Postagem em destaque

BAMAKO E IYAD ENGAJADOS NA MESMA LUTA CONTRA EIGS NO MALI: Cuidado com o efeito bumerangue!

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!... Há poucos dias, foi em Menaka que foi visto ao lado de notáveis ​​tu...

quinta-feira, 27 de setembro de 2012

Alguém duvida da Forbes?

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...


VAMOS DIVULGAR PARA OS QUATRO CANTOS DO PLANETA!!!

É uma vergonha! Cadê a Receita Federal, o Poder Judiciário Federal, o Ministério Público da União, a Polícia Federal???
.
É uma vergonha! Cadê a Receita Federal, o Poder Judiciário Federal, o Ministério Público da União, a Polícia Federal???
.
Por Geraldo Almendra (*)
Pode um cidadão eleito presidente e pertencente à classe média baixa, se tornar, em dois mandatos presidenciais, em um bilionário apenas com seus rendimentos e benefícios do cargo?
A resposta é sim. O ex-presidente Lula é um suposto e exemplar caso desse milagre financeiro, tendo-se como base as denúncias recorrentes já feitas pela mídia.
Conforme amplamente noticiado em algumas ocasiões uma conceituada revista - a Forbes – trouxe à tona esse tema, reputando a Lula a posse de uma fortuna pessoal estimada em mais de R$ 2 bilhões de dólares, devendo-se ressaltar que a primeira denúncia ocorreu ao que tudo indica em 2006, o que nos leva a concluir que a “inteligência financeira do ex-presidente” já deve ter mais que dobrado esse valor, na falta de uma contestação formal e legal do ex-presidente contra a revista.
Estamos diante de um suposto caso em que o silêncio pode ser a melhor defesa para não mexer na panela apodrecida dos podres Poderes da República, evitando as consequências legais pertinentes e o inevitável desgaste perante a opinião pública.
Nesta semana a divulgação pelo Wikileaks de suspeitas - também já feitas anteriormente - de subornos envolvendo o ex-presidente nas relações de compras feitas pelo desgoverno brasileiro em relação a processos de licitações passados, ou em andamento, nos conduz, novamente, e necessariamente, a uma pergunta não respondida: como se explica o vertiginoso crescimento do patrimônio pessoal e familiar da família Lula?
O que devem estar pensando os milhares de contribuintes que têm suas declarações de renda rejeitadas e são legalmente, todos os anos, obrigados a dar as devidas satisfações à Receita Federal sobre crescimentos patrimoniais tecnicamente inexplicáveis, mas de valor expressivamente menor do que o associado ao patrimônio pessoal e familiar do ex-presidente?
A resposta é simples e direta: tudo isso nos parece ser uma grande e redundante sacanagem com todos aqueles que trabalham fora do setor público - durante mais de cinco meses por ano - para ajudar a sustentar aquilo que a sociedade já está se acostumando a chamar de covil de bandidos.
A pergunta que fica no ar é sobre que atitudes deveriam e devem tomar o Ministério Público, a Receita Federal, O Tribunal de Contas e a Polícia Federal diante de supostas e escandalosas evidências de enriquecimento ilícito de alguém que ficou durante dois mandatos consecutivos no cargo de Presidente da República?
Na falta de atitudes investigativas ou consequências legais, como sempre, a mensagem que o poder público passa para a sociedade é de uma grotesca e sistemática impunidade protetora de todos, ou quase todos, que pactuam com a transformação do país em um Paraíso de Patifes.
No Brasil, cada vez mais, a corrupção compensa e as eventuais punições já viraram brincadeira que nossa sociedade, no cerne dos seus núcleos de poder públicos e privados aprendeu: a impunidade a leva a se nivelar por baixo aceitando que roubar o contribuinte já se tornou um ato politicamente correto para que a o projeto de poder do PT – um Regime Civil Fascista fundamentado no suborno e em um assistencialismo comprador de votos – siga inexoravelmente avante.
A omissão do Poder Público diante da absurda degeneração moral das relações públicas e privadas somente nos deixa uma alternativa de qualificação: estamos diante do Poder Público mais safado e sem vergonha de nossa história.
A propósito quem roubou o crucifixo do gabinete presidencial no final do desgoverno Lula?

