­rista foram pas­sados nas armas com mé­todo. Coisa de pro­fis­si­o­nais. (...) A pró­pria Po­lícia Civil flu­mi­nense in­formou aos es­ca­lões su­pe­ri­ores que sua prin­cipal linha de in­ves­ti­gação é a se­guinte: a exe­cução foi pla­ne­jada e exe­cu­tada por po­li­ciais ou ex-po­li­ciais que atuam em mi­lí­cias.
 
Es­con­didos num carro es­ta­ci­o­nado atrás do veí­culo de Ma­ri­elle, os as­sas­sinos po­de­riam ter dis­pa­rado contra ela na Rua dos In­vá­lidos, na saída do so­brado em que a ve­re­a­dora se reuniu com um grupo de mu­lheres ne­gras. Mas fi­zeram questão de os­tentar a pró­pria des­treza. Se­guiram o alvo por cerca de 15 mi­nutos, em dois carros. Um deles em­pa­re­lhou com o veí­culo em que es­tava Ma­ri­elle. Os vi­dros es­curos não pre­ju­di­caram a pon­taria di­re­ci­o­nada para vulto aco­mo­dado no banco de trás.

In­ter­venção fe­deral era o alvo por trás de Ma­ri­elle? 

Se as sus­peitas dos in­ves­ti­ga­dores es­ti­verem cor­retas, Ma­ri­elle e An­derson foram exe­cu­tados com as balas fe­de­rais (des­vi­adas) da PF, dis­pa­radas por ma­ta­dores ainda pen­du­rados na folha es­ta­dual ou as­sas­sinos que apro­veitam o trei­na­mento que re­ce­beram às custas do Es­tado para em­pre­ender no ramo da bar­bárie. 

Em por­tu­guês claro: a menos que as apu­ra­ções so­fram uma re­vi­ra­volta, há uma enorme pro­ba­bi­li­dade de emergir das in­ves­ti­ga­ções um as­sas­si­nato, por assim dizer, es­tatal. 

Em lin­guagem ainda mais clara: na guerra que Temer de­fla­grou ao as­sinar o de­creto de in­ter­venção, em 16 de fe­ve­reiro, o pri­meiro ini­migo a ser en­fren­tado é o ban­dido do­més­tico, in­fil­trado nas forças de se­gu­rança do Es­tado".

E se as apu­ra­ções não so­frerem tal re­vi­ra­volta, acres­cento eu, o quadro que se de­senha é de­vas­tador para nossa es­querda des­vir­tuada (a es­querda que de­sistiu de fazer a re­vo­lução e só pensa em vencer a eleição pre­si­den­cial para re­cu­perar suas bo­qui­nhas e bo­conas, dei­xando o povo à mercê dos ex­plo­ra­dores de sempre, pois na de­mo­cracia bur­guesa quem manda é o poder econô­mico en­quanto os três po­dres Po­deres fazem fi­gu­ração).

Assim é que, ten­tando tirar das forças go­ver­nistas um pos­si­vel­mente im­por­tante trunfo elei­toral, a es­querda des­vir­tuada apontou toda a sua ar­ti­lharia contra a in­ter­venção, fa­zendo exa­ta­mente o que dela es­pe­ravam os ban­didos da po­lícia es­ta­dual e das mi­lí­cias. Ser jo­guete dessa es­cória é uma hu­mi­lhação ex­trema!

In­fe­liz­mente, para os que per­ma­ne­cemos na es­querda por ide­a­lismo e não por in­te­resse não há opção con­for­tável no caso do Rio de Ja­neiro.

De um lado o con­trole mi­litar dos morros, do outro lado o con­trole cri­mi­noso da so­ci­e­dade. Apoiar o pri­meiro im­plica co­o­nestar o uso ex­ces­sivo da força e fa­vo­recer o au­to­ri­ta­rismo. Apoiar o se­gundo é deixar o povo sub­ju­gado a gângs­teres, atin­gido por balas per­didas ou fogos cru­zados, im­po­tente di­ante de es­qua­drões da morte.

O co­me­zinho bom senso nos in­dica que o pior ce­nário é o de o Brasil se tornar algo como a Colômbia do tempo em que o Cartel de Me­dellín e o Cartel de Cali eram os po­deres su­premos da­quela re­pú­blica.

