Postagem em destaque

BAMAKO E IYAD ENGAJADOS NA MESMA LUTA CONTRA EIGS NO MALI: Cuidado com o efeito bumerangue!

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!... Há poucos dias, foi em Menaka que foi visto ao lado de notáveis ​​tu...

segunda-feira, 7 de julho de 2014

Senegal: Aqui está a composição do novo Governo.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...


Primeiro Ministro Mouhamed Dione

A composição do novo governo é conhecida. No total, são 30 ministros e três vice-ministros que foram nomeados. Uma inovação foi observada no novo governo. Esta é a nomeação de cinco secretários de Estado para fortalecer a reforma da administração senegalesa. Aqui está a lista do novo governo:


De acordo com a Constituição, em especial os artigos 43, 49 e 53;

Ciente de decreto n ° 2014-845 de 6 de Julho de 2014 com a nomeação do Primeiro-Ministro;
Sobre proposta do Primeiro-Ministro,

DECRETO

Artigo Primeiro: A composição do governo é determinada da seguinte forma:

  : Senhora Awa Marie Coll Seck, Ministra da Saúde e Ação Social
  : Sr. Augustin TINE, o Ministro das Forças Armadas
  : Sr. Abdoulaye Daouda Diallo, o Ministro do Interior e da Segurança Pública
  : Sr. Sidiki Kaba, Guarda-Selos, Ministro da Justiça,
  : Sr. Mankeur Ndiaye, Ministro dos Negócios Estrangeiros e dos Senegaleses no Exterior,
  : Sr. Amadou BA, Ministro da Economia, Fazenda e Planejamento,
  : Sr. Papa Abdoulaye Seck, Ministro da Agricultura e Equipamentos Rural,
 Sra. Mariama Sarr, Ministra da Mulher, Família e da Criança,
 Sr. Diene Farba Sarr, Ministro da renovação urbana, Habitação e Meio Ambiente,
 Sr. Oumar Youm, o Ministro da Governança Local, Desenvolvimento e Planejamento, porta-voz do Governo,

 Sr. Mansour FAYE, Ministro da Água e Saneamento,
 Sr. Aly Ngouille NDIAYE, Ministro da Indústria e Minas
 Sr. Mansour Elimane Kane, Ministro do Equipamento, Transportes Terrestres,
 Sr. Abdoulaye Balde, Ministro do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável,
 Sra. Maria Teuw Niane, Ministro da Educação Superior e da Pesquisa,
 Sr. Serigne Mbaye Thiam, Ministro da Educação Nacional,
 Sr. Alioune Sarr, ministro do Comércio, o setor informal, Consumo, Promoção de produtos e PME locais,
 Sr. Oumar Gueye, Ministro das Pescas e Economia Marítima,
 Sr. Abdul KANE Yaya, o Ministro dos Correios e Telecomunicações,
 Sra. MBENGUE Aminata Ndiaye, Ministro da Pecuária e produtos de origem animal,
 Sr. Abdoulaye Sarr Diouf, Ministro do Turismo e Transporte Aéreo,
 Sra. Madame Khoudia MBAYE, Ministro da Promoção do Investimento, parcerias e desenvolvimento de tele-serviços do Estado,
 Sr. Mbagnick Ndiaye, Ministro da Cultura e Comunicação,
 Sr. SY Mansour, Ministro do Trabalho, o diálogo social, das organizações profissionais e das relações com as instituições,
 Sra. Maimouna Ndoye Seck, Ministra de Energia e Desenvolvimento de Energias Renováveis,
 Sr. Mamadou Talla, Ministro da Formação Profissional, aprendizagem e o artesanato,
 Sr. Mame Mbaye Niang, Ministro da Juventude, Emprego e construção civil,
 Sr. Matar BA, ministro do Esporte,
 Sra. Viviane Laure Elisabeth BAMPASSY, Ministra da Função Pública, recrutamento de pessoal e da renovação do serviço público,
 Sr. Khadim Diop, Ministro da Integração Africana do NEPAD e da Promoção da Boa Governança,
 Sr. Birima Mangara, Ministro Delegado junto do Ministro da Economia e Finanças e do Planejamento,  Encarregado do Orçamento,
 Sr. Moustapha Diop, Ministro delegado para a Ministra da Mulher, Família e da Criança, Chefe de Microfinanças e Economia Solidária,
 Sra. Fatou TAMBEDOU, Ministro Delegado do Ministro da Reabilitação Urbana, da Habitação e da qualidade de vida, responsável pela reestruturação e requalificação dos subúrbios

Artigo 2 º: Este decreto será publicado no Diário Oficial.


                         Feito em Dakar, 06 de julho de 2014

         Macky SALL
(Presidente da República)


  Mouhamed Dione
( Primeiro Ministro )


   
# seneweb.com

Governo da Guiné-Bissau não se limita ao PAIGC.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

Governo da Guiné-Bissau não se limita ao PAIGC

O novo Governo da Guiné-Bissau liderado pelo PAIGC (Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde), que tem maioria absoluta, inclui representantes da segunda força política do país, o Partido da Renovação Social (PRS), de pequenas forças partidárias e independentes. A sua entrada em funções completa formalmente o processo de regresso à democracia, após o golpe de Estado de Abril de 2012.


