Postagem em destaque

BAMAKO E IYAD ENGAJADOS NA MESMA LUTA CONTRA EIGS NO MALI: Cuidado com o efeito bumerangue!

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!... Há poucos dias, foi em Menaka que foi visto ao lado de notáveis ​​tu...

sexta-feira, 18 de abril de 2014

Brasil: O ex-Presidente Lula - "Vamo pra cima desses 'jornais', sô!"

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

Foto: Heinrich Aikawa/Instituto Lula
Foto: Instituto Lula - O Presidente Lula e o Presidente do Gana.

LULA: Eu acho que, não é que falta humor na política, porque senão a gente elegeria um humorista qualquer e tava resolvido o problema [brilhante resposta, a pergunta tola, metida a besta]. O problema é que nós estamos sendo conduzidos por uma massa feroz de informações deformadas que vai criando, sabe, o imaginário e vai formando a cabeça das pessoas.

Trecho da entrevista de 8/4/2014, a jornalistas blogueiros. (Em http://goo.gl/y0aKVc vídeos e texto integral transcrito)Eu, sábado passado, faz 15 dias eu fui almoçar, fui jantar na casa de um companheiro. E na casa desse companheiro tinha um menino de 20 anos de idade e tinha um menino de 17 anos de idade, filho e sobrinho. E eu tava na mesa conversando com eles e eu comecei a me dar conta do seguinte: há 11 anos atrás, quando eu fui eleito, esse menino de 20 tinha só nove anos. O de 17 tinha só seis anos de idade. Quando eu deixei a Presidência, em 2010, o de 20 tinha 16 e o de 17 tinha 13.

Eu me dei conta que essa meninada não tem obrigação de saber o que eu fiz e, se ele for ver o que nós fizemos, pela imprensa ele tá totalmente desinformado. Porque há uma... Há uma... Eu fico pensando que, se a imprensa, nos seus editoriais, sabe, batesse no governo, discordasse, seria ótimo, é a opinião, tá lá, a opinião da diretoria. Devia de colocar logo a cara do diretor, pra gente ver que é o diretor. Ele nunca tem coragem de colocar também a cara do diretor que faz o editorial, pra gente ver quem é que tá fazendo o editorial. E na cobertura normal, que fosse um pouco mais sério, um pouco... Eu diria... Mais neutro, sabe, na cobertura. 

Então, eu, tem dia que eu fico pensando que o país acabou, sabe, porque é uma quantidade de notícias equivocadas, de notícias... Eu tenho falado com alguns companheiros ministros que eles têm que ir pra cima. Todo dia tem que ver, tem que ligar, tem que pedir pra dar entrevista. Não dá... Que fique grupo de pessoas pra acompanhar, pra poder pedir direito de resposta, pra dizer pelo menos a verdade.
Não precisa concordar. Então, eu me dei conta de que esse mau humor é uma quantidade... Eu recebo hoje mais gente do que eu recebia quando era presidente. Sabe, recebo mais gente do movimento social, do movimento sindical, mais empresário, converso com muita gente, muito mais solto do que antigamente, ou seja, e existe esse mau humor.
É inacreditável. O Delfim escreve muito sobre isso. Ou seja, a percepção negativa é pior do que o mundo real e todo mundo sério percebe isso. E, eu lembro que, numa conversa que eu tive com a companheira Dilma e com... Com a presidenta Dilma e com alguns companheiros eu falei:
"Gente, vocês têm que dar uma olhada, não é na pesquisa de opinião pública. É na percepção da sociedade, o que que tá acontecendo, porque tem alguma coisa que nós temos que fazer, pra fazer a sociedade entender." 
E eu me dei conta que, se a gente não for agressivo numa política de comunicação, pra dizer o que que tá acontecendo, daí eu acho que nós perdemos um tempo precioso em não fazer a discussão sobre o marco regulatório da comunicação nesse país. Perdemos um tempo precioso, ou seja, eu espero que em algum momento a gente retome essa discussão. O da internet nós vencemos a primeira parte. O Marco Civil nós vencemos a primeira parte. Precisa tomar cuidado com o Senado, mas já foi um avanço, sabe, a neutralidade.
Pois bem, eu me dei conta... As pessoas reclamavam: "O Lula tá sempre em palanque, o Lula fala toda hora, o Lula fala oito vezes por dia, o Lula fala...". Ô, meu filho, mas seu eu não falar, quem vai falar, os meus opositores? Eu tenho que falar dez vezes por dia, 15 vezes por dia. A Dilma tem que falar, os ministros têm que falar. Nós temos que disputar espaço, porque a tentativa de vender coisas que não são verdadeiras é fantástica. A de tentar vender coisas negativas é... Eu, sinceramente, fico assustado. Eu duvido que tenha um jornalista nesse país que diga que um dia o Lula pediu pra que ele não falasse tal coisa. Nunca! Não faz parte da minha cultura política. Pra mim, pra mim, sabe, o leitor é o censor, é o censurador desse país. Ele que vai censurar o que ele quiser, ele que vai... Não é o governo e muito menos um ministro.
As passeatas de 2002, ou seja, eu fiquei pensando que informação política tinha na cabeça daqueles jovens, sabe? Eu tenho neta, sabe, com 18 anos de idade, eu tenho neta, eu vejo o que eles falavam pra mim. E eu fico pensando: que informação eles têm? Nenhuma informação, gente. Não tem debate nas universidades mais. Não tem programa, sabe, que ele possa ter alguma informação correta. O noticiário que ele pode ter correto é via internet, mesmo assim, uma quantidade de coisas na internet é coisa que não politiza, é coisa despolitizante, ou seja, então, se a gente não tiver uma preocupação de conversar com essa gente mais vezes, toda hora, e repetir e conversar... [fim do fragmento "VAMO PRA CIMA DESSES JORNAIS, SÔ!"]
# pravda.ru

