Postagem em destaque

CONCESSÃO DO PRÊMIO HOUPHOUET BOIGNY PELA BUSCA DA PAZ EM RCI: Os marfinenses poderão finalmente se olhar no espelho?

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!... Realiza-se esta quarta-feira, 8 de fevereiro de 2023, em Yamoussoukr...

quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

Guiné-Bissau: Adiamento das eleições guineenses em discussão na Nigéria.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

Nesta terça-feira (04.02.), o Presidente da Guiné-Bissau foi à Nigéria negociar uma nova data das eleições com a CEDEAO. Embora a situação seja minimizada por uns, há quem crítique a condução do processo eleitoral.


Serifo Nhamadjo, Presidente de transição da Guiné-Bissau.

Tudo indica que a data de 16 de março para a realização das próximas eleições gerais na Guiné-Bissau será alterada por não se ter concluído até agora o processo do recenseamento dos potenciais eleitores.
Outra grande questão que se coloca neste momento tem a ver com o encurtamento dos prazos legais que ainda carece da convocação do Parlamento para eventuais alterações das leis.
O cenário mostra que não haverá quórum para a convocação da plenária já que 67 dos 102 deputados pertencem ao Partido Africano para a Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC), o maior partido do país que se encontra reunido no seu VIII Congresso ordinário.
Daí que o Presidente de transição, Serifo Nhamadjo, admita que dificilmente será mantido o atual cronograma de eleições: "O propósito das reduções das datas, o Parlamento terá se reunir. Neste momento estamos numa situação em que mesmo que se convocar, e isso falo com garantia do presidente do Parlamento que está ao meu lado, não haverá quórum."
Serifo Nhamadjo lembra que "cerca de 67 deputados estarão no Congresso do PAIGC. São pequenas questões que deverão ser analisadas e pormos todos os dados na mesa."
Goodluck Jonathan, Presidente da Nigéria
O aval da Nigéria
O Presidente de transição falava à DW África antes de partir para a capital da Nigéria, Abuja, para informar o Presidente daquele país, Goodluck Jonathan, sobre o processo eleitoral.
É que Jonathan preside à Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO), que tem dado apoio a Guiné-Bissau desde que se instalou a crise política.
Jonathan tem acarinhado o processo de transição, apesar das dificuldades no terreno, e saudado alguns progressos alcançados.
Segundo o Presidente de transição da Guiné-Bissau, o número de eleitores previstos já foi recenseado. "Até agora o recensemento, tanto a nível nacional como na diáspora, já atingiu 88%", declarou.

Mesmo sabendo que é pouco provável realizar o escrutínio no dia 16 de março próximo, a comunidade internacional pede mais esforços para não adiar a votação.
Disso mesmo deu conta José Ramos Horta, representante da ONU em Bissau. "Não sabemos se é possível fazer no dia 16, porque, por exemplo, um factor imprevisível que ainda decorre é o congresso do PAIGC", afirmou.
Segundo Ramos Horta, um novo adiamento não constitui problema para os guineenses: "Se não for no dia 16, e for dois deias depois, não é o fim do mundo. O importante é sabermos que há vontade política."
José Ramos Horta, representante da ONU na Guiné-Bissau
Críticas e ilegalidades
Decorridos quatro dias da terceira etapa do recenseamento eleitoral continua a haver contestação por parte dos partidos políticos e candidatos às presidenciais.
Por exemplo, o politólogo e professor na Universidade Lusófona Tcherno Djaló, candidato independente, teceu duras críticas ao desenrolar do processo. "O processo está a ser conduzido na base da improvisão total e fora do quadro legal. Muitas alterações foram introduzidas sem que o Parlamento se possa pronunciar sobre a sua legalidade ou constitucionalidade", sublinhou.
Perante a incerteza que reina em torno da realização do pleito em março, o analista Rui Landim tem a certeza de que é impossível haver eleições no próximo mês: "A realidade mostra que não possível fazer isso, falou-se da necessidade de se alterar os prazos e há dois meses que ouvimos falar disso. Esta-se a prosseguir numa informalidade incrível, tudo improvisações, amadores a frente do Estado."

Na segunda-feira (03.02.), Ovídio Pequeno, representante da União Africana (UA) em Bissau, disse que não aceita que se diga que os parceiros não disponibilizaram o dinheiro para as eleições e pede que se realize o pleito na data prevista.
# dw.de


Em 2014 - A Agência Internacional do Ano de África é Ad Age.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

Africa's 5 founder/partners: Nizan Guanaes (seated), Olivia Machado, Luiz Fernando Vieira, Sergio Gordilho and Marcio Santoro
O Trabalho em Shopping de São Paulo é popular com a P & G e o Presidente do Brasil.