Entre os 16 ministros e 15 secretários de Estado do Governo liderado por Domingos Simões Pereira – cuja composição foi na tarde desta sexta-feira anunciada por decreto presidencial – está o secretário-geral do PRS, Florentino Pereira, como ministro da Energia e Indústria.
A segunda figura do executivo é Baciro Djá, ministro da Defesa do primeiro-ministro Gomes Júnior, derrubado há dois anos pelos militares, que ocupará a pasta da Presidência e Assuntos Parlamentares. O ministro da Economia e Finanças é Geraldo Martins, ministro da Educação entre 2001 e 2003 e quadro do Banco Mundial. Os Negócios Estrangeiros foram confiados a Mário Lopes da Rosa, membro do PAIGC e ministro das Pescas do governo de transição, que agora cessa funções.
A delicada pasta da Defesa foi entregue a uma mulher, Cadi Mané, médica militar. Carmelita Pires, do pequeno Partido Unido Social-Democrático, que se distinguiu no combate ao narcotráfico, regressa ao cargo de ministro da Justiça, que ocupou entre 2007 e 2009.
Na campanha eleitoral, o primeiro-ministro Simões Pereira, 50 anos, antigo secretário executivo da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, tinha confidenciado a intenção de incluir no Executivo políticos não pertencentes ao PAIGC, que nas eleições do passado mês de Abril elegeu 57 dos 102 deputados da Assembleia Nacional Popular.
“Com a minha tomada de posse começa a tocar no sentido regressivo o relógio do período que pedimos para, em quatro anos mudarmos a sorte e o destino desta nação. Que Deus nos ajude e abençoe a Guiné-Bissau”, disse, citado pela agência guineense ANG, na quinta-feira, quando foi empossado.
O Presidente da República, José Mário Vaz, pediu-lhe “acção urgente” para retirar da “insustentável letargia” em que se encontra um país que, nos últimos anos, foi notícia quase só por más razões – pela violência político-militar, por assassinatos e golpes de Estado e por se ter tornado plataforma do tráficointernacional de droga. Para o regresso à democracia contribuíram a pressão internacional, o isolamento das autoridades pós-golpe e as dificuldades financeiras.
Um das incertezas do processo político guineense continua a ser o relacionamento entre o poder político e os militares que há dois anos derrubaram o Governo constitucional do então primeiro-ministro, Carlos Gomes Júnior, Cadogo, à época líder do PAIGC, num golpe liderado por António Indjai, que permanece na chefia das Forças Armadas. Na campanha eleitoral Simões Pereira procurar tranquilizar a cúpula militar anunciado que não haveria “caça às bruxas”.
Gomes Júnior, que tinha vencido a primeira volta das presidenciais, está exilado e viu a sua candidatura presidencial inviabilizada pelo partido a que pertence, para não hostilizar a hierarquia militar. Do seu governo fazia parte, como ministro das Finanças, o novo Presidente da República, José Mário Vaz, que tomou posse na semana passada.
Fonte: Público

Governo da Guiné-Bissau tem seis mulheres.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

Seis ministros do Governo de Transição ficam no actual Executivo.
Domingos Simões Pereira, secretário-executivo da CPLP (foto de arquivo) (VOA)


Ao contrário da Orgânica anteriormente aprovada pelo PAIGC, partido vencedor das eleições, o número dos membros do Governo subiu de 27 para 31, entre ministros e secretários de Estado.
Deste elenco governamental, contam-se seis figuras que faziam parte do regime de transição, entre as quais, se destacam Daniel Gomes, que após o Golpe de 12 de Abril esteve nos ministérios dos Recursos Naturais e da Energia, Industria e Artesanato. Agora, no meio de muitos sentimentos contestatários, regressou aos Recursos Naturais.
Mário Lopes da Rosa, que era secretário de Estado das Pescas, passa a assumir o Ministério dos Negócios Estrangeiros, da Cooperação Internacional e das Comunidades. Ele era o candidato de Domingos Simões Pereira nas primárias do partido para a Presidência da República, tendo sido derrotado por José Mario Vaz.
De resto, os responsáveis governamentais que transitaram do Executivo anterior são António Serifo Embaló, Idelfrides Manuel Gomes Fernandes, Tomásia Manjuba e Carlos Nhaté.
novo Governo tem seis mulheres nas aéreas da Defesa, Justiça, Saúde, Educação, do Orçamento e Assuntos Fiscais, assim como da Mulher, Família e Coesão Social. 
# voa.com

Senegal: Sai Mimi Touré, Dionne Mohamed - é o primeiro-ministro do Senegal.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...




Até aqui em apoio à permanência do PES (Plano Emerge Senegal), Mohamed Dionne foi nomeado primeiro-ministro do Senegal. Ele substitui no cargo a Senhora Aminata Touré afastada do cargo na última sexta.

Ele estava integrado a equipe de Aminata Touré em março passado, após a aceitação de Paris por doadores estrangeiros, o PES. Mohamed Dionne estava ocupando um cargo da Organização de Desenvolvimento Industrial das Nações Unidas (ONUDI).
Nomeado a cabeça do governo, ele deve ter mãos livres para cumprir sua missão de coordenar o Bureau operacional do Plano Senegal Emergente (COLISÃO).

# seneweb.com

Total de visualizações de página