Guiné-Bissau: Principal partido da oposição (PRS) reconhece vitória do PAIGC.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...



Bissau - O Partido da Renovação Social (PRS), segundo partido mais votado nas eleições legislativas da Guiné-Bissau, aceitou hoje, sexta-feira os resultados do escrutínio e felicitou o PAIGC como o vencedor.


Em conferência de imprensa num hotel de Bissau e na presença do representante das Nações Unidas, José Ramos-Horta, o diretor da campanha do PRS, Baltazar Cardoso, anunciou a aceitação dos resultados "dentro de um espírito democrático".
Baltazar Cardoso disse que o PRS felicita e apoia o Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC) reconhecendo que o povo lhe confiou a maioria (no parlamento) para que nos próximos quatro anos esteja a frente dos destinos da Guiné-Bissau, observou o dirigente, merecendo palmas da assistência.  
O PRS tem 41 deputados enquanto o PAIGC conta com 55 mandatos, numa altura em que faltam ainda apurar quem ficará com os dois mandatos relativos aos círculos da emigração, ou seja, África e Europa.  
Dirigindo-se ao partido maioritário no futuro parlamento, Baltazar Cardosoafirmou que o PRS oferece "a sua boa vontade" para colaborar com o PAIGC"em nome dos superiores interesses" dos guineenses.  
O director da campanha do PRS enalteceu o facto de todo o processo ter decorrido "com transparência" e destacou ainda os apoios da comunidade internacional que agradeceu.  
O partido vai reunir-se nos próximos dias para tomar uma posição sobre a segunda volta das presidenciais que vão ser disputadas entre José Mário Vaz, apoiado pelo PAIGC e Nuno Nabian, independente, adiantou Baltazar Cardoso.
# portalangop


Costa do Marfim: 18ª Jornada Africana de prevenção de riscos ocupacionais: 1 dólar investido em segurança e saúde no trabalho resulta em um retorno sobre o investimento em três dólares.

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

Conférence
Sr. Allah Konan Germain

Por ocasião da 18ª Jornada Africana de prevenção de riscos ocupacionais a 12 ª Jornada Mundial dos riscos profissionais, a Confederação Geral das Empresas da Costa do Marfim ( CGECI ), a Federação Marfinense de Pequenas e Médias Empresas ( FIPME ), das Organizações Sindicais dos trabalhadores { UGTCI - DIGNIDADE - FESAC ) e em colaboração com o Departamento de Estado, o Ministério do Trabalho e dos Assuntos Sociais, organizou uma conferência de comitês nacionais de coordenação de saúde e segurança no trabalho.

Segurança e saúde na utilização de produtos químicos no trabalho, é o tema central que este encontro trouxe pela união de empresas agrícolas e florestais ( Unemaf ). Educar empregadores e empregados na prestação de contas no local de trabalho está no centro dos debates, e cujo objetivo é promover a segurança e saúde nas empresas agrícolas para aumentar a sua produtividade.

De acordo com as recomendações do 7 º Fórum CHSCT (Comissão de Higiene, Saúde e Segurança no trabalho ) em Cotonou, a coordenação nacional, lançou em 2012, uma campanha de instalação do comitês de campanha de saúde e segurança no trabalho. Até o momento cerca de 85 CHSCT foram instalados e as declarações de perspectiva são para 100 HSC para os próximos meses.

De acordo com o Sr. Allah Konan Germain da CGECI, este quadro de cocertação que inclui vários atores do mundo agrícola, é o lugar para apelar aos empresários, especialmente aqueles do mundo agrícola, e a eles definitivamente cabe a questão da programas de saúde e de gestão da segurança em seus negócios.

 "A saúde no local de trabalho é uma das principais condições para a produtividade do negócio. " Acrescentou ele.