África é constantemente chamada na agência de publicidade mais admirada do Brasil, mas talvez porque ela raramente entra em shows de publicidade e a escolha do seu nome entre outros continentes, não é bem revelado no resto do mundo.

Pressupõe-se.

Quando o Grupo ABC liderado por Nizan Guanaes  e quatro sócios que haviam trabalhado juntos na DDB Brasil iniciaram a África há uma década atrás, eles fizeram uma pausa na agência de publicidade do Brasil - obcecado em construiu uma loja com um deliberado pequeno número de grandes clientes. Hoje eles estão fazendo alguns dos mais inusitados - trabalho digital para marcas Procter & Gamble  que você vai encontrar em qualquer lugar, a criação de novos produtos para clientes da África Lab, e acelerando o patrocínio da Copa do Mundo para maiores comerciantes do Brasil, como a AmBev - e o muito popular Banco Itaú.



O Sr. Fernando Chacon do Banco Itaú CMO  disse que o banco recebeu recentemente uma carta da presidente do Brasil, Dilma Rousseff, elogiando um novo blockbuster de Itau expondo África, que transforma todo o país em um imenso estádio como o Brasil se prepara para sediar o campeonato de futebol e receber o mundo.

"África transcende o papel de uma agência criativa", disse Chacon, cujo banco tem sido cliente desde o primeiro dia. "Eles participam de discussões sobre estratégia e posicionamento, e sua provocante criatividade nos diferencia de outras marcas no mercado."

Populares hashtag # thischangestheworld do Itaú (# issomudaomundo) analisa a forma como a vida das pessoas e do mundo, pode ser mudado para melhor, disse ele. Os brasileiros adotaram a hashtag para identificar e compartilhar momentos que fazem a diferença, e 65% da parte da indústria bancária brasileira de voz nas mídias sociais pertence ao Itaú.

Por que o nome da África? "Queríamos um nome internacional com raízes brasileiras ", disse Sérgio Gordilho, da África e co-presidente e diretor de criação. " Uma grande parte da população do Brasil é de descendência Africana. "

Em um país onde a publicidade torna-se rapidamente parte da cultura popular e todo mundo está louco - de mídia social, a P & G procurou África há vários anos para fazer algo diferente digitalmente e se aproximar de consumidores brasileiros, disse Gordilho.

O trabalho de África para uma marca de shampoo P & G é o vídeo da marca mais popular do Brasil no YouTube, com mais de 24 milhões de visualizações desde sua estréia em julho de 2013. No ano passado, a África percebeu o quão difícil é para os brasileiros pronunciar " Head & Shoulders " e decidiu investir no treinador de futebol brasileiro Joel Santana, que se tornou famoso por dar entrevistas na TV em fraturado Inglês que ele aparece para fazer como ele fez antes. Nas iterações hilariantes, o Sr. Santana exuberantemente inventa uma mistura bizarra de Português e Inglês para explicar o nome do shampoo e como usá-lo. Suas frases fraturadas levaram ao Twitter memes - a um aumento de 13% da quota de mercado para a marca.

Para a P & G Gillette a agência criou um vídeo - agora com 10 milhões de visualizações - ele observou "E se Roger Federer fosse brasileiro? " Ele explorou aquele que foi um grande estrela e jogador de futebol do tênis - e usuário de barbear Gillette - só poderia ter sido.

Em outros sucessos da P & G, Ariel detergente ( Maré, nos EUA) juntou-se com um designer de moda para criar uma coleção de roupas manchadas que revelaram suas cores brilhantes depois de serem lavadas com Ariel . E ramificando-se em acrobacias e PR, a África lançou Oral- B 3D White creme dental por se inscrever levando a final o campeão de luta do Brasil Renan Barao de usar um protetor de boca brilhante LED para uma luta. "As pessoas perguntam como os dentes são tão brilhantes! " Ele afirma. E Sua resposta : Oral B.

" Ninguém pensou que usaria seu protetor bucal como mídia revelou", disse Gordilho.

África, a sétima maior agência do Brasil, é de propriedade do Grupo ABC Brasil, que é classificada como a maior empresa de 19 agência global por DataCenter do Ad Age e também é dono de San Francisco Pereira & loja O'Dell e uma participação na DDB Brasil. A receita da África cresceu 8 % em 2013.

Uma área de crescimento é de design do Laboratório de produto da África. Uma de suas invenções, a Copa do Amigo, criado para Budweiser, que cita dois bebedores de cerveja que clicam Cups Buddy em um bar com os amigos no Facebook. O gadget avaliando uma menção no "The Colbert Report ".

# adage.com

Total de visualizações de página