O fra­casso da in­ter­venção fe­deral seria de­sas­troso, porque daria ao Es­tado do Crime a cer­teza de que ele tudo pode, ani­mando-o a alçar voos ainda mais altos. Aca­ba­remos sub­me­tidos a al­guma versão bra­zuca do Pablo Es­cobar, talvez o Ca­pitão Gui­ma­rães...

Por­tanto, apesar de todas as res­salvas que lhe fa­zemos, é me­lhor que a in­ter­venção fe­deral re­sulte e que os Gui­ma­rães sejam de­tidos antes de cres­cerem de­mais.

O papel da es­querda, ra­ci­o­ci­nando como es­querda e não mo­vida por con­ve­ni­ên­cias elei­to­reiras, de­veria ser o de exercer atenta vi­gi­lância sobre a atu­ação do Exér­cito, de­nun­ci­ando ex­cessos e pro­te­gendo o povo, mas não o de le­vi­a­na­mente con­correr para a sua der­rota, pois as con­sequên­cias tendem a ser as mais in­de­se­já­veis pos­sí­veis.

Celso Lun­ga­retti é jor­na­lista.
Blog: Náu­frago da Utopia.

Rússia promete responder a sanções dos Estados Unidos e mais 16 países.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

Vladimir Putin prepara represália

Estados Unidos e 16 países aplicam sanções ao Moscovo
O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou hoje a expulsão de 60 russos - incluindo diplomatas e outros funcionários do Governo – do país e o encerramento do consulado russo em Seattle.
Outros 14 países europeus, a Ucrânia e o Canadá também anunciaram medidas contra a Rússia.
A reacção em bloco é uma retaliação contra o envenenamento de um ex-espião russo na Inglaterra que, segundo Londres, foi realizado pelas autoridades de Moscou.
O Ministério dos Negócios Estrangeiros da Rússia, que nega o envolvimento no caso, promete responder a cada país na mesma medida em breve.
Em Bruxelas, o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, confirmou a decisão dos países europeus.
"Decidimos chamar o embaixador da UE na Rússia para consultas. Como uma resposta directa à decisão do Conselho Europeu da semana passada de responder à Rússia no âmbito de um quadro comum, 14 Estados-membros decidiram expulsar diplomatas russos. Medidas adicionais, incluindo outras expulsões no quadro comum da UE, não devem ser excluídas nos próximos dias e semanas”, sublinhou Tusk.
Além dos Estados Unidos e dos países europeus, Canadá e Ucrânia juntaram-se a esse movimento sem precedentes desde a Guerra Fria.
Fontes do Governo americano afirmam que os russos expulsos eram "espiões que trabalhavam nos Estados UNidos sob uma capa diplomática".
Também estão na lista do Governo, russos que integravam a missão do país nas Nações Unidas.
A primeira-ministra britânica, Theresa May, disse que as medidas coordenadas “demonstram claramente que nós estamos lado-a-lado no envio de um sinal mais forte para a Rússia de que ela não pode continuar a desprezar a lei internacional”.
Ameaça
Uma primeira reacção do Governo de Moscovo surgiu da porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, Maria Zakharova, que na sua página de Facebook lançou um ataque retórico preventivo, no qual descreve os Estados ocidentais como se comportando "como súbditos leais" ansiosos para fazer o leilão de Londres.

O Ministério das Relações Exteriores da Rússia classificou as decisões de um "gesto provocativo" e prometeu responder.
O porta-voz do Kremlin disse que a resposta do Ocidente foi um "erro" e que o Presidente Vladimir Putin tomará uma decisão final sobre a resposta da Rússia.

Moscovo voltou a negar estar por trás do ataque ao ex-expião duplo russo Sergei Skripal e sua filha na cidade de Salisbury, no sul da Inglaterra, a 4 de Março.
Ambos permanecem gravemente doentes no hospital.

fonte: VOA

    Luanda: Escola "Angola e Cuba" abandonada há oito anos.

    NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

    Chegou a acolher cerca de dez mil alunos. Hoje, o interior desta escola está transformado num depósito de lixo e latrina pública. Ex-alunos lamentam a situação e põem em marcha abaixo assinado para salvar instituição.
    fonte: DW África
    Luanda: Angola und Kuba Schule vor acht Jahren verlassen
(DW/B. Ndomba
)
    As autoridades angolanas nada fizeram para restaurar a Escola "Angola e Cuba" desde que esta foi encerrada, devido a receios sobre abalos da estrutura. A DW África esteve neste estabelecimento de ensino e constatou o estado de abandono em que se encontra. Há lixo em todos os compartimentos, vidros partidos e  paredes escritas. As antigas salas de aula servem agora de latrinas para alguns e de esconderijo para criminosos.
    é caso único
    Segundo os munícipes, esta não é a única escola neste estado. Gaspar Reis, morador do Cazenga e ex-aluno da "Angola e Cuba", afirma que no distrito urbano do Quimaquienda há outra escola "abandonada há quase dez anos". "Mesmo no tempo das aulas a escola já estava péssima e as salas nem tinham carteiras", acrescenta. 
    A escola secundária número 7042 foi construída em 1988, com o apoio de Cuba, que disponibilizou professores e formou quadros. A instituição de três pisos funcionava nos períodos diurno e noturno e acolhia cerca de 10 mil alunos, que em 2010 foram transferidos para outros estabelecimentos do município.
    Luanda: Angola und Kuba Schule vor acht Jahren verlassen
(DW/B. Ndomba
)
    Entrada da Escola "Angola e Cuba" atualmente
    O Cazenga é o segundo município mais populoso de Luanda. A zona é conhecida pelo alto nível de delinquência e pela pobreza extrema que afeta boa parte dos moradores. O número reduzido de escolas estatais preocupa os habitantes, a quem falta quase tudo. 
    Efrain Saluca, também morador no município, pede às autoridades que recuperem a instituição. "Dói-me muito, como jovem e estudante que sou, ver essa escola neste estado. É um estado deplorável. Uma vez que o país está a precisar de mais escolas, e principalmente aqui no nosso município do Cazenga, acho que o Governo devia velar por esta situação", afirma.
    Campanha em marcha
    Mais de uma dezena de pessoas estão a trabalhar na campanha de recolha de assinaturas "Salvemos a Escola Angola e Cuba". Voluntários como Xito Milongo, outro antigo aluno da escola, têm estado a ir às casas à volta da escola para recolher assinaturas. Afirmando que "Angola é o único país que joga escolas no lixo", o voluntário Xito Milongo formado em engenharia civil lembra: "segundo a imprensa, existem [em Angola] mais de dois milhões de cidadãos fora do sistema de ensino. E se esta [escola] estivesse a funcionar, teria albergado os outros que não estão a estudar".
    No ano passado, o administrador municipal Tani Narciso garantiu que a recuperação completa da escola "Angola e Cuba" era uma das prioridades das obras sociais no quadro do Orçamento Geral do Estado para 2017. Mas até hoje nada se fez.
    Contactados pela DW África, o Ministério da Educação não reagiu e o administrador também não quis falar sobre o assunto. 
    Luanda: Angola und Kuba Schule vor acht Jahren verlassen
(DW/B. Ndomba
)
    Nuno Dala
    Nuno Dala, um dos organizadores da campanha, disse que as assinaturas serão enviadas à ministra da Educação Maria do Rosário Sambo para que  "ela, enquanto titular do Ministério, tenha conhecimento da necessidade da Escola "Angola e Cuba" ser reabilitada e voltar a funcionar, mas também para que sinta esta vontade dos populares que querem ver a escola a dar as alegrias que já deu". "[A escola] foi muito útil ao longo de década na formação de muita gente, incluindo até pessoas que hoje são titulares de cargos públicos", acrescentou o também ex-estudante da mesma instituição de ensino. 
    Segundo este ativista, o campo de basquetebol é, atualmente, "a única coisa que se explora e que tem utilidade". Aos fins de semana, os jovens continuam a praticar esta modalidade desportiva aqui, acrescenta. Nuno Dala lamenta o estado de degradação a que chegou aquela que foi também a sua escola. "Um município que tem seguramente milhões de crianças, adolescentes e jovens a precisar de escola e no entanto a escola está abandonada, cheia de lixo. A escola está praticamente transformada numa latrina pública gigante", afirmou.

    Total de visualizações de página