De acordo com um estudo iniciado com dez empresas da Costa do Marfim em 2010 pela Associação Internacional de Seguridade Social (AISS ), um dólar investido em segurança e saúde no trabalho produz um retorno sobre o investimento na ordem de 3,00-4,99 dólares. Ou uma média de US $ 3,3- em um 1 dólar investido. Como parte desse estudo, notamos que um investimento em segurança e saúde no trabalho de 1.788.444 francos CFA por trabalhador, há um retorno de 5.812.000 FCFA, um lucro líquido de 4.023.556 FCFA por trabalhador.

# abidjan.net

Senegal: Caso de Karim Wade - Cheikh Diallo - "Eu disse a verdade e nada mais que a verdade".

NO BALUR I STA NA NO KUNCIMENTI, PA KILA, NO BALURIZA KUNCIMENTI!...

Cheikh Diallo a été blanchi par la justice le 16 avril.
Cheikh Diallo foi absolvido pelo tribunal em 16 de abril. © DR

O ex-assessor do presidente Abdoulaye Wade, Cheikh Diallo experimentou a descida ao inferno. Suspeito pela justiça de ser cúmplice de Karim Wade na aquisição ilícita de mercadorias diversas, ele teria conhecido a prisão antes de ser liberado em 16 de abril. 

Ele foi o conselheiro influente do presidente Abdoulaye Wade e o doutor spin de seu filho, Karim, quando ele foi para os senegaleses o " ministro do Céu e da Terra " entre 2009 e 2012. Jornalista, ensaísta, cientista político, Cheikh Diallo foi considerado um dos homens -chave do regime, até a eleição de Macky Sall há dois anos. Pois, como tantos outros "meninos de Wade ", ele experimentou a descida ao inferno: Audiências perante os magistrados do Tribunal de repressão de enriquecimento ilícito ( CREI ), que o considerou suspeito e de ter servido como homem de palha a Karim Wade; a morte súbita do grupo de CD de mídia que ele fundou, esse último que lhe rendeu problemas na justiça; e, finalmente, a prisão. Liberado há seis meses, em seguida, colocado sob vigilância judicial, ele foi absolvido em 16 de abril, o mesmo dia em que Karim Wade foi solicitado que deve responder em tribunal, com seus supostos cúmplices, sobre as acusações de enriquecimento ilícito. No dia seguinte, Cheikh Diallo deu uma entrevista a Jeune Afrique.

Aguardando o seu processo, Karim Wade, sob detenção após um ano, permanece na prisão.

Jeune Afrique: A comissão da instrução CREI branqueou você. É um alívio?

Cheikh Diallo: sim. Eu passei seis meses na prisão, seis outros meses sob controle judiciário. Foi uma corrida muito difícil, longa e cansativa, mesmo assim eu não estava preocupado porque eu estava convencido de que chegaria um dia quando será estabelecida a minha inocência. Eu não estou amargurado, eu não quero que ninguém... eu já perdoei. Agora que a justiça senegalesa inquestionavelmente está branqueada, eu quero virar a página.

Você friccionou Karim Wade e outros supostos cúmplices à prisão de Rebeuss?

Não. Nós não estávamos na mesma área. Aconteceu que nós nos encontramos, mas ele estava constantemente cercado por guardas e fomos proibidos de falar um ao outro. Mesmo quando eu saí, eu estava proibido de visitar todos os envolvidos na investigação. Eu jamais tive contacto com o ex-Presidente Wade.

No ambiente de Karim Wade, ele diz que você foi poupado porque você foi carregado em suas audições perante os juízes. De grosso modo, você o balanceou ...

Eu disse a verdade, toda a verdade e nada além da verdade.

O que é isso ?

Eu não posso ser o dono de um grupo em que eu não detenho 30 % de participação. Esta é a matemática.

Quem é o dono de CD mídia?

Karim Wade. Mas isso não é um crime. Este grupo nunca foi uma fonte de lucro, pelo contrário, tem sido mais fonte de custos. ( Perante os investigadores, Karim Wade ao longo do tempo negou ser o proprietário deste grupo, etc ).

" A declaração chocou Karim Wade perante CREI "

Quando você lançou esse grupo e em particular o seu título principal, "o país no dia-a-dia, " qual foi o objetivo?

Este objetivo era de cidadão. Ele foi publicado no jornal como os outros, informações gerais. .

Deveria apoiar Karim Wade, no contexto em que ele se apresentou para uma eleição?

Não, não necessariamente. Mas apoiei a sua causa. Ele não criou esse jornal para ser insultado!

O que você acha do modo de operação do CREI?

Não tenho nada a dizer sobre este assunto.

O que você vai fazer agora?

Tenho ambições na África Ocidental. Eu acho. Eu vou continuar minha Tese de Doutorado, meu PhD em Ciência Política. Tive o tempo na prisão para refletir sobre os paradoxos da consulta democrática na África.

O contato com Abdoulaye Wade está quebrado, de quem você se aproxima?

Neste teste, eu não entendi. Saí há seis meses, e eu não recebi uma única chamada. Somente sua esposa, Viviane, visitou minha esposa quando eu estava na prisão. Isso me deixa perplexo.

# jeuneafrique.com



Total de visualizações de página