(*) Economista e Professor de Matemática, Petrópolis
Geraldo Almendra (*)


    

Costa do Marfim: Doadores dispostos a financiar a reconciliação CDVR.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

Le
Representante Especial do Secretário-Geral da ONU no solo marfinense , Bert Koenders organizou uma conferência de imprensa.

Bert Koenders respondeu à chamada de Charles Konan Banny. O Presidente da Comissão da Verdade, diálogo e reconciliação (CDVR) que tinha mencionado problemas financeiros para justificar os párocos resultados alcançados pela sua estrutura de reconciliação nacional. Ontem, o Representante Especial do Secretário-Geral da ONU, acompanhado por uma delegação de doadores, foi indicar a sua disponibilidade para apoiá-lo financeiramente. "A reconciliação é a fase mais importante. Este é o lugar onde o trem CDVR deve ir para as aldeias e os lugares mais remotos para recolher opiniões e reclamações das pessoas que foram duramente atingidos pela crise pós-eleitoral. Para o presidente Banny e seuhomens podem ser eficazes em suas ações no terreno, eu e os parceiros de desenvolvimento temos vindo a falar com ele e ver como ajudar e investir no processo de reconciliação ", disse o chefe da missão da ONU no final da reunião que tiveram na residência do ex-Primeiro-Ministro, o Riviera 3. Bert Koenders também disse que a reunião foi muito bem sucedida. Ajudou, disse ele, para identificar os problemas que prejudicam o processo de reconciliação. Mas, e especialmente para absorver a estratégia adotada pela CDVR para conciliar os marfinenses e para financiar o processo.

KM (estagiário)


 fonte: abidjan.net



Camarões: Samuel Eto'o de volta, mas ...

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

Sorriso de Samuel Eto'o pela volta para os Leões Indomáveis​​. REUTERS / Olivia Harris


Jean-Paul Akono Denis sucessor Lavagne na cabeça dos Leões Indomáveis, já passou por uma parte da sua aposta. Bombeiro de serviço camaronês fez promeças durante sua nomeação. "Eu acho que todos nós precisamos dele. O Camarões inteiro precisa de seus serviços. Se possível, durante o encontro que eu tiver com ele, eu vou tentar fazê-lo entender isso. Ele deve absolutamente estar lá para o jogo de volta contra Cabo Verde. Eu vou pedir a ele para superar certa consideração, e que, como ele sempre fez, ele retorna para defender o seu país com patriotismo ", declarou Jean-Paul Akono no momento de sua nomeação.
Ele é Samuel Eto'o. Banido do Lair, o melhor atacante da história de Camarões se recusou a voltar no final do período de suspensão. Ele mudou de opinião. Depois de ser recebido pelo Primeiro-Ministro da República dos Camarões, uma companhia do
gerente de equipe da seleção camaronesa, Rigobert Song, para se preparar para a segunda etapa contra Cabo Verde na rodada final da fase de qualificação para o CAN 2013, nos Leões será ele o bom goleador a apresentar. Mas sob certas condições.
A mudança é agora
Para justificar sua decisão, o jogador do Anzhi Makhachkala tinha justificado o seu desejo de suspender a sua participação nos Leões Indomáveis ​​por causa do "amadorismo e má gestão da Federação camaronesa". Portanto nenhuma questão de voltar para os erros que minaram um dos times mais talentosos do continente. Se aceito de volta a camisa verde-vermelho-amarelo, pelo resultado que eu Samuel Eto'o tinha obtido no final do jogo contra Cabo Verde, e qualquer que seja o resultado final, mudanças significativas serão feitas para dentro FECAFOOT. Uma consulta que é claramente feita ao presidente do tribunal, Iya Mohamed, que tinha colocado a cabeça Lavagne na equipe nacional, sem consulta com outros membros da Federação.
Continua a encontrar maneiras de convencer FECAFOOT a exercer a direção da mudança defendida por Eto'o. Este não será a tarefa mais fácil.
Por: Nicholas Mc Anally


Fonte: SlateAfrique


Total de visualizações de página